Magazine

A Natureza Da Igreja Evangélica, Por John Gill

Description
A NATUREZA DA IGREJA EVANGÉLICA John Gill Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 2 Traduzido do original em Inglês A Body…
Categories
Published
of 17
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
A NATUREZA DA IGREJA EVANGÉLICA John Gill Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 2 Traduzido do original em Inglês A Body of Practical Divinity • Book 2 — Chapter 1 • Of The Nature of A Gospel Church, The Seat of Public Worship By John Gill Via: PBMinistries.org (Providence Baptist Ministries) Tradução e Capa por William Teixeira Revisão por Camila Almeida 1ª Edição: Junho de 2015 Salvo indicação em contrário, as citações bíblicas usadas nesta tradução são da versão Almeida Corrigida Fiel | ACF • Copyright © 1994, 1995, 2007, 2011 Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. Traduzido e publicado em Português pelo website oEstandarteDeCristo.com, com a devida permissão do ministério Providence Baptist Ministries, sob a licença Creative Commons AttributionNonCommercial-NoDerivatives 4.0 International Public License. Você está autorizado e incentivado a reproduzir e/ou distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, as fontes originais e o tradutor, e que também não altere o seu conteúdo nem o utilize para quaisquer fins comerciais. Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 3 A Natureza da Igreja Evangélica Por John Gill [Um Compêndio de Teologia Doutrinária • Livro 2 — Capítulo 1 • Editado] Havendo tratado do objetivo da adoração e distinguido a adoração interior e exterior; e tendo considerado a adoração interior, uma vez que encontra-se no exercício das várias graças; eu agora avanço para considerar a adoração exterior, pública e privada, e primeiramente o culto público; e como o culto público é realizado socialmente na igreja, começarei considerando a natureza de uma igreja evangélica, e definindo-a. A palavra “igreja” tem vários significados, assim pode ser adequado conhecê-los, a fim de estabelecermos o verdadeiro sentido dela, como agora eu discursarei sobre, 1. Primeiro, alguns a consideram como um lugar de adoração, e chamam tal lugar com esse nome; mas de forma errada, no mínimo, muito impropriamente. Há um ditado notável de um dos antigos, até mesmo do segundo século: “Não é o lugar, mas a congregação dos eleitos, que eu chamo de a Igreja”1. Na verdade, qualquer lugar de culto era anteriormente chamado casa de Deus; de modo que o lugar onde Jacó e sua família adoraram, tendo construído um altar para Deus, foi chamado Betel ou a Casa de Deus (Gênesis 35:1), de modo semelhante o tabernáculo de Moisés é chamado de: a Casa de Deus em Siló (Juízes 18:31), e o templo construído por Salomão de: a Casa do Senhor (1 Reis 6:1, 2, 37). Mas nenhum deles jamais foi chamado de igreja. Os papistas, de fato, chamam um edifício construído para o culto religioso de uma igreja; e assim fazem alguns protestantes; eu poderia acrescentar, alguns protestantes dissidentes também; alguns chamam o ir a um lugar de culto público de “ir à igreja”; embora com grande impropriedade. Deve ser de nosso conhecimento, que alguns dos antigos pais usavam a palavra neste sentido metonímico e impróprio, para o lugar onde a igreja se reunia para o culto, e algumas passagens das Escrituras existem para advogar este uso deles; mas tais parecem ainda não ser claras e suficientes, não em Atos 19:37, pois a palavra ιεροσυλους, não deve ser apreendida como “ladrões de igrejas”, mas “sacrílegos”; como designa não edifícios construídos para o culto Cristão; mas os templos dos pagãos, como o de Diana, em Éfeso; mas o que pode parecer mais plausível e pertinente, são algumas passagens em 1 Coríntios 11:18, 20, 22: “Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja”, etc., isto é considerado e depois explicado: “De sorte que, quando vos ajuntais num lugar... Não tendes porventura casas para comer e para beber? Ou desprezais a igreja de Deus” (vv. 20, 22). Tudo isso, na verdade, supõe um lugar de reunião; embora não seja o Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 4 lugar, mas a assembleia que se reuniu nele, que é chamada de igreja; e seu ajuntamento na igreja pode intencionar dizer não outros, além de alguns dos membros vindo e se reunindo com o restante da igreja; e επι το αυτο, que significa “em um só lugar”, pode designar, não a unidade do lugar, mas a unanimidade das pessoas que estão nele, também não há oposição entre suas casas e o local de reunião; e isso só é mencionado para mostrar que teria sido muito mais adequado e decente que eles houvessem comido e bebido em suas próprias casas, do que na presença da assembleia e igreja de Deus, para o seu escândalo, censura e menosprezo; pois não o lugar, mas as pessoas que se encontram nele, seriam propriamente os objetos de desonra. No entanto, é certo que existem inúmeros locais da Escritura que não podem ser compreendidas como sendo qualquer edifício ou construção material feitos de pedra, tijolo ou madeira2; como quando se diz: “chegou a fama destas coisas aos ouvidos da igreja” (Atos 11:22), seria absurdo compreender a igrejas neste sentido bem como em tantos outros. 2. Em segundo lugar, a palavra εκκλησια, sempre usado para “igreja”, significa uma “assembleia” convocada e reunida3, e às vezes é usada para uma assembleia que foi legal ou ilegalmente convocada; pois o ajuntamento das pessoas que se reuniram no alvoroço feito pelos artífices em Éfeso, é chamado de “ajuntamento era confuso”, e sugeriu ser algo ilegal; e quando o escrivão da cidade lhes disse que o assunto deveria ser averiguado em “legítima assembleia”; e quando ele disse isso “despediu a assembleia” (Atos 19:32, 39, 41), nestas passagens a palavra comumente usada é a mesma que é usada para “igreja”; e esta pode ser considerada geralmente, ou como uma assembleia particular de pessoas. 2a. Em primeiro lugar, como uma assembleia geral, chamada de “a universal assembleia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus” (Hebreus 12:23) e que incluem todos os eleitos de Deus, que estiveram, estão ou estarão no mundo; os quais formarão o estado puro, santo e imaculado da Jerusalém Celestial, na qual ninguém estará senão aqueles que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. E estes consistem nos redimidos do Cordeiro, e é esta “igreja” que Cristo “comprou” com o seu próprio sangue; e que compõem a sua esposa, a “igreja” que Ele “amou”, e entregou a Si mesmo por ela, para a lavar e limpar, e a apresentar a Si mesmo igreja gloriosa, sem mancha nem ruga. Este é o “corpo”, a Igreja, do qual Cristo é a “cabeça”; e na qual ele é o único oficial, sendo Profeta, Sacerdote e Rei da mesma; esta sendo, não a sede de uma governo humano, como uma igreja em particular é. E esta Igreja é apenas “uma”, embora as igrejas particulares sejam muitas; a isso pode ser aplicado as palavras de Cristo: “Porém uma é a minha pomba, a minha imaculada” (Cânticos 6:9) e é esta que às vezes é chamada pelos teólogos de, a igreja “invisível”; mas isto não significa que todo o número dos eleitos de Deus não seja visível para Ele, e conhecido por Ele: “O Senhor conhece os que são seus” [2 Timóteo 2:19]; e a eleição de pessoas Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 5 em particular pode ser conhecida por elas mesmas, pela graça que lhes é dada; e um julgamento de amor, pode concluir-se dos outros, que são os escolhidos de Deus, e estão escritos no livro da vida. Entretanto quanto a todas as pessoas em particular, e o número delas, nunca foram ainda vistos e conhecidos; João teve uma visão deles de uma forma visionária, e eles serão todos real e efetivamente vistos, quando a Nova Jerusalém descerá do Céu, da parte de Deus, bela como noiva adornada para o Seu esposo; o que será na segunda vinda de Cristo, e não antes; até chegar esse momento, esta Igreja será invisível. Por vezes se distingue internamente a igreja em “triunfante e militante”, toda a família chamada pelo nome de Deus no Céu e na terra. A Igreja triunfante consiste dos santos na glória, a quem Cristo tomou para Si mesmo, para estar com Ele onde Ele está; e esta está aumentando continuamente. A Igreja militante é composta de pessoas no estado atual, que pode ser dito como sendo “um exército com bandeiras” (Cânticos 6:4), esta é formada de tais que se tornam voluntários no dia do poder de Cristo; e colocam toda a armadura de Deus, e combatem o bom combate da fé; e, neste estado, continuará até ao fim do mundo. Há um outro sentido no qual a Igreja pode ser chamada de “católica” ou “geral”, uma vez que pode ser constituída de todos em qualquer era, e em cada uma das regiões do mundo, que têm a verdadeira fé em Cristo, e O têm como sua Cabeça, e são batizados em um só Espírito em um só corpo; possuem um só Espírito, um só Senhor, uma só fé, um só batismo e um só Deus e Pai de todos, e são chamados em uma só esperança da sua vocação, essa é tomada não somente dos que fazem uma profissão visível de Cristo, mas de todos estes que são verdadeiramente participantes da Sua graça; apesar de não terem feito uma profissão aberta de fé nEle de uma maneira formal; e esta é a igreja que Policarpo chamou de “toda a Igreja Católica em todo o mundo”4; e Irineu: “A Igreja espalhada pelo mundo inteiro até os confins da terra”5 e Orígenes: “A Igreja de Deus debaixo do céu”6, e esta é a igreja construída em Cristo, a Rocha, contra a qual as portas do inferno não prevalecerão; tal igreja Cristo sempre teve e terá; e isto pode acontecer, quando não há nenhuma congregação visível da igreja, ou uma igreja em particular reunida de acordo com a ordenança evangélica; é referindo-se a isto que o apóstolo parece falar, quando ele diz: “A esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre” (Efésios 3:21). Mas, 2b. Em segundo lugar, a igreja pode ser considerada como um conjunto particular de santos reunidos em um só lugar para o culto religioso. Assim foi com a primeira igreja em Jerusalém que foi chamada de “toda igreja”, que se reunia em um lugar ao mesmo tempo (Atos 1:14-15; 2:1; 4:32, 15:22), e a igreja de Antioquia foi convocada pelos apóstolos, a qual contaram o que Deus havia feito para com eles (Atos 14:27), e essas igrejas, tempos depois, continuaram a se reunir em um só lugar; toda a igreja de Jerusalém, com a destruição da cidade, se deslocando para a cidade chamada Pella, além do Jordão, que era adequada Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 6 para receber os Cristãos que pertenciam a ela7; e 250 anos depois de Cristo, a igreja de Antioquia se congregava em uma casa8. E assim a igreja em Corinto (1 Corinto 14:23; 5:4), e a igreja dos discípulos de Trôade se reunia no primeiro dia da semana para partir o pão (Atos 20:7), destes havia muitos em uma província; como as igrejas da Judéia, além daquela que estava em Jerusalém, e as igrejas da Galácia (Gálatas 1:2, 23), e as sete igrejas da Ásia (Apocalipse 1:4), e as igrejas da Macedônia (2 Coríntios 8:1), a igreja em Cencréia, um porto de Corinto, que era distinta da igreja de lá, assim como todas estas igrejas eram distintas umas das outras; de modo que aquele que era de uma igreja, não pertencia à membresia de uma outra; como Epafras é dito ser “um de vocês”, isto é, um membro da igreja de Colossos, membro peculiar e ministro daquela igreja, e não de outra (Colossenses 4:12). E esta é a natureza da igreja que está sendo aqui tratada; e pode ser considerada “essencialmente”, quanto aos que a compõe e à sua forma; e “organicamente”, quanto a sua ordem e poder ou como corpo de pessoas, tendo os seus próprios oficiais. 2b1. “Essencialmente” considerada, quanto aos que a compõe e à sua forma, em que ela consiste. 2b1a. Em primeiro lugar, em relação à questão dela, tanto quanto à quantidade e qualidade. Quanto ao número, Tertuliano9 pensava que três pessoas eram suficientes para constituir uma igreja; o que pode parecer ser confirmado por Mateus 18:20: “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome” etc., isto pode ser suficiente para reunirem-se, orar juntos e edificar uns aos outros; mas um processo judicial formal de uma igreja, em caso de ofensa, como foi instruído em alguns versículos anteriores, parece exigir mais; visto que o agressor e as partes ofendidas não podem resolver as coisas por eles mesmos, mas uma ou duas pessoas devem ser tomadas, se forem tomadas mais duas pessoas, ao todo perfazem quatro pessoas envolvidas nesta questão; se a reconciliação não pode ser feita, o assunto deve ser levado perante a igreja, que deve ser composta por um número maior do que as partes envolvidas na causa, isto é, não pode ser composta por menos do que outras seis pessoas, agora ao todo temos dez pessoas, que era o número necessário para formar uma congregação entre os judeus10. E uma igreja considerada organicamente, ou como tendo seus próprios oficiais, parece exigir mais; a igreja de Éfeso foi iniciada com doze homens, ou aproximadamente isso (Atos 19:7), mas uma igreja deve consistir de não mais pessoas do que as que podem reunir-se em um lugar, onde todos possam ouvir, e todos sejam edificados; e se ela crescer tanto quanto puder, em seguida, ela deve ser dividida em comunidades menores; como uma colmeia de abelhas, quando cresce até possuir muitos enxames; este parece ser o caso da igreja em Jerusalém; que, após a partida daqueles que foram convertidos no dia de Pentecostes, e na dispersão da igreja por causa da perseguição, formou várias igrejas na Judéia, e há registro da primeira menção delas. Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 7 Mas para não me demorar mais sobre este ponto, passarei às características daqueles que compõe uma igreja evangélica, pois especialmente estes merecem mais atenção. Em geral, pode-se observar, que todos aqueles que possuem vidas e conversações imorais, que possuem princípios deturpados em relação às doutrinas do Evangelho, não são pessoas adequadas para serem membros de uma igreja evangélica; nenhuma pessoa impura, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores, têm, ou deveriam ter qualquer herança, parte ou porção no reino de Deus, à medida que este pode significar, como algumas vezes o faz, uma igreja evangélica estabelecida; e embora possa haver tal segredo, que possa ser ocultado, contudo os tais quando descobertos devem ser excluídos; e tais pessoas, por isso, devem ser afastadas da igreja, como os homens maus, e como aqueles que andam desordenadamente, estão afastados dela, e como aqueles que têm aderido às falsas doutrinas, devem ser rejeitados; então, certamente tais não devem ser conscientemente admitidos na constituição original de uma igreja de Cristo, ou seja, não devem ser inicialmente recebidos na comunhão de uma igreja de Cristo. As pessoas que compõe uma igreja evangélica visível são descritas: 2b1a1. Como pessoas regeneradas. “Aquele que não nascer da água e do Espírito” [João 3:5], isto é, da graça do Espírito de Deus, “não pode entrar”, certamente ele não entrará, e, se conhecido, não deveria ser permitida a sua entrada, “no reino de Deus”, isto é, em uma igreja evangélica estabelecida; ninguém deve entrar na igreja, senão aqueles que são gerados de novo para uma viva esperança da herança celestial, e que, como crianças recém-nascidas, desejam o leite racional da Palavra e às ordenanças, para que assim possam crescer, tendo provado que o Senhor é bom; ou, em outras palavras, de quem “temos por justo sentir isto deles”, e, num julgamento de amor e de critério, esperamos que seja concluída a boa obra que Deus começou neles; tais foram os membros da igreja em Filipos (Filipenses 1:6-7). 2b1a2. Como aqueles que são chamados. Uma igreja é uma congregação daqueles que são chamados dentre outros, pela graça de Deus; tanto as palavras hebraicas e gregas ‫הלהק‬ e εκκλησια, significam um conjunto de pessoas convocadas e juntamente estabelecidas; de modo que os membros da igreja em Roma são denominados: “chamados para serdes de Jesus Cristo” (Romanos 1:6), tais que são chamados para fora do mundo, e da comunhão com os homens, “para a comunhão de Jesus Cristo”, assim temos que os membros apropriados de uma igreja evangélica, são aqueles são chamados para fora de um estado de escravidão do pecado, Satanás e da Lei, para a liberdade do Evangelho; e das trevas para a maravilhosa luz; e são chamados com uma santa vocação, e chamados para serem santos, e não apenas pelo ministério externo da Palavra, mas para santidade de vida e de conversação; aqueles que nunca foram eficazmente chamados pela graça de Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 8 Deus, nem apresentam qualquer aparência disto, são, portanto, incapazes de se tornarem membros de igrejas; pois, 2b1a3. Os membros das igrejas não somente são chamados para serem santos, mas na e pela chamada eficaz se tornam realmente santos, pelo menos, são julgados como sendo assim, por uma amorosa descrição dada a eles; de modo que os membros das igrejas em Roma, Corinto, Éfeso, Filipos e Colossos, são descritos como “santos” e pessoas “santificadas”, e como “templos santos”, construídos para habitação de um Deus santo; portanto, eles são chamados de “igrejas dos santos”, porque elas se constituíam dos tais; e Cristo, que é Rei e Cabeça da Igreja, é chamado de “Rei dos santos” (1 Coríntios 14:33; Apocalipse 15:3). 2b1a4. Eles são descritos como os “fiéis em Cristo Jesus”, ou crentes nEle: assim, no artigo da Igreja da Inglaterra, uma igreja é definida como: “Uma congregação de fiéis, na qual a pura Palavra de Deus é pregada, e os sacramentos devidamente administrados”. Apenas homens fiéis ou crentes em Cristo, podem ter comunhão com os santos na igreja; e ninguém, senão estes podem ter comunhão com Cristo; pois ele habita nos corações dos homens pela fé, e os homens vivem pela fé e somente os tais têm direito às ordenanças de Cristo, e podem recebê-las e serem beneficiados por elas; a não ser que eles creiam com todo o coração, eles não têm direito ao Batismo; e, a menos que eles tenham fé em Cristo, eles não podem discernir o corpo do Senhor na Ceia; nem o Evangelho é pregado com qualquer proveito para eles, pois não está misturado com a fé; de modo que eles são de todas as formas impróprios para tornarem-se membros da igreja; e, portanto, lemos que aqueles que se juntaram à primeira igreja de Jerusalém eram crentes (Atos 4:14, veja Atos 2:41, 47). Assim, 2b1a5. Aqueles que foram acrescentadas à igreja em Jerusalém são descritos como: “aqueles que se haviam de salvar” [Atos 2:47]; de sorte que todos aqueles que creem e são batizados, serão salvos, de acordo com Marcos 16:16. E, além disso, estes foram adicionados pelo próprio Senhor, assim como para Ele, e, portanto, devem ser salvos por Ele com uma salvação eterna. E aqueles que são admitidos à comunhão da igreja, deveriam ser tais que, num acórdão de caridade ou em um critério amoroso, pode-se esperar que eles sejam os escolhidos de Deus, os redimidos de Cristo, aqueles que são chamados, santificados e justificados, e assim serão para sempre salvos. 2b1a6. Eles devem ser pessoas com algum conhecimento competente das coisas Divinas e espirituais, e julgarem a si mesmos; pessoas que possuem não só o conhecimento de si mesmos, e de seu estado perdido por natureza, e do caminho da salvação por Cristo; mas que têm algum grau de conhecimento de Deus em Sua natureza, perfeições e obras; e de Facebook.com/JohnGill.org OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 9 Cristo, na sua Pessoa, como o Filho de Deus; de Sua própria Divindade; de Sua encarnação; de Seus ofícios, como Profeta, Sacerdote e Rei; da justificação pela Sua justiça; do perdão pelo Seu sangue; da satisfação pelo Seu sacrifício; e de Sua intercessão eficaz: e também do Espírito de Deus, da Sua pessoa, ofícios e operações; e das importantes verdades do Evangelho, e das Doutrinas da Graça; ou, de que outra maneira a igreja poderá ser “a coluna e firmeza da verdade”? 2b1a7. Os membros de uma igreja evangélica devem ser ho
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks