Documents

Fichamento de HALL, Stuart. a Identidade Cultural Na Pós Modernidade.

Description
Fichamento de HALL, Stuart. a Identidade Cultural Na Pós Modernidade
Categories
Published
of 4
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Estrutura do texto: Tópicos importantes: a crise de identidade - O argumento que versa sobre o colapso das identidades - - a globalização como um aspecto da modernidade tardia - as descontinuidades - a identidade não fixa - a concepção de sujeito do iluminismo - a concepção de sujeito sociológico - a concepção de sujeito pós-moderno - o indivduo em descartes - o sujeito em !oc - O indivduo sociológico por meio da literatura - #aptulos: $ % identidade em questão - tr&s concepç'es de identidade - O car(ter da mudança na modernidade tardia - O que est( em jogo na questão da identidade - -  )ascimento e morte do sujeito moderno - *escentrando o sujeito - %s culturas nacionaiscomo comunidades imaginadas - )arrando uma nação: uma continuidade imaginada - desconstruindo a cultura nacional: identidade e diferença - +lobalização: compressão deespaço-tempo e identidade ,m direção ao pós-moderno global - O global o local e o retorna da etnia - a dial.tica das identidades - Ordem lógica: pg /$ o autor afirma que explorar( como o sujeito do iluminismo tornou-se o sujeito sociológico e como esse tornou-se o sujeito pós-moderno - Anotações durante a leitura: #apa: 0ma mudança cultural est( fragmentando as diversas identidades: classe sexualidade etnia raça e nacionalidade - passamos por uma crise na identidade -  pg 1 - )as ci&ncias sociais existe um intenso debate sobre a identidade - O livro . simp(tico ao lado que afirma a exist&ncia da crise de identidade de que elas estão fragmentando-se - 2 - não existe consenso dentro da ci&ncias sociais sobre a questão da identidade - )ão se busca fazer afirmaç'es conclusivas - 3 - % perda do sentido de si . c4amada deslocamento do sujeito - ,sse processo nos compele a perguntar se não . a modernidade que est( sendo transformada -$5 - O presente livro acrescenta o argumento de que tamb.m somos pós assim como aquele mundo que . descrito como pós-moderno - O autor distinguir( tr&s concepç'es do indivduo: a6 o sujeito do iluminismo b6 o sujeito sociológico c6 o sujeito pós-moderno - $$ - O sujeito sociológico refletia a complexidade do mundo moderno7 O sujeito não eraauto suficiente ele formava-se atrav.s de sua relação com os outros atrav.s da incorporação de valores7 O eu seria formado pela interação com a sociedade7 ,ssa identidade preenc4e o mundo individual e o mundo p8blico7 ,ssa identidade costura o sujeito 9 estrutura - $/ - ,sse sujeito com uma unidade est(vel est( se tornando fragmentado por vezes composto de v(rias identidade e não resolvidas - ,ssas mudanças na identidade são resultados de mudanças estruturais e institucionais7 ,sse processo produz o sujeito pós-moderno - O sujeito pós-moderno não tem uma identidade fixa ou permanente - % identidade torna-se uma celebração móvel - $ - ;e sentirmos que temos uma identidade unificada . porque construmos uma c<moda narrativa sobre o eu - % medida em que o sistemas de significação se multiplicam entramos em contato com novas maneiras de se formar uma identidade - tais concepç'es de sujeito são simplificaç'es7 ,las são pontos de apoio para desenvolver o argumento do livro -  $= - % globalização . outro aspecto da modernidade tardia - % mudança constante . o  principal meio de distinção entre as sociedades modernas e as tradicionais como afirma >arx tudo que . sólido se desmanc4a no ar - )as sociedades tradicionais os smbolo e o passado . venerado porque perpetua a experi&ncia de geraç'es7 % tradição . um meio de lidar com o espaço - $? - ;egundo +iddens a modernidade nos livrou dos diversos tipos tradicionais de ordem social - $1 - % modernidade tardia . caracterizada pela diferença ela produz uma diversidade desujeitos7 de identidades - ;em a natureza aberta da identidade não 4averia nen4uma 4istória - 0m representante negro de @us4 na suprema corte norte americana recebeu apoio dos corservadores por defender concepç'es conservadores e dos negros mais liberal por ser negro -/5 - nesse caso as identidades eram contraditórias/$ - Os movimentos sociais muitas vezes advem de derivaç'es de identidades mestras - /A - %s transformaç'es da modernidade libertaram os indivduos das estruturas est(veis na tradição7 %creditava-se antes que eram divinamente estabelecidas e portanto impossvel de serem alteradas - /? - O protestantismo contribuiu para instituição da nova identidade separando o indivduo das instituiç'es religiosas o renacentismo colocou o 4omem no centro do universo e a revolução cientfica trouxe ao 4omem a capacidade de inquirir o iluminismo libertou o 4omem do dogma - /1 - *escartes acertou as contas com deus depois de o estabelecer como o primeiro movimentador de toda a criação - *escartes estabeleceu duas substBncias a substBncia espacial Cmat.ria6 e a substBncia pensante Cmente6 - *escartes categorizou o indivduo  perante sua capacidade de pensar - O sujeito racional pensante e consciente ficou con4ecido como sujeito cartesiano - /3 - !eibniz posulou o indivduo como m<nada a partir do qual outras categorias inclusive as coletivas eram derivadas - )o s.culo DEFFF era possvel pensar o sujeito inteiramente centrado no sujeito-da-razão - 5 - *ois elementos contribuiram para estabelecer uma nova concepção de sujeito: a  biologia darGiniana e o surgimento das novas ci&ncias sociais - / - ,ssa concepção de indivduo trazia uma reciprocidade est(vel entre o interior e exterior - = - O que aconteceu com o sujeito modernou não foi sua fragmentação tal como o sujeito pós-moderno mas sim seu deslocamento - foram cinco elementos surgidos na ci&ncia 4umana que abalaram o sujeito moderno - O primeiro elemento foi o  pensamento marxista - A - Os pensadores do s.culo DD entenderam o materialismo dial.tico como a impossibilidade de qualquer ag&ncia individual os indivduos não poderiam de forma alguma serem autores da 4istória - >arx colocou duas proposiç'es c4ave para categoria moderna de indivduo: o 4omem tem uma ess&ncia e essa ess&ncia . caracterstica 8nica de cada um - >arx expulsou as categorias filosóficas do sujeito do empirismo  ele rejeito o indivduo com necessidades definidas da economia cl(ssica -? - %lt4usser era um anti-4umanista ele pensava opostamente as teoria que derivavam do raciocnio alguma ess&ncia universal do 4omem - o segundo grande descentramento vem da descoberta do inconsciente por Hreud - % estrutura de desejos que forma o inconsciente arrasa com o conceito de penso logo existo 1 - %lt4usser tomou a imagem da formação do eu em !acan para explicar a ideologia - ;egundo !acan a entrada do eu no ol4ar dos outros introduz a criança no sistema  simbólico - % identidade . algo formado ao longo do tempo - %s partes masculinas do eu feminino são negadas - 2 - 4oje os trabal4os de Hreud !acan e outros psicanalistas tem sido muito questionados - =5 - O terceiro descentramento adv.m do trabal4o do lingusta ;aussure - )ós não somos em nen4um sentido autores das afirmaç'es que fazemos - Halar uma lngua significa ativar a imensidão de significados contidos em uma lngua - o significado das  palavras não são fixos - =$ - surgirão sempre novos significados que que subverterão a tentativa de criar um mundo fixo e est(vel - O quarto descentramento advem de >ic4el Houcalt -=/ - Houcalt produziu uma genealogia do sujeito moderno - Foucalt destaca um novo tipo de poder: o poder disciplinar. Em primeiro lugar esse poder se preocupa com o regulação, em segundo lugar com o corpo. As instituições que surgiram no século (quarteis, hospitais, escolas e assim por diante ! ! disciplinam o indiv#duo moderno $ % poder disciplinar individuali&a o su'eito $  = - 0m imenso aparato document(rio . parte do poder - O quinto proponente dessa  posição . o impacto do feminismo - O feminismo faz parte dos novos movimentos sociais que surgiram nos anos ?5 - =A - O feminismo teve uma ligação mais centra com o descentramento do sujeito sociológico e cartesiano - O feminismo questionou a categoria privado e p8blico seu sloan era o pessoal . p8blico 7 ,le abriu camin4o para o questionamento da famlia da sexualidade do trabal4o dom.stico etc7 ,le enfatizou como somos produzidos como sujeito generificados7 ,le politizou o processo de identificação - =1 - )o mundo moderno a cultura nacional . forte fonte de identidade - ,ssas identidade não estão expressas em nossos genes mas pensamos nelas como se fossem  parte de nossa natureza - =2 - O argumento do autor . que são constitudas no interior da representação - =3 - 0ma cultura nacional implica uma alfabetização nacional assim como um lngua -A - 0ma cultura nacional . um discurso7 ,sse discurso influ&ncia tanto nossas aç'es quanto a concepção que temos de nós mesmos7 %s culturas nacionais constroem as identidades - % diferença entre as naç'es residem nas diferenças em que elas são  pensadas - A= - Tradição inventada significa um conjunto de pr(ticas de natureza ritual ou simbólica que buscam inculcar certos valores e normas que buscam inculcar de comportamento atrav.s da repetição ao qual automaticamente implica um passado 4istórica adequado - O mito fundacional . outro exemplo de narrativa nacional - A1 - )a europa oriental algumas (reas reafirmaram sua identidade anscional7 ,las  podem estar usando a nação como meio de competir com outras naç'es7 ?$ - %s identidades nacionais são generificadas - ?= - ,nfrenamos um racismo que evita ser recon4ecido como tal pois alin4a raça com nacionalidade - I construda uma ideia de nacionalidade baseada em uma branquitude eternamente vulner(vel ao ataque de inimigos externos - ?1 - Atualmente a gloali&ação est) deslocando as identidades nacionais  - A gloali&ação implica em um distanciamento da ideia cl)ssica do que é a sociedade  - ?2 - % globalização não . um fen<meno recente7 % modernidade foi inteiramente globalizante - O capitalismo foi uma tend&ncia da economia global pois o capital sempre buscou transgredir a economia nacional - *es dos anos 15 a integração das naç'es aumentaram - a globalização traz tr&s consequ&ncias: $6 desintegração das  identidades nacionais /6 identidades locais estão se reforçando atrav.s da globalização 6 as identidade 4Jbridas estão tomando o lugar das identidades nacionais - 15 - #ada sociedade modela a relação tempo e espaço de maneira diferente1/ - ;egundo +uiddens a modernidade separa cada vez mais o espaço do lugar ao reforçar a relação com ausentes - O espaço pode ser cruzado atrav.s de um jato ou sat.lite KarveJ caracteriza isso como destruição do espaço atrav.s do tempo 1 - %lguns afirmam que o efeito dos processos globais . solapar as identidades cultural- %s identidade nacionais tem se mostrado fortes mas as identidades locais regionais e comunit(rias tem se tornado impotentes - 1= - %s pessoas subalternas na rede da mundialização tendem a na privacidade de suas casas receber mensagens que valorize a cultura rica consumista 1A - ;omos confrontados por uma gama de identidades de maneira que nos parece  possvel fazer uma escol4a7 % difusão do consumismo possibilitou esse efeito de supermercado cultural - 11 - %o lado da 4omogeinização global existe uma mercantilização do .tnico - 12 - O capitalismo global . um processo de ocidentalização -2$ - O movimento de mercadorias de estilo ocidental da identidade consumista existe tem correspond&ncia com um enorme n8mero de pessoas para o centro - 2= - % globalização alargou o campo das identidades e a polarização entre elas -2= - % *ortalecimento das identidades locais é uma reação de*ensiva  daqueles que sentem-se ameaçados por outras culturas Cessa etnização ocorre entre os ;trom #loac6 2? - Outra consequ&ncia da globalização . a produção de novas identidades - 22 - % tradução descreve formaç'es de identidades de pessoas dispersadas para sempre de sua terra natal -23 - % cultura 4ibrida constitui uma das formas de identidade propiciadas pela modernidade tardia - 3$ - %lguns colocam-se a favor e outros contra o 4ibidismo ou como tamb.m . c4amada sincretismo7 Trata-se da fusão de diferentes culturas - O autor de FslB e o Lrofeta >aom. versos satãnicos acusado de blasf&mia foi acusado de morte pela ortodoxia islBmica por te-los ofendido - Lor outro lado existe a tentativa de restaurar identidades purificadas - 3 - Os estados balticos a !et<nia a !ituBnia a ,st<nia em .pica da dissolução da 0M;; tem a ambição de criarem estados nacionais7 O mesmo ocorreu depois da  primeira guerra mundial com a ,uropa #entral - ,ssa união . buscada tanto no Bmbito .tnico quanto religioso - 3= - Outro fen<meno importante . o fundamentalismo começando com a Mevolução Franiana estão surgindo v(rios pases fundamentalistas - O fundamentalismo Franiano foi uma resposta a adoção forçada do D( de modelos e valores ocidentais - 3A - % reafirmação de ortodoxias e de razes culturais tem sido poderosas fontes de contra-identificação em muitas sociedades e regi'es pós-coloniais - 31 - +anto o marxismo, quanto o lieralismo que ao apego ao local daria ve& e valor a uma identidade universal  -
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks