Crafts

Título Referencial de Formação na Área da Fruticultura. Edição DRAPN Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte.

Description
2 3 Título Referencial de Formação na Área da Fruticultura. Edição DRAPN Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte. Rua da República, MIRANDELA Telefone: Fax:
Categories
Published
of 33
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
2 3 Título Referencial de Formação na Área da Fruticultura. Edição DRAPN Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte. Rua da República, MIRANDELA Telefone: Fax: Autor Augusto Assunção, Bernardino Mota, Joaquim Moreira e Manuel Oliveira DRAPN. Coordenação Técnica Afonso Silva e Rui Martins DRAPN. Coordenação Pedagógica David Santos, Filipe Baptista, Luís Maia e Paulo Sousa DRAPN. Composição DEQAL Divisão de Experimentação, Qualidade e Apoio Laboratorial Direcção Editorial DRAPN, ADISA, IDARN e CAN. Capa Jorge Coutinho. ISBN Depósito Legal /08 Impressão Candeias Artes Gráficas Rua Conselheiro Lobaro, BRAGA Tel Fax Site: Data de Edição 07/02/2008 Produção apoiada pelo Programa AGRO, Medida 7, Subacção 7.3.1, co-financiado pelo Estado Português e pela União Europeia através do Fundo Social Europeu 4 5 1. PREFÁCIO INTRODUÇÃO QUADRO SÍNTESE DA OFERTA FORMATIVA REFERENCIAIS DE FORMAÇÃO Referenciais de Formação na Área da Fruticultura Identificação e Fundamentação Descrição Geral do Perfil de Fruticultor Descrição Geral do Perfil de Operador Agrícola em Fruticultura Descrição Geral do Perfil de Podador/Enxertador Descrição Geral do Perfil de Operador de Máquinas Agrícolas e Equipamentos Frutícolas ITINERÁRIOS DE FORMAÇÃO Itinerário de Formação do Curso de Fruticultura Objectivo geral Objectivos específicos Formandos requisitos específicos Metodologia pedagógico Duração Época de realização Estrutura curricular/modular e cargas horárias Avaliação Ficha Pedagógica do Módulo N.º 1 Introdução à fruticultura Ficha Pedagógica do Módulo N.º 2 Segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e protecção ambiental Ficha Pedagógica do Módulo N.º 3 Instalação do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 4 Propagação e condução do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 5 Manutenção do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 6 Manutenção do solo Ficha Pedagógica do Módulo N.º 7 Colheita e comercialização/ /distribuição Ficha Pedagógica do Módulo N.º 8 Inteligência económica e inovação da empresa agrícola Itinerário de Formação do Curso de Operador Agrícola em Fruticultura Objectivo geral Objectivos específicos Formandos requisitos específicos Metodologia pedagógico Duração Época de realização Estrutura curricular/modular e cargas horárias Avaliação Ficha Pedagógica do Módulo N.º 1 Introdução à fruticultura Ficha Pedagógica do Módulo N.º 2 Segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e protecção ambiental Ficha Pedagógica do Módulo N.º 3 Condicionalismos edáfo climáticos Ficha Pedagógica do Módulo N.º 4 Instalação do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 5 Morfologia e fisiologia frutícola Ficha Pedagógica do Módulo N.º 6 Propagação e condução do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 7 Manutenção do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 8 Manutenção do solo Ficha Pedagógica do Módulo N.º 9 Colheita e comercialização/ /distribuição Ficha Pedagógica do Módulo N.º 10 Inteligência económica e inovação da empresa agrícola Itinerário de Formação do Curso de Podadores/Enxertadores Objectivo geral Objectivos específicos Formandos requisitos específicos Metodologia pedagógica Duração Época de realização Estrutura curricular/modular e cargas horárias Avaliação Ficha Pedagógica do Módulo N.º 1 Segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e protecção ambiental Ficha Pedagógica do Módulo N.º 2 Instalação do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 3 Morfologia e fisiologia frutícola Ficha Pedagógica do Módulo N.º 4 Propagação e condução do pomar Itinerário de Formação do Curso de Operador de Máquinas Agrícolas e Equipamentos Frutícolas Objectivo geral Objectivos específicos Formandos requisitos específicos Metodologia pedagógico Duração Época de realização Estrutura curricular/modular e cargas horárias Avaliação Ficha Pedagógica do Módulo N.º 1 Higiene saúde e segurança no trabalho agrícola e protecção ambiental Ficha Pedagógica do Módulo N.º 2 Condicionalismos edafo climáticos Ficha Pedagógica do Módulo N.º 3 Manutenção do pomar Ficha Pedagógica do Módulo N.º 4 Manutenção do solo ASPECTOS REGULAMENTARES Requisitos Gerais dos Formandos Requisitos dos Formadores BIBLIOGRAFIA TÉCNICA RECOMENDADA WEB SITES RELACIONADOS 8 9 1. PREFÁCIO A formação profissional agrícola na Região do EDM - Entre Douro e Minho data do início dos anos 70 e contemplou um conjunto de acções de conteúdo diferenciado. Passadas quatro décadas todo o mundo rural e agrícola evoluiu e o objectivo e conteúdo da formação profissional ficou desajustado. Num processo de globalização, onde a inovação e a competitividade agrícola baseada na preservação dos recursos, assume uma importância vital para a sobrevivência de todo o Mundo Rural, a actualização de conhecimentos torna-se um objectivo primordial. Contribuindo para este ajustamento e dar aos agricultores a possibilidade de responderem mais capazmente aos desafios que se lhes colocam, importa investir na sua qualificação, designadamente na actualização dos seus conhecimentos técnicos, aumentando o nível de exigência da Formação Profissional Agrária no Entre Douro e Minho. Para tal, é importante que periodicamente sejam avaliados e reformulados, se for caso disso, os conteúdos temáticos em uso nos cursos de formação profissional. É neste contexto que aparece esta iniciativa da DRAPN Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, de produção de referenciais temáticos para as fileiras prioritárias do EDM, no sentido de por um lado dotar os agentes ligados à promoção das intervenções formativas, de guiões para a formação profissional e por outro dotar os activos agrícolas de um conjunto de conhecimentos técnico científicos actualizados. Estes referenciais são em si o resultado do conhecimento profundo existente na região do EDM, adquirido ao longo de vários anos de trabalho, de interacção com os diferentes agentes que desenvolvem a sua actividade neste sector, e de uma reflexão alargada aos agentes que promovem acções de formação profissional. Terão assim aqueles agentes, um instrumento de formação devidamente actualizado, esperando-se que daí resulte um aumento de eficiência e eficácia da formação profissional agrária no EDM, com uma consequente melhoria nos resultados de actividade agrária desenvolvida no EDM, possibilitando uma discriminação positiva. António Ramalho 10 11 2. INTRODUÇÃO O presente trabalho na área da Fruticultura faz parte de um conjunto de dez referenciais de formação, os quais correspondem ao relatório final do projecto Produção de referenciais de formação para as áreas consideradas prioritárias para a região do Entre Douro e Minho, financiado pelo Programa Operacional Agricultura e Desenvolvimento Rural (AGRO), Medida 7, Acção 7.3. Este projecto envolveu a participação da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, na qualidade de entidade promotora do projecto, do Instituto Superior de Agronomia, da Câmara de Agricultura do Norte e do Instituto de Desenvolvimento Agrário da Região Norte, como parceiros, tendo como objectivo central aumentar o nível de eficácia e eficiência da Formação Profissional Agrária da Região, dotando os agentes ligados à promoção das intervenções formativas de um conjunto de conhecimentos técnico-científicos devidamente fundamentados, adaptados e actualizados. O resultado final do projecto consiste na produção de 10 referenciais de formação para as fileiras consideradas prioritárias na região do Entre Douro e Minho, estruturados numa lógica de curso, módulo, unidade e respectivas fichas pedagógicas. A abrangência da aplicabilidade/utilidade dos referenciais de formação produzidos vai desde o recurso/instrumento pedagógico para todos os intervenientes no ciclo formativo, sendo que em primeira instância tal como consignado no projecto o mesmo se destina ao universo dos formadores no âmbito da formação profissional agrária, e até como referencial de orientação para a realização de estudos académicos. O Referencial de formação na área da fruticultura aqui apresentado, é constituído por quatro cursos: (i) Fruticultura, (ii) Operador Agrícola em Fruticultura (iii) Podadores/Enxertadores (IV) Operador de Máquinas Agrícolas e Equipamentos Frutícolas. 12 13 3. QUADRO SÍNTESE DA OFERTA FORMATIVA O presente referencial estruturado numa sequência de curso, módulo, unidade e subunidade, permite uma oferta formativa na área da Fruticultura composta por 4 cursos distintos: Curso de Fruticultura Estrutura modular: Módulo N.º 1 Introdução à fruticultura Módulo N.º 2 Segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e protecção ambiental Módulo N.º 3 Instalação do pomar Módulo N.º 4 Propagação e condução do pomar Módulo N.º 5 Manutenção do pomar Módulo N.º 6 Manutenção do solo Módulo N.º 7 Colheita e comercialização/distribuição Módulo N.º 8 Inteligência económica e inovação da empresa agrícola Curso de Operador Agrícola em Fruticultura Estrutura Modular: Módulo N.º 1 Introdução à Fruticultura Módulo N.º 2 Segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e protecção ambiental Módulo N.º 3 Condicionalismos edáfo-climáticos Módulo N.º 4 Instalação do pomar Módulo N.º 5 Morfologia e fisiologia frutícola Módulo N.º 6 Propagação e condução do pomar Módulo N.º 7 Manutenção do pomar Módulo N.º 8 Manutenção do solo Módulo N.º 9 Colheita, comercialização/distribuição Módulo N.º 10 Inteligência económica e Inovação da empresa agrícola Curso de Podadores/Enxertadores Estrutura Modular: Módulo N.º 1 Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Agrícola e Protecção Ambiental Módulo N.º 2 Instalação do pomar Módulo N.º 3 Morfologia e fisiologia frutícola Módulo N.º 4 Propagação e condução do pomar Curso de Operador de Máquinas Agrícolas e Equipamentos Frutícolas 14 Estrutura Modelar: Módulo N.º 1 Segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e protecção ambiental Módulo N.º 2 Condicionalismos edafo-climáticos Módulo N.º 3 Manutenção do pomar Módulo N.º 4 Manutenção do solo A oferta formativa deverá incluir cursos constituídos por todos os módulos obrigatórios de uma tipologia de curso. É possível, igualmente conceberem-se acções de formação incluindo apenas alguns módulos técnicos, desde que sejam incluídos os módulos de Introdução à Fruticultura e Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Agrícola e Protecção Ambiental contemplados no âmbito deste referencial. Permite às entidades promotoras/formadores de formação profissional conceberem ofertas formativas com base nos respectivos cursos sendo que: O curso de Fruticultura é composto por 8 módulos obrigatórios; O curso de Operador Agrícola em Fruticultura é composto por 10 módulos obrigatórios; O curso de Podadores/Enxertadores é composto por 4 módulos obrigatórios; O curso de Operador de Máquinas Agrícolas e Equipamentos Frutícolas é composto por 4 módulos obrigatórios; É possível a frequência de um módulo técnico, desde que o candidato tenha frequentado formação profissional equiparada à da área dos módulos de Introdução à Fruticultura e Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Agrícola e Protecção Ambiental e que sejam reconhecidos pela DRAPN para tal efeito; A duração mínima dos módulos/cursos encontra-se definida ao nível das unidades modulares; Deverá ser sempre respeitada a estrutura/sequência modular definida na estrutura de cada curso. A emissão de certificados de formação por parte das entidades formadoras que pretendam que estes sejam reconhecidos para efeitos de certificação profissional devem respeitar a aplicar as normas definidas pelo Decreto Regulamentar n.º 35/2003 de 23 de Abril. A frequência com aproveitamento de um dos cursos referenciados, permite o reconhecimento/homologação dos certificados de formação profissional emitidos pelas entidades formadoras por parte do MADRP Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas. Tal reconhecimento/homologação tornar-seá relevante para efeitos de reconhecimento/homologação de conhecimentos e competências no âmbito do SNCP Sistema Nacional de Certificação Profissional, nomeadamente para o perfil de Operador Agrícola em Fruticultura. O reconhecimento/homologação dos cursos por parte do MADRP para efeitos 15 da validação de conhecimentos/competências no âmbito do SNCP, caracteriza-se sob duas vertentes a realçar: Num processo a iniciar para a obtenção de um CAP Certificado de Aptidão Profissional, a apresentação pelo candidato de um certificado de formação profissional reconhecido/homologado pelo MADRP, torna-se à priori relevante; Num processo já em curso para a obtenção de um CAP Certificado de Aptidão Profissional, a necessidade de obtenção de um certificado de formação profissional por via da frequência de um curso completo ou de um curso modular concebido no âmbito do actual referencial de formação e reconhecido pelo MADRP pode tornar-se à posteriori relevante. No presente referencial foram concebidas Fichas Pedagógicas modulares com o objectivo de fornecer a todos os formadores/utilizadores orientações que se julgam pertinentes para a condução da monitoragem dos conteúdos programáticos, assim como uniformizar orientações metodológicas no processo de aprendizagem dos potenciais formandos. A Ficha Pedagógica é constituída por uma série de itens relativos a cada módulo conforme a seguir se descriminam: Número; Designação; Duração teórica, prática e total expressa em horas; Objectivo geral; Objectivos específicos; Época de realização em que se descriminam sempre que necessário épocas de realização específicas; Metodologia pedagógica em que se descriminam os métodos e técnicas pedagógicas mais adequados às temáticas a abordar; Tipos de avaliação; Quanto ao momento: Avaliação Diagnostica (antes do início das sessões formativas), em que se define se a mesma deverá ser efectuada ao nível do módulo ou da unidade, permitindo ao formador posicionar o nível de conhecimentos dos formandos relativamente aos conteúdos a abordar; Avaliação Formativa (no decorrer das sessões formativas), em que se define igualmente se a mesma deverá ser efectuada ao nível do módulo ou da unidade, permitindo ao formador e ao formando equacionar acções correctivas relativas à aprendizagem em curso, tendo em vista a verificação do alcance ou não dos objectivos inicialmente estabelecidos no âmbito do módulo/unidade; Quanto ao processo: Avaliação Criterial da Aprendizagem (no decorrer das sessões 16 formativas), culminando em simultâneo com o encerramento do módulo/unidade), em que se define a que nível deverá a mesma ser efectuada, tendo em vista o alcance ou não dos objectivos inicialmente estabelecidos; Técnicas/Instrumentos para a avaliação criterial da aprendizagem em que se define a sua tipologia para a avaliação de conhecimentos, e de competências no caso de prova prática, a aplicar aos respectivos formandos, tendo em vista decidir do alcance ou não dos objectivos inicialmente estabelecidos. Critérios para a Avaliação Criterial da Aprendizagem, em que se define para cada técnica/instrumento, qual o critério respectivo a aplicar na avaliação do formando. Infra-estruturas físicas; Equipamento didáctico pedagógico da sala de formação; Equipamento didáctico pedagógico para a formação prática; Equipamento didáctico pedagógico por formando para a formação prática. Equipamento de protecção individual (EPI) Programa do módulo. 4. REFERENCIAIS DE FORMAÇÃO 4.1. Referenciais de Formação na Área da Fruticultura Identificação e Fundamentação A fruticultura do Entre Douro e Minho (EDM), foi sempre uma actividade com menor expressão quando comparada com outras actividades como por exemplo a vinha, o leite e a carne. Ao longo dos últimos anos, tem-se verificado uma diminuição do número de fruticultores bem como da mão-de-obra especializada que se dedicava a essa actividade. As alterações que a globalização introduziu em todas as actividades económicas e que também teve reflexos na agricultura, provocaram nos último anos uma mudança no paradigma de produção, donde o aparecimento de novas culturas (actinidea), bem como a introdução de novas variedades frutícolas e uma evolução muito acentuadas das técnicas de produção criaram um conjunto de necessidades técnicas, de gestão e comercialização que levaram à definição de perfis de operadores da fileira que poderão ajudar a estruturar uma nova fruticultura que se pretende para o EDM. Assim, a identificação dos pontos fracos da cadeia frutícola e a definição de 17 perfis de operadores criaram a necessidade de elaboração do presente referencial como instrumento potenciador para a aquisição de competências técnicas e conhecimentos por parte dos agentes activos da fileira em questão, elevando a qualificação da mão-de-obra e a consequente rentabilização social, económica e ambiental das explorações frutícolas. Neste sentido e a fim de dar reposta às exigências da própria fileira, incluindo o mercado, conceberam-se no âmbito deste referencial quatro perfis profissionais, a que corresponde um igual número de cursos: Curso de Fruticultura; Curso de Operador Agrícola em Fruticultura; Curso de Podador Enxertador; Curso de Operador de Máquinas Agrícolas e Equipamentos Frutícolas Descrição Geral do Perfil de Fruticultor Destinatários Activos do sector frutícola e potenciais investidores/activos do sector. Área de formação Produção Agrícola e Animal. Curso/Saída profissional: Relacionado com parte do perfil de Operador Agrícola em Fruticultura definido no SNCP e com parte do curso de formação inicial de Operador Agrícola em Fruticultura. Nível de formação Nível II. Componente de formação Científica Tecnológica. Objectivo global Organizar e executar tarefas inerentes à actividade frutícola, nomeadamente no que diz respeito à instalação do pomar, propagação e condução, manutenção do pomar, manutenção do solo, colheita, gestão e inovação das explorações frutícolas, segundo os normativos de segurança, higiene e saúde no trabalho agrícola e de protecção ambiental. Actividades principais: 1. Proceder à preparação do terreno para instalação de árvores de fruto e de outras culturas frutícolas: 1.1. Efectuar a mobilização do solo necessária ao correcto estabelecimento das árvores de fruto, de modo a proporcionar boas condições de enraizamento e desenvolvimento das mesmas; 1.2. Marcar o local de plantação do pomar de acordo com o compasso e a orientação da cultura, utilizando processos manuais ou mecânicos e instrumentos de medida; 1.3. Preparar e aplicar os produtos necessários à fertilização, correcção e desinfecção do solo e ao controlo de infestantes. 18 2. Instalar as árvores de fruto de acordo com as operações culturais a realizar: 2.1. Efectuar a plantação em local definitivo, tendo em conta o compasso determinado; 2.2. Instalar sistemas de rega localizada adequados; 2.3. Efectuar a enxertia, utilizando os métodos adequados à espécie. 3. Proceder às operações culturais necessárias ao desenvolvimento das árvores de fruto, tendo em conta os hábitos vegetativos das espécies e as condições edáfo-climáticas: 3.1. Efectuar a tutoragem das plantas, utilizando diferentes tutores; 3.2. Efectuar os diferentes tipos de poda de acordo com os sistemas de condução escolhidos, os hábitos de frutificação das espécies, variedades e o seu estado de desenvolvimento e sanitário; 3.3. Proceder à rega das árvores de fruto de acordo com a espécie, a fase do ciclo vegetativo e as condições edáfo-climáticas; 3.4. Efectuar as fertilizações, protecção das culturas de acordo com a espécie, a sua fase de desenvolvimento, o seu estado nutritivo, sanitário e as condições edafo-climáticas; 3.5. Efectuar a monda de flores e frutos, tendo em vista o controlo da produção; 3.6. Efectuar o controlo das infestantes, física ou quimicamente, de modo a proporcionar boas condições vegetativas e sanitárias e a facilitar outras operações culturais; 3.7. Efectuar a colheita dos frutos, manual ou mecanicamente, tendo em conta as suas características e os fins a que se destinam. 4. Registar dados relativos às operações efectuadas, para utilização técnica e contabilística, a fim de controlar a produtividade da exploração. 5. Descrever os pressupostos de um plano de
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks