Documents

Bizu. PF

Description
CURSO ON-LINE - BIZU DO PONTO PARA ESCRIVÃO DA PF PROFESSORES: ODIOMBAR RODRIGUES, JÚNIA ANDRADE, SÉRGIO BONIFÁCIO, DAVI BARRETO, FERNANDO GRAEFF, AYRTON CARDOMINGO, VITOR MENEZES, SÉRGIO MENDES, JÚLIO MARQUETTI, PEDRO IVO, FREDEDICO DIAS E EDSON MARQUES 1) LÍNGUA PORTUGUESA – Odiombar Rodrigues Apresentação O “Bizu” já é um projeto sólido, pois os candidatos buscam “socorro” na semana que antecede o Concurso. Podemos dizer que dois tipos de clientes surgem: os que estudaram pouco e buscam um co
Categories
Published
of 126
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  C U R SO   O N - L I N E   -   B I Z U   DO   P O N T O   P A R A   E SC R I V Ã O   D A   P F   P R O FE SSO R E S:   OD I O MB A R   R OD R I G U E S,   J Ú N I A   AN D R A DE ,   SÉ R G I O   B O N I FÁ C I O ,   D A V I   B A RR E T O ,   FE R NAN DO   G R A E FF,   A Y R T O N   C A R DO M I N G O ,   V I T O R   M E N E Z E S,   S É R G I O   M E N DE S,   J Ú L I O   M A R Q U E TT I ,   P ED R O   I V O ,   F R EDED I C O   D I A S   E   ED SO N   M A R Q U E S   1 )   L Í N G U A   P O R TU G U ESA   –   O d i o m ba r   R o d r i gue s   Apresentação   O   “Bizu”    já   é   um   projeto   sólido,   pois   os   candidatos   buscam   “socorro”   na   semana   queantecede   o   Concurso.   Podemos   dizer   que   dois   tipos   de   clientes   surgem:   os   que   estudaram   pouco e   buscam   um   conhecimento   rápido   para   recuperar   o   tempo   perdido   e   os   que   estudaram   muito   eagora   buscam   a   sistematização   do   programa   de   forma   resumida.   A   estes   dois   grupos   o   Bizupretende   atender,   mas   o   segundo   tem   um   rendimento   maior,   pois   o   conhecimento   linguísticonão   se   adquire   em   poucas   horas.   O   desafio   é   fazer   uma   revisão   em   poucas   páginas,   mas   os   desafios   são   para   os   que   têmcoragem   de   arriscar.   Vamos   ao   desafio,   coragem   e   força.   A   prova   está   chegando,   mas   o   nossoesforço   sempre   terá   recompensa.   CESPE   -   uma   palavrinha.   Os   concurseiros   têm   uma   preocupação   muito   grande   em   conhecer   a   banca.   Eles   têmrazão,   pois   cada   banca   é   diferente.   O   CESPE   tem   provas   simples,   com   exploração   de   conteúdostradicionais.   É   uma   banca   temática,   ou   seja,   os   textos   selecionados   são   da   área   de   conhecimentodo   concurso,   retirados   da   imprensa,   internet   e   raramente   de   obras   impressas.   Outra   característica é   que   os   textos   são   sobre   temas   da   atualidade,   informativos   e   em   linguagem   simples.   Não   éhábito   do   CESPE   incluir   textos   literários.   Bizu   -   uma   palavrinha   O   nosso   trabalho   está   organizado   sob   dois   princípios:   exame   das   últimas   provasaplicadas   pela   banca   e   exame   das   últimas   provas   aplicadas   à   Polícia   Federal.   Assim   podemoscaptar   a   tendência   atual   da   banca   e   o   tratamento   dispensado   os   concursos   da   instituição.   Tendoestes   princípios   como   parâmetros,   selecionamos   dez   pontos   mais   recorrentes   em   provas.   Sãoassuntos   básicos,   aplicados   em   questões   elaboradas   pela   própria   banca.   O   Bizu   não   é   uma   bola   de   cristal,   não   prevê   nada,   mas   pela   avaliação   de   provaspassadas   pode   projetar   um   conjunto   de   probabilidades   que   orientam   o   candidato   nos   momentosfinais   do   estudo.   P o n t o   -   1   -   Interpretação   de   texto    C U R SO   O N - L I N E   -   B I Z U   DO   P O N T O   P A R A   E SC R I V Ã O   D A   P F   P R O FE SSO R E S:   OD I O MB A R   R OD R I G U E S,   J Ú N I A   AN D R A DE ,   SÉ R G I O   B O N I FÁ C I O ,   D A V I   B A RR E T O ,   FE R NAN DO   G R A E FF,   A Y R T O N   C A R DO M I N G O ,   V I T O R   M E N E Z E S,   S É R G I O   M E N DE S,   J Ú L I O   M A R Q U E TT I ,   P ED R O   I V O ,   F R EDED I C O   D I A S   E   ED SO N   M A R Q U E S   A   interpretação   de   texto,   nas   provas   do   CESPE,   abrange,   mais   ou   menos,   20%   do   totalde   questões.   Em   geral,   não   são   questões   que   exijam   um   preparo   teórico   muito   intenso.   Chamo   aatenção   para   dois   pontos:   a)   os   conceitos   de   “tema”   e   “ideia   principal”.   b)   “o   conhecimentoprévio”.   “Tema”   refere-se   aos   conteúdos   abordados   no   texto   enquanto   que   “ideia   principal”refere-se   aos   objetivos   do   autor   ao   escrever   o   texto.   Podemos   dizer   que   “tema”   é   o   conjunto   deassuntos   que   o   autor   utiliza   para   nos   convencer   de   sua   “ideia   principal”.   O   CESPE   utiliza   estadistinção   em   suas   provas.   Vejamos   no   texto   abaixo:   T ex t o   I   1   Já   existe,   felizmente,   em   nosso   país,   uma   consciência   nacional   —   em   formação,   é   certo   2   —,   que   vai   introduzindo   o   elemento   da   dignidade   humana   em   nossa   legislação   e   para   a   qual   a   3   escravidão,   apesar   de   hereditária,   é   uma   verdadeira   mancha   de   Caim   que   o   Brasil   traz   na   fronte.   4   Essa   consciência,   que   está   temperando   a   nossa   alma   e,   por   fim,   há   de   humanizá-la,   resulta   da   5   mistura   de   duas   correntes   diversas:   o   arrependimento   dos   descendentes   de   senhores   e   a   6   afinidade   de   sofrimento   dos   herdeiros   de   escravos.   7   Não   tenho,   portanto,   medo   de   não   encontrar   o   acolhimento   por   parte   de   um   número   8   bastante   considerável   de   compatriotas   meus,   a   saber:   os   que   sentem   a   dor   do   escravo   como   se   9   fora   própria,   e   ainda   mais,   como   parte   de   uma   dor   maior   —   a   do   Brasil,   ultrajado   e   humilhado;   01   os   que   têm   a   altivez   de   pensar   —   e   a   coragem   de   aceitar   as   conseqüências   desse   pensamento   —   11   que   a   pátria,   como   a   mãe,   quando   não   existe   para   os   filhos   mais   infelizes,   não   existe   para   os   21   mais   dignos;   aqueles   para   quem   a   escravidão,   degradação   sistemática   da   natureza   humana   por   31   interesses   mercenários   e   egoístas,   se   não   é   infamante   para   o   homem   educado   e   feliz   que   a   41   inflige,   não   pode   sê-lo   para   o   ente   desfigurado   e   oprimido   que   a   sofre;   por   fim,   os   que   51   conhecem   as   influências   sobre   o   nosso   país   daquela   instituição   no   passado   e,   no   presente,   o   seu   61   custo   ruinoso,   e   prevêem   os   efeitos   da   sua   continuação   indefinida.   71   Possa   ser   bem   aceita   por   eles   esta   lembrança   de   um   correligionário   ausente,   mandada   do   81   exterior,   donde   se   ama   ainda   mais   a   pátria   do   que   no   próprio   país.   91   Quanto   a   mim,    julgar-me-ei   mais   do   que   recompensado,   se   as   sementes   de   liberdade,   02   direito   e    justiça   derem   uma   boa   colheita   no   solo   ainda   virgem   da   nova   geração.   (Londres,   8   de   31   abril   de   1883)   Joaquim   Nabuco.   O   abolicionismo.   In:   Intérpretes   do   Brasil,   vol.   I,   Rio   de   Janeiro:   Nova   Aguilar,   2000,   p.   21   (com   adaptações).   As   questões   de   1   a   9   são   oriundas   da   prova   do   CESPE   para   a   Polícia   Federal   no   ano   de   2004,   segundo   consta,   último   concurso   para   o   cargo.    C U R SO   O N - L I N E   -   B I Z U   DO   P O N T O   P A R A   E SC R I V Ã O   D A   P F   P R O FE SSO R E S:   OD I O MB A R   R OD R I G U E S,   J Ú N I A   AN D R A DE ,   SÉ R G I O   B O N I FÁ C I O ,   D A V I   B A RR E T O ,   FE R NAN DO   G R A E FF,   A Y R T O N   C A R DO M I N G O ,   V I T O R   M E N E Z E S,   S É R G I O   M E N DE S,   J Ú L I O   M A R Q U E TT I ,   P ED R O   I V O ,   F R EDED I C O   D I A S   E   ED SO N   M A R Q U E S   Q u es t ã o   n º   1.   (CESPE   -   PF/2004)   Em   relação   ao   texto   I   e   ao   t e m a   (grifo   nosso)   nele   abordado,    julgue   os   itens   a   seguir.   O   que   Joaquim   Nabuco   escrevia   em   sua   época   vai   ganhando   densidade   nos   dias   de   hoje.Prova   disso   é   o   atual   debate   a   respeito   da   política   afirmativa,   a   qual,   envolvendo,   inclusive,   aadoção   de   cotas,   tem   por   objetivo   reduzir   as   enormes   desigualdades   sociais   geradas   pelaescravidão.   C o m e n t á r  io   da   qu es t ã o   1.   C   Observe   que   a   ordem   da   questão   fala   em   “tema”   e   o   enunciado   traz   assuntos   que   nãoestão   presentes   no   texto,   mas   foram   introduzidos   pela   construção   “nos   dias   de   hoje”,   comopolíticas   afirmativas   e   adoção   de   cotas.   Esta   expressão   estabelece   uma   ponte   entre   o   passado   deJoaquim   Nabuco   e   o   nosso   presente,   mas   o   tema   permanece   o   mesmo.   Os   assuntos   que   nãoestavam   no   srcinal   são   da   mesma   área   semântica   e   podem   servir   como   exemplificação,   emboranão   presentes   na   literariedade   do   texto.   Quando   a   banca   aborda   “tema”,   o   importante   é   que   aafirmativa   não   “fuja   do   tema”,   como   costumam   falar.   Q u es t ã o   n º   2.   (CESPE   -   PF/2004)   A   expansão   do   sistema   educacional   brasileiro,   especialmente   nas   redes   escolarespúblicas,   resultou   na   eliminação   quase   total   das   diferenças   quanto   a   acesso   e   permanência   nasescolas   e   desempenho   escolar   de   brancos,   negros   e   pardos.   Essa   realidade   transportou-se   para   omercado   de   trabalho,   como   demonstra   a   igualdade   de   salários   pagos   a   cidadãos   de   diferentesraças.   C o m e n t á r  io   da   qu es t ã o   2.   E   Observe   que   a   questão   aborda   assuntos   como   “sistema   educacional”,   “desempenhoescolar”   e   “mercado   de   trabalho”.   Nenhum   deles   pertence   ao   mesmo   tema   do   texto,   por   isso   aquestão   é   errada.   Para   resumir,   é   importante   ter   presente   que   tema   é   um   conceito   teórico   quepertence   ao   campo   semântico   (área   semântica).   Q u es t ã o   n º   3.   (CESPE   -   PF/2004)   A   i d éi a   p r  i n ci p a l   (grifo   nosso)   do   texto   I   pode   assim   ser   expressa:   O   amor   à   pátria   émais   forte   quando   se   está   longe   dela   e   a   dor   do   escravo   é   sentida   como   se   fosse   própria.   C o m e n t á r  io   da   qu es t ã o   3.   E   Agora   a   questão   fala   diretamente   em   “ideia   principal”,   portanto,   devemos   descobrir   se   oque   está   sendo   afirmado   corresponde   à   intenção   do   autor.   A   idéia   principal   é   conteúdo    C U R SO   O N - L I N E   -   B I Z U   DO   P O N T O   P A R A   E SC R I V Ã O   D A   P F   P R O FE SSO R E S:   OD I O MB A R   R OD R I G U E S,   J Ú N I A   AN D R A DE ,   SÉ R G I O   B O N I FÁ C I O ,   D A V I   B A RR E T O ,   FE R NAN DO   G R A E FF,   A Y R T O N   C A R DO M I N G O ,   V I T O R   M E N E Z E S,   S É R G I O   M E N DE S,   J Ú L I O   M A R Q U E TT I ,   P ED R O   I V O ,   F R EDED I C O   D I A S   E   ED SO N   M A R Q U E S   pertencente   à   área   da   “intencionalidade”,   ou   seja,   ao   nível   ideológico   do   texto.   Ao   escreve   otexto,   Joaquim   Nabuco   pretende   mobilizar   a   população   para   apoiar   a   condenação   ao   regimeescravocrata   (sua   ideia   principal,   sua   intenção).   O   amor   à   Pátria   e   o   sentimento   de   solidariedadesão   apenas   “argumentos”   utilizados   para   nos   convencer.   Vamos   agora   ao   outro   assunto   sobre   interpretação   de   texto:   O   “conhecimento   prévio”.   T ex t o   II   1   Os   atentados   terroristas   a   Nova   Iorque   e   Washington   são   a   evidência   de   que   o   atual   2   modelo   de   globalização   afeta   os   esforços   de   implantação   mundial   dos   direitos   humanos.   Graças   3   ao   avanço   da   tecnologia   de   comunicações   —   dos   meios   de   transporte   à   Internet   —,   o   Planeta   4   tornou-se,   de   fato,   uma   grande   aldeia.   Somos   todos   vizinhos   uns   dos   outros   e   podemos   assistir,   5   em   tempo   real,   ao   que   se   passa   no   hemisfério   oposto   ao   que   habitamos.   Frei   Betto.   Internet:   <www.dhnet.org.br/denunciar>   (com   adaptações)   Q u es t ã o   n º   4.   (CESPE   -   PF/2004)   Com   base   no   texto   II   e   considerando   as   m ú l t i p l a s   i m p lic a ções   d o   t e m a   (grifo   nosso)   que   ele   focaliza,    julgue   o   item   seguinte.   Um   caso   extremo   de   terrorismo,   que   espalhou   o   pânico   nos   Estados   Unidos   da   América   (EUA)   e   assustou   a   opinião   pública   mundial,   foi   o   atentado   de   11   de   setembro   de   2001,   queatingiu   o   Pentágono   e   as   torres   do   World   Trade   Center.   C o m e n t á r  io   da   qu es t ã o   4.   C   Novamente   a   questão   tem   como   área   de   conhecimento   o   “tema”   e   alerta   para   “asmúltiplas   implicações   do   tema”,   ou   seja,   chama   a   atenção   para   o   fato   de   que   pode   estabelecerrelações   intertextuais,   mantendo   o   tema.   No   caso,   a   questão   não   remete   a   outro   texto,   mas   exigedo   leitor   um   conhecimento   (prévio)   do   assunto.   Quem   não   sabe   que   “Os   atentados   terroristas   aNova   Iorque   e   Washington”   (no   texto)   correspondem   ao   “atentado   de   11   de   setembro   de   2001,que   atingiu   o   Pentágono   e   as   torres   do   World   Trade   Center   (na   questão),   pode   errar   a   questãopor   não   estabelecer   nexo   entre   as   duas   informações.   O   conhecimento   prévio   do   leitor   é   quesustenta   a   coerência   da   afirmativa   e   fundamenta   a   questão   como   correta.   P o n t o   -   2   -   Referenciação   O   texto   não   é   apenas   uma   sequência   de   palavras,   mas   uma   unidade   coesa   e   coerente,resultante   das   relações   que   se   estabelecem   entre   seus   elementos.   A   gramática   tradicional   dá  
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks