Health & Medicine

Livro de educação para a saúde. Rodrigues, MA

Description
Este texto está estruturado em cinco capítulos principais: Educar para a saúde no Séc. XXI; Experiências inovadoras na formação de educadores de saúde; Teorias e modelos com aplicação em educação para a saúde; Educação para a saúde na prática; Investigação em educação para a saúde.
Published
of 111
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
    Autores: Rodrigues, M; Pereira, A; Barroso, T  Livro: cópia pre ediçãoVer referência srcinal SUMÁRIO  PRÓLOGOINTRODUÇÃO1 – EDUCAR PARA A SAÚDE NO SEC XXI1.1 – Educação para a Saúde1.2 – O foco da educação para a saúde1.3 - Algumas questões de saúde pública a dimensão ecológica1.4 – O campo teórico da educação para a saúde1.5 – Quem são os educadores de saúde2 – EXPERIÊNCIAS INOVADORAS NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES DESAÚDE2.1 – Experiência de organização, coordenação e avaliação de formação pós graduadaem pedagogia da saúde2.2 – Formação de educadores de saúde: pressupostos pedagógicos2.3 – Experiência na formação de profissionais de enfermagem em pedagogia da saúde2.4 –  Empowerment na promoção da saúde: conceito e práticas3 – TEORIAS E MODELOS COM APLICAÇÃO EM EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE3.1 – Teorias de educação para a saúde3.2 – Modelos de educação para a saúde4 – EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE NA PRÁTICA4.1 – Aprender a planear, executar e avaliar sessões de educação para a saúde4.2 – Aprender a planear, desenvolver e avaliar programas de intervenção estratégicacontextualizada    5 – INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE5.1 – A educação para a saúde, linha prioritária de investigação5.2 – Desenho de um projecto de investigação científica em educação para a saúdeCONCLUSÃO E PERSPECTIVASINTRODUÇÃO Como gerir esse precioso bem que é a saúde dos indivíduos, neste século XXI? Esta é uma questão que hoje mais que nunca deve merecer a atenção das organizações,das famílias, dos profissionais de saúde e de educação. Em boa verdade nunca soubemos tantosobre saúde como hoje, e no entanto, constata-se que um grande número dos problemas desaúde continua a resultar de acções directas e por vezes intencionais dos Homens.Embora se afirme teoricamente a concordância com o dito popular não há dinheiroque pague a saúde , na prática esquece-se frequentemente este princípio quando se colocaminteresses comuns acima de importantes necessidades de saúde e desenvolvimento. Alguémencontrou uma expressão interessantíssima para descrever esta realidade indesmentível, “passamos metade da nossa vida a perder a saúde para ganhar dinheiro e a outra metade agastar o dinheiro para recuperar a saúde”. Cada cidadão é  actor e  autor de um percurso de vida, com implicações nas pessoas enos contextos com os quais interage. A leitura que cada um faz de si e do mundo, édeterminante para a forma como assume a responsabilidade social de contribuir para o bemcomum. Nesta medida, as  políticas de saúde e de educação devem estar centradas noscidadãos, assumindo a visão prioritária de investir na sua educação e desenvolvimentosaudável ao longo da vida.A educação é determinante para a construção da cidadania e a apropriação dascompetências transformadoras e criadoras de condições de vida saudável na Terra. Educação  3 e Saúde são duas vertentes indissociáveis, se a educação falhar, quem ganha é a psiquiatria,referiu Cury (2005)   na sua obra “Pais brilhantes, professores fascinantes”. Neste livro pretendemos por um lado colocar a ênfase na  promoção e educação para asaúde, e por outro enfatizar a importância da pedagogia da saúde, da psicologia da saúde edas ciências da saúde em geral, as quais permitem a aplicação sistemática e eficaz dosprincípios educativos, numa perspectiva de mudança positiva das atitudes e comportamentosde saúde das pessoas.Com base na experiência de docência, damos especial relevo à necessidade de  formação pedagógica daqueles que têm a missão de ajudar os outros a viver com melhor educação esaúde. Emergem assim os conceitos de “educador de saúde” e de “formação pedagógica deeducadores de saúde”, conceitos que descrevemos e analisamos sob diversas vertentes aolongo do texto.Esperamos que este livro cumpra uma função educativa, sirva de guia para a formaçãode estudantes e profissionais interessados na prevenção e promoção da saúde e abra pistas dediálogo entre interessados, sobre educação, investigação e intervenção em educação para asaúde. O texto está estruturado em cinco capítulos principais:  Educar para a saúde no Séc. XXI; Experiências inovadoras na formação de educadores de saúde; Teorias e modelos com aplicação em educação para a saúde; Educação para a saúde na prática; Investigação em educação para a saúde .    1 - EDUCAR PARA A SAÚDE NO SÉCULO XXI A obtenção de consensos na luta por melhores condições de vida na terra, dependemuito do valor e do significado atribuído à saúde .   O conceito de saúde é um dos maispronunciados, no entanto, não é fácil de precisar, uma vez que está relacionado com apercepção que cada pessoa ou comunidade tem num determinado momento e contexto, edepende de crenças relacionadas com a vida, o sofrimento e o significado da morte. Turabiáne Franco (2001, pág. 18), expressam esta dificuldade de conceptualização e afirmam que asaúde é uma abstracção, uma vez que não existe senão «a minha saúde», «a tua saúde»... “ asaúde é a capacidade de apropriação por parte do ser humano do seu próprio corpo e acapacidade de integrá-lo no  projecto autónomo de vida que cada um forja” . A saúde de cada pessoa depende do seu  projecto vida , do seu sentido de felicidadee da sua forma específica de estar no mundo. Na   literatura científica, o conceito de saúde tem evoluído ao longo dos tempos; a   Organização Mundial de Saúde (1948), na sua carta fundamental, definiu saúde como umestado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas ausência de doença.Embora esta definição não seja perfeita, dado o carácter específico e pessoal da percepção dedoença e também porque, na vida, tudo flui e nada está completo ou determinado em termosde mudança e desenvolvimento humano, o facto é que, ao explicitar-se que não é possíveldefinir “estado de saúde” apenas pela demonstração da “ausência de doença”, sublinha-seuma nova abordagem conceptual e uma clara viragem de paradigma, a qual reformula aposição do modelo biomédico tradicional e concebe a saúde como um complexo equilíbriodinâmico entre múltiplos factores.
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x