Documents

A Blindagem do Escopo como fator de sucesso para o projeto.pdf

Description
A BLINDAGEM DO ESCOPO COMO FATOR DE SUCESSO PARA O PROJETO ALMEIDA, Andréia Mendes1 PAURA, Glávio Leal2 RESUMO A Gestão de Projetos tem despontado no cenário empresarial como estratégia que confere às organizações importante diferencial competitivo em um panorama socioeconômico marc
Categories
Published
of 17
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  A BLINDAGEM DO ESCOPO COMO FATOR DE SUCESSO PARA O PROJETO ALMEIDA, Andréia Mendes 1  PAURA, Glávio Leal 2   RESUMO A Gestão de Projetos tem despontado no cenário empresarial como estratégia que confere às organizações importante diferencial competitivo em um panorama socioeconômico marcado pela velocidade das mudanças e desafios. Neste artigo pretende-se demonstrar a importância de um escopo bem definido para o sucesso do projeto. O Escopo é considerado a essência do projeto e sua definição é fundamental para o Planejamento do Projeto. Se bem definido aumenta as chances de sucesso do projeto. Por outro lado, um escopo incompleto ou mal definido pode impactar áreas críticas como custos, prazo e qualidade e conduzir o projeto ao fracasso. O objetivo deste estudo é identificar as falhas ocorridas no processo de definição do escopo e apresentar medidas para evita-las ou corrigi-las. Este artigo caracterizou-se como pesquisa qualitativa de caráter exploratório. As estratégias utilizadas foram o estudo de caso, o referencial bibliográfico e a análise documental. Os resultados foram obtidos a partir da análise comparativa entre dois projetos – um executado de forma planejada e outro não – que evidenciou as principais falhas ocorridas na elaboração do escopo e comprovou a importância de um escopo bem planejado e definido para o sucesso do projeto. Desta forma, embasado nesta pesquisa apresentam-se técnicas que poderão contribuir para assegurar não apenas a elaboração de um escopo bem detalhado, claro e conciso, mas também de resguardar o que foi definido e acordado, buscando minimizar ou até mesmo evitar que possíveis mudanças interfiram de forma negativa no resultado do projeto. Palavras-chave : Gestão de Projetos, Planejamento, Escopo do Projeto. 1 INTRODUÇÃO O atual cenário socioeconômico, marcado pela velocidade das mudanças e desafios, somente as organizações com maior capacidade de adaptação terão mais chances de sobreviver. Com o advento da globalização, todos os setores sofreram com o impacto do aumento na concorrência e, para se destacar e prosperar com 1   Cursando Especialização MBA em Gestão de Projetos (2017) Centro Universitário Internacional Uninter. Graduada em Administração (2013) Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior. 2  Mestre em Engenharia de Produção (2005) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – Especialização em Logística Internacional e Empresarial (2001) Universidade Gama Filho (UGF) - Graduação em Licenciatura de Física (2002) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)  2 sustentabilidade, muitas organizações têm adotado novas técnicas gerenciais para conduzir seus negócios. Kerzner (2002) ratifica: Ao longo de quase 30 anos, a gestão de projetos era tida como um processo inovador, mas estava muito longe de ser vista como essencial para sobrevivência da empresa. Em meados da década de 90, as empresas viram-se submetidas às severas pressões competitivas para criar produtos de qualidade, em prazos cada vez menores, e a importância do desenvolvimento de uma relação de confiança de longo prazo com os clientes também passou a ser uma das prioridades. (Kerzner, prefácio, 2002). Neste contexto, desponta o Gerenciamento de Projetos como uma estratégia que confere às empresas importante diferencial competitivo na realização de seus objetivos estratégicos e obtenção de resultados satisfatórios. Por ser um modelo de gestão baseado no foco em prioridades e objetivos, é aplicável a qualquer negócio, independente da área de atuação e, se bem conduzido pode trazer inúmeros benefícios para as organizações. Vargas (2009) explica que: Para atender a demandas de maneira eficaz, em um ambiente caracterizado pela velocidade das mudanças, torna-se indispensável um modelo de gerenciamento baseado no foco em prioridades e objetivos. Por essa razão, o gerenciamento de projetos tem crescido de maneira tão acentuada no mundo nos últimos anos.   (Vargas, 2009, p.3).  Entretanto, se mal geridos, os projetos falham ou não atingem os resultados esperados e, podem até mesmo por em risco a própria sobrevivência da empresa. A pesquisa “O Estudo de  benchmarking em gerenciamento de projetos   Brasil” (PMSURVEY.ORG,2014) aponta que grande parte das falhas na Gestão de Projetos ocorrem devido a deficiências no processo de definição do Escopo. A Definição do Escopo é o marco inicial do projeto e a base para seu planejamento: determina o que será entregue, quando será entregue, quem é o responsável, como será feita a entrega e quanto vai custar. Considerando este cenário, o objetivo deste artigo é analisar como um escopo bem planejado e definido pode contribuir para o sucesso do projeto. As principais contribuições deste artigo convergem para identificação de mecanismos que evitem ou minimizem erros na definição do escopo e a recomendação de técnicas que poderão contribuir não apenas com a elaboração de  3 um escopo bem detalhado, claro e conciso, como também resguardar o que foi definido e acordado, buscando minimizar ou até mesmo evitar que possíveis mudanças interfiram de forma negativa no resultado do projeto. Este estudo caracterizou-se como pesquisa qualitativa de caráter exploratório. Os principais procedimentos utilizados foram o estudo de caso, a revisão bibliográfica e a análise documental. Constitui-se em uma análise comparativa entre dois cenários: o primeiro cenário refere-se aos projetos gerenciados sem planejamento prévio, mais conhecido por “fazejamento”. O segundo cenário contempla os projetos gerenciados com aplicação de técnicas e procedimentos embasados na metodologia PMBOK. Por ser o Escopo fator crítico para o sucesso ou fracasso do projeto e também por exercer grande influência sobre as demais áreas do projeto, justifica-se a relevância na escolha do tema. 2 GESTÃO DE PROJETOS O PMBOK (PMI, 2013, p.3) define projeto como: “um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado único”. Vargas (2009) complementa: Projeto é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma sequência lógica de eventos, om início, meio e fim, que se destina a atingir um objetivo claro e definido, sendo conduzido por pessoas dentro de parâmetros predefinidos de tempo, custos, recursos e qualidade. (Vargas, 2009, p.6). Os projetos estão presentes em nosso dia-a-dia, tanto no aspecto profissional quanto pessoal: na aquisição de um bem, na decisão de ter um filho, realizar uma festa de casamento, realizar uma viagem, investir nos estudos, ainda que inconscientemente, o projeto está inserido em nossa rotina. E, todo projeto demanda planejamento, tempo, dinheiro e disposição para serem concretizados. Os projetos apresentam diferentes níveis de complexidade: podem ser simples como a organização um churrasco ou arrojados como a construção de um Parque Temático. Independente do grau de complexidade, todo projeto envolve recursos, tempo, custos para realização de uma série de tarefas orientadas para  4 atingir os objetivos e produzir resultados que atendam às expectativas do cliente. E, para que o projeto se materialize, é preciso adotar uma metodologia que se ajuste às suas especificidades. Xavier (2009, p.2) afirma que gestão de projetos é “ um ramo da Ciência da Administração que trata do planejamento, execução e controle de projetos”. Segundo o PMBOK (PMI, 2013) “gerenciamento de projetos é a aplicação do conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para atender seus requisitos”. Complementado Kerzner (2002, p.17) define gestão de projetos como “planejamento, programação, e controle de uma série de tarefas integradas de forma a atingir seus objetivos com êxito, para benefício dos participantes do projeto”. Gerenciar Projetos é aplicar uma sequência de procedimentos com objetivo de transformar ideais em resultados. Simplificando: gerenciar projetos é conceber objetivos e traçar estratégias para alcançá-los. Estabelecer e colocar em prática o Gerenciamento de Projetos requer tempo e uma série de processos que podem ser executados simultaneamente ou em etapas. O Planejamento é considerado o mais importante entre todos os processos, pois serve como base para os demais. Tudo precisa ser planejado com antecedência, não pode haver espaço para o improviso (CHIAVENATO, 2010). Para Stoner, Freeman: Planejar significa que os administradores pensam antecipadamente em seus objetivos e ações, e que seus atos são baseados em algum método, plano ou lógica, e não em palpites. São os planos que dão à organização seus objetivos e que definem o melhor procedimento para alcançá-los. (STONER; FREEMAN, 1999, p.5). O planejamento determina o que precisa ser feito, quem irá fazê-lo, quanto tempo irá levar e quanto irá custar (GIDO, CLEMENTS, 2007). Reservar tempo para elaboração do plano é fundamental para realização e sucesso do projeto. Planejar é fixar objetivos, metas e traçar estratégias para alcançá-los. É colocar a reflexão antes da ação, antecipar-se aos problemas e dificuldades futuros com intuito de trilhar o melhor caminho para atingir os objetivos e obter os resultados almejados. A gestão de projetos, de um modo geral, é fator crítico de sucesso para organizações.   (Gido, Clements, 2007.p.10) arremata “o processo de gestão de
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks