Documents

Produção de Textos 3 - Como Fazer Uma Narração

Description
Ótimo material para concursos públicos, Enem e vestibulares. Rápido e bem objetico.
Categories
Published
of 7
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
    ONG CPMA – Organização Não Governamental Centro Profssionalizante Mão Amiga 1 - Como fazer uma Narração   1.1 - Introdução Narrar é contar uma história, que pode ser real ou imaginária, fictícia.Essa história deve envolver personagens, que interagem entre si gerando acontecimentos, que ocorrem em um determinado lugar e em uma determinada época.Assim, a narração se caracteria por ser uma modalidade din!mica de redação, na qual predominam os ver os de ação, ao contrário da descrição, onde predominam ver os de estado #ser, estar...$. 1.2 - Antes de escrever Antes de começar a faer uma narração, é importante responder a algumas perguntaspara facilitar a construção do te%to& 'ual fato ou acontecimento será narrado(    'uando ele ocorreu ou ocorrerá(   )nde tudo acontece(   'uais são os personagens(   *or que o fato aconteceu(   +omo ele ocorreu(   'uais as suas consequncias(   ) narrador participa da história(  1.3 - Escrevendo uma narração Uma Nação se Faz Com Homens e com Livros. Pelo ireito Universal !a Livre n#ormação.    ONG CPMA – Organização Não Governamental Centro Profssionalizante Mão Amiga -epois de responder s principais perguntas so re o tema da narração, é preciso organiar as idéias no papel. *ara isso, é preciso conhecer os elementos da narração e sua estrutura. 1.4 - Elementos da Narração Na narração, é preciso caracteriar e desenvolver os seguintes elementos& narrador    personagem   enredo   tempo   espaço  1.5 - Narrador e Foco Narratvo ) narrador  é a entidade que conta a história e, de acordo com as características e limitaç/es que definem como o autor vai contar a história, pode se colocar so várias perspectivas, tam ém chamadas Focos Narratvos & Narrador )nisciente e )nipresente    Narrador *ersonagem    Narrador ) servador   1.! - Narrador nscente e n#resente ) Narrador nscente e n#resente sa e de tudo so re as personagens, conheceo que se passa no seu íntimo, todas as suas emoç/es e pensamentos.Ainda, conhece a totalidade do enredo, os antecedentes das aç/es, suas entrelinhas, seus pressupostos, seu futuro e suas conseq0ncias.1 como se ele pudesse estar dentro das mentes de todos os personagens e em todos os lugares ao mesmo tempo.Nesse caso, a narração normalmente é feita em 23 pessoa, o que não impede que o narrador faça intromiss/es narrando em 43 pessoa. 1.$ - Narrador %ersona&em ) Narrador %ersona&em  conta em 43 pessoa uma história da qual participa, vivendo sua ação. *or isso, não tem conhecimento dos sentimentos e pensamentos das outras personagens que o cercam e nem pode ver o conte%to com total clarea.*ode narrar uma história em que é o protagonista, como em 56emórias *óstumas de 7rás +u as5 de 6achado de Assis, ou ser um personagem coad8uvante como o -r. 9atson narrando as peripécias de :herloc; <olmes. Uma Nação se Faz Com Homens e com Livros. Pelo ireito Universal !a Livre n#ormação.    ONG CPMA – Organização Não Governamental Centro Profssionalizante Mão Amiga :ua maneira de contar é fortemente marcada por características su 8etivas e emocionais, o que fa com que a narrativa se8a parcial, impregnada por seu próprio ponto de vista. 1.' - Narrador (servador ) Narrador (servador  conhece os fatos, mas não participa deles. Não tem conhecimento íntimo das personagens, e nem das aç/es vivenciadas. =sso permite que ele se mantenha neutro, distante e imparcial.>elata apenas o que v ou imagina acontecer, sem invadir o cére ro ou o coração das personagens para e%por seus sentimentos e pensamentos ao espectador.'uando o narrador é o servador, todo o te%to é escrito necessariamente em 23 pessoa. 1.) - Enredo ) Enredo*  tam ém chamado de trama ou intriga, é o con8unto de fatos ligados entre si que fundamentam a ação de um te%to narrativo. 1 o encadeamento de aç/es e%ecutadas pelas personagens, ordenados em uma seq0ncia lógica e temporal, a fim de se criar um sentido ou emoção no espectador.?eralmente, o enredo se aseia em um conflito entre os personagens, que é responsável pelo nível de tensão da narrativa. 1.1+ - %ersona&ens Não e%iste narrativa sem personagens.*ersonagens não são apenas as pessoas, mas tam ém animais e até mesmo o 8etos inanimados.Até um lápis que rola pela mesa até cair no chão pode ser um personagem.*ode ser personagem qualquer ser ou o 8eto este8a num certo am iente praticando #ou sofrendo$ uma ação, ainda que de forma involuntária. 1.11 - ,#os de %ersona&ens Uma Nação se Faz Com Homens e com Livros. Pelo ireito Universal !a Livre n#ormação.    ONG CPMA – Organização Não Governamental Centro Profssionalizante Mão Amiga As personagens podem ser classificadas em, principais ou secundários deacordo com o relevo ou import!ncia que possuem no desenrolar da trama& 1.12 - %ersona&ens %rnc#as As %ersona&ens %rnc#as  são aquelas que desempenham o papelcentral, sendo fundamentais para o desenvolvimento da trama. *odem ser classificados em *rotagonistas e Antagonistas.-e forma simplificada, podemos dier que o #rota&onsta  é aquele que dese8a algo, enquanto ao anta&onsta  ca e impedir, dificultar, ou destruir esse o 8eto de dese8o.) antagonista nem sempre é uma pessoa, podendo ser um o 8eto, um animal, ou mesmo uma situação financeira, cultural, social #po rea, instrução, tra alho$, um pro lema físico ou ainda uma peculiaridade psicológica, que dificulta o acesso quilo que o protagonista dese8a. 1.13 - %ersona&ens ecundras As %ersona&ens ecundra s podem ser classificadas em +oad8uvantes e @igurantes.As %ersona&ens Coad/uvantes  são aquelas que assumem um papel de menor import!ncia, mas não dei%am de ser importantes para o desenrolar da trama, 8á que dão suporte  história tecendo pequenas aç/es em torno das personagens principais.á as %ersona&ens F&urantes  tem como Bnico o 8etivo ilustrar um am iente ou o espaço social do qual são representantes durante o desenrolar de uma ação da trama. 1.14 - ,em#o A evolução temporal pode se dar de duas formas& ,em#o cronol0&co  determinado pela sucessão cronológica dos fatos ,em#o #scol0&co  é o tempo su 8etivo, vivido ou sentido pela personagem, que flui em de acordo com o seu estado de espírito.Ao contar a história, o narrador pode usar a ordem linear dos fatos ou alterar a ordemtemporal, recuando a acontecimentos passados ou antecipando acontecimentos futuros, condensando, resumindo ou omitindo parte dos acontecimentos e até interrompendo a história para dar lugar a descriç/es ou divagaç/es. 1.15 - Es#aço ) espaço é a caracteriação do am iente ou cenário no qual a história acontece& Uma Nação se Faz Com Homens e com Livros. Pelo ireito Universal !a Livre n#ormação.
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks