Documents

04 a Influencia de Filmes Violentos Em Comportamento Agressivo de Criancas e Adolescentes

Description
...
Categories
Published
of 18
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  1 Gomide, Paula Inez Cunha. (2000). A influência de filmes violentos em comportamento aressivo de crian!as e adolescentes. Psicologia: Reflexão e Crítica , 13 ( ), 2#$ % . http&''d.doi.or' 0. *0'+0 02$#*#22000000 000 % A influência de filmes violentos em comportamento agressivo decrianças e adolescentes Paula Inez Cunha Gomide 1   2  Uniersidade !ederal do Paran Resumo e-ricos da Aprendizaem +ocial salientam ue as pessoas comportam$se de maneira similar a modelos ueavaliam com alto status  social ou de sucesso. /sta pesuisa foi realizada para avaliar a influência de filmesviolentos em comportamento aressivo tanto de crian!as como de adolescentes.  eperimento I estudou10 adolescentes, de am3os os seos, em uatro rupos, um controle e três ue tiveram seuscomportamentos aressivos, medidos em 4oo de fute3ol, ap-s assistirem a filmes violentos, com e semher-i e n5o violento.  eperimento II reistrou os comportamentos aressivos de 0 crian!as, dos doisseosem 4oo de fute3ol, antes e ap-s assistirem a filme violento e n5o violento. s resultados mostraramue o comportamento aressivo das crian!as e adolescentes do seo masculino aumentou ap-s assistirem aum filme violento, com her-i, o mesmo n5o ocorreu com as mulheres. Por6m, uando a violência refletiua3uso f7sico, psicol-ico ou seual houve um aumento sinificativo do comportamento aressivo emadolescentes dos dois seos. /ssa 8ltima vari9vel, apesar dos correlatos positivos com comportamentoantisocial precisa ser melhor investiada. Palaras#chaes:  :ilme violento; comportamento aressivo; crian!as e adolescentes. The influence of violent films on children’s and adolescents’ aggressive behavior Abstract +ocial learnin authors pointed out that people 3ehave in a <a= to imitate the pattern <hich the= evaluate ashavin hih social status or success. he present research <as desined to assess the influence of violentfilms on children and adolescents> aressive 3ehavior. /periment I studied 10 adolescents, of 3othenders, in four roups& one <as a control roup and the other three <atched violent films, <ith and <ithout ahero, and a nonviolent film. Aressive 3ehavior <as measured in a foot3all ame after the= had <atched thefilms. /periment II recorded the aressive 3ehavior of 0 children, 3oth enders, durin a foot3all ame,3efore and after <atchin a violent and a nonviolent film. he results sho<ed that aressive 3ehavior of malechildren and adolescents increased after the= had <atched the violent film <ith a hero. his effect <as noto3served <ith females. +till, <hen violence involved seual, ps=choloical, or ph=sical a3use there <as asinificant increase in aressive 3ehavior of 3oth enders. his varia3le sho<ed positive correlations <ithantisocial 3ehavior and needs more investiation in the future. $e%&ords:  ?iolent films; aressive 3ehavior; children and aolescents. A sociedade moderna convive, diuturnamente, com rupos de seres humanos ue apresentam altos 7ndicesde aressividade. Antrop-loos, fil-sofos, psic-loos e cientistas sociais têm se de3ru!ado so3re a uest5oda aressividade humana, investiando, principalmente, a sua natureza (Gomide, **#). Inata ou aprendida@/sta uest5o foi formulada no in7cio do s6culo, na tentativa de orientar os estudos so3re a aress5o, epermeou as principais investia!es so3re o tema. e-ricos aui representados por Bandura e Iesta( *#1' *#), Bo<l3= ( **, *#1), /i3l$/i3sfeldt ( *#0, *D*), Einde ( *#%), Forenz ( *), ontau ( *# , *#D) e +Hinner ( **) entre outros, chamam a aten!5o para a influência de determinadas circunstnciaam3ientais para o desenvolvimento do comportamento aressivo. A esp6cie humana 6 proramada, assimcomo as demais esp6cies do planeta, para viver harmoniosamente em seu meio am3iente desde ue ascondi!es am3ientais se4am favor9veis. Alterando$se o ha'itat natural do ser humano, atrav6s da priva!5o dealimento ou espa!o, da retirada do afeto ou dos cuidados parentais, ou provocando dor, f7sica ou psicol-ica,  2 em seu oranismo, pode$se produzir um indiv7duo com altos 7ndices de aressividade uando comparadocom outro ue vive em am3iente favor9vel. As pesuisas, na 9rea da aress5o, têm demonstrado o aumentoda aressividade dos indiv7duos, humanos e de outras esp6cies animais, uando estimula!es aversivas,com alto rau de violência, s5o apresentadas aos participantes em estudo, (Azrin, Eutchinsone J clauhlin, *; Bandura J Iesta, *#1' *#; BerHo<itz J Alioto, *#1; /ron, FefHo<itz, Euesmann J Kalder, *#2;eddnicH, Brenannan J Landel, *DD; +tiffman, More J Cunninham, *; ulloch, **; Kidom, *D*;Korchel, Eard= J Eurle=, *#). Ma mesma maneira, têm se encontrado aumento da aressividade, uandoos indiv7duos s5o criados sem afeto, isolados socialmente, nelienciados (Bo<l3=, **, *#1; Earlo< JEarlo<, *2), ou ainda, uando sofrem a3uso, f7sico, seual ou psicol-ico, na infncia (Kidom, *D*). As duas principais causas de mortalidade do mundo moderno, seundo Nosen3er e :enle= ( ** ) têm sidoas doen!as infecciosas e a violência. /ntre os adolescentes, das cinco principais causas de mortalidade trêsest5o relacionadas O violência& ferimento, homic7dio e suic7dio, e na classe de adolescentes neros 6 aviolência a principal causa de mortalidade. A  (merican Ps%chological (ssociation  (APA; http&''<<<.apa.or ) pu3licou um relat-rio informativo, de *D, a3ordando os principais estudos e concluses realizados so3re os perios, em crian!as e adolescentes, deassistir a filmes violentos. As pesuisas psicol-icas mostraram três randes efeitos dos filmes violentos, asa3er& ) crian!as e adolescentes podem tornar$se menos sens7veis a dor e ao sofrimento dos outros. Aueles ue assistem muitos proramas violentos s5o menos sens7veis a cenas violentas do ue auelesue assistem pouco, em outras palavras, a violência os importuna menos, ou ainda, consideram, em menor rau, ue o comportamento aressivo est9 errado; 2) crian!as e adolescentes podem se sentir maisamedrontados em rela!5o ao mundo ao seu redor. A APA relata ue proramas infantis têm vinte cenasviolentas a cada hora, permitindo ue crian!as ue vêm muita ? pensem ue o mundo 6 um luar perioso;1) crian!as e adolescentes podem, provavelmente, se comportar de maneira aressiva ou nociva em rela!5oaos outros, ou se4a, comportam$se de maneira diferente ap-s assistirem a proramas violentos em ?. Al6mdisso, crian!as ue assistem desenhos animados, mesmo considerando$os enra!ados, têm maior pro3a3ilidade de 3ater em seus companheiros de 4oos, deso3edecer reras, deiar tarefas inaca3adas, eest5o menos dispostas a esperar pelo ue dese4am, do ue as ue n5o assistem a proramas violentos. A revista ?e4a realizou nos meses de maio e 4unho de **# uma pesuisa a respeito da insatisfa!5o dos paise m5es frente O televis5o 3rasileira (?alladares, **#). :oram entrevistadas D0 pessoas de seis cidades3rasileiras (Nio de aneiro, +5o Paulo, Porto Alere, Necife, Q3erlndia e Goinia). s resultados mostraramue o maior constranimento para os pais ocorre uando assistem cenas de seo, estupro e rela!eshomosseuais com sua fam7lia. Al6m de considerarem as novelas, os filmes e os proramas policiaisinadeuados para crian!as, n5o ostam ue seus filhos assistam Os cenas de homosseualismo e de uso dedroas. /ssa discuss5o so3re o ue 6 ou n5o adeuado para ser transmitido pelas emissoras de televis5oocorre tam36m em outros pa7ses como os /QA, a :ran!a e a Arentina. Reste 8ltimo, por eemplo, houveum acordo entre o overno e as emissoras ue durante o hor9rio, das oito horas da manh5 at6 as 20 horas, $chamado hor9rio de prote!5o ao menor de idade, n5o seriam transmitidos filmes violentos ou proramas comcenas de seo. Por outro lado, a :ran!a o3ria, atrav6s de lei especial, as emissoras a transmitir um m7nimode três horas semanais de proramas educativos (?alladares, **#).uitos estudos têm eaminado os diferentes fatores associados com comportamento violento& alunseaminam a influência dos fatores en6ticos (Milalla J Gottesman, ** ) e contri3ui!es fisiol-icas(eddnicH, Brenannan J Landel, *DD); outros têm eaminado o 3aio desempenho escolar, a 3aia auto$estima e a 3aia epectativa (ettin J Beauvais, *D#), ou ainda o uso de su3stncias t-icas (+tiffman,/arls, More, Cunninham J :ar3er, **). E9 ainda uem analise a influência do am3iente na ênese daviolência, focalizando o a3uso seual na infncia, rela!es de fam7lia e comunidades violentas (Nopper, ** ). /ste 8ltimo autor, por eemplo, aponta ue adolescentes homicidas s5o mais comumenteprovenientes de fam7lias criminalmente violentas e ue sofreram a3uso seual na infncia. Mois ter!os dosassassinos tiveram eperiência 3rutal, continua e implac9vel na infncia, seundo ason ( ** )./ntre as vari9veis estudadas, uma delas chama especial aten!5o da sociedade e dos pesuisadores, poisn5o se inclui entre os chamados comportamentos de risco ou anti$sociais& trata$se dos efeitos de filmesviolentos no desenvolvimento de comportamentos aressivos nas pessoas (Azrin e cols., *; Bandura JIesta, *#1' *#; BerHo<itz J Alioto, *#1; /ron e cols., *#2; :riedrich$Cofer J Euston, *D; Geen, **0;Iesta, *#; Fie3ert J +prafHin, *DD; eddnicH e cols., *DD; +n=der, ** , **; +tiffman e cols., *;ulloch, **; Kidom, *D*; Korchel e cols., *#).  3  As peruntas formulada pelos cientistas da 9rea de filmes violentos a3ordam duas uestes& A o3serva!5oda violência pode tornar as pessoas mais aressivas do ue seriam naturalmente@ e /m ue etens5o umcomportamento aressivo pode ser influenciado pela o3serva!5o da violência na m7dia@  paradima 39sicodas pesuisas têm sido a manipula!5o de v9rios fatores situacionais e motivacionais antes e ap-s aapresenta!5o de filmes aressivos aos participantes e a oportunidade posterior destes ena4arem$se emaluma forma de comportamento aressivo. A industria cinemator9fica come!a a retratar delinSência 4uvenil em *10 e, essa pr9tica, continua at6 osdias de ho4e. ovens de doze a dezoito anos compreendem %0T dos freSentadores de cinemas americanos,sendo ue essa faia et9ria corresponde a apenas *T da popula!5o. s delinSentes aprovam o estilo devida antisocial dos filmes e re4eitam os estilos de vida convencionais.  comportamento delinSente 6aprendido em intera!5o com outras pessoas em um processo de comunica!5o e o processo deaprendizaem do delinSente ocorre dentro de um rupo 7ntimo, de acordo com +utherland e Cresse=( *#D). +e um filme ue representa a delinSência est9 consonante com as pr-prias eperiências dos 4ovens,um alto poder interativo poder9 ocorrer com o delinSente, ou futuro delinSente. Mois processos podem ser desencadeados, seundo +n=der ( **), o da desini3i!5o e o da dessensi3iliza!5o. Para este autor,desini3i!5o 6 um fenUmeno ue ocorre uando atos violentos, em filmes, s5o perce3idos como 4ustific9veisaumentando comportamentos aressivos de uem os assiste em uma situa!5o posterior e dessensi3iliza!5o6 uando, 4ovens predispostos a aceitar comportamento delinSente em outras pessoas, podem aumentar oseu pr-prio 7ndice de comportamento aressivo, ap-s 3reve eposi!5o a cenas violentas e tal atitude deaceita!5o pode ser at6 mesmo maior do ue a de 4ovens ue se comportam aressivamente contra outros. Aprendizagem Social s estudos de la3orat-rio de Bandura e Iesta ( *#1' *#) fornecem um interessante modelo te-rico paraeplicar a aprendizaem por o3serva!5o. Participantes aprendem a se comportar aressivamente a partir deo3serva!5o de um modelo ue 6 refor!ado pelo seu comportamento aressivo. A maioria dos her-is defilmes violentos (+tallone, ?an Mame, Bruce Fee, etc.) 4ustificam seu comportamento violento por estar emdefesa de valores sociais liados O fam7lia, overno, territ-rio, etc. /ssa 4ustificativa permite ue participantes,ap-s assistirem muitas horas de proramas violentos, deiem de considerar aueles comportamentosaressivos como desviantes, e passem a aceit9$los como maneira apropriada para resolver pro3lemas davida real.  efeito da violência da televis5o na aress5o 6 relativamente independente de outros fatores taiscomo status  social do o3servador, aspira!es, pr9tica reliiosa, etnia e desarmonia entre os pais, diz /ron ecola3oradores ( *#2). A teoria da aprendizaem social postula ue os valores e as condutas anti$sociais dos adultos ecompanheiros vêm servir como normas a serem seuidas, as uais ser5o imitadas pelos delinSentes empotencial. +arason ( *D) afirma ue a conduta social aceit9vel e muitos desvios Os normas comumente seeplicam em raz5o dos tipos de informa!5o a ue o indiv7duo têm acesso e a importncia dada a essasinforma!es. Por eemplo, os adolescentes ue n5o acreditam na possi3ilidade de o3ter o ue dese4am por meios le7timos talvez sucum3am O tenta!5o de utilizar t9ticas anti$sociais para epressar seudescontentamento ou para o3ter o ue dese4am. Miz o autor, ue V49 os psicopatas, apesar de conhecerem oCerto e o /rrado, utilizam$se de uaisuer meios para atinir seus fins.V (p. 2)/ssa linha de pesuisa demonstra ue uma maneira da violência na m7dia influenciar a aress5o 6ensinando novas respostas aressivas atrav6s do processo de aprendizaem o3servacional. A violência ue6 apresentada como moralmente 4ustificada, onde a v7tima merecia ser atacada, elicia comportamentoaressivo, enuanto ue violência n5o 4ustificada n5o têm efeito ou pode at6 mesmo provocar uma ini3i!5oda aress5o. :oi verificado, tam36m, ue uando participantes o3servam, em filmes, um atentado devinan!a fracassado eles tendem a ser menos aressivos em atividade posterior, do ue uando a vinan!a6 seuida de sucesso, ou se4a, a o3serva!5o de um ataue de vinan!a fracassado pode parecer aoparticipante ue a retalia!5o têm conseSências punitivas e pode refor!ar ini3i!5o (Geen, **0)./studos salientam ue uando o o3servador identifica$se com o aressor 6 mais prov9vel ue ele tenha seucomportamento aressivo alterado. As pesuisas de BerHo<itz e Alioto ( *#1) e de :esh3ach ( *) têmmostrado ue uanto mais semelhante O situa!5o real for a violência na m7dia, maior ser9 o aumento daviolência. Por outro lado, uanto mais a violência se assemelhar O fic!5o, menor ser9 o aumento da violênciaposterior. /stes autores suerem ue crian!as ue o3servam violência praticada por crian!as ficam maistolerantes a comportamento aressivo de crian!as. /stes estudos relataram ue crian!as ue viram violência  4 na ? manifestaram um aumento na tolerncia para atos aressivos uando os testemunharam pela primeiravez. Memonstraram, tam36m, ue crian!as, filhos de pais aressivos e re4eitadores, s5o mais aressivas uecrian!as ue vêem filmes violentos.Pesuisas mostraram resultados alentadores com 4ovens delinSentes presos, ue ap-s terem sidosu3metidos a proramas, em ue tiveram a oportunidade de aprender comportamentos pr-$sociais por o3serva!5o, tornaram$se seres mais adaptados socialmente (Patterson, *# ; Neid, *#; +arason, *D;+arason J Ganer, **).+Hinner ( **) afirma ue a aress5o filoen6tica poder9 reduzir$se ao m7nimo diminuindo$se os est7muloseliciadores e desencadeadores da aress5o. Afirma o autor ue Vpoderemos construir um mundo onde o malcausado Os demais pessoas n5o tenha nenhum valor de so3revivência e ue, por essa e outras razes, n5ocheue nunca a funcionar como refor!ador. +er9 por necessidade, um mundo em ue os comportamentosn5o aressivos se4am refor!ados a3undantemente com 3ase em proramas eficazes.V (p. 2 ) A literatura da 9rea tem encontrado, consistentemente, ue homens imitam mais comportamento aressivoue mulheres (Bandura J Iesta, *#1' *#; +tras3urer, ***). /iste uma socializa!5o diferencial entremeninos e meninas. uito cedo, as meninas aprendem ue a aress5o f7sica 6 um comportamentoindese49vel para meninas e, ent5o, aduirem comportamentos mais compat7veis e esperados para o seuseo. Qma das hip-tese levantadas para a n5o violência em mulheres diz respeito a epectativa de sucessodo comportamento violento. As arotas têm maior epectativa neativa de resultados de seus pr-prios atosaressivos do ue arotos, de forma ue 6 poss7vel ue diferen!as comportamentais se4am produzidas por essas diferen!as de resultados, com arotas se socializando menos aressivamente. Mesde ue apresentam3aio 7ndice de comportamento aressivo, conseuentemente, rece3em pouca puni!5o ou refor!amento paratal comportamento e n5o se tornam muito responsivas para dicas do am3iente para aress5o. Bandura eIesta ( *#1' *#) demonstraram, por outro lado, ue uando arotas s5o refor!adas positivamente por imitar comportamento aressivo elas passam a responder de maneira similar aos meninos. Ro entanto, h9uma taa muito 3aia de violência cometida por mulheres, em proramas de ?, de forma ue as meninasencontram poucos modelos a imitar. A pesuisa de ulloch ( **) revelou ue enuanto as mulheres mostram um aumento eneralizado dare4ei!5o da violência com a idade os homens respondem aos proramas espec7ficos. Ro esporte h9 umaumento da tolerncia da violência entre os homens a medida ue aumenta a idade. Murante a adolescênciaa perspectiva dos arotos e arotas uanto O violência no esporte fica associada O masculinidade, nosarotos a violência no esporte faz parte da su3cultura. Wuando a violência estava associada ao seu pr-priorupo social os estudantes da classe tra3alhadora re4eitaram mais a violência ue os de classe m6dia./studantes re4eitam as solu!es para a aress5o dom6stica, incluindo estrat6ias de apaziuamento e n5ointerven!5o. Outras Evidências Experimentais /studos lonitudinais têm demonstrado uma correla!5o positiva entre tempo despendido em ver filmesviolentos e comportamento aressivo, ao lono de anos (/ron e cols., *#2; Euesmann, *D). am36m osestudos transculturais realizados por Euesmann e /ron ( *D) durante três anos, com mais de 000 4ovensdo seo masculino e feminino, em v9rios pa7ses (:inlndia, PolUnia, Israel), demonstraram consistência comos dados o3tidos nos /QA.Proramas de televis5o com forte ênfase em violência interpessoal, em situa!es de ilealidade, foraminvestiados por terem correla!5o com incitar aress5o e ensinar t6cnicas espec7ficas de comportamentoaressivo (/ron e cols., *#2). /m la3orat-rio têm$se demonstrado aparecimento imediato decomportamento aressivo em participantes ue presenciaram filmes violentos (Bandura J Iesta, *#1' *#)./ron e cola3oradores ( *#2) correlacionaram comportamento aressivo e h93ito de assistir a filmes violentosem %2# adolescentes, 2 homens e 2  mulheres, coletando dados, em uma primeira fase aos oito$noveanos e dez anos mais tarde. As medidas utilizadas para medir aressividade foram& taa de comportamentoaressivo atri3u7da por coleas (  )eerrated aggression ) e preferência por proramas violentos na televis5o. Apreferência pelo prorama de ? foi feita peruntando$se Os m5es e aos participantes ual os três proramas
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks