Documents

A Música nas Escolas Pitagóricas como Elemento Doutrinário

Description
A Música nas Escolas Pitagóricas como Elemento Doutrinário A música tem uma importância imensa no comportamento do ser humano e da sociedade razão pela qual de forma alguma ela deve ser excluída dos estudos místicos. Por tudo isto e mais é que a Escola Pitagórica e algumas Ordens, entre elas a V∴O∴H∴ e outras Ordens legítimas reservam alguns anos de estudo à música em todos os seus aspectos. Por certo foi a Escola de Crotona, fundada por Pitágoras, que mais deu ênfase ao estudo da música, ocupan
Categories
Published
of 99
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  A Música nas Escolas Pitagóricas como ElementoDoutrinário A música tem uma importância imensa no comportamento do ser humano e da sociedade razão pelaqual de forma alguma ela deve ser excluída dos estudos místicos. Por tudo isto e mais é que a EscolaPitagórica e algumas Ordens, entre elas a V ∴ O ∴ H ∴ e outras Ordens legítimas reservam alguns anosde estudo à música em todos os seus aspectos.Por certo foi a Escola de Crotona, fundada por Pitágoras, que mais deu ênfase ao estudo da música,ocupando o seu estudo uma fração muito importante dos ensinamentos doutrinários. Mas normalmentepouco tem sido escrito sobre os aspectos ocultos da música em livros místicos e esotéricos, e issonos levou a preparar alguns temas que estão sendo apresentados nesta site. Relação de Todas as Palestras Disponíveis  1.   O Poder dos Sons 2.   Os Mantras 3.   A Mística dos Sons 4.   O Universo é Som 5.   O Silêncio 6.   Os Sons Audíveis 7.   A Música em Antigas Civilizações 8.   Os Doze Tons Cósmicos 9.   A Música na Sociedade Humana 10.   A Força Inerente à Música 11.   Ação Biológica da Música 12.   Experiências com Música Atual 13.   A Música e o Desenvolvimento dos Seres 14.   A Música Intencional 15.   Músicas de Poder 16.   Transformações pela Música 17.   O Lado Positivo da Música   18.   A Música Ritualística 19.   O Som Cósmico 20.   O Verbo e o OM 21.   A Música e os Elementos da Natureza 22.   Os Sons e a Água na Cosmologia do Egito Antigo 23.   Os Mistérios dos Sons e da Música 24.   A Magia dos Sons 25.   O Som e as Religiões Atuais 26.   O Som da Nova Era 27.   Efeitos Biológicos dos Sons 28.   Efeitos Psicológicos dos Sons 29.   A Música e o Transe 30.   A Música de Força 31.   A Música de Cura 32.   A Música da Natureza 33.   A Música e a Descontinuidade 34.   A Música Atual e a G.L.B. 35.   Referências Bibliográficas   O Poder dos Sons   No princípio era o Verbo...      Os instrumentos de percussão podem ser as mais antigas formas de expressão sonora   P ara que se possa compreender perfeitamente a razão de ser dos Hinos, Mantras, e Vocalizações(entoações de vogais) é mister que se tenha em mente que os sons são vibrações e como taissão capazes de desenvolver ações físicas. Um som não é apenas um fenômeno acústico, portantoele é algo capaz de influenciar não apenas o órgão da audição, mas também produzir outrasmanifestações físicas. A física conhece perfeitamente o efeito da ressonância que pode se fazerpresente em tudo, pois a estrutura da natureza é essencialmente vibratória. P ara que possamos sentir o que foi dito antes vamos tentar examinar uma pequena faixa deondas, aquela em que se situam os fenômenos acústicos. Ninguém põe em duvidas as citaçõesseguintes, por serem elas suficientemente reintegradas nos anais das ciências Clássicas, mesmoque algumas delas pareçam referências absurdas. U m som ritmado, como o marchar cadenciado de soldados, pode fazer desmoronar pontes, poristo quando tropas atravessam-nas geralmente o fazem em marcha desordenada, pois o marcharritmado pode determinar uma sobrecarga vibratória por ressonância suficientemente forte paraacarretar um rompimento físico da estrutura sólida. Isto foi o que certa vez ocorreu numa ponteem Amienes, na França. Por essa razão é que desde então um pelotão geralmente evitaatravessar uma ponte marchando. O s sons produzidos por aviões a jato acarretam problemas de diferentes naturezas. Sabe-se quea grande maioria dos ovos incubados próximos das rotas de aviões a jato não geram devido àsvibrações produzidas pelo ruído das turbinas. Esse mesmo ruído é capaz de rebentar vidros eoutros objetos frágeis. As naves aéreas quando ultrapassam a barreira do som srcinam ondas dechoque que rebentam vidros e causam uma infinidade de outros inconvenientes. O grande tenorCaruzo era capaz de rebentar uma taça de cristal unicamente pela emissão vocal de certas notasmusicais. Na França um edifício onde funciona um Instituto de Pesquisas Físicas de Ultra-sons,embora ninguém escutasse som algum, mesmo assim durante certas experiências físicas alirealizadas começou a apresentar rachaduras. Depois ficou comprovado que o problema tinhacomo causa as vibrações sonoras, mesmo em nível de ultra-sons. A lgumas construções históricas, entre elas o Coliseu de Roma, estão ameaçadas dedesmoronamento em decorrência de vibrações de trânsito, especialmente as sonoras. O s sons, além de um certo limite de decibéis, causam lesões no aparelho auditivo de gravidadevariável, podendo chegar a um limite máximo de produzir surdez. Quaisquer barulhos podem serprejudiciais aos ouvidos assim como determinar outras alterações orgânicas. Mesmo o buzinar deum veículo determina quebra acentuada na postura das aves, por isto hoje se evitam os aviáriosàs margens das rodovias. P or outro lado, as aves quando submetidas a uma música adequada apresentam uma postura  mais prolongada. Também as vacas conforme a música e outros sons podem produzir maiorquantidade de leite e isto de uma maneira tão evidente que certos produtores americanos eeuropeus estão utilizando musica ambiental nos estábulos. C ertas bactérias capazes de resistir ao calor ou ao frio intenso morrem rapidamente ao seremsubmetidas a certos níveis sonoros, por isto atualmente a esterilização de materiais muitosensíveis ao calor está sendo feito por meio de ultra-sons. A medicina emprega sobejamente os sons como meio curativo. Comumente ela utiliza aparelhosde ultra-sons que geram sons de baixa freqüência, praticamente inaudíveis para o homem, masque determina uma série imensa de ações sobre o organismo. Várias moléstias são suscetíveis detratamento com tais aparelhos. A lém da ação física propriamente dita, os sons têm uma enorme capacidade de produzir efeitosmentais das mais diferentes naturezas. Assim é que há sons que irritam as pessoas, como porexemplo, o chiado de um grilo, uma goteira numa lata, o ranger de uma serra sobre um metal,giz em quadro negro, e uma infinidade de outros ruídos. Por outro lado há sons que acalmam eagradam, haja vista a música lenta e melódica. Mas, mesmo em se tratando de música háaquelas que estimulam certas condições psíquicas, como as músicas que despertam ossentimentos patrióticos, a coragem e a combatividade. Há músicas, como as sacras, que levam aalma a um estado místico profundo, como há as que estimulam o repouso, enquanto outraspodem despertar tristezas e melancolias. Não restam dúvidas de que os sons têm poder dedespertar estados psíquicos especiais. Portanto, vemos com estes exemplos, entre milhares deoutros, que uma vibração sonora pode determinar condições as mais diversas sobre o campoonde ela se manifesta, e que os seres vivos são altamente sensíveis aos sons. V imos também que os sons podem acarretar alterações no organismo vivo, portanto é deinteresse saber quais são as alterações possíveis, em que níveis e em que intensidade elasocorrem. Certamente ninguém está em condição de afirmar isto com precisão, pois se trata deum campo altamente inexplorado pela ciência atual, mas, se é desconhecido para a ciênciaoficial, também o será para outras ciências? Será que não existem ciências que tenhamconhecimentos do assunto em profundidade? Talvez sim, então não se deve negar que o homempor vias diferentes daquelas preconizadas pela ciência oficial pode haver descoberto uma série decoisas ainda não oficialmente aceitas. Isto tem acontecido a amiúde. Por exemplo, até bem poucotempo a ciência oficial dizia não existir a aura dos seres vivos citada pelos sensitivos, até queisso foi evidenciado por meios técnicos. O campo bioplasmático, portanto, acabou sendofotografado e a ciência teve que aceitar isso, mesmo que ela haja contradito isso no passado edenominado de fantasiosas aquelas pessoas que afirmavam ver um halo em torno do corpo daspessoas. A s descobertas podem ocorrer por via dedutiva e também por via indutiva. Assim osconhecimentos existentes na terra podem perfeitamente ter surgido por quaisquer dessas vias.Ninguém sabe quantas vezes a terra já foi palco para civilizações que atualmente estãosepultadas na névoa dos tempos e que cultivaram ramos das ciências especializados exatamenteem usos incomuns dos sons. S eja como for que o leitor encare essas informações, uma coisa, porém é certo, o somdeterminam modificações apreciáveis nos seres vivos, pois quando determinados sons sãoemitidos, certas células do organismo vibram e isto não é nada de espetacular, é uma lei normalde acústica que se cumpre. N o mundo há muitas coisas curiosas a respeito do poder dos sons. Por exemplo, no Templo deShivapur da Índia, dizem existir uma pedra em frente à porta de entrada e que tem apeculiaridade de ao ser tocada com um dedo por onze pessoas pronunciando as palavras QMARALI DEVIXE a pedra se torna sem peso e flutua, embora ela pese 41 Kg. Ao ser pronunciadaaquela frase com uma certa tonalidade a pedra é erguida sem qualquer esforço por parte daspessoas até uma altura de dois metros e em seguida ela cai após um segundo.
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks