Essays & Theses

r r ext = FÓRMULAS P2 1 v + 2a x mv 2 K = x t θ t 1 R 1 R 1 R Req 1) v m = 17) E = K + U 2) x = 3) v = v o + at 2 4) v 2 = 23) PV = nrt 24) V = Ri 25)

Description
FÓRMULAS 1) v m = x t 17) E = K + U ) x = 1 x + 3) v = v o + at 4) v = 5) 6) 0 + v0t at v + a x 0 θ ω = t r r p = mv r r 7) F = ma ext = m 8) F grav. = 1m G d r r 9) P = mg 10) F centrípeta = v m r 11)
Published
of 21
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
FÓRMULAS 1) v m = x t 17) E = K + U ) x = 1 x + 3) v = v o + at 4) v = 5) 6) 0 + v0t at v + a x 0 θ ω = t r r p = mv r r 7) F = ma ext = m 8) F grav. = 1m G d r r 9) P = mg 10) F centrípeta = v m r 11) F atrito = µ N 1) W = Fdcosθ p r t 13) W = K= K K 14) K = 1 mv 15) U = mgh f i 18) K + U = K + U i i f f 19) L = L0α T 0) S = S0α T 1) V = 3V0α T ) U = Q W 3) PV = nrt 4) V = Ri 5) 1 Req = 1 R + 1 R R n 6) Req = R 1 + R + + R n 7) P = Vi = Ri q1q 8) F eletrostática = K d 9) F mag = qvbsenθ = ilbsenθ 30) i B = µ 0 πr 31) f = f v v som m v ± v fonte observador som 1 1 3) P1 + ρv1 + ρgy1 = P + ρv + ρgy 16) 1 U = kx 33) = P + ρg y P 1 LÍNGUA PORTUGUESA As questões de 1 a 6 baseiam-se no texto abaixo. Leia, atentamente, todo o texto antes de resolvê-las: Texto 1 A importância do conto popular em nossa cultura é tão forte que precisamos ter muito claro o que se deve entender por popular, quando se trata de estudar gêneros literários. Geralmente se entende por popular um tipo de criação rústica, caracterizada pela simplicidade e pobreza expressiva. Talvez você mesmo pense assim. Mas, veja bem, se assim fosse, como se justificaria a influência que a tradição popular exerceu e continua exercendo sobre a literatura e as outras manifestações artísticas e culturais, inclusive aquelas de caráter eminentemente técnico? Se este legado existe, é porque a cultura popular é algo muito mais rico do que podemos imaginar. Popular é, portanto, uma manifestação cultural de caráter universal, nascida de modo espontâneo e totalmente indiferente a tudo que seja imposto pela cultura oficial. Também não pode ser entendido como sinônimo de regional, pois isto eliminaria a tendência universalizante das manifestações populares. Quer dizer, as criações populares não conhecem normas nem limites. Elas estão acima de qualquer tipo de aprovação social. O conto popular, embora tenha um caráter universal, seja uma criação coletiva e tenha vivido muito tempo graças à transmissão oral, apresenta um modo narrativo que o singulariza diante de outros tipos de narrativas. Com isso, é possível dizer que o conto popular é um gênero narrativo que desenvolve traços que se repetem em histórias criadas nos mais variados locais e épocas. Suas características composicionais não conhecem fronteiras de tempo nem de lugar. (MACHADO, Irene. Literatura e redação. São Paulo, Scipione, p.8) 01 - Marque a(s) alternativa(s) que completa(m) corretamente a frase: O conto popular é um gênero narrativo que (01) sobrevive até hoje apenas por força da transmissão oral. (0) desenvolve traços próprios que o distinguem de outros tipos de narrativas. (04) possui um caráter eminentemente regional. (08) não pode ser considerado como um gênero literário devido a sua simplicidade e pobreza expressiva. (16) apresenta características composicionais que variam no tempo e no espaço. (3) não se prende a um autor específico, já que se trata de uma criação coletiva. 0 - O termo popular, tal como aparece no texto, pode ser associado à(s) seguinte(s) característica(s): (01) indiferença às imposições da cultura oficial. (0) tendência à universalização. (04) criação rústica. (08) manifestação culturalmente rica (16) obediência às normas socialmente aprovadas. (3) caráter espontâneo Em relação ao texto lido, é correto afirmar: (01) Trata-se de um texto literário, pois discorre sobre o conto popular. (0) Em alguns momentos, a autora estabelece uma interlocução com o leitor. (04) O texto utiliza uma linguagem informal, próxima da variante popular. (08) A autora se preocupa não apenas em definir o conto popular enquanto gênero narrativo, mas também em caracterizar o termo popular. (16) Quanto à estruturação formal, o texto segue o esquema básico introdução - desenvolvimento - conclusão. (3) O texto pode ser classificado como opinativo, visto que a autora apresenta seus próprios pontos de vista sobre o assunto Considerando que os elementos de referência são palavras ou expressões que remetem a outros termos da seqüência em que estão inseridas, assinale a(s) alternativa(s) em que o comentário a respeito do(s) elemento(s) em negrito está correto. (01) Talvez você mesmo pense assim. (linha 5) - refere-se ao enunciado imediatamente anterior. (0)... e totalmente indiferente a tudo que seja imposto pela cultura oficial. (l. 11) - remete a toda a seqüência posterior. (04) Elas estão acima de qualquer tipo de aprovação social. (l. 14) - retoma o termo as criações populares. (08)... que o singulariza diante de outros tipos de narrativas. (l. 16/17) - têm como antecedentes, respectivamente, o conto popular e um modo narrativo. (16)... o conto popular é um gênero narrativo que desenvolve traços que se repetem... (l. 17/18) - remetem, respectivamente, a um gênero narrativo e traços. (3) Suas características composicionais não conhecem fronteiras... (l. 19/0) - retoma nos mais variados locais e épocas. 3 05 - Conectores são elementos de ligação que estabelecem diferentes relações de sentido entre os segmentos de um texto. Tendo em vista a definição acima, marque a(s) alternativa(s) em que a relação estabelecida pelo(s) elemento(s) em negrito está corretamente indicada. (01)... é tão forte que precisamos ter muito claro... (l. 1/) Relação de modo: expressa, numa das orações, o modo como se realiza o evento contido na outra. (0)... quando se trata de estudar gêneros literários. (l. /3) Ligação temporal: relaciona fatos ou eventos simultâneos. (04) Mas, veja bem, se assim fosse... (l. 5/6) Relação de oposição: introduz uma argumentação contrária ao que foi dito anteriormente. (08)... a cultura popular é algo muito mais rico do que podemos imaginar. (l. 8/9) Relação comparativa: estabelece a superioridade de um elemento sobre outro(s). (16) Popular é, portanto, uma manifestação cultural... (l. 10) Ligação conclusiva: introduz uma conclusão relativamente aos enunciados anteriores. (3) pois isto eliminaria a tendência universalizante (l. 1/13) Ligação explicativa: apresenta uma justificativa ou explicação do que foi dito antes. (64) Quer dizer, as criações populares (l.13) Relação de exemplificação: acrescenta um possível exemplo a uma declaração anterior, de ordem mais geral Marque a(s) proposição(ões) verdadeira(s). (01)...caracterizada pela simplicidade e pobreza expressiva. (l. 4/5)... que a tradição popular exerceu... (l. 6) São orações subordinadas adjetivas, pois atuam como adjuntos adnominais de termos pertencentes a outras orações. (0) O advérbio eminentemente, que aparece no º (segundo) parágrafo, é derivado do adjetivo eminente, que significa que está em via de efetivação; que ameaça acontecer breve, como na expressão perigo eminente. (04) No segmento indiferente a tudo, o uso da crase é facultativo, de modo que seria igualmente correta a forma indiferente à tudo. (08) Em... quando se trata de estudar... (l. ), justifica-se a próclise do pronome oblíquo pela presença da conjunção subordinativa. (16) No trecho Mas, veja bem, se assim fosse, como se justificaria a influência que a tradição popular exerceu... (l. 5/6), estão presentes os três modos verbais da língua portuguesa: o indicativo, o subjuntivo e o imperativo. (3) Em... traços que se repetem em histórias... (l. 18) e... tenha vivido muito tempo graças à transmissão oral... (l. 16), os termos em negrito exercem a função sintática de objeto indireto, tendo em vista a transitividade dos verbos com que estão relacionados. (64) As palavras rústica, caráter e épocas estão acentuadas corretamente, segundo a gramática normativa, por serem todas elas proparoxítonas. 4 Leia o texto que segue para responder às questões 7 e Texto Faz parte de nossa tradição tomar mate. Chimarrão é o mate cevado, sem açúcar, regado a água quente. Tereré é o refresco, bem gelado. De acordo com o clima, passa-se do chimarrão ao tereré. Para tomar mate é necessário adquirir-se uma cuia, morena e matuta, uma bomba ou bombilha e a erva moída, tudo semelhante a um coração verde com uma artéria de prata, conforme poema do gaúcho Aparício Silva Rillo. O ideal é tomá-lo numa grande roda, sob um laranjal. Se houver os serviços de alguma bugra para carregar mate, ótimo. Carregar mate significa alguém ficar segurando a chaleira, passar a cuia de uma mão para a outra, de uma boca para a outra, respeitando a vez de cada um, a animação da prosa e o ritmo dos sorvos. Levar a chaleira lá dentro para esquentar de novo quando a água começar a esfriar, para não azedar o mate. É bom que haja no céu um sol bem vermelho e uma poeira cor-de-tijolo envolvendo tudo. Se for na hora do quiriri e algumas estrelas perfurarem a tarde com suas pontas de lata, a conversa será mais lenta. Se alguém falar alguma frase, alguma palavra em guarani, como chê-kambá ou cunhataí, dará mais sabor à erva. Importante mesmo é que haja um clima de comunhão, de cachimbo da paz, tudo muito morno e quente. (...) (NAVEIRA, Raquel. O arado e a estrela. Campo Grande, Ed. UCDB, p.3) 07 - Marque a(s) alternativa(s) que NÃO está(ão) de acordo com o texto. (01) O mate é o principal ingrediente tanto do chimarrão quanto do tereré. (0) As duas bebidas - o chimarrão e o tereré - são tomadas sempre durante o dia, com sol forte e poeira envolvendo tudo. (04) Os serviços de uma bugra para carregar mate são indispensáveis, senão a erva pode azedar. (08) A expressão na hora do quiriri, tal como aparece no 6º (sexto) parágrafo, pode ser associada à chegada da noite. (16) O uso de palavras ou expressões em guarani faz parte de um ritual mágico inerente à tradição. (3) O que importa realmente para quem toma mate não são as condições atmosféricas, mas o espírito de serenidade e união que se cria entre os participantes. 5 08 - A conotação ocorre quando as palavras ganham, no texto em que estão inseridas, um outro sentido que se acrescenta ao seu sentido primeiro (sentido denotativo, próprio, habitual). Sendo assim, identifique, entre os trechos abaixo, aquele(s) em que há presença de conotação. (01) Chimarrão é o mate cevado, sem açúcar, regado a água quente. (l. 1/) (0)... tudo semelhante a um coração verde com uma artéria de prata, conforme poema do gaúcho Aparício Silva Rillo. (l. 5/6) (04) O ideal é tomá-lo numa grande roda, sob um laranjal. (l. 7) (08) É bom que haja no céu um sol bem vermelho e uma poeira cor-de-tijolo envolvendo tudo. (l. 13/14) (16) Se for na hora do quiriri e algumas estrelas perfurarem a tarde com suas pontas de lata, a conversa será mais lenta. (l. 15/16) 09 - Considerando que o se funciona como partícula apassivadora em frases como Organizou-se a festa., que pode ser transformada em A festa foi organizada. (voz passiva analítica), assinale, entre os fragmentos abaixo, retirados dos textos de Irene Machado (texto 1) e de Raquel Naveira (texto ), aquele(s) em que o se exerce essa mesma função. (01)... precisamos ter muito claro o que se deve entender por popular... (l. 1/) (0)... quando se trata de estudar gêneros literários. (l. /3) (04) Mas, veja bem, se assim fosse... (l. 5/6) (08)... como se justificaria a influência que a tradição popular exerceu... (l. 6) (16) Se este legado existe... (l. 8) (3) De acordo com o clima, passa-se do chimarrão ao tereré. (l. /3) (64) Se alguém falar alguma frase... (l. 17) 6 10 - Em que alternativa(s) as duas frases estão de acordo com a norma culta quanto à concordância (item a) e quanto à regência (item b)? (01) a - Com a estabilização da moeda, vieram a melhor distribuição de renda, a estabilidade dos preços e novos investimentos para o Brasil. (Viaje Bem, nº 11, p.15) b - Informamos os senhores condôminos que a reunião foi adiada para o próximo sábado, às 14 horas. (Aviso afixado em elevador) (0) a - Os engarrafamentos nos horários de pico são inevitáveis, mas causa transtornos e leva o perigo para os demais veículos leves e pedestres. (Correio do Estado, 16/09/98, p.10) b - Depois de ligar (a televisão), comece a assistir um grande show de qualidade. (Ícaro, nº 165, p.99) (04) a - Só os Canais Globosat têm o que os Canais Globosat têm. E quem não tem, tem que ter. (Época, 07/09/98, p.10) b - Nos dias que correm, com a Justiça cada vez mais favorável às mulheres, o fim do casamento pode significar também o fim de uma empresa. (Exame, 09/09/98, p.14) (08) a - Diante do quadro atual das campanhas políticas, é necessário muita prudência antes de decidir em quem se vai votar. (Propaganda política) b - As raízes dos seus cabelos acabaram de ser fecundadas e agora vão dar à luz um brilho orgânico, até as pontas. (Caras, 07/08/98) 7 11 Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). LITERATURA BRASILEIRA (01) Em Broquéis, predominam imagens que, a cada leitura, compõem um novo desenho, sugerindo uma constante busca pela renovação da expressão poética. (0) Um dos temas prediletos dos simbolistas era a sugestão por meio das palavras, criando um universo onde os elementos não eram nomeados objetivamente. O tema da sugestão pode ser vislumbrado na estrofe a seguir, pertencente ao livro de poemas Broquéis: Sangue coalhado, congelado, frio, / Espasmado nas veias / Pesadelo sinistro de algum rio? De sinistras sereias (04) Os poemas que compõem Matéria de poesia apresentam-se ao leitor como fotografias realistas da paisagem. Esse realismo advém da precisão de detalhes e das cores com que o poeta pinta os pássaros, as flores, as árvores e os animais que povoam o Pantanal sul-mato-grossense, enquanto espaço da poesia de Manoel de Barros. (08) Em Matéria de poesia, observa-se uma libertação do poeta em relação aos temas literários tradicionais. Apesar dos traços de lirismo que perpassam seus versos, o escritor apresenta uma nova ordem poética que reflete as rupturas características da literatura contemporânea. 1 Sobre o romance Capitães da areia, é correto afirmar que (01) há o predomínio do discurso indireto livre, observando-se a intenção do narrador de colocar em destaque o íntimo das personagens e o afloramento constante dos desejos femininos. (0) ao enfatizar a naturalidade e a espontaneidade da fala cotidiana, o narrador incorpora ao texto a linguagem popular, registrando a fala das personagens tal como ela parece ser produzida. (04) o assunto da obra em questão são os marinheiros, e ela inaugura um verdadeiro ciclo marítimo na produção de Jorge Amado, projeto que se irá completar com outras obras, como: Mar morto, Jubiabá e Velhos marinheiros. (08) é uma obra regionalista, cuja preocupação central é registrar costumes, crenças, tradições e linguagem típicas do litoral da Bahia. (16) dentre as personagens que povoam seu universo ficcional, há que se destacar Pixote, figura que inspirou um filme com o mesmo nome. 8 13 - Leia atentamente o soneto abaixo, extraído de Broquéis, de Cruz e Sousa. Dança do ventre Sorva, febril, torcicolosamente, numa espiral de elétricos volteios, na cabeça, nos olhos e nos seios fluíam-lhe os venenos da serpente. Ah! Que agonia tenebrosa e ardente! que convulsões, que lúbricos anseios, quanta volúpia e quantos bamboleios, que brusco e horrível sensualismo quente. O ventre, em pinchos, empinava todo como réptil abjeto sobre o lodo, espolinhando e retorcido em fúria. Era a dança macabra e multiforme de um verme estranho, colossal, enorme, do demônio sangrento da luxúria! Considerando os versos acima, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). (01) No primeiro verso, o poeta cria um neologismo a palavra torcicolosamente para retratar mais fielmente os movimentos da dançarina, propiciando ao leitor a chance de perceber a realidade sob um novo ângulo. (0) Na estrutura do texto, percebe-se que o poeta não utiliza com freqüência o dinamismo dos verbos, procurando produzir uma atmosfera erótica pelo uso das comparações e analogias. (04) Os substantivos e adjetivos utilizados pelo poeta procuram ordenar a realidade plástica da cena, na expectativa de oferecer ao leitor uma percepção perfeita da realidade. (08) Existe, no soneto, um tom abstrato que projeta o leitor para zonas do inconsciente, sugerindo-lhe um espaço de romantismo e magia. (16) O poeta rende tributos, ainda, a uma herança parnasiana, utilizando, como expressão poética, o soneto. (3) As metáforas serpente, réptil e verme se contrapõem à atmosfera erótica que perpassa o soneto, deixando no leitor uma impressão inconclusa, oscilante entre a exaltação e a degradação da dançarina. 9 14 Assinale a(s) proposição(ões) correta(s). (01) Aristarco, personagem de O Ateneu, é caracterizado pelo narrador como duas almas num só corpo, oscilando entre características positivas e negativas; porém, ainda prevalecem os traços negativos, uma vez que os positivos são apenas uma máscara. (0) A ambigüidade de Capitu perdura durante toda a história contada por Bentinho. Ao final da leitura de Dom Casmurro, nem o leitor, nem o narrador personagem estão convencidos da infidelidade de Capitu. (04) As personagens Capitu e Aristarco, de Dom Casmurro e O Ateneu, respectivamente, apresentam-se ao leitor assemelhadas por um traço: a ambigüidade. (08) Ao contrário de Aristarco, Capitu, a esposa infiel de Bentinho, passará por um processo de transformação que culminará na vitória dos traços positivos de seu caráter. 15 A partir da leitura dos romances Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, e Macunaíma, de Mário de Andrade, pode-se concluir que (01) Macunaíma é uma obra em que se narra a história de um herói sem nenhum caráter, que nasce na selva amazônica e vai a São Paulo em busca do talismã que um gigante lhe furtara. Como não consegue vencer seu forte oponente, apela para a macumba. O gigante, no entanto, mata-o, mas Macunaíma ressuscita, transformado numa francesa, sempre empenhado na recuperação da muiraquitã. Ao final, o herói sem nenhum caráter é elevado para ser a constelação da Ursa Maior. (0) não há, em Memórias de um sargento de milícias, profundidade psicológica nas personagens, posto que elas surgem, na maioria das vezes, em situações coletivas, nas quais convivem indivíduos das mais diversas classes sociais. (04) Macunaíma, bem como Leonardinho, podem ser considerados anti-heróis, uma vez que não reúnem traços idealizantes e surgem como seres capazes de viver ao sabor do acaso. Além disso, ambos parecem representar as pessoas comuns, uma espécie de síntese do povo brasileiro. (08) apesar do espaço temporal e estético que separa as duas obras, elas apresentam semelhanças entre si, quer quanto ao tipo escolhido como herói, quer pelos aspectos folclóricos que representam. (16) enquanto em Macunaíma depara-se com uma língua brasileira, povoada de expressões populares tanto na voz das personagens quanto na do narrador -, em Memórias de um sargento de milícias a linguagem, embora simples, não chega a ser espontânea, pois ocorre uma filtragem da oralidade. 10 16 Considerando as proposições abaixo, assinale a(s) correta(s). (01) Em Fogo morto, vários temas são abordados, dentre os quais: a falência da sociedade patriarcal nordestina, o surgimento do cangaço e a denúncia da miséria e da exploração de grande parcela da população do Nordeste. (0) Em Fogo morto, configuram-se aspectos da realidade social nordestina de uma época: a fragilidade de um seleiro, vítima do autoritarismo do dono das terras onde vive; o desprestígio de um senhor de engenho arruinado pelo surgimento de novas relações de trabalho e produção; a aspiração por justiça numa sociedade oprimida pelas arbitrariedades do cangaço, da polícia e da politicagem das elites. (04) Em algumas passagens do romance Capitães da areia, percebe-se a intenção de garantir a semelhança com a vida real. Exemplo claro desse tipo de procedimento encontra-se no comportamento da personagem Sem-Pernas. Explorando o próprio defeito físico, o garoto aproxima-se das pessoas para, depois, trair-lhes a confiança. (08) O desfecho de Capitães da areia é trágico: além da morte de Dora, a única mulher aceita pelo bando de Pedro Bala, ocorre o assassinato do próprio Pedro Bala, pondo fim aos sonhos dos garotos abandonados. 17 Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). (01) Em Memórias de um sarg
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks