Sheet Music

Educação Online: uma experiência no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro

Description
Educação Online: uma experiência no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Andréa Villela Mafra da Silva Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Categories
Published
of 16
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
Educação Online: uma experiência no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Andréa Villela Mafra da Silva Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro Keite Silva de Melo Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Resumo Este trabalho apresenta o ambiente virtual de aprendizagem do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ) hospedado no Moodle. Criado pelo grupo de pesquisa FORPROTEC/CNPq, em 2013, o ambiente virtual de aprendizagem do ISERJ dispõe de salas de aula divididas por segmentos de ensino, a saber, o ensino superior, o ensino médio, o ensino fundamental, a educação infantil, a educação especial e os serviços de apoio e orientação aos alunos. O objetivo do grupo de pesquisa é investigar as competências necessárias ao professor para o uso das tecnologias de informação e comunicação no processo de ensino e aprendizagem. O pressuposto teórico é o paradigma sócio construtivista focado na análise de Lev Vygotsky. A metodologia de coleta e análise dos dados, nesse trabalho, identifica-se com a pesquisa descritiva com abordagem qualitativa, a partir de análise bibliográfica e documental. Conclui-se que os profissionais de educação do ISERJ 112 estão trabalhando para aprimorar o uso das tecnologias de informação e comunicação no processo de ensino e aprendizagem com o objetivo de reforçar as competências da sociedade da informação e, especialmente, garantir a democratização do saber. Palavras Chave: Ambiente virtual de aprendizagem, interatividade, ensino e aprendizagem. Online education: an experiment at the Institute of Rio de Janeiro Education Abstract This work presents the virtual learning environment of the Institute of Education of Rio de Janeiro / ISERJ hosted by Moodle platform. Created by FORPROTEC/CNPq research group in 2013, virtual environment ISERJ learning has classrooms divided by educational segments, namely, higher education, secondary education, elementary education, early childhood education, special education and support services and guidance to students. The goal of the research group is to investigate the skills needed for the teacher to the use of information and communication technologies in teaching and learning. The theoretical assumption is Constructivist social paradigm focused on Lev Vygotsky analysis. The methodology of collecting and analyzing data in this work is based on descriptive research with qualitative approach, through bibliographical and documentary analysis. It concludes that the ISERJ education professionals are working to improve the use of information and communication technologies in teaching and learning in order to strengthen the capabilities of the information society and in particular to ensure the democratization of knowledge. Keywords: virtual learning environment, interaction, teaching and learning. 113 Introdução Este trabalho trata do ambiente virtual de aprendizagem (AVA) do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ). Criado pelo grupo de pesquisa FORPROTEC/CNPq, em 2013, o ambiente virtual de aprendizagem do ISERJ dispõe de salas de aula divididas por segmentos de ensino, a saber, o ensino superior, o ensino médio, o ensino fundamental, a educação infantil, a educação especial e os serviços de apoio e orientação aos alunos. O objetivo do grupo de pesquisa é investigar as competências necessárias ao professor para o uso das tecnologias de informação e comunicação no processo de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, o professor é o centro de atenção da pesquisa do FORPROTEC/CNPq e está envolvido indissoluvelmente nas relações deste processo educativo online de que trata este artigo. Nessa complexidade, é interessante contextualizar o ISERJ - lócus da pesquisa - tendo em vista que foi a primeira escola de formação de professores criada no Estado do Rio de Janeiro, inicialmente com o nome de Escola Normal da Corte. O ISERJ foi inaugurado em 05 de abril de 1880 e passou a funcionar no Imperial Colégio Pedro II. Em 1932, sendo Anísio Teixeira Diretor Geral do Departamento de Educação do Distrito Federal, obteve do então prefeito Pedro Ernesto, através do Decreto 3.810, de 19/03/1932 a transformação da antiga Escola Normal em Instituto de Educação, abrangendo todos os graus de ensino, desde o pré-escolar até o superior, tendo como objetivo prioritário a melhoria da qualidade de formação do magistério primário (MARTINS, 1996). Nos dias atuais, o ISERJ está subordinado à Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC), vinculada à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (SECT-RJ) e atua com todos os segmentos e modalidades da escola básica e com a formação de professores no ensino superior. Com os estudos do grupo de pesquisa Formação de Professores e Tecnologias Educacionais (FORPROTEC/CNPq), buscou-se perceber de que maneira o conhecimento pedagógico - enquanto afirmação de um corpo de conhecimentos teóricos necessários ao desempenho da profissão docente 114 desempenha um papel crucial na circulação e na produção de saberes no âmbito da educação online. As formas de atuação dos professores no ambiente virtual de aprendizagem podem comprometer o estabelecimento de um processo educativo que permita, por exemplo, a adaptação às condições de usabilidade dos alunos, bem como contrariar o princípio da autonomia tão requerido pela educação online. Uma vez que a proposta do FORPROTEC/CNPq é pesquisar, dentre outros temas, o potencial do AVA na formação inicial de professores optamos por hospedar no servidor do ISERJ - a Plataforma Moodle - como lócus privilegiado para investigar as competências necessárias ao professor, no que se refere ao estabelecimento de um processo educativo online de qualidade. A escolha pela plataforma Moodle justifica-se por ser um software livre e gratuito que permite alterar, ampliar e modificar seus módulos personalizando os usos a que lhes são atribuídos. Em decorrência, foi criado em 2013 o ambiente virtual de aprendizagem do ISERJ com salas de aula divididas por segmentos de ensino. Estas salas de aula possibilitam a interação entre professores e alunos dos segmentos de ensino presentes no ambiente online promovendo aprendizagem colaborativa com base na pedagogia sócio construtivista. Esta concepção do conhecimento tem como base a teoria de Lev Vygotsky, que parte da ideia de que o sujeito não é passivo sob a influência do meio, ou seja, responde aos estímulos externos e age sobre eles construindo e organizando o seu próprio conhecimento em níveis cada vez mais elaborados. Tendo em conta que os ambientes virtuais de aprendizagem têm potencial para desempenhar um importante papel na maneira de ensinar e aprender é possível o estabelecimento de relações de estudo com base na pedagogia sócio construtivista orientadas pela democratização do acesso ao conhecimento. Revisão Teórica As tecnologias digitais na formação docente Tornar o profissional da educação protagonista e efetivamente reflexivo na perspectiva de Zeichener (2008) diante das demandas do nosso tempo inclui a sua 115 literacidade diante das mídias. Será o letramento digital do docente que poderá propiciar/estimular/despertar o letramento do discente. E para isso, é exigência reconhecer os professores como herdeiros, intérpretes e críticos da cultura, além de autores e agentes sociais com crenças próprias quanto ao seu papel na transformação da sociedade (MELLOWKI e GAUTHIER, 2004, p. 543). As demandas do nosso tempo incluem a incorporação das Tecnologias da Informação e Comunicação com seus artefatos culturais, para acrescentar a forma como nos comunicamos, as novas formas de produção e divulgação de conhecimentos. Se desejarmos que o ciberespaço otimize cada vez mais novas reestruturações cognitivas, democratização dos saberes, de autoria, de ativismo através de novos canais de protesto contra injustiças (alguns dos quais têm conquistado mudanças pontuais no atual cenário político) e novas formas de aprendizagem através de instigantes comunidades virtuais de aprendizagem - a educação não pode se isentar de posicionamento. Compreender o empoderamento dos sujeitos e das instituições através do ciberespaço é uma necessidade para educação. Assim como, faz-se urgente analisar criticamente as diversas mídias e tecnologias, buscando instrumentalizar-se quando pertinente, para inclusão das TIC no seu agir pedagógico. Este é um dos pilares do FORPROTEC/CNPq - o empoderamento do professor no uso das TIC - que nos termos de Mellowki e Gauthier (2004, p. 545), possui papel de intelectual, de produtor e de divulgador de conhecimentos, técnicas e procedimentos pedagógicos. Entendemos que o professor produz conhecimento para e com os seus alunos. Um dos fundamentos da formação de professores é a ética do compartilhamento, da divulgação dos saberes construídos no coletivo para o coletivo. Esta ética encontra nas mídias digitais, os canais e interfaces para ser propagada, mas para isso, o letramento digital é exigência anterior. Buzato, ao tratar do tema letramento digital e formação de professores, aponta os principais aspectos que desejamos incluir nesta referida formação: 116 Queremos que professores e alunos continuem sabendo quem são os autores relevantes e como têm sido interpretados, mas também que saibam encontrar esses e outros conteúdos em outros códigos, culturas e formatos midiáticos, bem como em arranjos complexos de meios e modalidades. Queremos que saibam avaliar a credibilidade, determinar a aplicabilidade e a relevância dos conteúdos e das ferramentas digitais, mas também queremos que isso sirva para intervirem crítica e criativamente naqueles códigos e formatos que ainda contam para a sua inclusão social, acadêmica, profissional (BUZATO, 2006, p ). O autor de forma clara e objetiva fundamenta as pesquisas em torno da formação docente para adoção crítica das tecnologias. Reconhecendo a necessidade de pesquisas no campo da formação de professores e tecnologias educacionais o grupo de pesquisa FORPROTEC/CNPq criou o ambiente virtual de aprendizagem para os alunos e professores do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro. Desde a sua criação, cabe ao FORPROTEC/CNPq a tarefa de administrar o ambiente para o Ensino Superior, na plataforma Moodle, excluindo a missão de coordenar e orientar pedagogicamente as ações realizadas pelos professores. Cabe a coordenação do ensino superior do ISERJ a tarefa de acompanhar as atividades pedagógicas desenvolvidas no Moodle/ISERJ. Metodologia e Desenvolvimento A plataforma Moodle O Moodle - Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment - é um sistema de administração de atividades educacionais destinado à criação de comunidades online, em ambientes virtuais voltados ao ensino e aprendizagem. Esta plataforma de ensino foi criada por Martin Dougiamas, que com a sua formação tanto em educação como em computação, conseguiu desenvolver uma ferramenta com características tecnológicas e pedagógicas satisfatórias (PULINO FILHO, 2007). Martin Dougiamas adota o Construcionismo Social como uma estrutura pedagógica, que se baseia na ideia de que os indivíduos aprendem melhor quando 117 engajados em um processo social de construção do conhecimento. Totalmente baseado em ferramentas da WEB, o Moodle requer do usuário um computador conectado à Internet e a disponibilidade de um navegador, a exemplo do Google Chrome, Firefox e do Internet Explorer. Os usuários do sistema são o administrador, que se ocupa do desenvolvimento do sistema em si; o professor, que é o mediador do processo de ensino e aprendizagem; e o aluno. Contando com diversos recursos o Moodle disponibiliza materiais didáticos dos cursos, através de páginas de texto simples, páginas da web e links que dão acesso a materiais disponíveis na internet. A plataforma Moodle coloca as ferramentas de ensino em uma interface que faz da aprendizagem a tarefa central, através do compartilhamento de informações e do acesso simultâneo de diversos usuários. Aprendizagem ativa, fóruns e chats são estratégias de ensino presentes na plataforma que potencializam a eficiência dos processos de ensino e aprendizagem. Estes ambientes permitem não só a utilização de tecnologias para uma simples disponibilização de conteúdo, como também a comunicação síncrona e assíncrona. A comunicação síncrona ocorre em tempo real (online) e exige a participação dos professores e alunos em eventos com horários previamente estabelecidos, como exemplos temos o chat, a videoconferência, audioconferência e a teleconferência (LINS, MOITA, 2009). A comunicação assíncrona independe de tempo e lugar. Tem como exemplo o , fórum, Webblogs ou Blogs (LINS, MOITA, 2009). Os segmentos de ensino presentes no Ambiente Virtual de Aprendizagem do ISERJ são o Ensino Superior, o Ensino Médio, o Ensino Fundamental, a Educação Infantil, Educação Especial e os Serviços de Apoio (SEI, SOE e SOP). Cada segmento possui uma sala virtual onde se estabelecem as interações entre professores e alunos. O Ensino Superior dispõe, além das salas individualizadas para cada professor, espaços online para Pesquisa e Extensão e para o Grupo de Pesquisa FORPROTEC / ISERJ / FAETEC. O Ensino Médio está presente no AVA ISERJ com várias salas de aula, coordenadas por professores de diferentes áreas do conhecimento, e com propostas de ensino voltadas para o ENEM. O Espaço de 118 Inclusão SEI contribui para a formação continuada dos professores do ISERJ oferecendo um curso de extensão online na área da educação inclusiva. Oficinas de formação para o uso do Moodle foram oferecidas pelos integrantes do FORPROTEC para os coordenadores, para os alunos e para os professores do ISERJ que atuam na primeira turma do curso de Licenciatura em Pedagogia pelo PARFOR - Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica. Estes professores também atuam no curso de Pedagogia regular e nos cursos de pósgraduação lato sensu, e os saberes adquiridos nestas formações, bem como o acompanhamento que o FORPROTEC realizou no segundo semestre de 2014 tinha por intenção, apresentar o potencial do AVA, familiarizando os docentes para adoção nos demais cursos. Importante destacar que o AVA ISERJ predispõe de competências e práticas pedagógicas diferenciadas do ensino presencial tradicional de formação. De fato, impõe que estas competências sejam claramente definidas na mediação pedagógica, na medida em que exigem novas metodologias e abordagens formativas diferenciadas do ensino presencial. Desse modo, o AVA ISERJ é utilizado como complemento às aulas presenciais, servindo de suporte aos cursos e disciplinas. É utilizado como repositório, particularmente, disponibilizando material didático para os alunos do ISERJ, discussões virtuais, continuidade da orientação de Trabalhos de conclusão de curso (TCC) e como local de oferta para cursos de extensão. A proposta pedagógica do AVA ISERJ apresenta como pressuposto: (a) contemplar e integrar os fundamentos teóricos e princípios básicos dos campos de conhecimento; (b) O desenvolvimento de aptidões sociais ligadas ao convívio ético e responsável; (c) O estímulo ao desenvolvimento do pensamento autônomo e da criatividade dos alunos do ISERJ. Apoiada em leituras de autores que vêm discutindo a inserção das tecnologias na educação e a formação de professores (BARRETO, 2004; MELLOUKI, GAUTHIER, 2004; ZEICHENER, 2008) apresentamos, a seguir, algumas questões norteadoras deste estudo: a) Como o curso de Pedagogia do ISERJ possibilita ao futuro professor oportunidades práticas de uso das TIC? De que maneira, as TIC são 119 percepcionadas como elemento facilitador no processo de construção e reelaboração do conhecimento escolar? b) Como os fenômenos educacionais analisados no AVA ISERJ favorecem, através de suas interpretações, uma compreensão das práticas nas salas de aula de formação de professores? c) De que forma as novas tecnologias da informação e comunicação estão adentrando no espaço educacional do ISERJ nos diferentes segmentos de ensino? De que maneira as TIC revelam no campo da educação online concepções e práticas no âmbito da formação de professores do curso de Pedagogia do ISERJ? Os segmentos de ensino presentes no Ambiente Virtual de Aprendizagem do ISERJ requerem do professor responsável pela sala de aula online a tarefa de orientar, monitorar, dinamizar e avaliar, quando for o caso, as aprendizagens dos alunos. Ademais, este professor deve sugerir leituras ou atividades complementares, organizar as atividades de estudo, dentre outras tarefas. Resultados AVA do ISERJ no segmento de ensino superior Sala virtual - Produtores de conhecimento Aprender em liberdade: Em 2013 foi inaugurada a sala Produtores de conhecimento Aprender em liberdade por uma professora que tinha por intenção reunir todas as suas turmas na mesma sala para discutir conceitos gerais sobre educação escolar. Foi a primeira sala virtual criada no AVA do ISERJ. A ideia era criar um espaço de múltiplas interações e partilha do conhecimento, sem que para tal houvessem regras ou algum tipo de avaliação formal. Importante assinalar que a proposta desta sala virtual era estimular a autonomia dos alunos combinando criatividade e automotivação dos participantes. Foram cem alunos inscritos do curso de Pedagogia que estavam matriculados nas disciplinas de Didática do Ensino Fundamental I, Didática do Ensino Fundamental II e Informática Educativa. As discussões propostas possuíam adesão espontânea e 120 buscavam convergências entre as turmas, com alunos de diversos períodos cadastrados. Foi implementado apenas um fórum de discussão de caráter interdisciplinar - o Canteiro de ideias - e como a adesão era voluntária e os alunos do curso fazem por volta de dez disciplinas por semestre, muitos deles ocupando dois turnos para contemplar as exigências do curso, a professora que intencionava discutir assuntos pertinentes às três disciplinas e divulgar eventos e acontecimentos da área, não obteve o retorno condizente com sua expectativa. Cabe sublinhar que mesmo tendo passado por aulas de formação para o uso da plataforma Moodle os alunos tiveram dificuldades em localizar no ambiente a sala virtual e o espaço do fórum. Outro dado que pode ter contribuído para a baixa participação dos alunos no ambiente virtual se deve ao fato de que o laboratório de informática (no ano de 2013) ainda não estava estruturado para receber as turmas do ensino superior. Diante disso, os alunos necessariamente deveriam acessar o ambiente virtual em outros locais fora do ISERJ o que ocasionava impedimentos de ordens diversas. Ademais, alguns alunos indicaram que a baixa participação nas discussões do fórum foi em razão da ausência de nota, tendo em vista que a sala virtual Produtores de conhecimento Aprender em liberdade não tinha caráter avaliativo. Era um ambiente de compartilhamento de informações desvinculado da atividade avaliativa formal das disciplinas que estavam sendo oferecidas pela professora. De certa forma, acostumados a uma vivência pedagógica sob enfoque tradicional, as poucas contribuições dos alunos nas discussões do fórum não alcançaram o resultado desejado pela professora. A sala virtual Produtores de conhecimento Aprender em liberdade manteve-se ativa somente no ano de A seguir o relato de uma experiência semelhante, porém com caráter avaliativo, ocorreu no ano seguinte, em 2014, sob a coordenação de outra professora do ensino superior do ISERJ. Sala virtual - Informática Educativa, Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) e Pesquisa III: Em 2014, uma professora que atuava com as disciplinas Informática Educativa, Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) e Pesquisa III (disciplina onde os alunos constroem o projeto para o TCC), 121 cadastrou os alunos de suas turmas e, para as disciplinas que incluíam tecnologias propôs atividades avaliativas. Esta sala conta com cento e cinquenta e quatro alunos
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks