Documents

As Lutas Na Educação Física Escolar

Description
REVISTA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Nº 135 - NOVEMBRO DE 2006 - PÁG. EDUCAÇÃO FÍSICA REVISTA DE Nº 135 NOVEMBRO DE 2006 3ó ArtigoOriginal AS LUTAS NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Heraldo Simões Ferreira Universidade Estadual do Ceará (UECE) - Fortaleza - CE - Brasil. _________ Recebidoem19.02.2006.Aceitoem26.07.2006. Resumo Este artigo tem o objetivo de compreender como os professores de educação física estão utilizando o bloco de conteúdos proposto nos Parâmetros Curriculares Nacionais - Ed
Categories
Published
of 9
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  REVISTA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Nº 135 - NOVEMBRO DE 2006 - PÁG. EDUCAÇÃO FÍSICA REVISTA DENº 135 NOVEMBRO DE 2006  ArtigoOriginal  AS LUTAS NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Heraldo Simões Ferreira Universidade Estadual do Ceará (UECE) - Fortaleza - CE - Brasil.  _________ Recebidoem19.02.2006.Aceitoem26.07.2006. Resumo Este artigo tem o objetivo de compreender comoos professores de educação física estão utilizando oblocodeconteúdospropostonosParâmetrosCurricularesNacionais-EducaçãoFísica,noque se refere à prática das lutas. Para tanto, foi utilizada umaabordagemquantitativa,onde50professores, da rede pública e privada de educação, de Fortaleza(Ceará - Brasil), responderam a um questionário. Osresultadosdemonstramqueumnúmeropouco expressivo de professores utiliza esta modalidade comopartedeseusconteúdosemaulas.Concluiu-sequeaeducaçãofísicadeveproporcionardiversasformasdeculturacorporal,comoasatividades relacionadas às lutas, que devem fazer parte das modalidadesofertadasaosdiscentes.Paraisso, é necessário que os professores façam cursosde atualização ou usem a criatividade, buscandoalternativas na área. Palavras-chave: EducaçãoFísica,Escola,Lutas.OriginalArticle COMBATS IN PHYSICAL EDUCATION AT SCHOOL Abstract  ThisarticleaimstounderstandhowphysicaleducationteachersareusingthegroupofcontentsproposedintheNationalCurricularParameters–PhysicalEducation,regardingthepracticeofcombats.Forthisaquantitativeapproachwasused,wherefiftypublicandprivateschoolteachers, from Fortaleza (Ceará – Brazil), responded to aquestionnaire. The results show that an expressively smallnumberofteachersusedthismodalityaspartoftheirclasscontent.Weconcludedthatphysicaleducationmustprovidediverseformsofbodyculture,suchasactivitiesrelatedtocombat,whichshouldformpartofthemodalitiesofferedtothestudents.Forthis,itisnecessarythatteacherstakeupdatingrenovationcoursesorusecreativity,seekingalternativesinthearea. Key words: PhysicalEducation,School,Combats. 36-44  REVISTA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Nº 135 - NOVEMBRO DE 2006 - PÁG. EDUCAÇÃO FÍSICA REVISTA DENº 135 NOVEMBRO DE 2006  INTRODUÇÃO   A educação física que queremos é a dequalidade e, como tal, a diversidade é um ponto fundamentalparaseconseguirestafinalidade.Na diversidade, valoriza-se a dimensão das múltiplasleituras da realidade e a conseqüente ampliação das possibilidadesdecomunicaçãoederelacionamentoentreaspessoas.Tendoemvistaesteaspecto,opresenteartigoprocuracompreendercomoos professores desta disciplina estão utilizando o bloco deconteúdospropostonosParâmetrosCurriculares Nacionais (PCN’s) - Educação Física, no que se refereà prática das lutas no contexto atual da educação físicaescolar. Como meio de se atingir os objetivos geraisda educação física, utiliza-se a prática das lutas,sem, contudo, deixar de incentivar os esportes combola, as ginásticas, o atletismo, a dança, os jogos easbrincadeiras.Entende-secomolutas,nãosomenteasmodalidadestidascomotradicionais (Judô, Caratê, KungFu ), mas, também, a prática dalutainformal.Aoselecionaradisciplinadeeducação física, da educação infantil até o ensino médio,comprova-se que as lutas fazem sucesso em todasas faixas etárias. Na educação infantil, as lutas deanimais (luta do sapo, luta do jacaré ou a luta do saci)têm ajudado muito na liberação de agressividadedas crianças, além de serem trabalhados, nestas atividades,todososfatorespsicomotores.Noensinofundamental,lutasquerequeremummaioresforço trazem excelentes respostas, como a luta do “empurrae puxa” ou o “uga-uga” (tirar o colega de dentro docírculo central). No ensino médio, as modalidadescomeçam a ser exploradas de uma maneira mais profunda,levandoaoconhecimentodotema, fazendo um resgate histórico das modalidades e asrelacionando com a ética e os valores. Aslutasdevemservircomoinstrumentode auxílio pedagógico ao profissional de educação física:oatodelutardeveserincluídodentrodo contexto histórico-sócio-cultural do homem, já queo ser humano luta, desde a pré-história, pela suasobrevivência.Daolio (2004) sustenta a idéia de que a culturaé o principal conceito para a educação física, “porque todasasmanifestaçõescorporaishumanassãogeradasnadinâmicacultural,desdeosprimórdios da evolução até hoje”. Oprofissionaldeeducaçãofísicanãoatuasobreocorpooucomomovimentoemsi,nãotrabalha com o esporte em si, não lida com a ginástica em si.Eletratadoserhumanonassuasmanifestaçõesculturaisrelacionadasaocorpoeaomovimento humano, historicamente definidas como jogo,esporte, dança, luta e ginástica (Daolio, 2004). Comoestudiosodacultura,considerandoaeducaçãofísicacomodisciplinaescolareaescolacomoespaçoetempodedesenvolveracultura, entendo como tarefa precípua da área garantir ao alunoaapreensãodeconteúdosculturais,nocaso, relacionados à dimensão corporal: jogo, ginástica, esporte,dança,luta(Daolio,2004). Noensinosuperior,pode-seconstatar,aoassumirumaturmadelicenciaturaemeducaçãofísicadeumauniversidade,apreocupaçãodosalunos em como utilizar o conteúdo da disciplina nas aulas deeducaçãofísicaescolar.Algunsalunosencaramadisciplinadelutascomo“maisumadisciplina descartável”. Por este motivo, passou-se a questionar como um aluno de graduação poderia aprender judôou caratê em apenas seis meses e, assim, pudesse estaraptoaempregaroconhecimentoadquiridonomomentoemqueestivessetrabalhandoemescolas.Paraisto,oprogramadadisciplinanaUniversidade Estadual do Ceará (UECE), mediante autorização do coordenador,foireformulado,procurando-setrabalhar além do que estava na ementa (somente Caratê e  Judô).Passou-se,então,atrabalharalutadeumaformalúdica,mostrandoqueelapodesermaisumrecursonaeducaçãofísicaescolar,muitoembora houvesse a certeza de que um aluno de faculdade,sem conhecimento prévio do assunto, dificilmentepoderia aprender a arte do Caratê ou do Judô em períodotãocurtodetempo(umsemestre).Algumasquestões,portanto,emergemsobre a prática das lutas na aula de educação física escolar,entreelas:osprofessoresdeeducaçãofísica conhecem e aplicam os PCN’s? Usam lutas em suasaulas? De que forma? Quais as estratégias utilizadas emaulascomlutas?Oquepensamsobreaslutasnaescola? 36-44  REVISTA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Nº 135 - NOVEMBRO DE 2006 - PÁG. EDUCAÇÃO FÍSICA REVISTA DENº 135 NOVEMBRO DE 2006  Esteestudovisaobservararealidadedos professores de educação física no que se refere àutilização das lutas como um dos blocos de conteúdoproposto pelos PCN’s. DESENVOLVIMENTO As lutas: questões históricas Existem muitas definições sobre o que seriamas lutas, sendo a definição proposta nos PCN’s - EducaçãoFísica: Aslutassãodisputasemqueosoponentesdevem ser subjugados, com técnicas e estratégias dedesequilíbrio, contusão, imobilização ou exclusão deumdeterminadoespaçonacombinaçãode ações de ataque e defesa. Caracterizam-se por  umaregulamentaçãoespecíficaafimdepunir atitudes de violência e deslealdade. Podem ser citados exemplos de luta: as brincadeiras decabo de guerra e braço de ferro, até as práticasmais complexas da capoeira, do judô e do caratê (Brasil,1998). Históriassobrelutadoressãotransmitidasde gerações a gerações. Textos bíblicos já comentampelejas entre oponentes. Segundo Reid e Croucher  (2003): Desde as épocas antigas temos registro de lutas adois.AhistóriadeDavi,quematouGoliascom uma pedra atirada por uma funda, é uma das descriçõesmaisdetalhadas(...)comsuaarma simples, Davi foi capaz de obter uma precisãocomparada à de um samurai quando dá um golpe comsuaespada(...). Asrcemdaslutasedasartesmarciaiscontinuasendoumaincógnita.Osgregostinhamumaforma de lutar, conhecida como “pancrácio”, modalidadepresente nos primeiros jogos olímpicos da era antiga.Os gladiadores romanos, já naquela época, faziam ouso de técnicas de luta a dois. Na Índia e na China,surgiram os primeiros indícios de formas organizadas decombate.Ahistóriadasformasdeluta,decombateoude arte marcial, é difícil de ser definida, pois poucos fatos sãoverdadeiramenteconhecidos.Osantigosmestresnãorepassavamseusconhecimentosfacilmentee, além disso, não existem registros documentados, já queastradiçõeserampassadasdeformaoral,demestreparadiscípulo.DeacordocomAlvesJr(2001): Nahistóriadahumanidadequandolevamosem consideração o estágio já urbano, ao se fazer umabreve gênese das lutas, observamos que não foram poucososregistrosencontradosnasmaisdiversas civilizações. Remontando entre os anos 3000 e1500 a.C., os sumerianos deixaram imagens detrês duplas de lutadores representando diversas fasesdeumaluta,comcaracterísticasqueD.PalmereM.Howell(inBlanchard,Chelska,op.cit)consideraramcomosendo,“umadasprovasmais antigas” do que hoje entenderíamos como atividadede luta. Outras evidências de práticas de lutastambém foram encontradas em outras culturas,através dos desenhos encontrados dentro da tumbaegípcia de Beni Hassan (Henares, 2000) e também emCreta,porvoltade2000a.C.(BlanchardeChelska,op.cit). Algumasinformaçõesnoslevamacrerqueos sistemas de lutas chegaram à China e à Índia, noséculo V a.C., através do comércio marítimo. MuitosartistasmarciaisconsideramaChinacomooberçodestacultura,comosereferemReideCroucher(2003): (...)ummongeindianochamadoBodhidharmachegoucertodiaaotemploemosteirodeSongshanShaolin,naChina,ondepassouaensinarumtiponovoemaisdiretodeBudismo,queenvolvialongos períodos de estática (...) para ajudá-los a agüentar as longas horas de meditação, ensinou-lhes técnicasde respiração e exercícios para desenvolver a forçaeacapacidadededefender-senaremotaemontanhosaregiãoonderesidiam. Afilosofiadobudismoinfluenciouprofundamenteossistemasdelutasdetodoooriente,principalmente na China, na Coréia, no Japão, na Índia e nos paísesdo Sudeste Asiático. Assim, as técnicas de luta se proliferarampelooriente. Neste período, surgem os lutadores sábios esuas estratégias militares, sendo exemplos Sun Tzu,  36-44  REVISTA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Nº 135 - NOVEMBRO DE 2006 - PÁG. EDUCAÇÃO FÍSICA REVISTA DENº 135 NOVEMBRO DE 2006  um general de guerra chinês, e Miyamoto Musashi, o maisfamosodossamuraisdoantigoJapão.Ambos escreveram clássicos da arte da guerra, utilizados atéos dias de hoje por empresários e empreendedores. SegundoSugai(2004): É interessante destacar também que essesclássicos, exaustivamente interpretados ao longodos séculos, têm sido considerados muito mais peloprisma da lógica, das suas possibilidades bélicas ouestratégicas. Todavia, em um momento de tantas transformaçõesporquepassamos,dequebradevaloresessenciais,daprocuradosentidodavida, é mais que oportuno ressaltar os propósitos mais elevadosdessesdoisguerreiros:pormeiodaarte que escolheram, eles conseguiram chegar até omáximo de compreensão da alma humana paraalcançar, à semelhança da natureza, a perfeiçãoda arte de existir. ConformeatestaKishikawa(2004),olivro de Sun Tzu, “A arte da guerra”, e o de Musashi, “Olivro dos cinco anéis”, foram adotados como leitura obrigatórianaEscoladeAdministraçãodeEmpresasdaUniversidadedeHarvard.  Após o século XIV, os europeus começaramsuas expansões e descobertas de territórios, tomandocontatocomaculturaecomospovosdeoutrospaíses.Somenteem1900,algunsingleseseoutrostantosnorte-americanoscomeçarama aprender judô e outras artes marciais japonesas. Após 1945,osnorte-americanos,emserviçonoJapão,disseminaramaslutasdoorientenomundoocidental(ReideCroucher,2003).Algunslutadorespossuemumavisãofilosóficadoquevemaserumaluta,comoafirmaLee(2003): (...) o objetivo da arte é projetar uma visão interior para o mundo; declarar, em uma criação estética, oespírito mais íntimo e as experiências pessoais de umserhumano. Na atualidade, existem inúmeros sistemas de luta,aschamadasartesorientais: KungFu,Tai-Chi-Chuan, Caratê, Judô, Jiu-jitsu,Aikido,Tae-Kwon-Do,Jet-Kune-Do,Kendo , entre outras. Também existemaquelas consideradas ocidentais como: o Boxe, a Esgrima,o Kick-Boxe, etc. Nos jogos olímpicos, estão presentes o Judô, o Tae-Kwon-Do , a Esgrima, o Arco e Flecha, o Boxe, aLuta Livre e a Luta Greco-romana. O Caratê, que hámuito pleiteia uma vaga nos jogos, já é considerado esporteolímpico,participandoefetivamentedocircuito promovido pelo Comitê Olímpico Internacional, como osJogosPan-Americanos,osSul-Americanos,os  Asiáticos e os Europeus. NoBrasil,aeducaçãofísicadeveresgataraCapoeiracomopartedamanifestaçãodaculturadosnegrosnoperíodoescravocrata.Estamodalidadedelutaenvolveadança,amúsicaeumgestualcarregadodehistoricidade. Também não se pode esquecer o Brazilian Jiu-jitsu (derivadodo Jiu-jitsu japonês, mas muitomodificado pela família Gracie), hoje considerado um esportegenuinamente“tupiniquim”. A disciplina de educação física, também, tema responsabilidade de não deixar que os grandesnomes de nossos esportes de luta sejam esquecidos:como Aurélio Miguel, Rogério Sampaio, Eder Jofre, Maguila,Acelino“Popó”Freitas,FamíliaGracie,entretantosoutros. As lutas na educação física escolar   A prática da luta nas aulas de educação física deveserconsiderada,estandoinclusanoblocode conteúdos da disciplina, exposto nos PCN’s: Os conteúdos estão organizados em três blocos, quedeverãoserdesenvolvidosaolongodetodooensinofundamental.Adistribuiçãoeodesenvolvimentodosconteúdosestãorelacionados com o projeto pedagógico de cada escola e a especificidadedecadagrupo...Assim,nãose trata de uma estrutura estática ou inflexível, massim de uma forma de organizar o conjunto de conhecimentosabordados,segundoenfoquesque podem ser dados: esportes, jogos lutas e ginástica; atividadesrítmicasecorporaiseconhecimentossobreocorpo(Brasil,1988). Esta prática pode trazer inúmeros benefíciosao usuário, destacando-se o desenvolvimento motor, ocognitivoeoafetivo-social.Noaspectomotor,observamosodesenvolvimentodalateralidade,ocontroledotônusmuscular,amelhoradoequilíbrioe da coordenação global, o aprimoramento da idéia de tempoeespaço,bemcomodanoçãodecorpo.No 36-44

Acidulantes.pdf

Aug 21, 2017

ANEXO-I.pdf

Aug 21, 2017
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks