Science

Manejo das plantas daninhas na cultura de batata

Description
Na implantação de uma área agrícola através de um sistema de cultivo, há sérias e significativas transformações nos subsistemas geomórfico, edáfico e biológico, tornando-os mais simples (agroecossistema), em comparação com o ecossistema, este, um sistema mais complexo. Esta transformação resulta na diminuição drástica da capacidade de auto-regulação do sistema, tornando-o, assim, mais instável e susceptí- vel a entradas de energia. Uma das principais conseqüências desta transformação é o aumento exagerado das populações de determinadas espécies de insetos, microrganismos, nematóides e plantas silvestres, de tal forma a comprometer de modo significativo a produção, inviabilizando economicamente as unidades produtivas e, sendo assim são denominadas de pragas agrícolas (BLANCO, 1997). Especificamente, quando as plantas silvestres interferem com as plantas cultivadas, estas se tornam daninhas, que diferentemente de outras pragas agrícolas, têm por característica, estarem sempre presentes nos agroecossistemas e serem responsáveis direta (competição, alelopatia etc.) ou indiretamente (reservatório de patógenos, atrativas para insetos-praga etc.) pela diminuição drástica na produção econômica das culturas.
Categories
Published
of 6
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. 19 Biológico, São Paulo, v.70, n.1, p.19-24, jan./jun., 2008 Manejo das plantas daninhas na cultura de batata.DIVULGAÇÃO TÉCNICA MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DE BATATA F.M.G. Blanco Instituto Biológico, Centro Experimental Central, CP 70, CEP 13001-970, Campinas, SP, Brasil. E-mail: garciablanco@biologico.sp.gov.br RESUMO As plantas daninhas prejudicam a produção comercial da cultura da batata. O plantio desta cultura é complexo favorecendo a infestação de diversos grupos de plantas daninhas. No artigo é descrito os diversos métodos de controle desta classe de plantas: preventivo, cultural, capina e químico (herbicidas), com ênfase ao manejo integrado. PALAVRAS-CHAVE: Batata, plantas daninhas, controle, manejo, herbicidas. ABSTRACT WEEDCONTROLMETHODSINPOTATOES.Theweedscausedamagethecommercialproduction ofthepotatocrop.Theplantationofthiscultureiscomplexfavoringtheinfestationofdiversegroups of weeds. In the article has described the diverse methods of control of these plants: preventive, cultural, weeding and chemistry (herbicides), with emphasis to the integrated control. KEY WORDS: Potato, weed management, control, herbicides. Na implantação de uma área agrícola através de umsistemadecultivo,hásériasesignificativastrans- formações nos subsistemas geomórfico, edáfico e bi- ológico,tornando-osmaissimples(agroecossistema), em comparação com o ecossistema, este, um sistema mais complexo. Esta transformação resulta na dimi- nuição drástica da capacidade de auto-regulação do sistema, tornando-o, assim, mais instável e susceptí- vel a entradas de energia. Uma das principais conse- qüênciasdestatransformaçãoéoaumentoexagerado das populações de determinadas espécies de insetos, microrganismos, nematóides e plantas silvestres, de tal forma a comprometer de modo significativo a produção,inviabilizandoeconomicamenteasunida- des produtivas e, sendo assim são denominadas de pragas agrícolas (BLANCO, 1997). Especificamente, quando as plantas silvestres in- terferem com as plantas cultivadas, estas se tornam daninhas,quediferentementedeoutraspragasagríco- las, têm por característica, estaremsemprepresentesnos agroecossistemaseseremresponsáveisdireta(compe- tição,alelopatiaetc.)ouindiretamente(reservatóriode patógenos,atrativasparainsetos-pragaetc.)peladimi- nuição drástica na produção econômica das culturas. Interações entre a cultura da batata e as plantas daninhas A cultura da batata pertence à família botânica Solanácea,etemaproduçãoafetadapelaconvivência com as plantas daninhas, quer seja pela queda na produção, ou quando estas são reservatórios de nematóides ou abrigos para insetos-praga e doenças. A batata é uma cultura que pode ser irrigada, e assim,sercultivadadurantetodooanoemtrêsépocas distintas: “das águas”, “das secas” e “de inverno”; plantada nos meses de agosto a outubro, janeiro a março e abril a junho, respectivamente. Em função destadiversidadenascondiçõesclimáticaseedáficas a flora daninha associada a esta cultura é muito variável. Geralmente as principais plantas daninhas associadas à cultura, divididas em grupos botânicos são (GELMINI & CHRISTOFFOLETI 1997, modificado): a) Monocotiledôneas • Gramíneas: capim-marmelada (Brachiaria plantaginea), capim-carrapicho (Cenchrus echinatus), capim-colchão (Digitaria horizontalis), capim-pé-de- galinha (Eleusineindica),capim-arroz(Echinochloasp.), capim-braquiaria (Brachiaria decumbens). • Comelina: trapoeraba (Commelina benghalensis). • Cyperacea: tiririca (Cyperus rotundus). b) Dicotiledôneas: mentrasto (Ageratum conyzoides), picão-preto (Bidens pilosa), falsa-serralha (Eleusine indica), picão-branco (Galinsoga parviflora), macela (Gnaphallium spicatum), mentruz (Lepidium virginicum), maria-pretinha (Solanum americanum), poáia-branca (Richardia bransiliensis), beldroega (Portulaca oleraceae); guanxuma (Sida sp.), mastruço (Coronopus didymus), serralha (Sonchus olraceus) e caruru (Amaranthus sp.).
  • 2. 20 Biológico, São Paulo, v.70, n.1, p.19-24, jan./jun., 2008 F.M.G. Blanco Na realidade em todo o manejo da cultura da batata,desdeopreparodosoloparaoplantioatéasua colheita, devem-se tomar ações para o controle das plantas daninhas, assegurando assim, que todo po- tencialprodutivodacultura,obtidoemváriosanosde pesquisas no campo fitotécnico, nutricional e melho- ramento vegetal possa se expressar na sua produção máxima. Aculturadabatataapresentaalgumascaracterís- ticas próprias de desenvolvimento e de manejo que, influenciadas pelas condições climáticas, determi- nam à intensidade da interferência das plantas dani- nhas na cultura, dentre as quais destacamos: • aculturadabatataémuitoprejudicadapordiversas doenças e ataques de insetos-praga, chegando em muitos casos inviabilizar economicamente novos plantios da cultura na mesma área, em função disto, écomumarealizaçãodeplantiosemlocaisdiferentes. Éimperativo,antesdainstalaçãodacultura,recense- ar as plantas daninhas, verificando as de maior fre- qüência e abundância e quais herbicidas foram utili- zados nas culturas antecessoras, garantindo assim o plantio da batata em locais livre de resíduos de herbicidas que possam ser fitotóxico, e iniciar um programa de manejo em função da flora daninha encontrada na nova área. •nestaculturadá-semuitaimportânciaaopreparodo solo, pois influencia de forma significativa na produ- ção, deve ser profundo com grande movimentação e revolvimento do solo, trazendo para superfície do solo propágulos das plantas daninhas que estavam nas camadas mais profundas. Nesta nova condição, há quebra de dormência destes propágulos, princi- palmente em função da exposição à luz e maior am- plitude térmica diária, podendo em muitos casos, haver uma “explosão” populacional de uma nova comunidade florística. • não plantar em áreas que apresentem plantas daninhas de reprodução assexuada, como a tiririca (Cyperus rotundus)eagrama-seda(Cynodondactylon), pois os processos de preparo de solo causam a sepa- ração mecânica com a individualização de rizomas e tubérculos,nesterompimentoháquebradedormência e germinação de cada um destes, multiplicando em várias vezes a população original. • uma característica própria da cultura é o plantio de tubérculos, que demoram mais para germinar, quan- do comparados às sementes. Em função disto, há atraso no fechamento e sombreamento das entreli- nhas, favorecendo assim, no período inicial da cultu- ra, o primeiro fluxo de germinação das plantas dani- nhas, que devem ser controladas. • a partir do estádio de enchimento dos tubérculos, devido ao declínio natural da cultura e ataque de insetos-praga e doenças, há desfolha das ramas e conseqüentemente uma maior entrada de luz nas entrelinhas da cultura ocorrendo um fluxo de emer- gência tardio que não afeta a cultura, não havendo necessidade de qualquer intervenção de controle. Métodos de controle Didaticamente, pode-se dividir o controle em di- versos métodos: preventivo, cultural, capinas e quí- mico. Objetivando a redução de custo com a minimização do risco de contaminação ambiental com uma maximização no controle das plantas dani- nhas, as ações destes métodos devem ser tomadas de forma planejada e conjunta o manejo integrado da planta daninha. Método preventivo O objetivo deste método é tomar ações que impe- çam a entrada de novas comunidades florísticas na área de plantio, introduzidas pelos diversos tratos culturais pertinentes a cultura. Na cultura da batata a realização de plantios em locaisdiferenteséumapráticacomum.Nestetrânsito do maquinário entre as áreas pode ocorrer uma con- taminação de propágulos sexuados (sementes), ou assexuados (estolões, rizomas e tubérculos), aderido à terra presente nos equipamentos e implementos agrícolas.Amelhormaneiradeevitarestacontamina- ção é a realização de uma lavagem criteriosa dos implementos e tratores retirando a terra aderida aos mesmos. Outrocuidadonecessárioénaaquisiçãodabatata semente utilizada no plantio, esta deve ser de boa procedênciafitossanitáriaelimpa,semterraaderida, evitandoassimpropágulosdeplantasdaninhasexó- ticas a área de plantio. Método cultural Define-se como método cultural no controle das plantasdaninhas,qualquermudança,incrementoou redução de algum manejo na lavoura, que exerça algum tipo de pressão negativa na população, acar- retando no controle da comunidade florística já ins- talada na área agrícola. Muitasdestaspráticascolaboramparaadiminui- çãodobancodesementes(propágulos),existentesno solo, reduzindo desta forma apopulaçãodasplantas daninhas. • As plantas daninhas, diferentemente das cultiva- das, que germinam de uma única vez, apresentam diversosfluxosdeemergências,paramuitasespécies o primeiro fluxo é abundante (BLANCO et al., 1991; BLANCO et al., 1994). Uma técnica de controle cultural érealizarumpreparodesolopréviodandocondições para a germinação do primeiro fluxo de emergência das plantas daninhas, eliminado-as pelas arações e gradagens para o plantio da batata semente.
  • 3. 21 Biológico, São Paulo, v.70, n.1, p.19-24, jan./jun., 2008 Manejo das plantas daninhas na cultura de batata. • A cultura da batata pode utilizar espaçamentos desde 0,80 a 0,35 m influenciando diretamente no tamanho do tubérculo. Plantios com espaçamentos menores e cultivares de crescimento mais rápido, permitemumsombreamentoprecocedasentrelinhas de cultivo, dificultando a germinação e o desenvolvi- mento das plantas daninhas. Uso de capinas Capina manual ou mecanizada. Na cultura da batata é realizada a operação de chegamento de terra das entrelinhas para o colo da planta - amontoa, caracterizando um controle mecâ- nico das plantas daninhas.Geralmenteesteérealiza- do30diasapósoplantio,quandoasplantasapresen- tam de 20 a 30 cm de altura. Noplanejamentodoprogramademanejointegra- do das plantas daninhas deve-se levar em conta esta prática, que, por si só, se constitui em uma capina, devendo ser harmonizada e complementada com os outros métodos de controle. Método químico - herbicidas Herbicidas são compostos químicos usados para eliminar plantas. São aplicados em doses convenien- tesdiretamentesobreavegetaçãoparaabsorçãofoliar (tratamento de pós-emergência), ou no solo para ab- sorção por tecidos formados após a germinação da semente antes da emergência da planta na superfície (tratamento de pré-emergência). A exceção do sistema de cultivo orgânico, onde é proibidoousodesteinsumo,autilizaçãodosherbicidas como método para o controle das plantas daninhas, é muito relevante (FERREIRA & TSUNECHIRO, 1998). Devido a sua boa praticabilidade de uso aliado a sua eficiência como agente no controle das plantas daninhas,noprogramadecontroledasplantasdani- nhas, o uso de herbicidas tende a sobrepujar os de- mais métodos de controle, tendo maior preferência e importância,eemmuitoscasossendooúnicométodo utilizado, o que um erro. Ao desprezar a importância dos outros métodos de controle, pode-se prejudicar a eficiência do herbicida, necessitando de uma outra aplicação ou aumento na sua dose para atingir a mesma performance, o que não é desejável, tanto do ponto de vista ambiental como agronômico e econô- mico. Na utilização desde método, sempre se deve procurar maximizar a sua eficiência minimizando o impacto ambiental causado pelo seu uso. Para o controle das plantas daninhas na cultura da batata, atualmente no Brasil, há registrado junto a ANVISAa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitá- ria), 11 ingredientes ativos comercializados em 16 marcas comerciais. Cabe salientar, mais uma vez, que o uso de herbicidasdevefazerpartedeumprogramademane- jo integrado no controle das plantas daninhas de responsabilidade de um engenheiro agrônomo. ATabela1destacaalgumascaracterísticasdeuso dos ingredientes ativos registrados no Brasil com os seus respectivos nomes comerciais e observações de uso relevantes (RODRIGUES & ALMEIDA, 2005). A ordem dos produtos, por ingrediente ativo, não representademaneiraalguma,qualquertipodepreferên- ciadeuso.Asobservaçõesapresentadasnestatabelasão apenasindicaçõesgerais,quedeverãoserratificadasou retificadas,apóscriteriosaanálisedoengenheiroagrôno- mo responsável pelo programa de manejo integrado. a http://www4.anvisa.gov.br/AGROSIA/asp/frm_pesquisa_agrotoxico.asp – página da Web, acessada em 5/1/2007. Tabela 1 - Descrição dos herbicidas registrados para a cultura da batata. (Blanco 2007). Ingrediente ativo Marca Comercial Doses: kg ou L Modo1 Controle2 Observações específicas GRA Chuva antes de 6h da aplica- amônio-glufosinato Finale 2,00 PÓS LAT ção pode prejudicar a perfor- COM mance da herbicida. Utiliza- do também como dessecante. Indicado para gramíneas anuais no estádio de 4 folhas até4perfilhose20a40cmpara as gramíneas perenes. A apli- cação pode ser feita em qual- cletodim Select 240 CE 0,35-0,45 PÓS GRA quer estádio de crescimento da Batata. As dosagens maio- res devem ser utilizadas para controlar as plantas daninhas em estádio de crescimento maior. Continua...
  • 4. 22 Biológico, São Paulo, v.70, n.1, p.19-24, jan./jun., 2008 F.M.G. Blanco Tabela 1 - Continuação Ingrediente ativo Marca Comercial Doses: kg ou L Modo1 Controle2 Observações específicas cletodim + Podium S 1,00 PÓS GRA Aplicar com as gramíneas no fenoxaprope-P-etílico estágio de 2 a 4 perfilhos. Atualmente registrado so- mente para o controle de Brachiaria plantaginea(Capim- marmelada). Aguardar um período mínimo de 150 dias clomazona Gamit 360 CS 1,00 PRÉ GRA após a aplicação para a insta- lação de culturas sucedânea. Culturas de inverno (trigo, aveia, centeio) plantadas em sucessão podem apresentar sintomas de fitotoxicidade. dibrometo de diquate Reglone 1,50 a 2,50 PÓS GRA Aplicar como dessecante no LAT mínimo 7 dias antes da co- COM lheita. Na dessecação de batata, não usarespalhanteenãopulveri- zar quando a folhagem esti- vermurcha.Apósoplantioda GRA batata-semente, na ocorrên- dicloreto de paraquate Gramoxone 200 PÓS LAT cia de uma nova germinação COM de plantas daninhas, estas poderão ser controladas, po- rém até o momento em que hajanomáximo10%deemer- gência de hastes. Naaplicaçãoaculturadabata- fenoxaprope-P-etílico Podium 0,75 PÓS GRA ta deve estar com 2 a 4 ramos, chuvas poderão ocorrem a partir de 1 hora da aplicação. fluazifop-p-butyl Fusilade 125 0,75-2,00 PÓS GRA Pode ser aplicado até 30 dias Fusilade 250 EW 0,50 -0,75 após emergência das hastes Aplicar após o plantio ou até linuron Afalon SC 2,20 a 4,40 PRÉ LAT antes da brotação. Não utili- Linurex Agricur 500 1,20 a 4,00 COM zar em solos com menos de 1% de matéria orgânica ou com textura arenosa. Nãoaplicarsobreaculturade batata se as plantas estiverem com mais de 5 cm de altura e em solos com textura arenosa oucommenosde1,5%dema- Lexone SC 1,00 a 2,20 téria orgânica. Com exceção metribuzim Sencor 480 0,75 a 1,50 PRÉ LAT dasculturasdesojaecana-de- Sencor BR 0,50 a 1,00 açúcar, plantar culturas em Soccer SC 0,75 a 1,50 sucessão somente após 5 me- ses após a aplicação as mais sensíveis,cebola,alface,cucur- bitáceasebeterraba,após1ano. Continua...
  • 5. 23 Biológico, São Paulo, v.70, n.1, p.19-24, jan./jun., 2008 Manejo das plantas daninhas na cultura de batata. Nesta escolha, deve-se sempre ter uma visão eco- lógica, porém, utilizar a técnica agronômica que permita uma produção máxima possível, para que o agricultor possa obter o seu sustento na sua comercialização, para isto é necessário o controle das plantas daninhas. Nesta dualidade, a escolha de qual herbicida a ser utilizado, além da sua dose, número e modo de aplicação, deve sempre buscar a dicotomia de máxima eficiência e mínimo impacto ambiental. Observações importantes para o sucesso na utili- zação dos herbicidas na cultura da Batata: • antes da aplicação de herbicidas em pré-emergên- cia,émuitoimportantequeosoloestejabemprepara- do sem torrões; • na aplicação dos herbicidas diretamente sobre as plantas daninhas (pós-emergentes), para uma efici- ente ação do herbicida é importante que as plantas daninhas não estejam em stress hídrico e com as folhas túrgidas. A dose utilizada na aplicação deve ser calibrada de acordo com o estádio de desenvolvi- mento das plantas daninhas; • herbicidas aplicados como pré-emergentes direta- mente ao solo, devido a sua característica química, quer seja básica, neutra ou ácida, são influenciados pelaumidadedosoloeseuscolóides(argilaematéria orgânica), sofrendo processos de sorção (absorção e adsorção). Quanto mais seco o solo maior será a sorção do herbicida e por conseqüência a sua indisponibilidade para absorção pelas plantas dani- nhas,prejudicandoassim,asuaperformancedecon- trole. Por isso, devem-se aplicar os herbicidas pré- emergentes quando o solo estiver com boa condição de umidade e adequar a dose conforme a textura do solo: doses maiores para solos argilosos e menores para os mais arenosos; • usarexclusivamenteosadjuvantese/ousurfactantes indicadosnabuladoherbicidaenasdosesindicadas. • não utilizar adjuvantes e/ou surfactantes nas apli- cações de herbicidas utilizados como dessecantes da cultura de batata; • nas aplicações em pré-emergência, sempre verificar a seletividade em relação a cultivar utilizada, e tam- bém, para as culturas em sucessão a batata; • devido as constantes mudanças do local de plantio, a cultura de batata ocupa áreas exploradas com ou- tras culturas ou pastagens, geralmente dessecada com uso de herbicidas de contato não seletivos apli- cados com pós-emergentes. Dependendo da época, e das espécies e estádio de desenvolvimento das plan- tas daninhas que estiverem presentes na área, uma alternativa de controle seria a realização de um pre- paro de solo prévio, aguardando a germinação das plantas daninhas e destruindo estas plântulas do primeiro fluxo com as operações de plantio (aração e gradagem); • sempre fazer rotação de herbicidas com modo de açãodiferente.Estamedidaémuitoimportanteeevita o surgimento de plantas daninhas resistentes aos herbicidas; • ogrupodeplantasdaninhaspredominanteseasua abundância variam em função das condições climá- ticasporocasiãodoplantio.Geralmente,operíodode primavera-verão, mais quente e chuvoso, favorece as gramíneas,poroutrolado,nooutono-invernoascon- dições são inversas, favorecendo as latifoliadas em função da menor temperatura e umidade; • para evitar o acúmulo de resíduos de herbicidas utilizadosnadessecaçãodacultura,estemanejodeve ser realizado obrigatoriamente com as quando as plantas de batata NÃO estiverem em condição de estresse hídrico; • a dessecação pode ser realizada em uma única vez, porém tem sido observado que duas aplicações seqüenciais, intercaladas de dois dias, utilizando a metade da dose, têm mostrado que o resultado da dessecação, em muitos casos, é melhor; • na aplicação sempre utilizar EPI (equipamento de proteção individual), e pulverizador com bicos em bom estado e indicado segundo a técnica para o uso com herbicidas, realizando uma correta limpeza do equipamento após a aplicação. Tabela 1 - Continuação Ingrediente ativo Marca Comercial Doses: kg ou L Modo1 Controle2 Observações específicas Herbicida seletivo para con- trolar gramíneas anuais e cer- pendimetalina Herbadox 500 CE 2,00 a 3,00 PRÉ GRA tas folhas largas quando ger- minam, porém não controla as ervas estabelecidas antes da aplicação. 1 modo de aplicação: PÓS – aplicado após a emergência da cultura e das plantas daninhas, PRÉ – aplicado antes da emergência das plantas daninhas, logo após o plantio da cultura. 2 Grupoemqueaaçãodoherbicidaémaisefetiva:GRA–gramíneas(monocotiledôneas),LAT–latifoliadas,folhaslargas (dicotiledôneas), COM – Comelina, controla Commelina benghalensis (trapoeraba).
  • 6. 24 Biológico, São Paulo, v.70, n.1, p.19-24, jan./jun., 2008 F.M.G. Blanco Finalizando, o controle das plantas daninhas na cultura da batata é necessário e para o seu sucesso, deve ser planejado, conduzido e de res- ponsabilidade técnica de um engenheiro agrôno- mo com autonomia de escolher, dentre os diversos métodos de controle, aqueles que serão escolhidos para um programa de manejo integrado das plan- tas daninhas. BIBLIOGRAFIA
  • Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks