Paintings & Photography

A CONSTITUIÇÃO E O FUNCIONAMENTO DO GÊNERO JORNALÍSTICO ARTIGO: CRONOTOPO E DIALOGISMO

Description
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM LINGÜÍSTICA APLICADA E ESTUDOS DA LINGUAGEM (LAEL) A CONSTITUIÇÃO E O FUNCIONAMENTO DO GÊNERO JORNALÍSTICO ARTIGO: CRONOTOPO
Published
of 26
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM LINGÜÍSTICA APLICADA E ESTUDOS DA LINGUAGEM (LAEL) A CONSTITUIÇÃO E O FUNCIONAMENTO DO GÊNERO JORNALÍSTICO ARTIGO: CRONOTOPO E DIALOGISMO Tese apresentada à Banca Examinadora do Programa de Estudos Pós-Graduados em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, como exigência parcial para a obtenção do Título de Doutora em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem, sob a orientação da Prof. a Doutora Roxane Helena Rodrigues Rojo. Rosângela Hammes Rodrigues SÃO PAULO, FEVEREIRO DE 2001 ii Tese aprovada pela Comissão Julgadora para a obtenção do Grau de Doutora em Lingüística Aplicada e Estudos da Linguagem Banca Examinadora: Drª Roxane Helena Rodrigues Rojo (orientadora) iii A minha avó Cecília in memoriam A Mariane e ao Maurino iv AGRADECIMENTOS À Capes, pelo apoio financeiro, através da bolsa de doutorado; À Universidade Federal de Santa Catarina, pelo afastamento concedido para a formação; À Banca dos Exames de Qualificação, Prof a Roxane, Prof a Beth e Prof. Faraco, pela leitura atenta, pelas sugestões e pelo estímulo; À Prof a Roxane, orientadora, pelo acompanhamento no desenvolvimento da pesquisa; À Maria Lúcia, secretária do LAEL, pela atendimento cordial e eficiente; À Prof a Lúcia Flores, pela leitura crítica e atenta do trabalho; Ao Prof. Apóstolo, pelo esmero na versão do resumo; Ao Luciano, meu irmão, pelo ajuda inestimável nos acabamentos da tese; Aos pais, Lúcio e Líbia, pelo incentivo inicial; Ao marido e à filha, Maurino e Mariane, pelo apoio, carinho, compreensão e paciência; Aos muitos amigos e colegas que torceram por este trabalho: Joseane, Tina, dona Mina, Emília, Marta, Socorro, Lúcia, Heloísa, M. Inês, entre outros aqui não nomeados; Enfim, a todos aqueles que direta ou indiretamente contribuíram para a realização deste trabalho. v O discurso escrito é de certa maneira parte integrante de uma discussão ideológica em grande escala. Ele responde a alguma coisa, refuta, confirma, antecipa as respostas e objeções potenciais, procura apoio, etc. (Bakhtin) vi RESUMO Nesta pesquisa, elabora-se uma descrição interpretativa da constituição e do funcionamento do gênero discursivo artigo, da esfera jornalística. A fundamentação teórico-metodológica inscreve-se na linha sócio-histórica da constituição da linguagem e do sujeito, sobretudo nos trabalhos de Bakhtin: sua concepção de linguagem, de enunciado e de gênero do discurso. A descrição interpretativa do artigo foi elaborada a partir da análise de sessenta e dois artigos, publicados na seção de opinião de quatro jornais (dois de circulação nacional e dois de circulação estadual), coletados uma vez por mês, entre setembro de 1998 e março de A metodologia para a análise do gênero artigo apoiou-se na ordem metodológica proposta por Bakhtin: dos intercâmbios comunicativos sociais para os aspectos dos gêneros ou da língua, uma vez que não se pode dissociar o signo das formas concretas da comunicação social. No âmbito dessa perspectiva teórico-metodológica, os gêneros do discurso foram considerados como tipos históricos de enunciados, constituídos de duas dimensões essenciais inextricáveis, a social e a verbal. Na análise da sua dimensão social, mostraramse como elementos relevantes do artigo as especificidades da sua esfera social (finalidade ideológica do jornalismo no conjunto da vida social etc.) e a sua situação de interação nessa esfera: vinculação à seção de opinião, periodicidade diária, leitores das classes A, B, C como destinatários, concepção de autoria centrada nos critérios de prestígio social e midiológico. A partir da análise da parte verbal, concluiu-se que o artigo caracteriza-se como uma reação-resposta valorativa do seu autor face aos acontecimentos sociais da atualidade, de interesse da esfera jornalística. A produção da orientação apreciativa constrói-se através da relação dialógica particular das três instâncias enunciativas: a posição da autoria, que funciona como um argumento de autoridade, e seus desdobramentos enunciativos; a relação com os enunciados já-ditos, que o autor aproxima ou distancia do seu discurso (movimentos dialógicos de assimilação e de distanciamento), com vistas à produção da orientação argumentativa; a relação com a reação-resposta ativa do leitor, objetivando refutar objeções, engajá-lo ao seu discurso e interpelá-lo à adoção de uma determinada atitude valorativa (movimentos dialógicos de engajamento, refutação e interpelação). vii ABSTRACT This research aims at conducting an interpretive description of the constitution and functioning of the discursive genre article , of the journalistic sphere. Its theoreticalmethodological background follows mainly Bakhtin's socio-historical approach of language and subject constitution: his concept of language, utterance, and discursive genres. The interpretive description of the article was carried out based upon the analysis of sixty two articles, published in the opinion section of four newspapers (two of nationwide and two of statewide circulation), collected once per month, between September, 1998 and March, The methodology for the analysis of the genre article was centered upon that proposed by Bakhtin: from the communicative social exchanges to the genre or language aspects, given that one cannot dissociate the sign from the concrete forms of social communication. In the context of this theoretical-methodological perspective, discursive genres have been considered as historical types of utterances, composed of two inextricable fundamental dimensions, namely, the social and the verbal. In the analysis of the social dimension, this research shows the peculiarities of its social sphere (ideological aim of journalism in the whole of social life, etc.), and the interaction situation of the article in that sphere: linkage to the opinion section, daily periodicity, classes A, B, C readers as addressees, authorship s concept centered upon social status and media-criteria. The analysis of the verbal part leads to the conclusion that the article is characterized as a reaction-evaluative response of this author to current social events, which are of interest to the journalistic sphere. The appreciative-oriented production is constructed through the particular dialogic relationship of three enunciating instances: the author s position, which functions as an authority s argument, and its enunciating developments; the relationship with the already produced utterances, which the author approximates to or distances from his discourse (dialogic movements of assimilation and distancing), aiming at argumentative-oriented production; the relationship with the reader s active reactionresponse, with the purpose of refuting objections, engaging him in his discourse and interpellating him vis-à-vis the adoption of a certain evaluative attitude (dialogic movements of engagement, refutation, and interpellation). viii SUMÁRIO INTRODUCÃO... 1 CAPÍTULO I OS GÊNEROS DO DISCURSO NA TEORIA BAKHTINIANA... 1 A natureza sócio-ideológica da linguagem... 2 O enunciado: unidade concreta e real da comunicação discursiva A dimensão social constitutiva Características particulares A alternância dos sujeitos discursivos A expressividade do enunciado A conclusividade do enunciado... 3 Os gêneros do discurso: tipos relativamente estáveis de enunciados As dimensões constitutivas dos gêneros A formação sócio-histórica dos gêneros A distinção entre gêneros primários e gêneros secundários... 4 A relação entre gênero, enunciado e texto CAPÍTULO II ASPECTOS DA DIMENSÃO SOCIAL DO ARTIGO... 1 As esferas sociais como princípio de organização dos gêneros... 2 As especificidades da esfera jornalística... 3 O papel da mídia na esfera jornalística e nos seus gêneros discursivos... 4 Particularidades dos jornais pesquisados A Notícia Diário Catarinense Folha de S. Paulo O Estado de S. Paulo ix 4.5 Considerações gerais sobre os jornais pesquisados... 5 Os gêneros do discurso da esfera jornalística... 6 A situação social de interação do artigo: um entimema particular Os sentidos da palavra artigo: algumas considerações O cronotopo do artigo: seu lugar discursivo e sua periodicidade A circulação social do artigo: o leitor previsto A posição social da autoria: um argumento de autoridade CAPÍTULO III ASPECTOS DA DIMENSÃO VERBAL DO ARTIGO... 1 O objeto do discurso: do que trata o artigo... 2 As relações dialógicas: a reação-resposta ao já-dito... 3 Projeções estilístico-composicionais Estratégias de inter-relação com o discurso do outro Formas composicionais de introdução e organização do discurso do outro O discurso relatado direto e suas variantes O discurso relatado indireto e suas variantes O discurso bivocal... 4 As relações dialógicas: a orientação para o leitor... 5 Projeções estilístico-composicionais... 6 O papel dos gêneros intercalados... 7 Em torno da assinatura ... CONSIDERAÇÕES FINAIS... REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... ANEXOS INTRODUÇÃO A motivação para a análise da constituição e do funcionamento do gênero artigo, da esfera jornalística, situa-se no domínio da Lingüística Aplicada, ensino/aprendizagem de língua materna, mais especificamente, na área da produção textual escrita. O interesse da Lingüística Aplicada pelos gêneros do discurso é conseqüência do processo dialógico entre a esfera escolar e a acadêmica. A orientação conjunta (escola/ciência) para a análise da situação do ensino/aprendizagem da produção escrita na escola, ao mesmo tempo que tem constatado descompassos na concepção da produção textual escrita nas atividades de ensino 1 (resultando no que se pode denominar como gêneros escolarizados), tem buscado novas propostas teórico-metodológicas, orientadas para as funções sócio-discursivas da escrita e para as condições sócio-históricas de produção das diferentes interações verbais (inclusive as escolares). Essas novas orientações vêm se concretizando tanto na prática escolar quanto em documentos oficiais de ensino, como, por exemplo, nos Parâmetros curriculares nacionais 2 e na Proposta curricular de Santa Catarina 3. Os gêneros do discurso passaram a ser tomados como o objeto de ensino/aprendizagem (ponto de partida e de chegada) nas atividades de produção textual (oral e escrita) e também nas de leitura e de análise lingüística. 1 Essa observação não se constitui em uma crítica ao trabalho do professor na escola. As lacunas remetem à própria concepção teórica com relação à língua e ao ensino de língua materna calcado no ensino das línguas mortas, como já observava Bakhtin. 2 Brasil. SEF. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental, Brasil. SEF. Parâmetros curriculares nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental, Santa Catarina. SEED. Proposta curricular de Santa Catarina, 1998. 2 Junto com o desenvolvimento dessas novas propostas, novos desafios acabam se colocando tanto para a esfera escolar como para a científica, o que é previsto e desejável numa proposta que se quer como sócio-histórica. Entre esses desafios, como articular os objetivos a serem concretizados no ensino da disciplina de língua portuguesa, a desejada abordagem da pluralidade textual, face à grande diversidade de gêneros, heterogêneos entre si, que circulam socialmente? Diante da grande quantidade de gêneros, quais deve a escola priorizar como objetos de aprendizagem? Por quê? E, ainda, o que é um gênero? Em que e como os gêneros se diferenciam entre si? Como articular o conceito de gênero a outras noções, como tipo de texto, por exemplo? Onde buscar conhecimentos mais específicos sobre os gêneros a serem ensinados? Em que e por que o ensino da produção textual a partir dos gêneros se diferencia daquele feito a partir das tradicionais tipologias escolares? Como se articula um projeto de ensino da produção escrita sob a perspectiva dos gêneros do discurso? Esses e outros questionamentos impulsionam a criação e o desenvolvimento de novos projetos de pesquisa, que abrangem desde a análise da interação professor-alunoobjeto de aprendizagem (a interação verbal em sala de aula torna-se objeto de pesquisa do ponto de vista do discurso e do gênero), até o estudo dos gêneros do discurso considerados como pertinentes para a efetivação dos objetivos de ensino da disciplina de língua portuguesa. Ainda, incluem-se as pesquisas-ação no campo da elaboração de novas metodologias e programas de ensino, de material didático e no acompanhamento/avaliação crítica do processo de ensino/aprendizagem dos gêneros nas atividades de produção textual, leitura, análise lingüística, por exemplo. A partir do exposto, no conjunto das pesquisas possíveis a partir do enfoque dos gêneros discursivos, esta tese tem por objetivo analisar a constituição e o funcionamento do gênero do discurso artigo, da esfera jornalística, com vistas à elaboração de uma descrição interpretativa desse gênero. A pertinência da análise do gênero artigo no âmbito da Lingüística Aplicada produção escrita justifica-se porque se se considera que é desejável que a escola abra espaço para a entrada dos gêneros discursivos, que o ensino da produção escrita esteja voltado para o ensino/aprendizagem dos diferentes gêneros, então o conhecimento e o domínio do modo de constituição dos gêneros da esfera jornalística mostra-se como relevante para o desenvolvimento dos objetivos de ensino. O domínio do artigo poderá se constituir, para o aluno, como um dos instrumentos para o exercício efetivo da cidadania 3 e para a sua participação plena no mundo letrado 4. Assim, do ponto de vista da sua inserção no campo da Lingüística Aplicada, a análise do artigo pretende construir um conjunto de conhecimentos a respeito da constituição e do funcionamento desse gênero na comunicação jornalística, capaz de fornecer embasamento teórico para a construção de projetos de ensino/aprendizagem da produção escrita do artigo na esfera escolar. A pesquisa, portanto, não pretende (e nem poderia) dar conta de todas as perguntas levantadas. Ela objetiva ser parte de uma das respostas desse novo campo de pesquisa. Os dados para a pesquisa foram formados pela coleta dos artigos da seção de opinião do jornalismo impresso diário, veiculado pela Internet 5. Foram quatro os jornais selecionados: dois de circulação estadual (no Estado de Santa Catarina), A Notícia e Diário Catarinense; dois de circulação nacional, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo 6. Os dados foram coletados na terceira semana de cada mês, durante um período de sete meses: de 16 de setembro de 1998 a 16 de março de A coleta foi efetuada em diferentes dias da semana: quarta-feira no mês de setembro, quinta-feira no de outubro e, assim, sucessivamente, terminando em uma terça-feira, no mês de março. Durante esse período, foram coletados sessenta e dois (62) textos (enunciados 7 ), exemplares do gênero: 21 no jornal A Notícia, 7 no Diário Catarinense, 20 na Folha de S. Paulo e 14 no Estado de S. Paulo. Esse conjunto de dados foi analisado de uma maneira diferenciada. A análise das especificidades da situação de interação, ou melhor, da dimensão social do artigo incidiu sobre o conjundo dos dados. Já a análise do funcionamento da dimensão verbal do artigo abrangeu um grupo menor de dados, trinta e dois textos (32), correspondendo àqueles artigos coletados entre novembro de 1998 e fevereiro de A subdivisão dos dados, na verdade, decorreu de uma alteração necessária no curso da pesquisa. Inicialmente, a projeção era a de coletar os dados entre setembro e dezembro de 1998, na quarta-feira, uma vez por mês. Mas, durante a coleta no mês de setembro, em uma observação diária mais atenta da circulação do gênero artigo nos jornais selecionados, foram percebidas certas regularidades de funcionamento consideradas importantes para a compreensão do gênero (como a recorrência de articulistas), que se perderiam na sistemática de coleta adotada (essas observações da dimensão social poderiam ser 4 Brasil. SEF, Parâmetros curriculares nacionais; terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental. 5 A concepção de jornalismo impresso veiculado pela Internet encontra-se especificada no segundo capítulo. 6 A opção por diferentes jornais não teve por objetivo propor uma análise comparativa das possíveis diferenças de investimento do artigo nesses jornais, mas obter uma maior representatividade do gênero. 7 O termo enunciado assume sentidos particulares nas diferentes áreas da lingüística; o sentido aqui assumido encontra-se explicitado no primeiro capítulo. 4 mencionadas, mas não mostradas através dos dados). Assim sendo, para se obter uma maior representatividade (uma vez que a opção por apenas um determinado dia da semana fazia com que se tivesse muitos artigos de um mesmo articulista), bem como para apreender melhor o processo de funcionamento do gênero na esfera jornalística, a coleta foi efetuada em diferentes dias da semana, o que levou a ampliá-la em mais três meses, para cobrir os sete dias da semana. O referencial teórico e metodológico inscreve-se na linha sócio-histórica, sobretudo nos trabalhos de Bakhtin (ou do círculo bakhtiniano). O primeiro capítulo da tese, Os gêneros do discurso na teoria bakhtiniana, como o nome mostra, é uma releitura dos trabalhos do autor, nos quais se busca analisar o conceito de gênero do discurso elaborado por Bakhtin, articulando-o com outros conceitos fundamentais da sua teoria, tais como a natureza sócio-ideológica da linguagem, língua, discurso, enunciado e texto, entre outros. A construção dessa capítulo é uma interpretação que se faz dessas noções, feita a partir da leitura dos diferentes trabalhos do autor (ou do círculo bakhtiniano). Para a análise e a descrição do artigo, seguiu-se a ordem metodológica proposta por Bakhtin para o estudo da língua ou outros aspectos da comunicação discursiva, como os gêneros, feita de uma perspectiva sócio-histórica. Essa ordem de pesquisa, esboçada por Bakhtin/Voloshinov mais especialmente em Marxismo e filosofia da linguagem 8 e em La construcción de la enunciación 9, pode ser assim compreendida: dos intercâmbios comunicativos sociais para os aspectos dos gêneros ou da língua, pois não se pode dissociar o signo das formas concretas da comunicação social. (...) a ordem metodológica para o estudo da língua deve ser a seguinte: 1. As formas e os tipos de interação verbal em ligação com as condições concretas em que se realiza. 2. As formas das distintas enunciações, dos atos de fala isolados, em ligação estreita com a interação de que constituem os elementos, isto é, as categorias de atos de fala na vida e na criação ideológica que se prestam a uma determinação pela interação verbal. 3. A partir daí, exame das formas da língua na sua interpretação lingüística habitual Bakhtin, M. M., Voloshinov, V. N. Marxismo e filosofia da Linguagem, Bakhtin, M. M, Volochinov, V. N. La construcción de la enunciación. In.: Silvestri, A., Blanck, G. Bajtín y Vigotsky: la organización semiótica de la conciencia, Bakhtin, Voloshinov, Marxismo e filosofia da linguagem, p Nesta obra, há problemas de tradução: o que é traduzido como categorias de atos de fala, em outras traduções aparece como gêneros do discurso. 5 Dessa forma, não se partiu de categorias pré-estabelecidas para a análise do gênero artigo. O objetivo foi buscar a apreensão de certas regularidades desse gênero, que foram sendo articuladas em cada etapa de pesquisa dessa ordem metodológica adotada. Dito de outro modo, as etapas de pesquisa, junto com a concepção teórica adotada, foram mostrando pontos de análise pertinentes para a interpretação do processo de constituição e de funcionamento do artigo. Portanto, o primeiro passo metodológico centrou-se no estudo da esfera da comunicação jornalística. Foram analisados o modo de constituição e de funcionamento da comunicação jornalística no conjunto da comunicação social 11, os seus gêneros discursivos (de um modo abran
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks