Documents

Bitch i’m From Recife

Description
Slide de apresentação da monografia Bitch I'm From Recife: A influência do programa RuPaul's Drag Race na cena drag pós-moderna de Recife
Categories
Published
of 17
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  A INFLUÊNCIA DO PROGRAMA RUPAUL'S DRAG RACE NA CENA DRAG PÓS-MODERNA DA CIDADE DE RECIFE BITCH I’M FROM RECIFE!  GÊNERO: UM CONCEITO FLUTUANTE ã Stolle #$%&: teo( )( )e*t)()e )e +,*eo ã  Teo( )o. /(/e. .o0(.: 1N2o 34 *()( naturalmente 5e6**o o7 6(.07l*o89 PISCITELLI ;<<# /8 ;=&8 ã P(/e. .e>7(.: /(/e. 07lt7(l6e*te 0o*.t7?)o. 0o6 @(.e *o .e>o+,*eo   )o .7eto8 ã B7tle ;<$&: A )e*t)()e )e +,*eo )e 76 *)?)7o *2o )ee .e /e)ete6*()( /elo .e>o )to 1*(t7(l9 )e .e7 0o/o 6(. /elo ).07.o 7e e..e 0o/o /o)7 ã L-St(7..: t(@7 )o *0e.to e ).2o .e>7(l )o t(@(l3o 0o6o 5o6(. )e +((*t ( 3eteo..e>7(l)()e “Quando o status construído do gênero é teorizado como radicalmente independente do sexo, o próprio gênero se torna um artifício utuante, com a consequência de que homem e masculino podem, com igual facilidade, signicar tanto um corpo feminino como um masculino, e mulher e feminino, tanto um corpo masculino como um feminino. ! #$%&', ()*+, p. (+  PERFORMATIIDADE DO GÊNERO ã De (0o)o 0o6 ( teo( /e5o64t0( )e B7tle ;<$& o +,*eo .e( 76 e5eto ).07.o )o 0o/o e o .e>o 76 e5eto )o +,*eo8 ã Co*.t7?6o. ( *o..( /e5o6(*0e )e +,*eo ( /(t )o 6o6e*to 7e (6(6o. e e/et6o. 0eto. 0o6/ot(6e*to.8 “- gênero é a estiliza/o repetida do corpo, um con0unto de atos repetidos no interior de uma estrutura reguladora altamente rígida, a qual se cristaliza no tempo para produzir a aparência de uma su1st2ncia, de uma classe natural de ser. ! #$%&', ()*+,  p. +3  DRAG UEENS: SUJEITOS DESIANTES ã D(+ eel( ( 5(.( )o +,*eo 0o6o 76( (t7(K2o )()( /el( 07lt7( )e (0o)o 0o6 o te6/o 3.t0o e (. 67)(*K(. .o0(. ã E>/e6 7e *2o e>.te6 e)()e. e..e*0(l(*te. .o@e o +,*eo ã I6/ot(*te 5o6( )e e..t . e.t7t7(. )e /o)e 7e e+7l(6 *o..(. )(. e )e*t)()e. (o )07l(( )(. e>/e..e. 07lt7(. *o6(t(. e /e5o6(*0e.  4 drag ao imitar o gênero re5ela implicitamente a estrutura imitati5a do  próprio gênero 6 assim como sua contingência. 7...8 9o lugar da lei da coerência heterossexual, 5emos o sexo e o gênero desnaturalizados por meio de uma performance que confessa sua distin/o e dramatiza o mecanismo cultural da sua unidade fa1ricada. ! #$%&', ()*+, p. (:;
Search
Similar documents
View more...
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks