Study Guides, Notes, & Quizzes

B ÍBLICAS COMENTÁRIOS ADICIONAIS. Princípios bíblicos para evangelização em Atos dos apóstolos LIÇÕES. 1 3º TRIMESTRE 2012 Nº PDF

Description
LIÇÕES B ÍBLICAS R E V I S TA PA R A E S T U D O S N A S E S C O L A S B Í B L I C A S 3º TRIMESTRE 2012 Nº 300 Edições COMENTÁRIOS ADICIONAIS Princípios bíblicos para evangelização em Atos dos
Published
of 28
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
LIÇÕES B ÍBLICAS R E V I S TA PA R A E S T U D O S N A S E S C O L A S B Í B L I C A S 3º TRIMESTRE 2012 Nº 300 Edições COMENTÁRIOS ADICIONAIS Princípios bíblicos para evangelização em Atos dos apóstolos 1 1 7 DE JULHO DE 2012 O manual da igreja para a proclamação Mais que histórias: Atos é a continuação da narrativa do evangelho de Lucas e dos outros evangelhos. E ao mesmo tempo, é o precursor das epístolas que o seguem. É o registro histórico que demonstra a continuação daquilo que Jesus fez e ensinou e é ao mesmo tempo o pano de fundo para as epístolas que, em grande parte, são o desenvolvimento dos ensinos de Jesus, aplicados a situações específicas da Igreja antiga. (SOUZA, Itamir Neves de. Atos dos Apóstolos: uma história singular. Londrina: Descoberta, 1999, p.42). Endereçando o livro de Atos: As próprias palavras iniciais de Atos indicam que esse livro é a continuação do outro [Lucas]. (...) É impossível dizer quem era Teófilo ao qual os dois livros foram endereçados. O próprio nome quer dizer amigo de Deus e, por isso, muitos sugerem que esse nome não se refere realmente a uma pessoa específica, mas antes, é um nome simbólico que Lucas deu para todos seus leitores. (...) [Porém, por vários motivos], (...) parece possível que Lucas, na verdade, tenha endereçado seu livro a um cristão ilustre cujo nome era Teófilo e que tenha feito isso não só para que Teófilo o lesse, mas também para que o livro circulasse entre os outros. (GONZÁLEZ, Justo L. Atos, o evangelho do Espírito Santo. Tradução: Lena Aranha. São Paulo: Hagnos, 2011, pp ). Os assuntos de Atos: [Além do valor histórico] (...), o propósito de Atos é convencer Teófilo de que ninguém pode prejudicar a marcha vitoriosa do evangelho de Cristo. Por essa razão, Lucas relata (...) o progresso das boas-novas de Jerusalém até Roma. Ele o faz em harmonia com a Grande Comissão que Jesus deu aos seus seguidores (Mt 28.19). Em Atos, (...) os apóstolos certamente se aplicariam a cumprir o mandamento de Jesus (...). Lucas demonstra 2 Comentários Adicionais 3º Trimestre de 2012 que Deus desejava espalhar o evangelho e enviou o Espírito Santo para promover a causa do reino. (KISTEMAKER, Simon J. Comentário do Novo Testamento: Atos: volume 1. Trad. Ézia Mullins e Neuza Batista da Silva. São Paulo: Cultura Cristã, 2006, p.57). Atos na prática: Missões são ações. A palavra Atos significa Práxis, na língua grega. O livro de Atos não apresenta uma teoria de missões, mas prática missionária. Você precisa tomar hoje uma decisão espiritual de obedecer aos princípios missionários que aparece em Atos dos Apóstolos. Paremos de ser estudiosos de missões e sejamos missionários. Deixemos de ser servidos e passemos a servir, assumindo a nossa condição de servos de Jesus Cristo. Somos servos (doulos), literalmente escravos (Lc 2.29; 7.2). (CASIMIRO, Arival Dias. Plante igrejas: princípios bíblicos para plantação e revitalização de igrejas. Santa Bárbara d Oeste: SOCEP, 2009, pp ). Os Princípios do Manual: Jesus Cristo é o cerne da mensagem que os apóstolos e os evangelistas pregaram no Pentecostes e daí por diante. A singularidade de sua pessoa e sua obra incomparável deixam marcas em quase todas as páginas de Atos e das epístolas. A ascensão, em que Jesus foi levado às alturas, à vista deles [dos discípulos] (At 1.9), insinua a existência de uma realidade sobrenatural. Pedro declarou que Jesus, depois de ter sido ressuscitado, foi exaltado à direita de Deus (At 2.33). Além do mais, Deus o fez Senhor e Cristo (At 2.36). (SHEDD, Russell. Evangelização: fundamentos bíblicos. São Paulo: Shedd Publicações, 2006, pp.69-70). 3 2 14 DE JULHO DE 2012 A igreja proclamadora sempre cresce Pregação globalizada: O crescimento geográfico é a expansão do evangelho a partir da igreja local, de forma simultânea, até os confins da terra. [Atos 1:8, receber poder para testemunhar] (...), serve como esboço para o conteúdo do livro de Atos (...). [o evangelho cresceria: para Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da terra]. Toda igreja local deve ter a visão de crescer geograficamente financiando missões, plantando igrejas, sustentando missionários em diversas regiões. (CASIMIRO, Arival Dias. Plante igrejas: princípios bíblicos para plantação e revitalização de igrejas. Santa Bárbara d Oeste: SOCEP, 2009, p.22). Prepare-se para o crescimento: O primeiro retrato da igreja encontrado na Bíblia, (...) não é o da típica igrejinha no vale. (...) para que a primeira das igrejas pudesse existir, tiveram de reparti-la em grupos menores porque simplesmente não havia prédios nos quais se reunir. (...) após Pedro pregar uma mensagem dinâmica no poder do Espírito Santo (...) [foram convertidos e naquele dia agregaram-se quase três mil almas [At 2:41]. (SWINDOLL, Charles R. A noiva de Cristo. Tradução: Wanda assumpção. São Paulo: Editora Vida, 2006, pp ). Qualidade acima de tudo: [ E perseveravam na doutrina At 2:42] (...) o termo perseveravam indica o entusiasmo com que a nova comunidade se dedicou a aprender sobre sua fé. Os novos cristãos estavam dispostos a aprender, e os apóstolos estavam dispostos a ensinar, pois Jesus os havia incumbido de instruir aqueles que se tornassem seguidores de Cristo (Mt 28.20a). Temos aqui, portanto, o cumprimento dessa ordem. (ADEYEMO, Tokunboh (ed. g.). Comentário bíblico africano. Tradução: Heloisa Martins, Jair Rechia, Judson Canto, Susana Klessen, Vanderlei Ortigoza. São Paulo: Mundo Cristão, 2010, pp ). 4 Comentários Adicionais 3º Trimestre de 2012 Crescer não é pecado: [Crescer] (...) retrata o compromisso, de cada crente em Jesus Cristo, de ser ministro de Deus neste mundo, proclamando o evangelho da salvação. O crescimento numérico é parte integrante da visão do que significa ser igreja, especialmente quando a vemos como igreja apostólica e sinal do Reino de Deus na Terra, todavia, esse crescimento não pode ser visto como dimensão única de sua missão. (PIRAGINE JÚNIOR, Paschoal. Crescimento integral da igreja: uma visão prática de crescimento em múltiplas dimensões. São Paulo: Vida, 2006, pp.41-42). Igreja que evangeliza com a vida: O testemunho verbal, juntamente com a proclamação pública, requerem uma vida comunitária vital, em que haja manifestação do fruto do Espírito (Gl 5.22). Quando a vida em Cristo não apresenta atração magnética ou quando os crentes sepultam sua fé num silêncio tumular, a evangelização fica sufocada. O evangelista eficaz tem uma mensagem dinâmica de júbilo eterno, sustentada por uma vida de bondade amorosa. Ele é capaz de derrotar o mais ferrenho dos inimigos. (SHEDD, Russell. Evangelização: fundamentos bíblicos. São Paulo: Shedd Publicações, 2006, pp ). 5 3 21 DE JULHO DE 2012 A proclamação é prioridade da igreja No coração do Pai: Antes da criação do universo, Deus estava planejando a redenção e a restauração da semelhança divina que o homem viria a perder com o pecado (Ef 1.4; Rm 5.12). Este é meu Filho amado..., proclamação do Pai no batismo de Jesus e na transfiguração, o confirma. A evangelização é o plano de Deus por meio do qual a perfeita semelhança de Deus em Jesus Cristo poderá se implantada no homem caído. (SHEDD, Russell. Evangelização: fundamentos bíblicos. São Paulo: Shedd Publicações, 2006, p.12). A lei da evangelização: Vão também implica que os discípulos e isso vale para os filhos de Deus em geral não devem concentrar toda sua atenção em vir à igreja. Devem também ir, levando as preciosas notícias a outros. Naturalmente, eles não podem ir, levando as preciosas notícias a outros. Naturalmente, eles não podem ir, a menos que antes de tudo venham, e a menos que se mantenham tanto vindo quanto indo. Não podem dar, a menos que estejam dispostos a receber. (HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: Mateus: volume 1. Tradução: Valter Graciano Martins. São Paulo: Cultura Cristã, 2001, p.700). Evangelismo com profundidade: Jesus nos ordena que façamos discípulos, não apenas convertidos. O discipulado exige que sejam abandonadas a identidade e a segurança, para que todos se coloquem sob o senhorio de Cristo. Essa entrega exige mais que a simples conformidade com uma religião: deve afetar o interior. A tarefa de converter as nações significa que temos que nos dirigir a tudo o que faz um povo ser nação, até os elementos mais arraigados de sua cultura. (ADEYE- MO, Tokunboh (ed.). Comentário bíblico africano. Tradução: Heloisa Martins, Jair Rechia, Judson Canto, Susana Klessen, Vanderlei Ortigoza. São Paulo: Mundo Cristão, 2010, p. 1196). 6 Comentários Adicionais 3º Trimestre de 2012 Poder do Espírito: O livro de Atos descreve as pessoas agindo no Espírito da verdade. Pedro, um homem cheio do Espírito Santo, proclamou o evangelho em suas verdadeiras e plenas dimensões em muitas ocasiões. Estevão, descrito como uma pessoa cheia do Espírito e de sabedoria, demonstrou isso por meio de sua declaração abrangente da verdade bíblica e evangélica (At ). Além disso, um grande número de crentes que foi forçado a deixar Jerusalém por causa da perseguição continuou a pregar a palavra (8.4). (WILLIAMS, J. Rodman. Teologia Sistemática: uma perspectiva pentecostal. Tradução: Sueli Saraiva e Lucy Hiromi Kono Yamakami. São Paulo: Vida, 2011, p. 562). Compartilhando o evangelho: O cristianismo é uma fé missionária. A própria natureza de Deus exige isso, pois Deus é amor e Deus não quer que ninguém se pereça (2 Pe 3:9). Jesus morreu na cruz pelo mundo todo. Quem é filho de Deus e compartilha de sua natureza levará as boas-novas ao mundo todo. Quando lemos o livro de Atos, vemos que a igreja primitiva operava com base na autoridade soberana do Senhor, ministrando em seu nome, dependendo do seu poder e orientação. Não enfrentando o mundo perdido firmando-se sem sua autoridade, mas sim na autoridade de Jesus Cristo. (WIERSBE, Warren. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento: volume 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica, 2006, p. 140). 7 4 28 DE JULHO DE 2012 A ação do Espírito Santo na proclamação A Presença do Espírito: É evidente que no livro de Atos um forte sentimento da presença de Deus foi o ápice de tudo o que ocorreu. Quando o Espírito foi dado no Pentecoste, o grupo apostólico imediatamente começou a declarar as obras maravilhosas de Deus. (...) A realidade da presença de Deus os dominava ao mesmo tempo como comunidade e indivíduos, e de forma tal que em tudo que se seguiu eles percebiam Deus agindo entre eles. (WILLIAMS, J. Rodman. Teologia Sistemática: uma perspectiva pentecostal. Tradução: Sueli Saraiva e Lucy Hiromi Kono Yamakami. São Paulo: Vida, 2011, p.625). O Espírito Santo no crente: O Espírito Santo pousou sobre eles de repente. Não como o esperado, como o previsto ou como de costume, mas de repente. Bem-vindo ao mundo de Atos e ao repentino Espírito de Deus, soberano e livre, nunca subordinado ao momento certo ou ao processo operacional. Ele cria sua própria agenda, determina seu próprio calendário e cumpre seu próprio horário. (...) O Pentecoste faz essa promessa: se você estiver em Cristo, o Espírito de Deus falará por seu intermédio. (LUCADO, Max. Faça a vida valer a pena. Tradução: Lilian Jenkino. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2010, pp.41,44). O Deus missionário: [Jesus] (...) prometeu que o Espírito Santo lhes daria o poder de serem suas testemunhas. Começariam em Jerusalém, a capital nacional onde o Senhor fora condenado e crucificado, o lugar de onde não deveriam sair até que recebessem o Espírito. Permaneceriam nas vizinhanças da Judéia. Mas, depois, a missão cristã irradiaria partindo daquele centro, (...) primeiro para a desprezada Samaria e, a seguir, ultrapassando as fronteiras da Palestina, para as nações gentílicas, até os confins da terra. (STTOT, John R. W. A 8 Comentários Adicionais 3º Trimestre de 2012 mensagem de Atos: até os confins da terra. 2 ed. Tradução: Marcos André Hediger. São Paulo: ABU, 2008, p. 41). O Espírito impulsiona para a proclamação:... o Espírito Santo vem como uma resposta à oração ([At] 1.14; ); o Espírito enche os que estão presentes (2.4; 4.31); e todos proclamavam as maravilhas e a palavra de Deus (2.11; 4;31). Os crentes recebem uma nova efusão do Espírito Santo, que os enche de coragem e assim proclamam as boas-novas. (...) [ pregavam com intrepidez, At 4:31] (...) a expressão com intrepidez se torna significativa e descreve adequadamente o falar dos apóstolos e seus ajudantes. Eles são os proclamadores da palavra de Deus, que no contexto de Atos é sinônimo do evangelho de Jesus Cristo. (KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento: Atos: volume 1. Tradução: Ézia Mullins e Neuza Batista da Silva. São Paulo: Cultura Cristã, 2006, p.232). Evangelização cristocêntrica: A obra do Espírito Santo deve ser contemplada no contexto do trabalho conjunto do Pai, do Filho e do Espírito Santo. (...) Pelo fato de o Espírito Santo suceder a Jesus, sua obra consiste em glorificar o Filho ([Jo] 16:14). O Consolador não opera no vácuo, mas trabalha para edificar a obra redentora de Jesus. Sua missão é aplicar aquela obra diretamente à nossa vida. (ADEYEMO, Tokunboh (ed. g.). Comentário bíblico africano. Tradução: Heloisa Martins, Jair Rechia, Judson Canto, Susana Klassen, Vanderlei Ortigoza. São Paulo: Mundo Cristão, 2010, p. 1319). 9 5 4 DE AGOSTO DE 2012 O segredo da proclamação é a oração Atos de oração: Lucas, o autor de Atos, é conhecido como o evangelista da oração. O seu Evangelho inicia como o povo de Deus em oração (1.10,13) e termina com os fiéis alegremente louvando a Deus, no templo (24:53). (...) O livro de Atos tem mais de trinta referências à oração, em muitas orações diferentes. Em Atos, a igreja põe em prática aquilo que viu Jesus fazer e ensinar. A igreja em Atos preocupava-se com a prática da oração. (CASIMIRO, Arival Dias. Plante Igrejas: princípios bíblicos para plantação e revitalização de igrejas. Santa Bárbara d Oeste: SOCEP, 2009, p.48). Igreja: Comunidade de oração: A oração tem papel decisivo na história da Igreja, conforme relatada no livro de Atos. Os cristãos oravam pedindo orientação para tomas decisões (At 1:15-26) e coragem para testemunhar de Cristo (At 4:23-31). Na verdade, a oração era parte integrante de seu ministério diário (At 2:42-47; 3:1; 6:4). (...) Essa é certamente uma boa lição para a Igreja de hoje. A oração é tanto um termômetro como um termostato para a igreja local; o fato de a temperatura espiritual se elevar ou reduzir depende das orações do povo de Deus. (WIERSBE, Warren. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento: volume 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica, 2006, p.523). Oração faz diferença?: Quando o problema for maior que nós, vamos orar! Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele (At 12:5). Eles não fizeram piquete na porta da cadeia nem abaixo-assinado para as autoridades; não protestaram contra a prisão e nem se prepararam para o velório de Pedro. Oraram. Eles oraram como se a oração fosse sua única esperança, pois realmente era. Oraram intensamente a Deus por ele. 10 Comentários Adicionais 3º Trimestre de 2012 (LUCADO, Max. Faça a vida valer a pena. Tradução: Lilian Jenkino. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2010, p.188). Além da oração: Barnabé e Saulo estavam bem na igreja de Antioquia, estavam felizes, servindo ao irmãos, participando das reuniões de oração, etc. porém, o Espírito Santo tinha algo maior para a vida deles, a missão de evangelizar povos não alcançados pelo evangelho de Cristo. Eles tinham um chamado missionário! Ainda hoje, quase dois mil anos depois, o mesmo Espírito Santo tem escolhido, separado e capacitado pessoas para a obra missionária. Você pode ser uma dessas (...), [quem sabe na próxima reunião de oração ele fala com você]. (MENDES JR., Genésio (org.). Scrap para você: enter em contato com a Bíblia. São Paulo: FUMAP, 2010, p.277). Oração e Palavra: Não é possível edificar a igreja sem que Deus edifique nossa vida diariamente. Há um equilíbrio entre a oração ( encomendo-vos ao Senhor, [At 20.32]) e a Palavra de Deus ( e à palavra de sua graça ), pois ambas devem trabalhar juntas (1 Sm 12:23; Jo 15:7; At 6:4). Somente Palavra de Deus é capaz de enriquecer, e o líder espiritual deve dedicar um tempo diário à palavra de Deus e à oração. (...) Paulo encerrou essa ocasião [At 20:36] memorável ajoelhando-se e orando por seus amigos, depois do que todos choraram muito. (WIERSBE, Warren. Comentário bíblico expositivo: Novo Testamento: volume 1. Tradução: Susana E. Klassen. Santo André: Geográfica, 2006, p.632). 11 6 Para proclamar, Deus usa pessoas! 11 DE AGOSTO DE 2012 Deus usa pessoas para testemunhar: Olhe para eles [os discípulos] seis semanas após a morte de Jesus, apinhados no segundo andar de uma casa em Jerusalém, alvoroçados como se tivessem ganhado entradas para as finais da Copa do Mundo. Felizes, mas ainda surpresos. Imaginando o que, afinal, Jesus tinha em mente com sua incumbência última: [Vocês] serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda Judéia e Samaria, e até os confins da terra (At 1:8). [vocês, gente simples] (...) serão minhas testemunhas. (LUCADO, Max. Faça a vida valer a pena. Tradução: Lilian Jenkino. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2010, p.28). Deus concede poder para todos: Lucas escreve [em At 8:4-8] que Felipe pregou Cristo aos samaritanos. Eles não estavam mais excluídos das boas-novas (Mt 10.5), que é a mensagem universal de Deus para todos os povos. Como os samaritanos estavam, por assim dizer, a apenas meio passo dos judeus, foram os primeiros a ouvir o evangelho de Cristo, agora que os judeus haviam expulso os cristãos de Jerusalém. (...) Filipe também realizava maravilhas e o povo ficava atento ao que ele dizia e fazia. Portanto, o doma especial de pregar e realizar prodígios não estava limitado aos apóstolos. (KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento: Atos: volume 1. Tradução: Ézia Mullins e Neuza Batista da Silva. São Paulo: Cultura Cristã, 2006, p ). Uma comunidade de pessoas imperfeitas: É erro comum entre muitas pessoas idealizar a igreja do Novo Testamento. A firmeza e eloquência de Pedro no dia de Pentecostes fazem-nos esquecer suas dúvidas e vacilações acerca do que se devia fazer com os gentios que eram acrescentados a igreja. E o fato dos discípulos possuírem as coisas em comum frequentemente eclipsa as dificuldades que essa prática 12 Comentários Adicionais 3º Trimestre de 2012 acarretou, como se pode ver no caso de Ananias e Safira, e na murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária (At 6:1). (GONZALEZ, Justo L. a era dos mártires: volume 1. Tradução: Key Yuasa. São Paulo: Vida Nova, 1980, p.32). Deixa Deus te usar!: Estudos tem mostrado que 87 por cento das pessoas que vêm a Jesus foram apresentadas por um amigo. Precisamos fazer amigos que não conhecem a Jesus. Isso não é para que eles possam nos tirar de Jesus, e sim para que o Senhor possa, através de nós, atraí-los para ele. (...) Lembre-se que é nossa responsabilidade convidar outras pessoas para alcançar o céu conosco; é responsabilidade delas decidir que resposta darão ao convite. (...) cabe a nós fazer o convite. (CAHILL, Mark. Evangelismo: uma coisa que você não pode fazer no céu. Tradução: Hope Gordon Silva. São Paulo: Shedd Publicações, 2008, pp.77-78). Pode começar a falar: [Em Atos] o evangelismo é sempre iniciado pelo cristão. Temos a falsa impressão de que, se as pessoas quiserem conhecer a Cristo, nos perguntarão. Estamos sonhando se achamos que as pessoas vão se aproximar de nós, dar-nos um tapinha no ombro e perguntar: Olhe, pode me falar a respeito de conhecer a Cristo como meu Salvador e Senhor? (...) Você está brincando? As pessoas não trazem o assunto à baila... nós, sim. Iniciamos o contato. Foi o que os cristãos fizeram por todo o Novo Testamento. (SWINDOLL, Charles R. A noiva de Cristo. Trad. Wanda assumpção. São Paulo: Vida, 2006, p.68). 13 7 18 DE AGOSTO DE 2012 Como ouvirão se não há proclamadores
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks