Brochures

beiradapraia 310

Description
Edição impressa nº 311 do jornal Beira da Praia, de 19 de dezembro de 2015.
Categories
Published
of 16
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  www.beiradapraia.com.br ANO 8 - Nº 310 19 de dezembro de 2015 “Solidariedade Empresarial” promovida por sete empresas de Penha visita escolas e creches distribuindo brinquedos, doces e alegria. Página 11 BRDE VAI EMPRES-TAR 3 MILHÕES PARA PREFEITURA PÁGINA 10 PIÇARRAS ABRE MAIOR MUSEU OCEA-NOGRÁFICO DAAMÉRICA LATINA PÁGINA 08PÁGINA 04 CÂMARA CONCEDE TÍTULO DE CIDADÃO A PADRE INÁCIO PÁGINA 10 AHOREPE CRIA SELO DE QUALIDADE PARA QUALIFICAR HOSPE-DAGEM EM PENHA FME PREMIA DESTA-QUES DO ESPORTO DE PENHA EM 2015 PÁGINA 15 PAPAIS NOÉIS DO ANO  18 de dezembro de 2015 02  OPINIÃO EXPEDIENTE O jornal Beira da Praia é uma publicação da editora Beira da Praia Ltda. Rua Arthur Silvino dos Reis, 84 - Centro, Penha/SC.Site: www.beiradapraia.com.br. Email: contato@beiradapraia.com.br CNPJ: 09.317.656/0001-07. Editor-Chefe : Adriano de Souza, fone: 9220-1300. Jornalista Responsável : Rafael Sizino Sebastião - SC-01546-JP.Impresso na Press Alternativa. Tiragem: 2.000 exemplares. Os textos assinados ou pagos não refetem as opiniões,nem são de responsabilidade deste jornal. Nesta quarta-feira, 16 de dezembro, a Câmara Muni-cipal de Penha, em sessão solene outorgou o título de Cidadão Honorário de Pe-nha ao Padre Inácio Bonvec-chio. Homenagem merecida por sua trajetória de luta e serviços prestados a todas as comunidades da Paróquia e do próprio município, pois assim o humilde sacerdo-te reiniciou suas atividades religiosas, depois de algum tempo afastado por motivos alheios à sua vontade. Foi difícil recomeçar, enfrenta-do barreiras e preconceitos, sobretudo falta de apoio. Mas ele, com fé, perseverou e alcançou seus objetivos. Com residência fixa num sítio que adquiriu na locali-dade de São Cristóvão, pró-ximo à Santa Lídia, passou a ser solicitado para atender nas Paróquias de Piçarras, Barra Velha, Navegantes e Itajaí. Na Paróquia de Pe-nha, fundou a sua própria comunidade, construindo aos poucos até ver realizado um templo de mil metros quadrados com dois pavi-mentos onde abriga a parte social embaixo e a parte reli-giosa encima. Algo fenome- Cláudio Bersi de Souza claudiobersi@superig.com.br  MEMÓRIAS E FATOS  Padre Inácio – Cidadão  Penhense nal e admirável. A comuni-dade tem como padroeiro Cristo Rei e cultua também o novo santo brasileiro Santo Antônio Galvão.Pe. Inácio é natural de  José Boiteux, município da microrregião de Rio do Sul, em Santa Catarina. Fez seus primeiros estudos na terra natal, depois no se-minário de Azambuja em Brusque, completando os estudos de filosofia em Curitiba, daí para a Alema-nha, nos cursos de teologia, onde foi Ordenado Padre em 1968. Ali ele teve como professor Josef Ratzinger – que é hoje o Papa Emérito Bento XVI.Padre Inácio, ele mes-mo confessa que não sabe dizer não. Até quando está adoentado, nunca deixou de atender qualquer solici-tação. Trabalhador, batalha-dor, honesto, empreende-dor e, sobretudo, bondoso.  A caridade é a sua principal  virtude. Obrigado, Vereador Sér-gio Melo! Você foi muito feliz em sugerir o título de Cidadão Honorário de Pe-nha ao Padre Inácio Bon- vecchio. POLITICANDO “A liberdade da imprensa tem que ser assegurada mesmo diante de tantos “prossionais” insano” (NAV). “Prero o barulho da impren  -  sa livre ao silencio da ditadura” (Dilma Roussef) Noam Chomsky, famoso neurolinguista e cientista po-lítico norte-americano, disse há pouco tempo: “A maior ameaça mundial a demo-cracia não vem de nenhum grupo terrorista, país ou mo- vimento político. A maior ameaça a democracia é o mo-nopólio dos meios de comu-nicação”.De fato, 70% da comu-nicação mundial estão atu-almente concentradas nas mãos de 04 grandes grupos multinacionais. Uma vez que as notícias venham apenas do mesmo lugar, corre-se o ris-co que determinada empresa, em nome de seus interesses nanceiros, deixe de divulgar as notícias que não lhe inte-ressam, isso quando não as deturpam.O cidadão comum, muitas  vezes, se sente acuado, dian-te desse imenso aparato que seria a fusão de uma velha fofoqueira, um congressista ruidoso e um juiz impiedo-so. Claro, a lei teoricamente protege o cidadão. Ele pode sempre apelar à legislação que garante sua proteção moral de ataques, sem funda-mento, à sua pessoa. Recor-rer à justiça é um direito legal do cidadão, a garantia de que não será vilipendiado por ninguém que se arvorar ao papel de policial, legislador e juiz somente por possuir um jornal, rádio ou tv.Porque algo fundamen-tal na democracia é que os direitos de uma pessoa ter-minam onde começam o di-reito de outra: os jornais têm liberdade de divulgar idéias, mas não de publicar o que não é verdade. Para garantir isso existe a Lei: a lei é a pro-teção do cidadão e ele deve recorrer à ela quando se sen-te prejudicado.Desprezar ou ironizar a lei, como alguns donos de meio de comunicação an-dam fazendo, apenas mostra o desejo autoritário destes de substituir a democracia por um novo tipo de dita-dura, a ditadura dos jornais, rádios e TVs que querem indicar nossos governan-tes, dizendo quem presta e quem não presta. Tarefa que cabe, numa democracia, a cada eleitor igualitariamente, dono de jornal ou não.Digo mais o grande pro-blema não é só os donos de comunicação ironizar ou desprezar a lei, o maior pro-blema é muitas vezes a jus-tiça aceitar que o poder da comunicação ironize e des-preze a lei, numa demons-tração não só de ditadura da comunicação, mas causando grandes problemas pessoais e ás vezes irreversíveis para quem sofre as consequên-cias desses abusos. A for-ma como alguns meios de comunicação estão fazendo jornalismo, estão colocan-do o jornalismo sério num abismo, onde a credibilidade está seriamente comprome-tida.Hoje em dia o descrédito de informações, nos força a buscar pelo menos mais de uma fontes diferentes, e te-mos que ter atenção se a ori-gem não é da mesma agência ou é a mesma reportagem, pois existem várias agências que vendem notícias e as  vezes vendem pra mais de um meio de comunicação, assim quando a notícia não é verdadeira, podem serem divulgadas pelos grupos que defendem seus interesses, com a intenção de obterem algum tipo de vantagens.Notamos que isto é uma questão que envolve muitos interesses, mas temos no meu entendimento em ape- nas duas vias, os prossio -nais que fazem um jornalis-mo sério com informações, idéias e criam debates sobre assuntos de interesse publi-co,  e aqueles “prossionais” que são corrompidos pelo sistema nanceiro, que por causa do dinheiro, mentem e caluniam sem nenhum pudor, inventam, deturpam, repassam notícias falsas e pretenciosas, sem se impor-tar com as consequências, mesmo porque tem certeza da conivência em algumas  vezes da justiça.O tema é amplo, mas por hoje, camos por aqui, quem sabe daremos conti-nuidade outro dia... ABRAÇOS A TODOS.  Nicélio Assi Veloso  LIBERDADE DE IMPRENSA X ABUSO DA IMPRENSA  18 de dezembro de 2015 03 POLÍTICA CÂMARA DE PENHA REALIZAREUNIÃO ITINERANTE EM ARMAÇÃO  Para encerrar o calendá-rio de reuniões itinerantes e consolidar a aproximação do Poder Legislativo com a po-pulação de Penha, a Câmara de Vereadores realizou a últi-ma reunião ordinária de 2015 fora da sede parlamentar. O encontro no bairro da Ar-mação lotou o auditório da Colônia de Pescadores no úl-timo dia 8. A plenária priori-zou na pauta os assuntos rela-cionados com a comunidade e concedeu a palavra livre a três participantes.Entre as matérias discu-tidas, 15 delas foram indica-ções dos parlamentares. Na ordem do dia foi discutida e aprovada o Projeto de Lei 42/2015, a Lei de Orçamen-to Anual (LOA), que estima a receita do Município de Pe-nha para o exercício de 2016 em R$ 73 milhões.Embora aprovado por unanimidade em primeira vo-tação, os parlamentares apon-taram falhas no processo de elaboração da LOA. Uma de-las diz respeito ao orçamen-to participativo que não foi realizado. De acordo com o  vereador Sérgio de Mello, as comunidades precisavam ser ouvidas para o governo prio-rizar as ações essências. “É assim que se atinge a demo-cracia na elaboração e reparti-ção das benfeitorias públicas, para saber onde se precisa de creche, de posto de saúde, de pavimentação”, armou. Entre as três falas da tribu-na, Cleber Neumann, presi-dente da Associação dos Ho-téis e Restaurantes de Penha (Ahorepe), reforçou a neces-sidade de implantar os planos turístico, cultural e ambiental para promover o Município não apenas para os visitantes, mas permitir que os mora-dores também usufruam das ações durante o ano. ADRIANO de SOUZA ► 2015 termina e não vai dei  - xar saudades pra muita gente. “O Ano Perdido” do Brasil em muito se deve a crise política causada por mal-perdedores e congressistas que pensam antes em mais dinheiro e poder do que realmente no bem estar do públi- co. Será que as pessoas um dia vão aprender a prestar atenção em quem votam pra deputado, inclusive LEMBRANDO em quem votaram? Se os deputados tanto aprontam é pela certeza que poderão voltar de quatro em anos sendo continuamente reeleitos por eleitores que gos- tam muito de reclamar do voto alheio, mas não tem nada a se orgulhar do seu.► Enquanto isso na Penha, aparece uma “terceira via” por semana, agora é a vez do secre- tário de saúde Cleiby Darossi se apresentar como pré-candidato,  pelo PP. O curioso é que todos os candidatos que se apresen-  tam como “terceira via” estão muito bem instalados na via do PSDB até o momento, e o go -  verno tucano não deve parecer  -  -lhes tão errado assim, pois con  - tinuam participando dele até o momento. ► Curiosa pesquisa eleitoral  feita pela UNIVALI na úl- tima semana, a qual consegui-  mos conrmar contratada pelo PSDB, no entanto, aponta dois cenários distintos: um em que Felipe Schmidt do PSD é candidato, e outra onde ele não é candidato, mas Cleiby Darossi é. Estaria o PSDB prevendo um cenário então que FELIPE e o PSD não lançariam candi  - dato a prefeito? Pelo visto sim. ► E curioso que nesse cená  - rio sem Felipe e PSD, quem vem a prefeito é Cleiby do PP.  Num terceiro cenário, o PSDB também formula a questão em quem o eleitor votaria num confronto direto Aquiles X Je-  fferson, sem outros candidatos.  Estariam testando se é melhor deixar a força da renovação (PSDB. PSD, DEM, PP, etc) lançar vários candidatos, ou todo mundo continuar junto  para enfrentar o PMDB? ► O PSD insiste que terá candidato próprio, mas bastante curioso o prefeito Evandro ter chamado o presidente da câma  - ra, Felipe, para a assinatura do convênio e anúncio de obras  nanciadas com dinheiro do Banco Regional de Desenvolvi  -  mento. Seria um reconhecimen  - to ao apoio do PSD, que ao contrário do PSDB, faz parte do governo do estado. Pelo me- nos até essa data a parceria de ambos os partidos, dentro do  governo municipal, parece mais sólida do que nunca. ► A rádio corredor diz que  pode haver mudanças dentro do  governo já em janeiro. Caciques e cabos eleitorais fortes estariam  pressionando o governo para ga-  nhar mais cargos a m de conti  - nuar no navio tucano. Por conta disso, alguns secretários como Luizinho Américo da FME se veriam ameaçados. ► Luizinho aproveitou o pre  - mio destaque esportivo para co-  memorar sua gestão, que promo - veu o salto de 8 para 38 eventos esportivos nesse ano, além da  parceria de projetos com a secre-  taria de educação. POLÍTICA SÉRGIO E JURACI PEDEM APOIO DA SDR PARA PESCADORES ARTESANAIS  O secretário regional  Aquiles da Costa recebeu, na última quinta-feira, dia 10, so-licitação da Câmara de Verea-dores de Penha para compra de uma carreira com guincho e um trator para atender pes-cadores artesanais da praia de  Armação de Itapocoroy. O ofício foi entregue pelos  vereadores Sergio de Mello e Maria Juraci Alexandrino, na sexta-feira, 11, no gabinete da SDR. Na próxima quarta--feira, 16, às 13h, o secretário, acompanhado da gerente re-gional de Desenvolvimento Sustentável, Agricultura e Pesca, Elvira Pierre da Silva, tratará do pleito em audiência com o secretário de Estado da Agricultura e Pesca, Moa-cir Sopelsa.Sérgio e Juraci foram também quem solicitaram a câmara o pedido, durante a realização da última ses-são itinerante do legislativo penhense no bairro de Ar-mação. Na reunião com os  vereadores, os pescadores reclamaram que o trator que havia sido prometido pela prefeitura para auxiliá-los a puxar os barcos nem sempre estava disponível, sendo uti-lizado em outras tarefas. Por conta disso, a reinvidicação dos trabalhadores pesqueiros é de ter um trator exclusiva-mente para serviço dos pes-cadores.   18 de dezembro de 2015 04  POLÍTICA APAE RECEBERÁ APOIO DA SDR PARA OBRAS DE AMPLIAÇÃO  O secretário regional  Aquiles da Costa deu enca-minhamento ao projeto da  APAE de Penha que solicita apoio do governo do Estado para obras de ampliação e re-forma da instituição. O pro-jeto foi aprovado na última reunião ordinária do Conse-lho de Desenvolvimento Re-gional e segue para análise da documentação apresentada para posterior liberação de re-cursos no valor de R$ 50 mil. O vice-presidente da  APAE, Everaldo Dal Posso, e a secretária executiva, Merci  Teresinha do Nascimento, es-tiveram no gabinete da SDR nesta semana para apresentar a documentação. A obra, que deverá custar mais de R$ 64 mil (com contrapartida da instituição), vai reestruturar as salas de aula e banheiros. Conforme a presidente, Susana Perinotti de Borba, é necessário mais espaço para o atendimento dos 84 alunos e adaptação dos banheiros, com fraldários para os bebês. Com mais salas, será possível implantar o atendimento es-pecial chamada PediaSuit, um dos sistemas mais avançados de terapia neurológica. Um dos ambientes será destinado à sioterapia e fonoaudiolo -gia, serviço que conta com apoio nanceiro do Tribunal de Justiça. MÁRCIA PROPÕE CRIAR CALÇADÃO PARA CO-MÉRCIO NO CENTRO Um projeto da vereado-ra Aurea Márcia Pinheiro (PSDB) transita na câmara de Penha com a idéia de incre-mentar a movimentação tu-rística e econômica no centro do município: a criação de um calçadão, que possibilita-ria a instalação de lojas, além de ser exclusivamente de trá-fego para pedestres, ciclistas e cadeirantes portadores de deciência. O calçadão seria criado na Rua José João Batista, ao lado da escola Estadual Mano-el Henrique de Assis. “Seria uma forma de dar mais vida econômica para o centro, já que não temos esse espaço numa cidade que se pretende turística”, explica a vereado-ra. Ela também acredita que isso poderá corrigir vários problemas de tráfego desor-denado no centro da cidade, devido ao grande uxo de pais e estudantes principal-mente nos horários de en-trada e saída de aula neste trecho. Em outro projeto vi-sando incrementar o turismo, Márcia sugeriu a realização de atividades artísticas, es-portivas e culturais nas praias de Penha, como shows musi-cais entre outros. “Seria algo não só para o turista, mas também promovendo o lazer do povo daqui, que tem mui-to poucas opções culturais”, explica.
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x