Documents

AULA 1 – INDIVÍDUO, PESSOA E SOCIEDADE

Description
Fundação CECIERJ / Consórcio CEDERJ Curso de Extensão: Conceitos Fundamentais de Sociologia AULA 1 – INDIVÍDUO, PESSOA E SOCIEDADE OBJETIVOS Esperamos que, ao final desta aula, você seja capaz de: 1. reconhecer a importância das ideias, dos valores e das crenças na vida social, compreendendo a importância da Antropologia como instrumento para análise da ideologia moderna; 2. reconhecer que as ideias e valores são sempre relativos aos contextos e à experiência cultural a partir dos quais eles s
Categories
Published
of 12
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Fundação CECIERJ / Consórcio CEDERJCurso de Extensão: Conceitos Fundamentais de Sociologia AULA 1 – INDIVÍDUO, PESSOA E SOCIEDADEOBJETIVOS Esperamos que, ao final desta aula, você seja capaz de: 1. reconhecer aimportância das ideias, dos valores e das crenças na vida social,compreendendo a importância da Antropologia como instrumento para análiseda ideologia moderna; 2. reconhecer que as ideias e valores são semprerelativos aos contextos e à experiência cultural a partir dos quais eles sãoforjados. INTRODUÇÃO O estudo dass categorias de pensamento, como categorias sociais, foiinaugurado pela Escola Sociológica Francesa. Aprendemos, a partir dostrabalhos dessa escola, que as categorias a partir das quais os homensclassificam o mundo são a matéria-prima da análise antropológica. Elas sãofundamentais na construção das visões de mundo de cada cultura, estando nabase de todo e qualquer sistema de classificação. Vimos também que essascategorias ou representações são o resultado de um processo histórico, sendoconsideradas o resultado de um trabalho de construção coletiva.Portanto, compreendemos que elas não podem ser tomadas em um únicosentido, mas que, ao contrário, devem ser apreendidas e relativizadas a partir de cada contexto cultural particular, já que, de acordo com as afirmações deDurkheim e Mauss, as sociedades devem ser entendidas em sua totalidade.Dentre essas categorias, as noções de indivíduo e pessoa são categoriasfundamentais na análise antropológica. E foi também a partir dos estudosdesenvolvidos pela Escola Sociológica Francesa que se desenvolveu umaperspectiva propriamente antropológica da noção de pessoa. Tal perspectivasurge claramente com Marcel Mauss, num artigo clássico publicadosrcinalmente em 1938 (MAUSS, 1974). Ele acompanha o desenvolvimentodessa noção, buscando explicar como a ideia de “pessoa”, a ideia de um “eu”,  Fundação CECIERJ / Consórcio CEDERJCurso de Extensão: Conceitos Fundamentais de Sociologia foi sendo elaborada ao longo do tempo, até desembocar na ideia de indivíduo,tal qual nós a concebemos no seio da sociedade ocidental moderna. Aperspectiva adotada por Mauss é, mais uma vez, a perspectiva da EscolaSociológica Francesa, que se dedicou a reconstruir uma espécie de históriasocial das categorias de pensamento, visando demonstrar como taiscategorias, que julgamos inatas, nasceram e muito lentamente foram sedesenvolvendo ao longo de muitos séculos. O PENSAMENTO DE MARCEL MAUSS Segundo Mauss, jamais houve ser humano que não tenha tido o sentido de suaindividualidade. No entanto, essa noção do “eu” como uma categoria, tal qualnós a concebemos, foi sendo elaborada através de numerosas sociedades,adquirindo pouco a pouco o conjunto de significados que os homens dasdiversas épocas foram atribuindo a ela. Ao longo do tempo ela foi assumindo inúmeros significados, passando arecobrir desde a ideia de persona latina até chegar à noção de pessoa comoser psicológico individualizado que somos identificados na modernidade. E otrabalho de Mauss buscou exatamente evidenciar o processo de construçãosocial dessa categoria. A reconstituição de sua trajetória histórica tem por objetivo mostrar as diversas formas que a noção foi assumindo até atingir,finalmente, a ideia de “pessoa como fato moral” expressa na ideia de indivíduo,concepção que essa noção assumiu em nossa sociedade. Mauss tambémchamou a atenção para o quanto a categoria “eu” é recente e,consequentemente, o quanto é também recente o respeito ao “eu”,particularmente ao “eu” dos outros. A CONTRIBUIÇÃO DE LOUIS DUMONT Seguindo a tradição da Escola Sociológica Francesa, será Louis Dumont quebuscará caracterizar as implicações da distinção entre a noção de pessoa e anoção de indivíduo como categorias histórica e socialmente construídas. Para  Fundação CECIERJ / Consórcio CEDERJCurso de Extensão: Conceitos Fundamentais de Sociologia isso, ele empreende o estudo da sociedade tradicional de castas da Índia, apartir de um ponto de vista comparativo com a sociedade ocidental moderna,cujos resultados foram publicados sob o título Homo Hierarchicus: o sistema decastas na Índia (DUMONT, 1992). Segundo Dumont, o sistema de castasindiano nos ensina um princípio social fundamental, a hierarquia, cujo oposto, oprincípio da igualdade, foi apropriado por nós, ocidentais modernos, comofundamento do próprio modelo de democracia que caracteriza nossassociedades.É interessante na proposta de Louis Dumont que, ao tentar compreender osistema tradicional de castas da Índia, nós compreendemos melhor a natureza,os limites e as condições de realização do próprio igualitarismo moral e políticoao qual estamos vinculados em nossos modelos de democracia. O PAPEL DA IDEOLOGIA Dumont estava interessado em compreender a importância e o lugar dasideias, das crenças e dos valores, ou, em outras palavras, da ideologia na vidasocial. Desta perspectiva, ele busca compreender a ideologia do sistema decastas indiano, que tem como princípio estrutural a hierarquia, enquanto nosistema igualitário que caracteriza a sociedade moderna, o princípio estruturalseria a noção de indivíduo e as noções que a ele correspondem deindividualismo e igualitarismo. A partir de seu estudo comparativo, o que seevidencia é que a ideologia do sistema de castas indiano é diretamente opostaà ideologia igualitária da qual participamos. E, como afirma Dumont, enquantoa ideologia moderna continuar sendo tomada como uma verdade universal,tanto como ideal moral e político, mas também como expressão adequada davida social, sempre parecerá estranho às sociedades ocidentais modernascompreender a ideologia do sistema de castas na Índia ou qualquer outraideologia que tenha como princípio a hierarquia. A IGUALDADE COMO VALOR  Fundação CECIERJ / Consórcio CEDERJCurso de Extensão: Conceitos Fundamentais de Sociologia Segundo Dumont, as ideias fundamentais e norteadoras da sociedadeocidental moderna são as ideias de igualdade e liberdade, que supõem comoprincípio único a ideia de indivíduo. Por sua vez, essa ideia de indivíduo temcomo fundamento uma concepção de que a humanidade é constituída de seresconcebidos como portadores da própria essência da humanidade, apesar dasparticularidades provenientes de cada cultura.Essa ideia de indivíduo é quase sagrada nas sociedades modernas, sendotomada por nós em seu sentido absoluto, isto é, seus direitos só são limitadospelos direitos dos outros indivíduos. Enfim, a partir desse ponto de vista, oindivíduo é concebido como uma mônada, e todo o grupo humano é constituídode mônadas. Assim, da perspectiva da concepção individualista a sociedade épensada como uma simples coleção dessas mônadas.Essa é a visão de mundo da sociedade ocidental moderna e é em relação a elaque Dumont chama a atenção para a importância do que ele define como“apercepção sociológica”, ou seja, da percepção da natureza social do homem. Assim, ao indivíduo autossuficiente que fundamenta a concepção individualistamoderna, a “apercepção sociológica” recupera a concepção do homem social,isto é, do homem que realiza a sua humanidade a partir da vida em sociedade.
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks