Documents

A_influencia_de_fatores_de_personalidade_e_de_orga.pdf

Description
Download A_influencia_de_fatores_de_personalidade_e_de_orga.pdf
Categories
Published
of 12
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  PREDITORES DO BURNOUT EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE 37 Rev. Estudos de Psicologia, PUC-Campinas, v. 19, n. 1, p. 37-48, janeiro/abril 2002 A INFLUÊNCIA DE FATORES DE PERSONALIDADE E DEORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO BURNOUT EMPROFISSIONAIS DE SAÚDE THE INFLUENCE OF PERSONALITY AND JOB FACTORS ON  BURNOUT AMONG HEALTH PROFESSIONALS Wilma Costa SOUZA 1  Angela Maria Monteiro da SILVA 2 RESUMO O presente estudo investigou a relação de fatores de personalidade e defatores ligados à organização do trabalho com a síndrome do burnout. As características de personalidade examinadas foram padrão tipo A depersonalidade e traço de ansiedade. Os fatores da organização dotrabalho investigados envolveram o significado do trabalho, a percepçãode controle e o suporte da chefia imediata. Participaram do estudo 239profissionais de saúde. Eles responderam a cinco medidas paraavaliação de dados sócio-demográficos, personalidade tipo A, traço deansiedade, fatores do trabalho, burnout  total e suas dimensões (exaustãoemocional, despersonalização e realização pessoal com o trabalho). Asanálises de regressão múltipla ( Stepwise ) indicaram que as variáveistraço de ansiedade, suporte da chefia e tipo A de personalidade forampreditores significativos do burnout  total e da exaustão emocional,enquanto as variáveis traço de ansiedade e tipo A de personalidadepredisseram significativamente a despersonalização. Nenhuma dasvariáveis do estudo predisse significativamente a dimensão realizaçãopessoal com o trabalho. Palavras chaves: Burnout - Estresse ocupacional - Profissionais deSaúde - Fatores de personalidade - Fatores de organização do trabalho (1) Professora do curso de graduação e pós graduação lato sensu em Fisioterapia da Universidade Gama Filho eCoordenadora do curso de pós graduação lato sensu em Fisioterapia neurofuncional da Universidade Gama Filho. (2) Professora do curso de Mestrado em Psicologia da Universidade Gama Filho e Professora do curso de graduaçãoem Psicologia da Universidade Federal Rural do Rio de JaneiroENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA: E-MAIL :  wcsrechtman@uol.com.br Rua das Laranjeiras 28 /202, Laranjeiras. Rio de Janeiro. CEP. 22240.000 - Tel: (021) 557 2413 - Cel. 91741824 AUTOR PARA ENVIO DA CORRESPONDÊNCIA : Wilma Costa SouzaINDICAÇÃO ONDE O TRABALHO FOI APRESENTADO: Dissertação submetida e aprovada pelo Programa depós-graduação - Mestrado em Psicologia da Universidade Gama Filho como requisito parcial para obtenção do graude Mestre em Psicologia em 16/09/99.  38 W.C. SOUZA & A.M.M. SILVARev. Estudos de Psicologia, PUC-Campinas, v. 19, n. 1, p. 37-48, janeiro/abril 2002  ABSTRACT This study focuses the relationship between personality traits andorganizational environmental factors, on one side, and burnout syndrome,on the other. The personality traits selected for this study were type Apersonality pattern and trait anxiety. Job factors included meaning of work, perception of control and support from supervisors. Participantswere 239 health professionals. They completed five measures thatassessed socio-demographic data, type A personality, trait anxiety, jobfactors, total burnout and its dimensions (emotional exhaustion,despersonalization and personal accomplishment). Stepwise multipleregression analyses indicated that trait anxiet, support from supervisorsand type A personality were significant predictors of total burnout andemotional exhaustion. In addition, trait anxiet and type A personalitysignificantly predicted despersonalization. However, there were nosignificant predictors of personal accomplishment. Key words: Burnout - Occupational stress - Health professionals- Personality traits - Organizational environmental factors INTRODUÇÃO O estudo dos fatores que levam aoestresse e a influência do mesmo na gênesedas doenças em geral tem recebido grandeênfase por parte dos pesquisadores.Entretanto, a investigação do trabalho comofator desencadeante do estresse só maisrecentemente tem recebido atenção.Dentre os diversos modelos de estresseocupacional, optou - se no presente estudopelo modelo do Burnout , conforme desenvolvidopor Maslach & Jackson (Maslach, 1976). A síndrome atinge principalmenteprofissionais que atuam na área de ciênciashumanas tais como enfermeiros,fisioterapeutas, médicos e assistentes sociais,caracterizando - se por uma reação de estressecrônico (Reinhold, 1996). A síndrome do burnout  talvez possaoferecer uma explicação para as dificuldadespercebidas na relação profissional desaúde - paciente, dificuldades estas que, aomesmo tempo em que não contribuem para arecuperação dos doentes, podem levar aosentimento de grande insatisfação com otrabalho muitas vezes referido pelosprofissionais. Na síndrome do burnou t édescrita a dificuldade do profissional em lidar com as emoções de seus pacientes levando -o a tratá - los de forma impessoal edesumanizada (Maslach, 1976). Neste caso,o profissional de saúde pode utilizar-se deestratégias negativas para enfrentar asituação, distanciando - se de seus pacientese passando a encará - los como algo totalmentedestituído de qualidades humanas.O burnout parece acometer pessoasaltamente motivadas e dedicadas,observando -se nos profissionais acometidosuma queda na performance que influi naqualidade dos serviços prestados. A síndromese correlaciona com insônia, aumento do usode álcool e drogas, problemas no casamentoe na família ( Maslach & Schaufeli, 1993). A síndrome do Burnout  foi inicialmentedescrita em 1974 por Frendenberg(França,1987). O termo pode ser traduzidocomo aquilo que deixou de funcionar por exaustão de energia e foi usado pelo autor para designar uma resposta dos indivíduos aoestresse ocupacional. Ainda na década de 70,Maslach & Jackson passaram a investigar asíndrome, desenvolvendo cientificamente um  PREDITORES DO BURNOUT EM PROFISSIONAIS DE SAÚDE 39 Rev. Estudos de Psicologia, PUC-Campinas, v. 19, n. 1, p. 37-48, janeiro/abril 2002 modelo de burnout . Os autores tambémelaboraram o Maslach Burnout Inventory  paramedir a síndrome, sendo este instrumentoatualmente usado na maioria das pesquisassobre o tema (Maslach & Schaufeli, 1993).Schaufeli, Maslach & Marek (1993)conceituam o burnout  como síndrome deexaustão, despersonalização e baixarealização pessoal com o trabalho, que podeocorrer com indivíduos que trabalham parapessoas, especialmente para as que têm algumtipo de problema. A exaustão refere-se aosentimento de sobrecarga emocional e deesgotamento e é a dimensão que mais seaproxima de uma variável de estresse. Adespersonalização, por outro lado, constituium novo constructo que não aparecediretamente na literatura sobre o estresse(Cox, Kuk & Leiter, 1993). O profissionalafetado pelo burnout , não é mais capaz delidar com as emoções das pessoas que atendee começa a tratá - las de forma desumanizada(Maslach ,1976). A terceira dimensão proposta pela autora,é a da baixa realização pessoal com o trabalhoque se expressa através da tendência doindivíduo a se avaliar negativamente em rela-ção a seu desempenho. A síndrome, então, constitui-se em ummodelo multidimensional onde a ocorrência deum componente pode precipitar odesenvolvimento dos outros dois(Golembiewsky, Scherb & Boudreau, 1993) oupode ocorrer que os componentes sedesenvolvam ao mesmo tempo, vistotratarem-se de reações a diferentes aspectosdo ambiente de trabalho como afirma Leiter (1993).É característico na síndrome umsentimento de desilusão e frustração que ocorreem pessoas que possuíam grandesexpectativas em relação às suas carreiras. Éresultado, então, de um processo de desilusãoonde o trabalhador percebe que não consegueretirar de seu trabalho um sentido, umsignificado existencial (Pines, 1993).Entre as características de personalidadeque favorecem o desenvolvimento do burnout destacam-se a motivação, o entusiasmo, adedicação ao trabalho e a tendência aoperfeccionismo (Squires & Livesley, 1984).Segundo França (1987), os profissionaisatingidos pela síndrome são pessoas quemergulham fundo em seu trabalho, não sabemdizer não, se ocupam com várias coisas aomesmo tempo e têm compulsão para otrabalho, retirando dele grande parte de suasatisfação pessoal. Paradoxalmente, estascaracterísticas são as mais valorizadas pelosdepartamentos de seleção de pessoal. Oprofissional que não mede sacrifícios pelaempresa e tem grande necessidade de vencer e ser reconhecido, dificilmente relaxa e se,além disso, mostra pouca habilidade para lidar com o estresse em situações interpessoaispode ser levado ao burnout  (Reinhold, 1996).Dentre os critérios diagnósticos do burnout  destacam-se um estado geral de fadigaacompanhado de perda da auto - estimaresultante de um sentimento de incompetênciaprofissional e insatisfação com o trabalho(Maslach & Schaufeli, 1993). Os mesmosautores apontam como principal indicador umadiminuição significativa da performance notrabalho.O presente estudo não poderia ser abrangente a ponto de investigar todos osaspectos envolvidos no estresse ocupacional.Desta forma, optou-se pelo estudo da influênciade fatores intrínsecos à personalidade e deestressores ligados à organização do trabalhona síndrome de burnout. Considerando-se os diversos aspectosligados à personalidade, optou-se pelasvariáveis padrão de personalidade tipo A etraço de ansiedade. Em relação aos fatoresligados à organização do trabalho,selecionou-se, o significado do trabalho, o  40 W.C. SOUZA & A.M.M. SILVARev. Estudos de Psicologia, PUC-Campinas, v. 19, n. 1, p. 37-48, janeiro/abril 2002 sentimento de controle e o suporte oferecidopela chefia imediata.O padrão de personalidade tipo A  podeser definido como um estilo de vidacaracterizado por extrema competitividade,luta por realização, agressividade, pressa,impaciência, inquietação, vigilância, falaexplosiva, tensão da musculatura facial esentimento de estar sob pressão do tempo(Cooper, 1987).O traço de ansiedade  refere-se adiferenças individuais relativamente estáveisem propensão à ansiedade, isto é , a diferençana tendência de reagir a situações percebidascomo ameaçadoras com elevações deintensidade no estado de ansiedade (Biaggio,Natalício & Spielberg, 1977).O significado do trabalho  pode ser entendido como a relevância percebida pelosujeito acerca do trabalho que executa,avaliando o seu grau de importância para asociedade. Quanto ao sentimento de controle,ele reflete a percepção do indivíduo acerca dasua autonomia em relação à divisão eorganização das tarefas que ele executa. Por fim, o  suporte oferecido pela chefia  refere-se àpercepção do sujeito quanto a orientaçãorecebida para a realização das suas tarefas,adequação da supervisão e possibilidade deobter ajuda efetiva em relação às dificuldadesque encontra no desenvolvimento do seutrabalhoO presente estudo visou investigar sefatores de personalidade (traço de ansiedadee padrão tipo A) e fatores da organização dotrabalho ( significado do trabalho, percepçãode controle e suporte da chefia) são preditoresdo Burnout e suas dimensões. METODOLOGIAParticipantes  A pesquisa foi realizada em uma amostrade 239 profissionais da área de saúde, de nívelsuperior e de diversas categorias profissionais:médicos, fisioterapeutas, psicólogos,assistentes sociais, dentistas e enfermeiros.Os participantes eram trabalhadores deinstituição pública, privada, autônomos ouempregadores e exerciam suas funções emambulatórios, enfermarias, emergências, ouainda, prestavam atendimento domiciliar.Foram pesquisados profissionais do sexofeminino (81%) e masculino (19%), na faixaetária de 22 a 72 anos. A média e desviopadrão da idade em anos foram 39,10+ 10,00(média + DP). A maioria da amostra foi constituída por médicos (32,2%) e fisioterapeutas (29,7%). Instrumentos Os níveis de ansiedade traço foramoperacionalizados pela escala de ansiedadetraço do Inventário de Ansiedade Traço - Estado(IDATE), elaborado por Spielberg ecolaboradores e adaptado para a populaçãobrasileira por Biaggio e colaboradores (1977). A escala de ansiedade - traço contém 20afirmativas que descrevem como os sujeitosgeralmente se sentem. Para cada item ossujeitos escolhem uma das quatro opções deresposta, que variam de quase nunca a quasesempre. Os escores totais da escala variamde 20 a 80, considerando-se que quanto maior o escore, maior o grau de ansiedade doindivíduo. A síndrome do Burnout  foioperacionalizada através do Maslach BurnoutInventory  (MBI) desenvolvido por Maslach &Jackson (1981) e adaptado para populaçãobrasileira por Carvalho (1995). Esteinstrumento consta de três subescalas queforam elaboradas para abranger as trêsdimensões da síndrome, isto é, exaustãoemocional, despersonalização e realizaçãopessoal. O MBI, adaptado por Carvalho (1995)compõe-se de 22 itens, sendo 9 itens paramedir a exaustão emocional, 8 itens para a
Search
Similar documents
View more...
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks