Slides

Biomateriais em implantodontia

Description
1. CAMILLA BRINGEL RÊGO 2. BIOCOMPATIBILIDADE São materiais artificiais desenvolvidos para Estado de mútua existência entre um material e o ambiente fisiológico, sem…
Categories
Published
of 26
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. CAMILLA BRINGEL RÊGO
  • 2. BIOCOMPATIBILIDADE São materiais artificiais desenvolvidos para Estado de mútua existência entre um material e o ambiente fisiológico, sem que um exerça substituir a matéria viva cuja função foi perdida. efeito desfavorável sobre o outro. BIOFUNCIONALIDADE Propriedades mecânicas e físicas que Inclui qualquer substância sintética ou natural habilitam o material a desempenhar a função que pode ser usada como tratamento para esperada. substituição total ou parcial de qualquer tecido, órgão ou organismo.
  • 3. OSTEOPROMOÇÃO
  • 4. MEMBRANAS REGENERAÇÃO ÓSSEA GUIADA SE BASEIA NA CRIAÇÃO DE UM ESPAÇO PARA INVASÃO DE CÉLULAS OSTEOPROGENITORAS SANGÜÍNEOS PROTEGENDO A REPARAÇÃO ÓSSEA CONTRA VASOS CRESCIMENTO E INVAGINAÇÃO DE TECIDO CONJUNTIVO VELOCIDADE DE MIGRAÇÃO > CÉLULAS OSTEOGÊNICAS
  • 5. MEMBRANAS CARACTERÍSTICAS  Biocompatibilidade  Propriedades oclusivas  Permeabilidade que permita difusão de plasmas e nutrientes  Capacidade de criação de espaço  Integração tecidual  Clinicamente manuseável Sucesso previsível
  • 6. MEMBRANAS NÃO-ABSORVÍVEIS REMOÇÃO CIRÚRGICA POLITETRAFLUORETILENO EXPANDIDO (PTFE-E) TITÂNIO
  • 7. MEMBRANAS ABSORVÍVEIS ÁCIDO POLILÁCTICO COPOLÍMERO DE POLILÁCTICO E POLIGLICÓLICO COLÁGENO INÍCIO: 4 a 6 semanas FIM: depois de aproximadamente 8 meses (SIMION, 1996) 24 SEMANAS
  • 8. MEMBRANAS ABSORVÍVEIS VANTAGENS  ESTABILIZAM A FERIDA  PERMITEM UMA VASCULARIZAÇÃO PRECOCE  SEMIPERMEÁVEIS  NÃO HÁ NECESSIDADE DE UMA SEGUNDA INTERVENÇÃO PARA REMOÇÃO
  • 9. MEMBRANAS ABSORVÍVEIS DESVANTAGENS SUA REABSORÇÃO PODE OCORRER ANTES DO PERÍODO MÍNIMO DE FORMAÇÃO E MATURAÇÃO ÓSSEA
  • 10. ENXERTO + IMPLANTE
  • 11. ENXERTOS Procedimento cirúrgico que visa acrescentar volume ao osso maxilar e/ou mandibular com reabsorção óssea severa. PRINCIPAL FINALIDADE Cirurgia prévia a reabilitação com implantes dentários.
  • 12. PRÉ-REQUISISTOS • SUPRIMENTO VASCULAR AMPLO; • ESTABILIDADE MECÂNICA; • ESPAÇO PARA AUMENTO.
  • 13. CARACTERÍSTICAS IDEAIS • Baixo risco de infecção. Remodelação do osso inicialmente formado no osso lamelar maduro. • Facilidade de aquisição. Manutenção do osso maduro sem perda ao • Baixa antigenicidade. longo da função. • Alto nível de segurança  Capacidade de estabilizar implantes quando colocados simultaneamente com o enxerto.
  • 14. TIPOS DE ENXERTO ÓSSEO  AUTÓGENOS;  ISÓGENOS;  HOMÓGENOS;  HETEROGENOS.  ALOPLÁSTICOS
  • 15. ENXERTO AUTÓGENO OSTEOINDUTOR Enxertos obtidos do mesmo indivíduo RECONTRUÇÕES LEITO DOADOR INTRA-ORAL RECONSTRUÇOES LEITO DOADOR EXRA-ORAL INTEGRAÇÃO= 6 A 9 meses
  • 16. ENXERTO AUTÓGENO CASO CLÍNICO OVERDENTURE IMPLANTES LEITOA (PRÓTESE CDEOSASDOO IMPLANTOSSUPORTADA) CRI-RSÚERIGOI CMOAXILAR EM BLOCO P/ REBORDO MAXILAR TRITURADO LEITO DOADOR P/LE SIETIOO R MEACXEPILTAORR
  • 17. ISÓLOGOS Enxertos obtidos de outro indivíduo com a mesma carga genética (gêmeos idênticos).
  • 18. ENXERTO HOMÓGENO BANCO DE OSSOS HUMANOS INTEGRAÇÃO= 6 A 9 meses LIOFILIZADOS Enxertos obtidos = CONGELADO de indivíduos E SECO INDICAÇÃO: diferentes, Para com pequeno carga genética e grandes diferente, porém da mesma espécie. defeitos ósseos.
  • 19. ENXERTO HOMÓGENO CASO CLÍNICO IMPLANTLEEITO RECEPTOR
  • 20. ENXERTOS HETERÓGENOS MATRIZ ÓSSEA BOVINA INTEGRAÇÃO= 6 A 9 meses  Preenchimento de defeitos ósseos  Preenchimento de alvéolo  Levantamento de seio maxilar  Usado em conjunto com enxerto autógeno
  • 21. ENXERTO ALOPLÁSTICO BIOMATERIAIS DE ORIGEM MINERAL OU SINTÉTICA. OSTEOCONDUTORES VIDRO BIOATIVO HIDROXIAPATITA Utilizados em conjunto com enxerto autógeno no planejamento de implantes.
  • 22. ENXERTO ALOPLÁSTICO SINUS LIFT LEVANTAMENTO DO SEIO MAXILAR ACEPSRSEOE CNICRHÚIRMGEONTO DO SEIO MENAXXEILRATRO
  • 23. PROTEÍNAS MORFO GENÉTICAS (BMP) PROTEÍNAS ENCONTRADAS EM ALTAS CONCENTRAÇÕES NO TECIDO ÓSSEO E CONSIDERADAS AS RESPONSÁVEIS PELA HABILIDADE INDUTIVA E REGENERATIVA DOS ENXERTOS OSSEOS DESMINERALIZADOS.
  • 24. CASO CLÍNICO ENXERTO AUTÓGENO MEMBRANA REABSORVÍVEL IMPLANTE PLANEJAMENTO LEITO RECEPTOR REMOÇÃMCOPOEÓDMLSOB-CSCRAIPRAÇAÚNÃRRAOAGRFDIUECOAOSOBI4MSSÓMPDRLEOAVSNIEEVNSTEEXLERTO LEITO DOADOR- MENTO RETALHO ÁLVEOLO-FRESAGEM DEFEITO HORIZONTAL XENOENXERTO
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks