Slides

A relatividade e a psicanálise - o impacto

Description
1. 4 de Dezembro de 2009 Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise” <ul><li>Trabalho…
Categories
Published
of 36
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. 4 de Dezembro de 2009 Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise” <ul><li>Trabalho realizado por: </li></ul><ul><li>Joana de Oliveira, nº 7 – 12º6ª </li></ul>
  • 2. <ul><li>A Teoria da Relatividade </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 3. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 4. <ul><li>A Teoria da Relatividade Geral, por Einstein </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 5. <ul><li>Afirma que o espaço-tempo tem uma estrutura quadridimensional. </li></ul><ul><li>A curvatura é determinada pela presença de matéria. </li></ul><ul><li>A gravitação manifesta-se enquanto curvatura do espaço-tempo e não como uma força entre duas massas </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise” O que defende?
  • 6. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 8. <ul><li>Origem da Teoria: duas situações-problema </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 9. <ul><li>Postulados </li></ul>
  • 10. <ul><li>Disfunção dos raios luminosos pela gravidade </li></ul><ul><li>Um raio luminoso, que sofresse a acção da gravidade, seria deflectido </li></ul><ul><li>Previsão feita pelo Princípio de Equivalência </li></ul>A distinção entre um compartimento acelerado e um compartimento com velocidade nula ou constante é impossível
  • 11. <ul><li>Massa e energia </li></ul><ul><li>Aspecto mais conhecido na Teoria da Relatividade </li></ul><ul><li>Equação E=MXC2 Pode ser usada para calcular a energia potencial armazenada no núcleo dos átomos </li></ul>
  • 12. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 13. <ul><li>Matéria e radiação </li></ul><ul><li>Séc. XX : os físicos concluem que para cada partícula existe uma anti-partícula </li></ul><ul><li>Quando se encontram, transformam-se em radiação </li></ul>
  • 14. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 15. <ul><li>Filosofia e a Teoria da Relatividade </li></ul><ul><li>Positivismo: Concepção que vigorava na Idade Moderna, representada por August Comte. Afirmava que o conhecimento científico tinha três fases: a abstracção, o uso rudimentar da ciência e o “Estado Positivo” </li></ul><ul><li>Relativismo: Abordagem científico-filosófica que admite a impossibilidade do conhecimento absoluto e defende que o conhecimento varia segundo o tempo, o meio e o sujeito que conhece. </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 16. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 17. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 18. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 19. <ul><li>A Teoria da Relatividade e a Cultura </li></ul><ul><li>Cubismo: vanguarda cultural contemporânea do expressionismo, que surge em Paris, no ano de 1908. </li></ul><ul><li>Movimento cubista: </li></ul><ul><li>Fase cézaniana </li></ul><ul><li>Fase analítica </li></ul><ul><li>Cubismo sintético </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 20. <ul><li>Cubismo analítico: </li></ul><ul><li>Decomposição dos motivos em planos – articulação de pequenos sólidos geométricos </li></ul><ul><li>Eliminação dos acessórios e monocromatismo em azuis, cinzentos e castanhos </li></ul><ul><li>Separação figurativa dos objectos e a sua realidade natural </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise ”
  • 21. <ul><li>Quadro As Meninas de Avinhão de Picasso </li></ul><ul><li>As “meninas” são mostradas em todos os seus ângulos e em diferentes tempos (o objecto figurado é destruído) </li></ul>A interpretação (a verdade) depende do tempo, do meio e do sujeito que a faz. INTERPRETAÇÕES SUBJECTIVAS E RELATIVAS Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 22. <ul><li>A Teoria da Psicanálise </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 23. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 24. <ul><li>Teoria da Psicanálise, por Freud </li></ul><ul><li>Tem origem no tratamento da histeria: a CURA PELA PALAVRA , por Breuer </li></ul>Associação de palavras que leva a recordações reprimidas e liberta os pacientes dos sintomas Levou à HIPNOSE , por Freud Exploração do inconsciente, estado parecido do sono parcial, induzido por palavras/actos, alterações no estado de consciência, memória, controlo psicomotor Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 25. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 26. <ul><li>Primeira Tópica </li></ul><ul><li>INCONSCIENTE </li></ul><ul><li>PRÉ-CONSCIENTE </li></ul><ul><li>CONSCIENTE </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 27. <ul><li>Segunda Tópica </li></ul>ID EGO SUPER-EGO Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 28. Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 29. <ul><li>Pulsão: </li></ul><ul><li>Subjacente à estrutura do aparelho psíquico </li></ul><ul><li>Freud dá uma especial importância às pulsões sexuais e agressivas </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 30. <ul><li>Conflito intra-psíquico </li></ul><ul><li>Entre o Id e o Superego, ou seja, entre os dois extremos do aparelho intra-psíquico </li></ul><ul><li>Acontece quando o Superego é pressionado em demasia </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise ”
  • 31. <ul><li>Metateoria organicista </li></ul><ul><li>Desenvolvimento descontínuo, dá-se por fases </li></ul><ul><li>O sujeito tem uma função substancialmente activa, porque são as suas carências orgânicas que o fazem dirigir para a acção </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise ”
  • 32. <ul><li>A Teoria do Desenvolvimento Psicossexual </li></ul><ul><li>Freud considerava que até um recém-nascido tinha pulsões sexuais. </li></ul><ul><li>As pulsões sexuais eram as carências orgânicas que o direccionavam para a acção </li></ul><ul><li>Tinha cinco estádios: oral, anal, fálico, latente, genital </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise ”
  • 33. <ul><li>Críticas à Psicanálise </li></ul><ul><li>Método de recolha de dados </li></ul><ul><li>Limitações do método </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise ”
  • 34. <ul><li>A Teoria da Psicanálise e a Cultura </li></ul><ul><li>Surrealismo: </li></ul><ul><li>Estreita ligação ao pensamento freudiano </li></ul><ul><li>Expressão do inconsciente, do sonho, do desejo </li></ul>
  • 35. <ul><li>Conclusão – A Crise de Valores </li></ul><ul><li>A Teoria da Relatividade destruiu as mais sólidas bases da Física, ao negar o absolutismo do espaço e do tempo. “2+2=4” deixou de ser uma verdade inquestionável. </li></ul><ul><li>A Psicanálise veio dizer ao mundo que o ser humano não era de perto tão racional como se pensava e que até um recém-nascido já tinha pulsões sexuais. </li></ul><ul><li>Foram duas revoluções extraordinárias na ciência, na cultura e na sociedade. </li></ul>Escola Secundária José Gomes Ferreira História A -12º - 2009/2010 “ O Relativismo e a Psicanálise”
  • 36. <ul><li>Bibliografia: </li></ul><ul><li>www.resistir.info/rui/einstein.html </li></ul><ul><li>www.cosmo.fis.fc.ul.pt/~crawford/artigos/Albert%20Einstein16.pdf </li></ul><ul><li>www.mysree.wordpress.com/2007/10/05/10-things-i-bet-you-didnt-know-about-einstein </li></ul><ul><li>www.netprof.pt/netprof/servlet/getDocumento?id-versão=1577 </li></ul><ul><li>http://pt.shvoong.com/humanities/1692956-comte-positivismo/ </li></ul><ul><li>www.youtube.com/wacth?v=njTOAZrphko&feature=related </li></ul><ul><li>www.youtube.com/wacth?v=wRUUBH2oKxQ </li></ul><ul><li>www.youtube.com/wacth?v=Uiao6tt8dxQ </li></ul><ul><li>http://ginasiomental.com/artigos/relatividade.pdf </li></ul><ul><li>www.atomico.no.sapo.pt/08_11.html </li></ul><ul><li>http://teoria-net.blogspot.com/2009/10/objeto-luminaria-buscou-se-trabalhar.html </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  • 2064-1432813896

    Mar 28, 2018

    ss10 t1 uam sa2

    Mar 28, 2018
    Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks