Magazine

A Lenda De Henrique Alemão

Description
A Lenda de Henrique Alemão Texto de Francisco J. V. Fernandes Para a EB1PE da Lombada Ponta do Sol, Madeira, a pedido da professora Luísa Gaspar Funchal,…
Categories
Published
of 6
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
A Lenda de Henrique Alemão Texto de Francisco J. V. Fernandes Para a EB1PE da Lombada Ponta do Sol, Madeira, a pedido da professora Luísa Gaspar Funchal, 27/09/2013 1 A Lenda de Henrique Alemão Texto de Francisco J. V. Fernandes Para a EB1PE da Lombada, Ponta do Sol, Madeira, a pedido da professora Luísa Gaspar Há muitos, muitos anos, no século XV, a Europa era bem diferente daquela que hoje conhecemos. As notícias que nos chegam desse tempo vêm através de documentos, tradições e lendas. A lenda que lhes quero contar é uma lenda portuguesa, da ilha da Madeira, que tem uma relação muito próxima com a Polónia e com o seu rei Ladislau III, o qual terá desaparecido durante uma batalha em 1444. Mas será que desapareceu mesmo? O seu povo, durante muitos anos, acreditou que, um dia, ele voltaria. Apesar de não ter voltado ao seu país, diz a lenda se terá refugiado na pequena ilha portuguesa da Madeira. Até hoje os habitantes da Ilha da Madeira acreditam que sim! É essa lenda que lhes quero contar, tal como a ouvi de outros e vi escrita por aqueles que procuram o fundo de verdade e de História que todas as lendas contêm. Francisco J. V. Fernandes 2 * Era uma vez um rei muito jovem, chamado Ladislau. Tão jovem que subiu ao trono de um país chamado Polónia com apenas dez anos de idade! E aos dezasseis anos foi coroado, também, como Rei da Hungria. Por ser tão novo e inexperiente, estava rodeado de conselheiros, mas nem todos o orientavam como deviam. O jovem rei queria brilhar perante o seu povo e, nesse tempo, a melhor forma de o fazer era através das vitórias no campo de batalha. Apesar de ter assinado um tratado de paz com os Turcos, decidiu atacá-los, pois assim o aconselharam a fazer. O exército turco, que estava concentrado perto de uma cidade chamada Varna, era muito numeroso e experiente. O rei Ladislau precipitou-se e conduziu o seu exército a uma pesada derrota. Acontece que, apesar de ter sido dito que o rei morrera na batalha, o seu corpo nunca apareceu, nem qualquer prova surgiu. Nasceu um mistério e daí à criação de uma lenda foi apenas um passo. 3 O rei estava vivo e um dia regressaria ao seu país, acreditava o povo polaco. * Muito longe dali, um pequeno país de aventureiros e corajosos navegadores, chamado Portugal, lançara-se há pouco tempo à descoberta dos mares e de novas terras. A sua primeira descoberta, em 1419, foi a Ilha do Porto Santo e, um ano depois, a ilha da Madeira que, nas palavras de Luís de Camões, o maior poeta épico português, “do muito arvoredo assim se chama”. Ninguém vivia naquelas ilhas, mas a sua natureza pujante e o clima ameno, depressa atraíram povoadores de todo o país e também do estrangeiro. Em 1456, dez anos depois da batalha de Varna, surge na ilha da Madeira um visitante ilustre, Cavaleiro da ordem religiosa de Santa Catarina, que diz chamar-se Henrique, e vem a mando do Rei de Portugal, Afonso V, que determinara que lhe entregassem terras para cultivar e povoar. Assim fez o capitão da ilha, e seu descobridor, João Gonçalves Zarco, entregando-lhe terras num lugar da ilha chamado 4 Madalena do Mar, com destino a cultivo, povoamento e construção de uma capela. Por ser proveniente do centro da Europa, chamaram-lhe “Alemão”, como sempre se fazia nesse tempo aos que tinham essa origem. E assim ficou para sempre: Henrique Alemão. Apesar de ter chegado sozinho à ilha, depressa se enamorou de uma jovem que ali aportara com um grupo de povoadores de Portugal, chamada Senhorinha Anes, com quem se casou e teve dois filhos: Segismundo e Bárbara. Acontece que, alguns anos depois, um grupo de frades franciscanos polacos visita a ilha da Madeira e reconhece em Henrique Alemão o seu desaparecido Rei Ladislau III. Do que falaram não se sabe, pois a língua que usaram era desconhecida dos habitantes da ilha. Mas a notícia espalhou- se e depressa chegou aos ouvidos do Rei de Portugal, que chamou Henrique Alemão para que lhe explicasse o que se passava. De imediato, Henrique viajou até ao Algarve para falar com o Rei de Portugal. A conversa que tiveram até hoje permanece desconhecida, pois, na viagem de regresso, um acidente vitima Henrique Alemão – uma enorme pedra despenha-se do mais alto promontório do mundo (o Cabo Girão) e destrói a barca que o transportava, matando-o. 5 O mistério adensou-se ainda mais e a lenda ganhou novos contornos! Quem seria Henrique Alemão? Seria o Rei Ladislau III da Polónia, refugiado na ilha da Madeira, incapaz de encarar o seu povo depois da derrota na batalha da Varna? A tradição do povo madeirense acredita que sim e, com o passar dos anos, a lenda ganhou força. E, em suporte desta convicção, surge uma pintura flamenga, datada do século XV e mandada pintar por Henrique Alemão para decorar a igreja da Madalena do Mar, representando uma cena bíblica, mas em que as personagens - S. Joaquim e Santa Ana - surgem com fisionomia, trajes e adereços, que podem muito bem representar o casal. A casa onde morou Henrique Alemão na Madalena do Mar é, ainda hoje, conhecida como “a casa do Rei” O mistério permanece, a História e a Lenda cruzam-se como um elo que, ao longo de quase seiscentos anos, liga o povo da Ilha da Madeira, ao povo da Polónia. Funchal, 27/09/2013 6
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks