Creative Writing

ATIVIDADES REFERENTES AOS CONTEÚDOS DO 2º BIMESTRE Matutino / 06 / 2017 / Professor (a): OTTO TERRA

Description
ATIVIDADES REFERENTES AOS CONTEÚDOS DO 2º BIMESTRE NOMES: Disciplina: HISTÓRIA Professor (a): OTTO TERRA Série: 1ºANO TURMA: TURNO: DATA: NOTA: ASSINATURA DOS ALUNOS: Matutino / 06 / 2017 / Questão
Published
of 5
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
ATIVIDADES REFERENTES AOS CONTEÚDOS DO 2º BIMESTRE NOMES: Disciplina: HISTÓRIA Professor (a): OTTO TERRA Série: 1ºANO TURMA: TURNO: DATA: NOTA: ASSINATURA DOS ALUNOS: Matutino / 06 / 2017 / Questão 01 - (UNESP SP) Apesar de sua dispersão geográfica e de sua fragmentação política, os Gregos tinham uma profunda consciência de pertencer a uma só e mesma cultura. Esse fenômeno é tão mais extraordinário, considerando-se a ausência de qualquer autoridade central política ou religiosa e o livre espírito de invenção de uma determinada comunidade para resolver os diversos problemas políticos ou culturais que se colocavam para ela. (Moses I. Finley. Os primeiros tempos da Grécia, Adaptado.) O excerto refere-se ao seguinte aspecto essencial da história grega da Antiguidade: a) a predominância da reflexão política sobre o desenvolvimento das belas-artes. b) a fragilidade militar de populações isoladas em pequenas unidades políticas. c) a vinculação do nascimento da filosofia com a constituição de governos tirânicos. d) a existência de cidades-estados conjugada a padrões civilizatórios de unificação. e) a igualdade social sustentada pela exploração econômica de colônias estrangeiras. Questão 02 - (PUC RS) O trabalho escravo foi fundamental para a sustentação econômica e política tanto da Polis Grega como do Império Romano. Sobre esse assunto, é correto afirmar: a) Os escravos eram considerados fundamentais na sociedade grega e romana, participando ativamente da vida política e obtendo representação, respectivamente, na Bulé e no Senado. b) apenas cidadãos podiam obter escravos; assim, os escravos que adquiriam seus próprios escravos ganhavam a cidadania. c) O tráfico de escravos africanos era a principal fonte de abastecimento de mão de obra, tanto na Grécia como em Roma. d) as guerras de expansão foram determinantes para o fim desses sistemas escravistas. e) os escravos eram, na base do sistema escravista, prisioneiros de guerra e populações escravizadas, havendo também a escravidão por dívidas. Questão 03 - (UCS RS) Sobre o sistema escravista antigo, é correto afirmar que a) as diferenças étnicas não eram relevantes, uma vez que qualquer pessoa pobre ou miserável poderia se tornar escravo. b) os escravos possuíam a mesma cultura e religião, porque, de forma geral, provinham da mesma região, ou seja, dos povos árabes. c) a manumissão concessão de liberdade ao escravo foi uma prática generalizada tanto na Grécia quanto na Roma escravista. d) alguns pais negavam seus próprios filhos, especialmente quando duvidavam da fidelidade da mulher, transformando-os em escravos. e) as tarefas manuais, que ficavam a cargo dos escravos, levando os homens livres a uma atitude de desprezo por esse tipo de atividade. Questão 04 - (UECE) Apesar de surgir em torno do século VIII a.c., as Polis gregas atingiram seu apogeu nos séculos VI e V a.c. Havia muitas delas: Corinto, Tebas, Argos, Mileto, Mégara, etc., contudo, foram Atenas e Esparta que se destacaram pelo seu predomínio. Atente ao que se diz a respeito das cidades de Atenas e Esparta do período clássico grego, e assinale com V o que for verdadeiro e com F o que for falso. ( ) Em Esparta prevaleciam os valores ligados ao estatismo (já que os lotes de terras doados às famílias eram propriedades estatais e não privadas) e a militarização que garantia a coesão e a solidariedade entre os cidadãos. ( ) Atenas vivenciou uma variedade de organizações políticas até se tornar uma democracia, foi inicialmente uma monarquia e depois uma aristocracia. ( ) O governo democrático de Atenas era pleno, uma vez que todos os seus habitantes tinham direitos políticos e participavam ativamente das decisões sobre a cidade. 1 ( ) As mulheres espartanas eram mais livres que as atenienses, praticavam ginástica, tinham vida familiar reduzida (o Estado educava as crianças) e administravam os recursos familiares e o comércio, já que os maridos eram soldados. A sequência correta, de cima para baixo, é: a) F, F, F, V. b) F, V, V, F. c) V, V, F, V. d) F, F, V, V. e) V, V, V, V. Questão 05 - (Fac. Direito de Sorocaba SP) Temos um regime que nada tem a invejar das leis estrangeiras. Somos, antes, exemplos que imitadores. Nominalmente, como as coisas não dependem de uma minoria, mas, ao contrário, da maioria, o regime se denomina democrático. No entanto, se, em matéria de divergências particulares, a igualdade de todos diante da lei é assegurada, cada um, em virtude das honras devidas à posição ocupada, é julgado naquilo que pode ocasionar sua distinção: no que se refere à vida pública, as origens sociais contam menos que o mérito, sem que a pobreza dificulte a alguém servir à cidade por causa da humildade de sua posição. ( Péricles, Tucídides. Apud Jaime Pinsky (org.), Cem textos de História Antiga) O excerto destaca, na democracia ateniense, a) o critério censitário para servir à cidade. b) a participação indireta dos cidadãos. c) a elegibilidade dos cargos públicos. d) o princípio da isonomia dos cidadãos. e) o caráter exemplar das eleições periódicas. Questão 06 - (FATEC SP) Em 2015, o noticiário internacional deu grande destaque à Grécia, país europeu que vivia uma grave crise econômica e convocou a população para decidir, via referendo, as medidas que deveriam ser adotadas pelo governo para gerir a crise. Parte da imprensa destacou o caráter democrático de tal medida e, em muitos textos, lembrou que os gregos foram os criadores da democracia. Assinale a alternativa que indica corretamente quais são as principais diferenças entre as concepções de democracia na Antiguidade grega e no mundo contemporâneo. a) Na Antiguidade grega, a democracia surgiu da necessidade de administrar países cada vez maiores; nas democracias contemporâneas, a política ajuda a administrar unidades menores, como as cidades. b) Na Antiguidade grega, o espaço reservado à atividade política eram os templos religiosos ou as residências das pessoas mais importantes; nas democracias contemporâneas, a atividade política se realiza no espaço público. c) Na Antiguidade grega, política e religião eram esferas sociais separadas; nas democracias contemporâneas, a noção de cidadania vincula-se estreitamente às concepções religiosas. d) Nas democracias contemporâneas, a participação política é vinculada à renda, com o voto censitário; na Grécia Antiga, apenas os proprietários de terras, homens e mulheres, tinham direito à participação política. e) Nas democracias contemporâneas, o direito à participação política se estende a todos os grupos sociais; na Grécia antiga, apenas os homens livres nascidos na pólis eram considerados cidadãos. Questão 07 - (FUVEST SP) O aparecimento da pólis constitui, na história do pensamento grego, um acontecimento decisivo. Certamente, no plano intelectual como no domínio das instituições, só no fim alcançará todas as suas consequências; a pólis conhecerá etapas múltiplas e formas variadas. Entretanto, desde seu advento, que se pode situar entre os séculos VIII e VII a.c., marca um começo, uma verdadeira invenção; por ela, a vida social e as relações entre os homens tomam uma forma nova, cuja originalidade será plenamente sentida pelos gregos. Jean-Pierre Vernant. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Difel, Adaptado. De acordo com o texto, na Antiguidade, uma das transformações provocadas pelo surgimento da polis foi a) o declínio da oralidade, pois, em seu território, toda estratégia de comunicação era baseada na escrita e no uso de imagens. b) o isolamento progressivo de seus membros, que preferiam o convívio familiar às relações travadas nos espaços públicos. c) a manutenção de instituições políticas arcaicas, que reproduziam, nela, o poder absoluto de origem divina do monarca. d) a diversidade linguística e religiosa, pois sua difusa organização social dificultava a construção de identidades culturais. e) a constituição de espaços de expressão e discussão, que ampliavam a divulgação das ações e ideias de seus membros. Questão 08 - (Uni-CESUMAR SP) A criação das polis, na Antiguidade, relacionase com a escravidão, entre outros fatores, pois a) a escravidão era definida pela origem étnica e foi proibida nas áreas urbanas de todas as cidadesestados gregas e fenícias. b) os estrangeiros eram proibidos de trabalhar na produção agrícola e se concentravam nas cidades. c) o recurso à mão-de-obra escrava ampliou a produção agrícola e liberou os cidadãos de parte das atividades produtivas. d) os direitos de cidadania eram restritos aos anciãos, o que transformava em escravos todos os demais habitantes. 2 e) os estrangeiros eram potenciais compradores dos excedentes agrícolas, sendo assim libertados de sua condição escrava. Questão 09 - (UNESP SP) A cidade tira de seu império uma parte da honra, da qual todos vós vos gloriais, e que deveis legitimamente apoiar; não vos esquiveis às provas, se não renunciais também a buscar as honras; e não penseis que se trata apenas, nesta questão, de ser escravos em vez de livres: trata-se da perda de um império, e do risco ligado ao ódio que aí contraístes. (Péricles apud Pierre Cabanes. Introdução à história da Antiguidade, 2009.) O discurso de Péricles, no século V a.c., convoca os atenienses para lutar na Guerra do Peloponeso e enfatiza a) a rejeição à escravidão em Atenas e a defesa do trabalho livre como base de toda sociedade democrática. b) a defesa da democracia, por Atenas, diante das ameaças aristocráticas de Roma. c) a rejeição à tirania como forma de governo e a celebração da república ateniense. d) a defesa do território ateniense, frente à investida militar das tropas cartaginesas. e) a defesa do poder de Atenas e a sua disposição de manter-se à frente de uma confederação de cidades. Questão 10 - (UNICID SP) Ao implantar o ostracismo, Clístenes criou um mecanismo de a) defesa da elite espartana, pelo qual os espartíatas, membros da oligarquia, possuíam o monopólio sobre todas as atividades militares e políticas da cidade, em detrimento das demais classes sociais. b) defesa da democracia, pelo qual os indivíduos considerados nocivos ao sistema político ateniense eram exilados da cidade por um período de dez anos, sem, contudo, perderem suas propriedades. c) combate aos inimigos da Grécia, com a criação de uma aliança militar entre todas as cidades gregas, com o objetivo de protegê-las das constantes ameaças da Pérsia e da Macedônia. d) defesa da república, pelo qual qualquer indivíduo que colocasse o sistema político grego em risco deveria ser expulso da sua cidade em caráter definitivo, e ter todos os seus bens confiscados. e) combate ao regime democrático grego, pois como um membro da elite, sentiu os interesses de sua classe social prejudicados pela extensão dos direitos políticos a todos os indivíduos. Questão 11 - (UFAC) Um legislador, em 621 a.c., na Grécia Antiga, selecionou, organizou e registrou na forma escrita leis que, até então, eram transmitidas pela oralidade e sob o domínio apenas de alguns. Mesmo produzindo um Código bastante severo, mantinha privilégios políticos e sociais para alguns grupos. Assinale a alternativa correta que indica o nome desse legislador: a) Sólon; b) Demiurgo; c) Drácon; d) Helieu; e) Péricles; Questão 12 - (UECE) Após o fracasso da invasão persa (477 a.c.), criou-se uma aliança militar entre cidades gregas, que previa autonomia aos participantes. Coube a Atenas o comando das operações. Com o objetivo inicial de continuar a luta contra os persas, em seu próprio território, essa aliança, gradativamente, possibilitou a formação do império ateniense. Tal aliança foi denominada de a) Liga pan-helênica. b) Liga de Delos. c) Liga do Peloponeso. d) Liga Ateniense. e) Liga Tebana. Questão 13 - (PUC RS) No Período Homérico, da História Antiga da Grécia (séc. XII a.c. VIII a. C.), já existiam formas precoces de cidades, comunidades agrárias, coletivistas, como apontam as pesquisas arqueológicas. Mas foi no Período Arcaico (séc. VIII a.c. VI a.c.) que as cidades-estados gregas, definidas como polis ou urbes, desenvolveram-se. Essas cidadesestados tinham como características políticas entre si e governos, que representavam. a) dependência centralizados os cidadãos livres e os monarcas hereditários b) dependência centralizados os deuses e as figuras mitológicas c) independência descentralizados os cidadãos livres d) independência centralizados os monarcas hereditários e a corte e) dependência descentralizados os nobres, os sacerdotes e os estrangeiros Questão 14 - (UFPA) O texto abaixo analisa o mundo do trabalho na Grécia Antiga. Ao lidarmos com escravos, não deveríamos permitir que fossem insolentes para conosco, nem os deixar totalmente sem controle. Aqueles que cuja posição está mais próxima das dos homens livres deveriam ser tratados com respeito; aqueles que são trabalhadores deveriam receber mais comida. Já que o consumo de vinho também torna homens livres insolentes (...), é claro que o vinho jamais deveria ser dado a escravos, ou só muito raramente. 3 [Aristóteles (Século IV a.c.). In: CARDOSO, Ciro Flamarion. O trabalho compulsório na antiguidade. Rio de Janeiro: Graal, p.108]. Sobre esse mundo do trabalho, é correto afirmar que a) a sociedade grega era extremamente rigorosa no tratamento com os escravos, embora fossem brandos quando se tratava daqueles que trabalhassem em vinícolas. b) embora a mão-de-obra escrava fosse predominante na Grécia Antiga, os trabalhadores livres também constituíam a força de trabalho. c) os gregos consideravam que a comida era a uma expressão de respeito ao trabalhador que vendia a sua força de trabalho. d) os homens livres eram tidos como o sustentáculo da economia grega, especialmente na cidade-estado de Esparta. e) foi à custa do trabalho escravo que a cidade ateniense se tornou o maior exemplo de teocracia no mundo antigo. Questão 15 - (CEFET PR) A segunda guerra greco-pérsica teve seu fim na Batalha de Platéia, em 479 a.c., quando os persas foram derrotados por uma confederação de cidades gregas. Em 477 a.c., Atenas firmara com as cidades jônicas uma aliança, a Liga de Delos, para protegê-las dos persas. No início, as cidades que faziam parte da liga mantiveram sua autonomia, mas Atenas desde o primeiro momento assumiu a direção militar e a administração dos recursos que os aliados haviam depositado no templo de Apolo, em Delos. Com base nesse entendimento, analise as afirmações abaixo: I) Ao afastar-se o perigo persa, a hegemonia ateniense começou a ser discutida por algumas cidades que faziam parte da Liga do Peloponeso, à frente das quais estava Esparta. II) Os choques entre Atenas e outras cidades se tornaram cada vez mais frequentes, o que provocou a reunião da Liga do Peloponeso, cujos membros decidiram declarar guerra a Atenas. III) Os atenienses pouco fizeram para evitá-la, confiantes nas vultosas reservas de ouro, suficientes para financiar um longo conflito, e na frota de navios, imensamente superior aos rivais. IV) O exército espartano era menor e estava menos preparado que o ateniense, fazendo com que a guerra durasse pouco e não causasse grandes estragos no mundo grego. Estão corretas somente as afirmações: a) I, III e IV. b) II, III e IV. c) I, II e III. d) I e IV. e) I e II.. 4 ATIVIDADES REFERENTES AOS CONTEÚDOS DO 2º BIMESTRE NOMES: Disciplina: HISTÓRIA Professor (a): OTTO TERRA Série: 1ºANO TURMA: TURNO: DATA: NOTA: ASSINATURA DOS ALUNOS: Matutino / 06 / 2017 / ATENÇÃO!!! NÃO RASURE O GABARITO E PREENCHA-O COM CANETA PRETA OU AZUL GABARITO a) b) c) d) e) 5
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks