Small Business & Entrepreneurship

Eficiência de diferentes inseticidas aplicados no controle de Frankliniella occidentalis na cultura da alface ( Lactuca sativa

Description
Eficiência de diferentes inseticidas aplicados no controle de Frankliniella occidentalis na cultura da alface (Lactuca sativa L.) José Usan Torres Brandão Filho¹, Humberto Silva Santos¹, Paulo Francisco
Published
of 6
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
Eficiência de diferentes inseticidas aplicados no controle de Frankliniella occidentalis na cultura da alface (Lactuca sativa L.) José Usan Torres Brandão Filho¹, Humberto Silva Santos¹, Paulo Francisco Maraus 1, Shalene da Silva Santos 1, Ana Cláudia Buzanini 1 1 UEM Universidade Estadual de Maringá. Campus Universitário - Avenida Colombo, nº CEP Maringá Paraná. RESUMO A alface é uma hortaliça consumida mundialmente na forma de salada crua, e como acontece em outras hortaliças folhosas, é constantemente atacada por insetos que causam danos às plantas levando a depreciação da qualidade e perdas econômicas. Dentre essas pragas o tripes (Frankliniella occidentalis) representa grande potencial de danos à cultura tanto diretos como também danos indiretos. O presente trabalho foi realizado em área experimental localizada no campus da Universidade Estadual de Maringá, no município de Maringá, Estado do Paraná, no período de Março a Maio de 2010, utilizando-se mudas de alface cv. Vera. O objetivo foi avaliar o efeito inseticida e a eficiência agronômica de seis produtos, os quais, quatro doses de Clothianidin (500 g kg -1 ) (7,50; 10,0; 15,0 e 20,0 g i.a. 100L -1 ), cinco doses de Betacipermetrina (100 g L -1 ) (2,0; 3,0; 4,0; 5,0 e 6,0; g i.a. 100L -1 ), uma dose de Thiametoxan (250 g kg -1 ) (66 g i.a. 100L -1 ), uma dose de Imidacloprid (700 g kg -1 ) (36 g i.a. 100L -1 ), uma dose de Thiacloprid (480 g L -1 ) (20 g i.a. 100L -1 ) e uma dose de Malathion (500 g L -1 ) (150 g i.a. 100L -1 ), visando o controle de Frankliniella occidentalis, na cultura da alface. Os inseticidas Clothianidin (7,50; 10,0; 15,0 e 20,0 g.i.a. 100 L -1 ), Thiametoxan, Imidacloprid e Thiacloprid controlaram com boa eficiência o nível populacional de Frankliniella occidentalis, na cultura da alface, até aos 15 dias após a aplicação. O inseticida Betacipermetrina 100 g L -1, na maior dose avaliada (6,0 g i.a. 100L -1 ), foi eficiente no controle do tripes, na cultura da alface, até o quinto dia após a pulverização. PALAVRAS-CHAVE: Frankliniella occidentalis, controle químico, inseticidas. ABSTRACT Efficiency of different insecticides in the control of Frankliniella occidentalis in lettuce crop (Lactuca sativa L.) The lettuce is a vegetable consumed worldwide in raw salad form, and as other leafy vegetables, it is constantly attacked by insects that cause damages in the plants leading to quality depreciation and economic losses. Amongst these plagues, the thrips (Frankliniella occidentalis) represent great damage potential on the crop as direct and indirect damages. This study was carried out in an experimental area in the Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Paraná State, in the period from March to May 2011, using lettuce seedlings of cv. Vera. The objective was the evaluation of the insecticidal effect S1037 and the agronomic efficiency of six insecticides Clothianidin (7.50; 10.0; 15.0 and insecticides, which are four doses of Clothianidin (500 g kg -1 ) (7.50; 10.0; 15.0 and 20.0 g a.i. 100L -1 ), five doses of Betacipermetrina (100 g L -1 ) (2.0; 3.0; 4.0; 5.0; 6.0; g a.i. 100L -1 ), one dose of Thiametoxan (250 g kg -1 ) (66 g a.i. 100L -1 ), one dose of Imidacloprid (700 g kg -1 ) (36 g a.i. 100L -1 ), one dose of Thiacloprid (480 g L - 1 ) (20 g a.i. 100L -1 ) and one dose of Malathion (500 g L -1 ) (150 g a.i. 100L -1 ), aiming the control of Frankliniella occidentalis, in the lettuce crop. The 20.0 g a.i. 100 L -1 ), Thiametoxan, Imidacloprid and Thiacloprid controlled with good efficiency the population of Frankliniella occidentalis, on lettuce, until 15 days after spraying. The insecticide Betacipermetrina, in the highest dose evaluated (6.0 g a.i. 100L -1 ), was effective in the control of thrips on lettuce, until 5 days after spraying. Keywords: Frankliniella occidentalis, chemical control, insecticides. INTRODUÇÃO A alface (Lactuca sativa L.) originou-se de espécies silvestres, ainda atualmente encontradas em regiões de clima temperado, no sul da Europa e na Ásia ocidental (Filgueira 2000). Pertencente à família Cichoriaceae (Compositae), a alface é uma hortaliça mundialmente conhecida e consumida em forma de saladas sendo considerada a mais importante hortaliça folhosa. Apesar de ser uma hortaliça de clima ameno, pode ser cultivado praticamente o ano todo no Estado do Paraná. Várias tecnologias sementes melhoradas, irrigação, hidroponia, cultivo protegido, entre outras têm sido desenvolvidas no intuito de diminuir os riscos relacionados ao clima. Por outro lado, tem-se buscado melhorar a eficiência no controle das principais doenças e pragas que atacam a cultura. Como acontece em outras hortaliças folhosas, a alface também é constantemente atacada por insetos (pragas), que podem causar sérios prejuízos ao produtor, dentre eles, os tripes (Frankliniella occidentalis) (Pergande, 1895), (Thysanoptera, Thripidae) que é uma importante praga dessa cultura. F. occidentalis são pequenos insetos de coloração marrom-amarelada e asas franjadas. Espécie polífaga, sugador, quando o ataque é intenso, as folhas tornam-se amareladas e ressecadas. As estratégias de controle desta praga baseiam-se, predominantemente, em aplicações repetidas de inseticidas, até a redução da população a níveis aceitáveis. As injúrias causadas por tripes são devido à sucção de seiva, injeção de toxinas no sistema vascular das plantas e transmissão de doenças viróticas, levando ao surgimento de pontos necróticos nos locais das picadas e a lesões de brilho prateado em ataques intensos. (Gallo et al., 1988; Picanço & Marquini, 1999; Picanço et al., 2000). Desta forma, o objetivo do trabalho foi o de avaliar o efeito inseticida e a eficácia S1038 agronômica de diferentes produtos e doses para o controle de F. occidentallis em alta intensidade de infestação na cultura da alface para fins de recomendação de controle. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi realizado em área experimental localizada no campus da Universidade Estadual de Maringá, no município de Maringá, Estado do Paraná, no período de Março a Maio de Foram plantadas mudas de alface cultivar Vera produzidas em bandejas de polietileno expandido contendo substrato Plantmax. O plantio ocorreu em 09/03/2010 e a emergência se deu em 13/03/2010. O transplante foi realizado em 4 de abril de 2010, quando as mesmas se encontravam com 4 folhas, para canteiros com espaçamento de 0,30 m por 0,30 m. Foi realizada uma adubação de plantio na proporção de 60 kg de N/ha, 180 kg de P 2 O 5 /ha e 150 kg de K 2 O/ha. O controle de plantas daninhas no local do ensaio foi realizado por meio de capina manual quando necessário. A irrigação foi realizada por meio de aspersores, com volume de água e turno de rega necessária para suprir as necessidades da cultura. Durante a condução dos trabalhos não houve necessidade de controle químico de doenças foliares. O delineamento estatístico utilizado foi o de blocos ao acaso, com 14 tratamentos e 4 repetições. Cada parcela constiutiu-se de uma área de 20 m 2 (6,00 m de comprimento x 1,20 m de largura), totalizando 7,20 m 2 na área experimental, contendo 80 plantas. Foram consideradas como parcela útil as linhas centrais, desprezando-se as extremidades. Os tratamentos realizados consistiram em quatro doses de Clothianidin (500 g kg -1 ) (7,50; 10,0; 15,0 e 20,0 g i.a. 100L -1 ), cinco doses de Betacipermetrina (100 g L -1 ) (2,0; 3,0; 4,0; 5,0 e 6,0; g i.a. 100L - 1 ), uma dose de Thiametoxan (250 g kg -1 ) (66 g i.a. 100L -1 ), uma dose de Imidacloprid (700 g kg -1 ) (36 g i.a. 100L -1 ), uma dose de Thiacloprid (480 g L -1 ) (20 g i.a. 100L -1 ) e uma dose de Malathion (500 g L -1 ) (150 g i.a. 100L -1 ). O tratamento testemunha correspondeu às parcelas não pulverizadas. Foi realizada uma pulverização no dia 02/05/2010, com cada um dos respectivos tratamentos experimentais quando a cultura encontrava-se em pleno desenvolvimento vegetativo e com infestação da praga. Para as avaliações, foi realizada a contagem do número de insetos vivos encontrados em 10 folhas tomadas da parcela útil. O total da parcela representou a média no número de insetos encontrados. Foram realizadas 6 avaliações dos tratamentos, sendo a primeira uma avaliação prévia momentos antes da aplicação e as demais com 1, 5, 10 e 15 dias após aplicação. Para a aplicação foi utilizado um pulverizador costal pressurizado à base de CO 2, equipado com bico cônico D2-13, calibrado para pressão constante de 35 PSI, o que permitiu uma vazão de 600 L de calda inseticida por hectare. Os resultados foram submetidos à análise de variância. Os dados originais foram transformados de acordo com a recomendação do teste de homocedasticidade (Box & Cox, 1964) e, em seguida, as médias comparadas entre si por meio do teste de Tukey, em nível de 5% de probabilidade, de acordo com Canteri et al. (2001). As S1039 porcentagens de eficiência dos inseticidas testados foram calculadas pela fórmula de Abbott, de acordo com Nakano et al. (1981), sendo considerados eficazes os tratamentos que superaram os 80%. RESULTADOS E DISCUSSÃO Segundo os dados analisados e apresentados na Tabela 1, na avaliação realizada 1 dia após a aplicação (1 DAA) pode-se observar que todos os tratamentos experimentais se diferenciaram em relação à testemunha, apresentando redução significativa da infestação da praga em um período curto após os tratamentos, sendo que as duas maiores doses de Clothianidin (15,0 e 20,0 g i.a. 100 L -1 ), Thiametoxan (66,0 g i.a. 100 L -1 ) e Imidacloprid (36,0 g i.a. 100 L -1 ) se diferenciaram dos demais tratamentos apresentando o controle mais expressivo da praga 1 dia após os tratamentos. O produto Malathion (150,0 g i.a. 100 L -1 ) diferiu da testemunha apenas na avaliação ao 1 DAA, não apresentado controle significativo nas demais avaliações. Aos 5 DAA todos os tratamentos se diferenciaram da testemunha, exceto Malathion (150,0 g i.a. 100 L -1 ). Os tratamentos Clothianidin (10,0; 15,0 e 20,0 g i.a. 100 L -1 ), Thiametoxan, Imidacloprid e Thiacloprid se diferenciaram de Betacipermetrina (2,0; 3,0; 4,0; 5,0; e 6,0 g i.a. 100 L -1 ) e apresentaram controle acima de 80 %. Nesta avaliação, apesar de todas as doses de Betacipermetrina haverem se diferenciado da testemunha, apenas a maior dose (6,0 g i.a. 100 L -1 ) apresentou controle acima de 80 %. Nas avaliações aos 10 DAA e aos 15 DAA os tratamentos Clothianidin (7,50; 10,0; 15,0 e 20,0 g i.a. 100 L -1 ), Thiametoxan, Imidacloprid e Thiacloprid se diferenciaram dos demais tratamentos e mantiveram o nível de controle acima de 80 %, indicando grande residual de controle da praga na cultura, enquanto Betacipermetrina (2,0; 3,0; 4,0; 5,0; e 6,0 g i.a. 100 L -1 ) e Malathion não mais tiveram efeito expressivo sobre o controle da praga. Dessa forma, nas condições em que o trabalho foi realizado, Foi possível observar um controle mais eficiente e mais duradouro dos inseticidas do grupo dos neonicotinóides, sendo Clothianidin, Thiametoxan, Imidacloprid e Thiacloprid, em relação ao piretróide Betacipermetrina e ao organofosforado Malathion no o controle de Frankliniella occidentallis na cultura da alface. REFERÊNCIAS FILGUEIRA, F.A.R. Novo Manual de Olericultura: Agrotecnologia Moderna na Produção e Comercialização de Hortaliças. Viçosa: UFV, p. NAKANO, O.; SILVEIRA NETO, S.; ZUCCHI, R.A. Entomologia Econômica. São Paulo: Livroceres, 1981, 314p. S1040 GALLO, D.; NAKANO, O.; SILVEIRA NETO, S.; CARVALHO, R.P.L.; BATISTA, G.C.; BERTI FILHO, E.; PARRA, J.P.R; ZUCCHI, R.A.; ALVES, S.B.; VENDRAMIM, J.D. Manual de Entomologia Agrícola. 2ª ed. São Paulo: Agronômica Ceres, p. PICANÇO, M.C.; MARQUINI, F. Manejo integrado de pragas de hortaliças em ambiente protegido. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 20, n. 200/201, p , PICANÇO, M.C.; GUSMÃO, M.R.; GALVAN, T.L. Manejo integrado de pragas de hortaliças In: ZAMBOLIM, L. ed. Manejo integrado de doenças, pragas e ervas daninhas. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2000, v. 2, p S1041 FILHO, JUTB; SANTOS, HB; MARAUS, PF; SANTOS, SS; BUZANINI, AC Eficiência de diferentes inseticidas aplicados no controle de Frankliniella occidentalis na cultura da alface Tabela 1- Média do número de insetos encontrados vivos por parcela (M) e porcentagem de eficiência (%Ef) de inseticidas pulverizados na cultura da alface, visando o controle Frankliniella occidentallis. Maringá - PR, [Average number of insects found alive per plot (M) and percentage of efficiency (%Ef) of insecticides sprayed on lettuce crop to control of Frankliniella occidentallis. Maringá - PR, 2010.] Tratamentos Doses (g i.a./100 L) Média do número de insetos vivos Prévia 1 DAA* 5 DAA 10 DAA 15 DAA M 1 %Ef M %Ef M %Ef M %Ef 1 Clothianidin 7,50 13,50 a 4,25 b 79,9 2,00 bc 93,1 3,00 b 91,3 2,75 b 94,0 2 Clothianidin 10,0 9,00 a 2,50 bc 88,2 1,25 c 95,7 1,50 c 95,7 2,25 b 95,1 3 Clothianidin 15,0 10,50 a 0,25 c 98,8 0,50 c 98,3 0,75 c 97,8 1,75 bc 96,2 4 Clothianidin 20,0 12,75 a 0,50 c 97,6 0,25 c 99,1 1,00 c 97,1 1,75 bc 96,2 5 Thiametoxan 66,0 10,00 a 0,75 c 96,5 0,75 c 97,4 1,00 c 97,1 1,50 c 96,7 6 Imidacloprid 36,0 9,75 a 0,75 c 96,5 1,00 c 96,5 1,25 c 96,4 2,00 bc 95,6 7 Thiacloprid 20,0 10,50 a 1,25 bc 94,1 0,50 c 98,3 1,75 bc 94,9 2,25 b 95,1 8 Betacipermetrina 2,0 18,08 a 4,17 b 80,3 9,63 b 66,7 15,83 a 54,1 17,25 a 62,1 9 Betacipermetrina 3,0 20,50 a 4,58 b 78,4 9,38 b 67,5 13,71 a 60,3 15,3 a 66,4 10 Betacipermetrina 4,0 23,00 a 3,79 b 82,1 8,17 b 71,7 11,46 a 66,8 12,14 a 73,3 11 Betacipermetrina 5,0 17,86 a 4,00 b 81,1 7,71 b 73,3 11,71 a 66,1 12,00 a 73,6 12 Betacipermetrina 6,0 15,25 a 3,96 b 81,3 5,58 b 80,7 10,25 a 70,3 10,56 a 76,8 13 Malathion 150,0 19,62 a 7,08 b 66,6 12,46 a 56,9 16,96 a 50,9 16,98 a 62,7 14 Testemunha 22,42 a 21,18 a -- 28,89 a -- 34,52 a -- 45,54 a -- CV (%) 24,94 24,57 43,51 66,13 66,33 1/ Médias do número de insetos encontrados vivos em 4 plantas por parcela, nas quatro repetições. Médias seguidas de mesma letra nas colunas, não diferem entre si, pelo teste de Tukey, em nível de 5% de probabilidade. 1/ [Average number of live insects found in four plants per plot in four replications. Averages followed by same letter in columns do not differ by Tukey test at 5% probability.] 2/ Porcentagens de eficiência, calculadas de acordo com a fórmula de Abbott. 2/ [Efficiency percentage calculated according to Abbott formula.] * / Dias após a aplicação. * / [Days after spraying.] S1042
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks