Others

A EDUCAÇÃO FÍSICA NA COMPREENSÃO DOS DIRETORES DE ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE FLORIANPOLIS - SC. - enviado para congresso SBPQ 2010

Description
Educação Física é uma disciplina que faz parte do currículo escolar. Existem diversas concepções, significados e metodologias sobre essa área de estudos multidisciplinar. O responsável pela organização e gestão da escola é o diretor, dessa forma, ele está diretamente em contato com os professores e suas respectivas disciplinas. Foi realizada uma Análise estrutural do fenômeno situado objetivando desvelar a compreensão que os diretores possuem sobre os professores de educação física e a educação física. Foram atribuídos pelo diretor diversos significados, dentre eles, podemos destacar a socialização da criança; desenvolvimento corporal; aprendizado de jogos, regras esportivas e sociais; prevenção de doenças; combate ao sedentarismo, desenvolvimento crítico, autonomia e cidadania, entre outras competências. Dessa forma, a educação física é indispensável para a formação holística dos alunos e para se atingir esse objetivo o professor deve estruturar suas aulas de modo diversificado e criativo, estando inserido no projeto político-pedagógico da escola levando em consideração as características dos alunos bem como do meio no qual estão inseridos. Há uma integração e um envolvimento entre os alunos e o professor de educação física, pois a sua prática cotidiana permite essa aproximação.
Categories
Published
of 10
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  FERREIRA, L. F. S. ; LIMA, L. A. N. . A educação física na compreensãodos diretores de escola da rede municipal de ensino de florianópolis SC. In :IV Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos Qualitativos , 2010,Rio Claro. Anais - IV Seminário Internacional de Pesquisa e EstudosQualitativos, 2010. A EDUCAÇÃO FÍSICA NA COMPREENSÃO DOS DIRETORES DEESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DEFLORIANÓPOLIS  –  SC. Luiz Fabiano Seabra FerreiraLuiz Augusto Normanha Lima  –  UNESP Resumo Educação Física é uma disciplina que faz parte do currículo escolar. Existem diversasconcepções, significados e metodologias sobre essa área de estudos multidisciplinar. Oresponsável pela organização e gestão da escola é o diretor, dessa forma, ele está diretamenteem contato com os professores e suas respectivas disciplinas. Foi realizada uma Análiseestrutural do fenômeno situado objetivando desvelar a compreensão que os diretores possuemsobre os professores de educação física e a educação física. Foram atribuídos pelo diretordiversos significados, dentre eles, podemos destacar a socialização da criança; desenvolvimentocorporal; aprendizado de jogos, regras esportivas e sociais; prevenção de doenças; combate aosedentarismo, desenvolvimento crítico, autonomia e cidadania, entre outras competências.Dessa forma, a educação física é indispensável para a formação holística dos alunos e para seatingir esse objetivo o professor deve estruturar suas aulas de modo diversificado e criativo,estando inserido no projeto político-pedagógico da escola levando em consideração ascaracterísticas dos alunos bem como do meio no qual estão inseridos. Há uma integração e umenvolvimento entre os alunos e o professor de educação física, pois a sua prática cotidianapermite essa aproximação.Palavras-chave: Educação Física Escolar. Diretor. Fenomenologia. Abstract Physical education is a discipline that makes part of the school curriculum. There are severalconceptions, meanings and methodologies about this studies multidiscipline area. Theresponsible person for school organization and administration is the principal, thus, he isdirectly in touch with the teachers and her respective disciplines. It was accomplished astructural Analysis of the situated phenomenon objectifying unveil the comprehension that thedirectors own about the teachers of physical education and the physical education. They wereattributed by the several director meanings, among them, can highlight child's socialization;Corporeal development; Learning of games, sporty and social rules; Diseases prevention;Combat to the sedentary, critical development, autonomy and citizenship, come in othercompetences. Thus, the physical education is indispensable for students holistic formation andto if reach that goal the teacher should structure his classes in a varied and creative manner,being inserted in school project politician-pedagogical carrying in consideration thecharacteristics of students as well as of the half in which are inserted. There is an integration andan involvement among students and the teacher of physical education, because its everydaypractice allows this approach.Keywords: School Physical Education. Principal. Phenomenology.   2 INTRODUÇÃO A Educação Física como disciplina curricular, deve estar estruturada sobredeterminados princípios que fundamentam o ensino escolar, dentre eles, os ParâmetrosCurriculares Nacionais, Diretrizes Curriculares Nacionais. Esses princípios podem serencontrados na proposta pedagógica da escola, que deve explicitar os métodos e conteúdosutilizados para se atingir objetivos.A partir de diversas diretrizes os professores organizam suas aulas, nem sempre levandoem consideração aspectos locais, tais como; localidade, público alvo, materiais disponíveis,entre outros. Dessa forma, muitos professores se utilizam de referenciais teóricos, mas naprática as aulas estão distantes dos modelos adotados, mesmo porque é impossível adotar apenasum modelo, ou teoria como referencial, pois a educação física é uma área do conhecimentomultidisciplinar.Ganhando experiência profissional no âmbito da educação física percebemos diversasdivergências entre as discussões acadêmicas, e a efetiva prática da educação física escolar pelosprofessores, pois, as descrições teóricas preservam um caráter de generalidade, enquanto que asquestões práticas tem como característica a especificidade de umasituacionalidade complexa com características particulares e exigênciasespecíficas de temporalidade e espacialização do sujeito da aprendizagem(MARTINS, 1999, p. 11). Essas divergências foram se tornando inquietações que instigaram esta pesquisa,objetivando procurar respostas que levassem a compreensão de como as teorias acadêmicasestavam tão distantes da realidade prática. Mais uma foi procurada em literatura que tentasseexplicar tais fenômenos dentro da educação física escolar. Contudo, não foram encontradasrespostas que satisfizessem por completo.Essa dualidade entre teoria e prática foi o ponto de partida para esta investigação quepretende desvelar como os diretores de escola, compreendem a educação física. Esse é umfenômeno muito amplo, desta forma, procurei situá-lo na experiência daquele que organiza edirige a escola, o diretor de ensino. PRÉ REFLEXÃOA ESCOLA E A DIREÇÃO A escola como instituição social, tem a função de sistematizar a experiência humanaacumulada, estimulando um progresso social compatibilizando, através da situação ensino-aprendizagem, as funções sociais com os interesses individuais.Devemos estar atentos a distorções causadas pelas ideologias e interesse dominantes,evitando ao máximo que a educação se torne mercadoria de consumo, sem reflexão edesconectada de uma cultura histórica criada pelo próprio homem. (MURAMOTO, 1992)Para que a escola possa atingir seus objetivos, de forma que a educação seja adequadaaos interesses dos alunos e da sociedade como um todo, a administração escolar deve estarcentrada nos interesses comuns, orientando e controlando as ações dentro da escola. Para queisso aconteça o diretor, os funcionários e os professores devem estar integrados, com o objetivode elaborar um projeto pedagógico de acordo com as necessidades dos alunos e da comunidadelocal no qual essa escola está inserida. Este projeto deve garantir oportunidades para melhoraras relações de trabalho, valorizando e aperfeiçoando o professor e garantindo condiçõesmateriais para uma prática qualitativa. “ O ato de planejar é a atividade intencional pela qual se projetam fins e se estabelecemmeios para atingi-los. Por isso, não é neutro, mas ideologicamente comprometido ” .(ALONSO,1974, p. 10)   3 Ao longo da história, o papel do diretor escolar vem sofrendo transformações. O papelde autoridade máxima está sendo trocado por um papel mais flexível e participativo dentro dasatividades propostas pela escola. A função de direção está se fundindo a idéia de cooperação.Atualmente podemos encontrar em algumas instituições de ensino, os conselhos de escolaconstituídos por pais, alunos, professores e direção, que visam uma organização, planejamento eadministração em grupo. (NOGUEIRA, 1992) A EDUCAÇÃO FÍSICA E SUAS CONCEPÇÕES/MODELOS A Educação Física pode ser enquadrada dentro de modelos ou concepções, tais comohigienista, militarista, esportivista, desenvolvimentista, crítico-superadora, críticoemancipatória, entre outras.De acordo com Daolio (2005); o que une todas as proposições de educação física nesses últimos anos é abusca de embasamento científico para compreender a área. Esse é o mérito deGo Tani, de João Freire, do Coletivo de Autores (Carmen Lúcia Soares, CeliNelza Zülke Taffarel, Elizabeth Varjal, Lino Castellani Filho, Micheli OrtegaEscobar e Valter Bracht), de Elenor Kunz, de Valter Bracht, de Mauro Betti,dos seguidores e simpatizantes de cada uma das proposições existentes e demuitos outros estudiosos sérios da educação física. Entretanto, cada um delesparte de pressupostos teóricos diferentes e, embora discutam e reconheçam  –   uns mais que outros  –    o conceito de “cultura” na educação física atual, apresentam proposições também diferentes. Na concepção higienista, o principal objetivo da educação física é proporcionar saúdeaos seus praticantes. Nessa concepção a educação física deve formar indivíduos fortes, sadios eativos. Para se atingir esses objetivos a educação física deveria utilizar métodos quedisciplinassem os hábitos das pessoas, levando-as ao afastamento de práticas que pudessemprovocar danos a saúde e a moral. Nesse contexto a ginástica era a principal atividade físicadisseminada nas aulas de educação física. Nessa visão a educação física atua como agente desaneamento público erradicando males que pudessem deteriorar a saúde dos indivíduos.(GUIRALDELLI JR., 1988).A concepção militarista de educação física surgiu no Brasil na década de 30 quando a edição francesa do “Regulamento Geral de educação física” foi oficializado no Brasil (BETTI, 1991).O método francês era centrado nos aspectos anátomo-fisiológicos do indivíduo. Odesenvolvimento do corpo, a manutenção e melhoria do funcionamento dos órgãos são osprincipais objetivos deste modelo. A educação física militarista exige pouca ou quase nenhumareflexão teórica. Aspectos sociais e psicológicos são praticamente ignorados. O modelomilitarista tem a função de selecionar os mais aptos para exercer atividades sociais eprofissionais. Para isso impõe padrões de comportamento estereotipados para que os indivíduossuportem a luta, o combate, a guerra (GHIRALDELLI JR., op. cit.). O “Decreto -lei n.º 2.072 de 8 de março de 1940, que dispunha sobre a obrigatoriedadeda Educação Cívica, Moral e Física da infância e da juventude, fixava as suas bases e paraimplementá-las organizava uma instituição nacional denominada juventude brasileira. (...) Tinha  por objetivo, conforme palavras do próprio Presidente Vargas, “...incrementar a educação cívica das novas gerações, organizando a juventude por forma a construir reserva facilmente mobilizável, sempre que houver objetivo patriótico a alcançar...” Silva (citada por  CASTELLANI, 1991, p. 89)Para atingir os objetivos propostos por este modelo, são utilizados métodos específicos centrados em seis formas de trabalho físico: exercícios educativos: são “sinergias muscularesescolhidas como base de preparação para uma determinada aplicação”; as aplicações compreendem sete grupos de exercícios; marchar, trepar, saltar, levantar e transportar, correr,lançar, atacar, e defender- se; flexionamentos: “são movimentos com efeitos corretivos e   4 localizados sobre cada articulação e os músculos que a comandam; jogo: é a regulamentaçãodos movimentos instintivos que todo ser v ivo é levado a executar espontaneamente, “quandoimpulsionado pela necessidade do exercício”; esportes individuais: “são entendidos como exercícios artificiais nos quais a dificuldade é progressiva e quase ilimitada e exige qualidadesfísicas superiores, que podem ser desenvolvidas mediante um treinamento especial”; esportes coletivos:   além das qualidades físicas, exigem qualid ades morais” (BETTI, 1991). Este métodotem como norma o agrupamento dos alunos de acordo com suas habilidades desenvolvidas.O modelo esportivista ou bio-psico-social surgiu na educação física aproximadamentena década de 40 quando MUSA (citado por BETTI, 1991, p.26) propôs um método de educaçãofísica baseado no esporte. Este método possuía objetivos e características que visavam oaprimoramento das condições psico-morfo-fisiológicas melhorando a saúde, promovendo aprática de hábitos higiênicos e atuando no desenvolvimento intelectual. Isto fazia com que apratica de atividade física não restringisse sexo ou idade.Na década de 60 o professor Augusto Listello iniciou a difusão do “Método DesportivoGeneralizado”, criado pelo Instituto Nacional de Esportes da França que visava incorporar os esportes de forma predominante nas aulas de Educação Física. Para MEDEIROS (citado porBETTI, 1991, p. 97) este novo método representava uma educação física mais prazerosa, que trocava os exercícios físicos militares “feitos por obrigação”, por atividades que tinham grande ênfase no aspecto lúdico.Dentro deste modelo, o jogo se torna o principal meio para atingir objetivos como:busca de performance, aperfeiçoamento e especialização dos gestos, melhora da aptidão física,aquisição de novas habilidades, iniciação esportiva. Nesse contexto, o esporte pretendeapresentar grande valor educativo.O modelo desenvolvimentista de educação física surgiu de questionamentos feitoscontra os conceitos tradicionais que predominavam na Educação Física do final dos anos 70.Esses questionamentos surgiam de professores, que ao regressar de cursos de pós-graduação noexterior, questionavam a educação física escolar nos alicerces estruturados pela concepçãomilitarista de educação física.O modelo desenvolvimentista de educação física é embasado por diversas teorias queexplicam o desenvolvimento motor, afetivo-social e cognitivo dos indivíduos. Seus objetivos são: “estimulação do desenvolvimento de capacidades perceptivo -motoras e de capacidades físicas, através de experiências motoras oferecidas em ambientepropício e organizado de acordo com as características de crescimento e desenvolvimento dos alunos envolvidos”. (OLIVEIRA, 1988, p. X)  Segundo TANI (et alii, 1988) a abordagem desenvolvimentista busca nos processos deaprendizagem e desenvolvimento, uma fundamentação para a educação física escolar, quetrabalha com crianças de quatro a catorze anos.A concepção crítico-superadora em oposição ao modelo mecanicista propõe umaeducação física baseando-se nas teorias marxistas e néo-marxistas. Essas discussões dão grandeênfase nos aspectos sociais que permeiam a educação brasileira, levantando questões de poder,interesse, esforço e contestação (DARIDO,1999).De acordo com Coletivo de autores, (1992) a pedagogia crítico-superadora possuí características próprias, tais como: interpretação da realidade social e emissão de juízo de valor,seguindo uma ética que representa os interesses de uma determinada classe social.Os conteúdos trabalhados dentro da concepção crítico-superadora podem ser chamadosde cultura corporal e devem ser de relevância social, respeitando sua contemporaneidade eadequando-se as características sócio-cognitivas dos alunos. Os jogos, o esporte, a capoeira, e aginástica devem fazer parte do currículo. (DARIDO, op. cit.).Para Daolio (2005): o mérito dessa abordagem foi justamente deslocar o centro de preocupação daárea de educação física escolar de dentro para fora do indivíduo. Assim, umprograma escolar de educação física não teria como prioridade contemplar odesenvolvimento motor, cognitivo ou afetivo do indivíduo, mas a expressãocorporal como linguagem, como conhecimento universal criado pelo homem.

Esquizofrenia

Aug 10, 2017
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks