Documents

A Música e o Desenvolvimento Da Mente No Início Da Vida

Description
A música e o desenvolvimento da mente no início da vida
Categories
Published
of 9
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  A música e o desenvolvimento da mente noinício da vida: investigação, fatos e mitos Beatriz Ilari (UFPR Res!mo: o#$etivo deste artigo % disc!tir os efeitos de transfer&ncia cognitiva entre a músicae o!tros conte'tos e reas do con)ecimento* +secificamente, o artigo trata de -!atrorelaç.es de ca!sa e efeito -!e envolvem a música (intelig&ncia, matemtica, ling!agem eleit!ra e disc!te s!as imlicaç.es ara a ed!cação m!sical #rasileira e ara odesenvolvimento m!sical como !m todo*   interesse elo desenvolvimento cognitivo/m!sical tem crescidos!#stancialmente nos últimos temos* 0esco#ertas recentes da ne!roci&ncia,sico#iologia, sicologia do desenvolvimento, ed!cação e sicologia da músicav&m fomentando !m interesse crescente acerca do desenvolvimentocognitivo/m!sical do ser )!mano* Pes-!isas recentes s!gerem -!e 1o)n 2oc3e(4567/489 estava mesmo e-!ivocado -!ando s!geri! -!e o ser )!manovem ao m!ndo com a tabula rasa , e ) inúmeras demonstraç.es emíricasdas comet&ncias cognitivas do rec%m/nascido (ve$a +liot, 4;;;* 0!rante ainf<ncia, o c%re#ro )!mano % mais malevel e os efeitos da arendizagem sãomaiores -!e em -!al-!er o!tra fase da vida (Flo)r, =iller > 0ee#!s, 7999*Isso tam#%m arece ser o caso do desenvolvimento a!ditivo* ?omo e'emlo,sa#e/se )o$e -!e % no eríodo entre o nascimento e o d%cimo aniversrio -!eas distinç.es entre alt!ras, tim#res e intensidades se desenvolvem e setornam mais refinadas (@erner > anden#os, 4;;6*  tam#%m nesta %oca-!e as crianças desenvolvem s!as refer&ncias e memCrias m!sicais (ve$aIlari > Pol3a, no reloD Erainor, 4;;5D Ere)!# > c)ellen#erg, 4;;G* desenvolvimento cognitivo/m!sical nesta %oca ocorre atrav%s de rocessoscomo imregnação e imitação (Ilari > =a$lis, 7997, e est normalmenteassociado a diversas f!nç.es sico/sociais como a com!nicação, incl!sive deemoção, entre crianças e ad!ltos, o endosso de normas c!lt!rais e %tnicas, eo entretenimento (Hregor, 4;;JD K!ron, 4;;;D Ilari, no reloD Erainor, 4;;5DEre)!# > c)ellen#erg, 4;;GD Erevart)en, 7994* ?omo s!gerem diversosest!diosos, as rticas m!sicais das crianças e dos ad!ltos são relevantesor-!e a!'iliam no desenvolvimento a!ditivo, motor, cognitivo e social, al%mde a$!dar a fortalecer as ligaç.es afetivas nas famílias* Ealvez esses fatorese'li-!em s!a !#i-Lidade* Mos últimos anos, ten)o me dedicado ao est!do dos mecanismos e rocessosmentais envolvidos no desenvolvimento da mente m!sical )!manaD so#ret!dono -!e tange N erceção e rod!ção m!sicais de #e#&s e crianças* =in)ases-!isas roc!ram comreender como, or e'emlo, a criança faz atransição entre os sons -!e arende! ainda no útero materno (e'emlosonoro 4, as e'eri&ncias sonoro/imitativas desenvolvidas atrav%s de $ogos e#rincadeiras e -!e denotam ossíveis so#reosiç.es entre a música e aling!agem na inf<ncia, criando m!ita ol&mica entre est!diosos da música e 1  da lingLística (e'emlo sonoro 7, e, alg!m temo mais tarde, s!as rod!ç.esm!sicais, realizadas atrav%s do canto, do movimento cororal eOo! dae'ec!ção instr!mental (e'emlo sonoro 6* Mão ignorando as diferençasindivid!ais, e! e me!s colegas de rea temos roc!rado comreender emodelar os rocessos mentais envolvidos nas atividades m!sicais da inf<ncia(ara e'emlos cons!lte Hardner, 4;;8D Kargreaves, 4;JG* Mo entanto, ao realizar es-!isas nesta rea, !m dos ro#lemas -!e ten)oencontrado refere/se N e'ist&ncia de diversos mitos, alg!ns dos -!aisesta#elecidos ) m!ito temo, e -!e v&m sendo disseminados ela mídia, etransmitidos (o! retransmitidos em conversas, informais e acad&micas (arae'emlos cons!lte c)ellen#erg, 799D c)oenstein, 7997D Almeida et al7996* +stes mitos afetam (e m!ito as rticas m!sicais realizadas emconservatCrios e escolas de música de todo o aís, #em como afastam m!itosindivíd!os da-!ilo -!e c)amo de motivaç.es reaisQ ara o ensino e ara oarendizado m!sical (ve$a Ilari, 7996* A min)a fala )o$e trata das relaç.esca!saisD dos efeitos da arendizagem m!sical em o!tras reas docon)ecimento / tam#%m con)ecidos como efeitos de transferência entrecontextos e áreas do conhecimento  (ara !ma disc!ssão cons!ltec)ellen#erg, 799* Para a fala de )o$e, escol)i -!atro relaç.es de ca!sa eefeito -!e envolvem a música* Primeira relação: O aprendizado musical e o desenvolvimento dainteligência humana Mos últimos anos, frases como a música dei'a o ser )!mano maisinteligenteQ o! ela est!da música e or isso % m!ito #oa de raciocínioQ odemser o!vidas em diversos am#ientes  em conversas informais entre amigos,em círc!los familiares, na televisão e at% mesmo em conte'tos ed!cacionais*Heralmente, -!ando estas frases são ron!nciadas, ) !ma tend&ncia nat!ralem associarmos o arendizado m!sical a atri#!tos o! rendimentos em o!trasreas do con)ecimento* Um e'emlo disso foi o c)amado +feito =ozartQ, -!eca!so! (e ainda ca!sa m!ita ol&mica*K cerca de !ma d%cada, a disseminação remat!ra ela mídia dos res!ltadosde !ma investigação científica reliminar de! srcem ao famigerado +feito=ozartQ, nome atri#!ído a !ma e-!ena mel)oria em !m s!#/teste()a#ilidades esaciais do famoso teste tanford Binet de intelig&ncia ocorridalogo aCs a a!dição de !ma determinada o#ra m!sical de @*A* =ozart* e!ses-!isadores (ve$a Ra!sc)er, )aS > T, 4;;6D 4;;G, comararam aerformance de ratos de la#oratCrio e de est!dantes !niversitrios emcondiç.es sonoras variadas, como no sil&ncio e na resença de eças de=ozart e P)illi Hlass, e concl!íram -!e a a!dição da música de =ozartca!sava !m rogresso temorrio nas )a#ilidades esaciais de se!sarticiantes* +feito =ozartQ, -!e )o$e % marca registrada, de! srcem a!ma verdadeira fe#re de cons!mo da música de =ozart e de rogramas mgicosQ de ed!cação m!sical, -!e rometiam desenvolver #e#&s maisinteligentes e mais atos a o#terem !m l!gar em !niversidades famosas comoa renomada Universidade de ale (c)oenstein, 7997* !tro casointeressante e tam#%m relativo ao tal efeito foi a distri#!ição de ?0sintit!lados ?onstr!a o c%re#ro de se! #e#& atrav%s da música de =ozartQ emtodas as maternidades do estado da HeCrgia (+UA no ano de 4;;J, a mandodo então governador Vell =ilner* eg!ndo o olítico, a distri#!ição do ?0 2  s!ostamente garantiriaQ o desenvolvimento da intelig&ncia dos #e#&s e,ortanto, de !m estado com indivíd!os mais inteligentes -!e a m%dia*?omo não oderia dei'ar de ser, o +feito =ozartQ não ca!so! ol&mica aenas $!nto N o!lação, mas gero! grandes dis!tas nas grandes rodas científicas*0iversas e'eri&ncias foram realizadas com o int!ito de relicar o! ref!tar osres!ltados encontrados elo time de Ra!sc)er* ?ont!do, at% o resentemomento não foram encontradas r%licas do efeito, -!e, al%m de t!do, erasignificativo or%m m!ito e-!eno estatisticamente (ve$a Mantais > c)ellen#erg, 4;;;D c)ellen#erg, 799* Al%m disso, !ma das rinciaiscontestaç.es da com!nidade científica referi!/se ao e-!ívoco dos defensoresdo efeito ao tomarem as )a#ilidades esaciais como se elas fossem sinWnimosda intelig&ncia )!mana* a#e/se )o$e em dia -!e a intelig&ncia )!mana %m!ltifacetada e -!e as )a#ilidades eseciais constit!em aenas arte docon$!nto de )a#ilidades -!e constit!em a intelig&ncia )!mana (Hardner,4;J6* !tras e'eri&ncias so#re os efeitos da música no desenvolvimento daintelig&ncia )!mana tam#%m foram realizadas* ?osta/Hiomi (4;;;, ore'emlo, est!do! os efeitos de tr&s anos de arendizado do iano aodesenvolvimento cognitivo de crianças canadenses* As crianças articiantesdo e'erimento e -!e tin)am entre 5 e ; anos de idade, rece#eram !m ianoem s!as casas e tiveram a!las semanais grat!itas or tr&s anos consec!tivos*A cada ano as crianças assavam or !ma #ateria de testes de intelig&ncia etin)am s!as ont!aç.es comaradas N-!elas de !m gr!o controle* Asont!aç.es o#tidas elas crianças m!sicalizadas foram mel)ores -!e aso#tidos elas crianças do gr!o controle nos dois rimeiros anos, or%mforam e-!ivalentes entre os gr!os, ao t%rmino do terceiro ano do ro$eto*Res!ltados semel)antes foram encontrados or c)ellen#erg (799, -!ecomaro! o desemen)o de crianças de 5 anos de idade -!e c!rsaram !maentre tr&s modalidades artísticas: (4 a!las de iano, (7 a!las de canto coralatrav%s do =%todo Todl e (6 a!las de teatro, com !m gr!o controle emtestes de X*I** ACs !m ano de instr!ção, as crianças m!sicalizadas tiveram!m desemen)o mel)or nos testes de X*I*, seg!idas elas crianças ori!ndasdo c!rso de teatro, e or último, as crianças do gr!o controle* Mo entanto,conforme ocorre! no est!do de ?osta/Hiomi (4;;; e nos est!dos do +feito=ozartQ, em#ora os res!ltados ten)am sido significativos, o efeito foiestatisticamente e-!eno, o -!e s!gere !m efeito mínimo* ?omentando osres!ltados de se! est!do, c)ellen#erg (799 aonto! ara a necessidade derealização de o!tros est!dos !ma vez -!e a ossi#ilidade de )aver !marelação, ainda -!e e-!ena, entre a ed!cação m!sical e o desenvolvimento daintelig&ncia, arece ser real* +ntretanto, % imortante notar -!e est!dos comrelaç.es ca!sais sClidas e aresentando !m grande efeito estatístico entre amúsica e o desenvolvimento do intelecto )!mano não são encontrados naliterat!ra científica, ossivelmente or-!e tais est!dos são difíceis de seremrealizados $ -!e são longit!dinais e envolvem !ma s%rie de -!est.es sociais,econWmicas, c!lt!rais e %tnicas*  ossível -!e est!dos f!t!ros revelem ootencial da música no desenvolvimento da intelig&ncia* Por%m, at% oresente momento, % necessria m!ita ca!tela no ass!nto, $ -!e, como fico!dito, relaç.es ca!sais sClidas entre o arendizado m!sical e a intelig&nciaainda não foram encontradas* 3  Segunda relação: O aprendizado musical e o raciocínio lógico-matemático A disc!ssão acerca da e'ist&ncia de !ma relação ca!sal entre a músicae a matemtica % #astante antiga* A rCria )istCria da música fornece !maossível e'licação ara taman)o interesse nesta relação* Ma AntigLidade, ore'emlo, tanto a música -!anto a matemtica faziam arte doscon)ecimentos dos indivíd!os il!strados e reseitados socialmente or s!ascaacidades intelect!ais* Al%m disso, ) m!itas relaç.es matemticascontidas na rCria estr!t!ra m!sical, o -!e torna #astante rC'ima a relaçãoentre as d!as reas* ?!tietta (4;;5# reviso! a literat!ra so#re o ass!nto econcl!i! -!e ) alg!ma relação estreita entre a música e a matemtica*?ont!do, s!a revisão de literat!ra não encontro! nen)!ma relação ca!salentre a arendizagem m!sical e as )a#ilidades matemticas* +m o!trasalavras, ?!tietta não encontro! est!dos -!e versassem so#re o arendizadom!sical como elemento de mel)oriaQ o! aerfeiçoamento das )a#ilidadesmatemticas* -!e o es-!isador encontro! foram est!dos em -!e os al!nos-!e eram #ons em música eram tam#%m #ons al!nos de matemtica, e deo!tras discilinas* eg!ndo a interretação de ?!tietta, % ossível -!e nãoe'ista necessariamente !ma relação ca!sal sClida entre a música e amatemtica, mas -!e os al!nos matric!lados em c!rsos e a!las de músicase$am al!nos mais alicados -!e a m%dia, sendo, ortanto, #ons al!nostam#%m na matemtica* ?onsiderando -!e os est!dos revisados or ?!tiettaforam cond!zidos rincialmente na Am%rica do Morte e na +!roa, onde )rogramas fortes de ed!cação m!sical na escola, % reciso m!ita ca!tela nainterretação dos res!ltados das es-!isas acima mencionadas, #em como dese!s m%todos de investigação* Al%m disso, % imortante considerar -!e,em#ora a música e a matemtica ten)am !ma relação estreita, % recisom!ito c!idado com as generalizaç.es $ -!e não ) nen)!ma garantia de -!eao arender !ma discilina o al!no ter s!cesso na o!tra* Terceira relação: O aprendizado musical e o aprendizado dalinguagem 0iversos est!dos da ne!roci&ncia s!stentam o arg!mento de -!e amúsica e a ling!agem são d!as formas de com!nicação )!mana atrav%s desons -!e oss!em tanto diferenças -!anto semel)anças de rocessamento ede localização esacial no c%re#ro (ve$a =arin > Perr, 4;;;* 0o onto devista da sicologia do desenvolvimento, ) s!gest.es de -!e a música e aling!agem estão m!ito rC'imas e são ig!almente imortantes na inf<ncia(Erainor, 4;;5D Erevart)en, 7994* A fala dirigida aos #e#&s, or e'emlo,oss!i m!itas características m!sicais (Ilari, no reloD Erainor, 4;;5, e alg!nsest!diosos c)egaram a s!gerir -!e a melodia (e não o conteúdo sem<nticodas alavras % a mensagem rincial -!e os #e#&s catam (Fernald, 4;J;*Al%m disso, a criança r%/ver#al est atenta e resonde ig!almente aoscontornos melCdicos da fala e do canto dirigido a ela (Erainor, 4;;5D Ere)!#,7996* A música e a ling!agem, -!e fre-Lentemente se conf!ndem no inícioda vida, tornam/se mais indeendentes no decorrer do desenvolvimentoinfantil e raticamente se dissociam -!ando as crianças arendem adiferenciar o canto da fala* +ntretanto, a música e a ling!agem comartil)amalg!mas roriedades acústicas como alt!ra, ritmo e tim#re, -!e odem sertraçadas no decorrer de toda a vida* 4
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks