Documents

A Remoção dos Antigos Limites_ O Mistério da Iniqüidade em Operação.pdf

Description
23/05/2016 A Remoção dos Antigos Limites: O Mistério da Iniqüidade em Operação A Remoção dos Antigos Limites O Mistério da Iniqüidade em Operação Nota de A Espada do Espírito: Recomendamos que você leia antes os seguintes artigos: Diamantes e Zirconita Recursos úteis O  ABC  e  XYZ  
Categories
Published
of 8
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  23/05/2016 A Remoção dos Antigos Limites: O Mistério da Iniqüidade em Operaçãohttp://www.espada.eti.br/p158.asp 1/8 Recursos úteispara sua maiorcompreensãoAs IgrejasCristãs EstãoAbrindo asPortas Para oAnticristoTítulo do Livro 2 A Remoção dos Antigos Limites O Mistério da Iniqüidade em Operação Nota de A Espada do Espírito:  Recomendamos que você leia antes os seguintesartigos:Diamantes e ZirconitaO ABC e XYZ da SalvaçãoProvérbios 22:28 contém uma recomendação que tem aplicaçãotanto na vida secular quanto na vida espiritual: Não removas os antigos limites que teus pais fizeram. Desde o início da civilização até o advento da agrimensura e dosregistros cartoriais, as pessoas reivindicavam para si pedaços deterra demarcando os limites da propriedade com amontoados depedra, pilares, etc. Logicamente, os indivíduos inescrupulosossempre tentavam enganar, removendo os limites dos vizinhospara se apropriar da terra. Essa é a ênfase secular subjacente aoprovérbio — exortando o povo de Deus a ser honesto e arespeitar os marcos definidos. Entretanto, a aplicação espiritualda recomendação é o que quero abordar aqui.Quando nosso Deus diz alguma coisa, aquilo é o que Elerealmente pensa e não vai mudar de opinião — ao contrário doque muitos parecem acreditar. Malaquias 3:6 afirma essapremissa de forma bem sucinta: Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos deJacó, não sois consumidos. Deus é onisciente, onipotente e onipresente (o pináculo desabedoria e de poder, e está presente em toda a parte) o quesignifica que Ele sempre acerta na primeira vez! Por essa razão,sempre estremeço quando ouço a expressão A oração muda ascoisas — pois na realidade não muda nada. Se pudéssemosmudar a mente de Deus por meio da oração intercessória, Eledeixaria de ser Deus. Martinho Lutero captou bem a essênciadessa verdade quando definiu a oração não como a superação darelutância de Deus, mas, ao invés disso, a apropriação da Suadisposição. Sim, somos instruídos a orar sem cessar e a serinoportunos, mas se Deus atende às nossas petições ésimplesmente porque era Sua vontade fazer aquilo desde oinício. Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas Deusresponde todas as orações que Seus filhos eleitos elevam aoscéus. Algumas vezes, Ele responde com sim , muitofreqüentemente diz não  e, ocasionalmente, Sua resposta é espere  — mas em todos os casos e sem falhar, há uma respostadefinitiva.Reafirmo que Deus não muda e quando Ele nos diz parafazermos ou não alguma coisa, isso fica talhado na rocha!Sabemos, a partir da Palavra de Deus, quais são Suas posições eisso deve ser uma grande fonte de conforto para aqueles de nósque O conhecemos no livre perdão dos pecados. Infelizmente,  23/05/2016 A Remoção dos Antigos Limites: O Mistério da Iniqüidade em Operaçãohttp://www.espada.eti.br/p158.asp 2/8 Título do Livro 3 porém, os homens mudam. Novamente, observe que no nossotexto em Provérbios, somos aconselhados a não remover osmarcos antigos que nossos pais fixaram. Olhando para isso deum ponto de vista espiritual, vejo que nossos pais na fé fixaramalguns marcos antigos que devemos reconhecer e honrar,deixando-os onde estão e como estão. As doutrinas fundamentaisda fé foram bem estabelecidas durante o tempo dos primeirospais da igreja e precisamos reconhecer que qualquer tentativa dealterá-las é errada e não deve ser apoiada.É fascinante e algumas vezes frustrante estudar e considerar ascalorosas batalhas que ocorreram entre as diversas facções deirmãos professos sobre essas mesmas doutrinas. Em vez dereconhecer os marcos que foram definidos e fixados, semprehouve, e continua a existir aqueles que estão determinados aformular um caminho mais excelente . Paulo advertiu oscristãos em 2 Tessalonicenses 2:7 que o mistério da iniqüidade já opera . Esse princípio da iniqüidade estava em operação durante o tempo doministério de Paulo e só tem piorado nos quase dois mil anos que se passaram desdeaquela época. Acho seguro dizer que o mistério da iniqüidade refere-se ao plano e aoprograma de Satanás e é um fato muitíssimo visível atualmente. Comoconseqüência, os marcos, os marcos antigos — as doutrinas que foramexaustivamente debatidas e aceitas como baseadas nas Escrituras pelos pais daigreja primitiva, e que foram fielmente seguidas durante muitos anos (depoisrestabelecidas e validadas durante a Reforma), estão sendo agora postas de ladopela maioria e consideradas nulas e sem valor.Minha crença pessoal é que a maioria dos elementos fundamentalistas econservadores dentro da igreja cristã passou por uma revolução doutrinária e aspessoas não estão cientes disso. Os estágios finais dessa revolução ocorreram háaproximadamente 150 anos e seus efeitos totais somente agora estão começando aaparecer. O principal deles é a doutrina da soberania absoluta de Deus na salvação— uma doutrina que foi a espinha dorsal da Reforma Protestante e que era adotadapela Igreja primitiva — até que o Catolicismo Romano a obscureceu quase quetotalmente com a doutrina do livre arbítrio . A Reforma restaurou a doutrina daGraça Soberana ao seu lugar de proeminência devido — uma posição que elamanteve até pouco antes da Guerra Civil nos EUA, quando novamente começou a serdesalojada em favor de um caminho melhor .Os batistas fundamentalistas independentes e outros grupos conservadores rejeitamqualquer coisa que remotamente cheire como liberalismo em teologia —especialmente o dogma Católico Romano. Um axioma que muitos desses pastores eprofessores de seminários adotam (conscientemente ou não) é que, se é popular,então provavelmente é errado! Sou favorável a essa teoria porque está baseada nanatureza humana. Quando a opinião da maioria embarca em uma mesmacomposição, há algo podre no reino da Dinamarca. Tal é o caso que está diante denós.Charles Haddon Spurgeon foi (e ainda é) afetuosamente conhecido como o príncipedos pregadores , por causa do profundo efeito que teve na cena batista na Inglaterrano fim do século 19. Mais de cem anos após sua morte, ele ainda é freqüentementecitado e seus sermões são publicados e grandemente disseminados entre os cristãosfundamentalistas. Todavia, poucos irmãos parecem saber, ou se preocupam emobservar, que ele era um calvinista ferrenho em sua soteriologia (a Doutrina daSalvação). Ele creu, defendeu e ensinou as antigas doutrinas da Graça Soberana atésua morte — sem nunca arredar o pé dessa posição. No entanto, as sementes damudança já tinham sido semeadas cinqüenta anos antes por Charles GrandisonFinney, nos EUA, e estavam formando raízes por meio dos esforços de homens comoDwight L. Moody, o famoso evangelista norte-americano. Desde a Reforma até osdias de Finney, os cristãos fundamentalistas de várias denominações eramsolidamente calvinistas na Doutrina da Salvação, porém Charles Finney desenvolveuaquilo que chamou de novas medidas para uma nova teologia e lançou uma  23/05/2016 A Remoção dos Antigos Limites: O Mistério da Iniqüidade em Operaçãohttp://www.espada.eti.br/p158.asp 3/8 filosofia que se tornou amplamente popular. O antigo marco do calvinismo não serviabem às afirmações de reavivamento quando desejado de Finney e logo caiu emdesgraça novamente. A nova teologia adotou a doutrina católica romana do livrearbítrio — que o homem é literalmente o senhor do seu destino e tem a capacidade(a liberdade do arbítrio) de aceitar ou rejeitar Jesus Cristo como Salvador.Curiosamente, o Concílio de Trento (um concílio católico romano que se reuniu entreos anos 1545-63) reafirmou essa posição doutrinária e lançou diversos anátemasespecíficos sobre quem se atrevesse a negar a doutrina do livre arbítrio. Somenteesse fato deveria colocar qualquer cristão evangélico fundamentalista em alertatotal! No entanto, em vez de debater a questão, permita-me fazer uma pergunta.Como pode um escravo possuir livre arbítrio? O escravo não tem vontade própria,mas está amarrado à vontade de seu senhor. A Bíblia ensina claramente que todosos homens estão divididos em duas categorias: Ou são (a) escravos de Satanás, ou(b) são escravos de Jesus Cristo. Ponto final! Além disso, Romanos 8:8 ensina queaqueles que estão na carne não podem agradar a Deus . 1 Coríntios 2:14 diz que o homem natural não compreende as coisas espirituais, porque lhe parecem loucura.O versículo conclui dizendo e nem pode entendê-las, porque elas se discernemespiritualmente. Finalmente, precisamos considerar o ponto que João 1:12 é o únicoversículo das Escrituras (usado como texto de prova pelos teólogos arminianos)que apenas remotamente fala sobre a questão do arbítrio do homem — e o próximoverso (13) destrói totalmente a premissa deles! Cito o versículo 13: (falando sobreaqueles que são salvos) Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem davontade do homem, mas de Deus. Amados, o marco doutrinário da Graça Soberana de Deus foi obscurecido (ourecebeu uma nova demão, por assim dizer) e substituído por aquilo que caracterizocomo última tentativa do homem de salvar a si mesmo . Se a Palavra de Deusensina alguma coisa, ensina que a salvação é pela graça de Deus e não pelas obrasdo homem. Esse fato doutrinário é tão básico e fundamental, porém milhões estãocegos ao fato que todo o conceito de livre arbítrio coloca a salvação nas mãos doindivíduo — ele pode aceitá-la ou rejeitá-la. Preciso lembrá-lo que aceitar e rejeitar são verbos e que os verbos indicam ação? Obras — percebe? Essa é umadistinção sutil, mas a Bíblia diz em Gênesis 3:1: Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que oSENHOR Deus tinha feito .Os pastores e professores de institutos bíblicos, que corretamente combatem adoutrina sem fundamento bíblico de uma salvação por meio de obras, de umamaneira basicamente igual ensinam que a pessoa precisa tomar uma decisão eaceitar a Jesus Cristo como Salvador e Senhor . Sei que eles ensinam porque já fuium deles! E toda essa premissa é tão universalmente aceita entre aqueles que seconsideram cristãos evangélicos que contradizê-la é, aos seus olhos, consideradouma blasfêmia. Seja lá como for, a posição — popular ou não — não tem fundamentoreal nas Escrituras. Muito bem, sei que alguns já estão quase no ponto de ebulição,mas se você se acalmar e ouvir alguns fatos históricos e o que a Bíblia tem a dizersobre o assunto, poderá simplesmente aprender algo que revolucionará sua vidaespiritual. Primeiro, as chances são grandes que essa posição calvinista (por faltade um termo melhor) seja novidade para você. Por que você acha que isso éverdadeiro? Está ciente do fato que o calvinismo era a posição doutrinária históricados batistas (em sua vasta maioria), juntamente com muitas outras denominações,até que a teologia e os métodos de Charles Finney finalmente obscureceram essemarco? Isso é verdade meu amigo e tudo o que você precisa fazer é estudar ahistória da igreja para verificar por si mesmo. Existem duas razões principais porque você pode não ter aprendido essa doutrina 'alternativa'. (1) A maioria dospastores hoje é largamente enviesada com relação a ela, porque, se foi abordada noseminário, não foi enfatizada. (2) Aqueles que conhecem melhor em geral ficam deboca fechada, pois atualmente a doutrina é impopular. Por que é impopular? vocêpode perguntar. Bem, para os principiantes, aqui está uma sinopse bem simplificadada Doutrina da Graça Soberana de Deus:  23/05/2016 A Remoção dos Antigos Limites: O Mistério da Iniqüidade em Operaçãohttp://www.espada.eti.br/p158.asp 4/8 (1) Por razões que só Ele mesmo sabe, antes da Criação, Deus elegeu , ouescolheu, alguns indivíduos para a salvação e rejeitou os outros como réprobos.(2) Ele não ama a todos! (Calma, não tenha um enfarte!)Veja, eu disse que a doutrina era impopular — tanto que precisei renunciar aopastorado de uma igreja após aprender a verdade e levar minha posição aoconhecimento da congregação. A maioria reagiu de uma forma emocional e nãoqueria ouvir o que as Escrituras dizem sobre o assunto, preferindo em vez disso ficarcom o que os pastores (eu inclusive) diziam que a Bíblia ensinava sobre a questão.Os bereanos (Atos 17:11) pesquisaram as Escrituras por si mesmos para ver se ospregadores (Paulo e Silas) estavam ou não corretos e você também deveria fazerisso. É um fato infeliz da nossa natureza humana caída que cada um de nós estásujeito a ser enganado e levado a interpretar as passagens das Escrituras de acordocom as noções pré-concebidas de mestres respeitáveis — que são eles mesmos,muito freqüentemente, o produto de seus mestres no seminário. Heresia é comocapim no gramado e alastra-se rapidamente.Falando sobre heresia, o Concílio de Dort, no século 16 rejeitou firmemente osarminianos e sua doutrina do livre arbítrio como heréticos. Mas, pelo que sei,nenhuma convocação oficial da igreja (além talvez da Católica Romana) já fez issocom relação às doutrinas da Graça Soberana (apelidadas de calvinismo , comoSpurgeon disse certa vez).Bem, se você ainda não desligou seu computador ou saiu desta página da Internet —permita-me mostrar dois versículos das Escrituras e depois fazer mais algumasperguntas. O primeiro versículo encontra-se em Efésios 2:1: E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados. O segundo está em 1 Coríntios 2:14: Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus,porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas sediscernem espiritualmente. É amplamente aceito entre os cristãos fundamentalistas que a Bíblia ensina que ohomem perdido nasce neste mundo morto espiritualmente (alusão em Efésios 2:1) epermanece nessa condição a não ser que, ou até que, Deus lhe dê vida espiritual. Étambém reconhecido por muitos, mas não todos, que esse homem perdido nãocompreende e nem pode compreender as coisas espirituais. Aqueles que disputam oaspecto da impossibilidade dessa afirmação, fazem isso dizendo que ele tem apossibilidade, mas não a vontade — em outras palavras, é uma falta decompreensão volitiva. Francamente, não consigo ver de onde eles tiraram isso, poiso texto diz claramente que ele é incapaz: ...e nem pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente Eu poderia citar outras traduções aqui, mas acho que você entendeu o ponto. O quetemos na negação da impossibilidade é uma perfeita ilustração de eisegesis  — trazeruma posição pressuposta para a Escritura e localizar textos de prova para apoiá-la(ao contrário da exegese — permitir que o texto diga o que diz). Os homens mortosespiritualmente não podem compreender aquilo que é discernido espiritualmente eisso é tão óbvio que está fora de questão! No entanto, quando alguém aceita a falsadoutrina do livre arbítrio, esses tipos de suposições são necessárias para ofereceralguma aparência de suporte textual.Prosseguindo, o que temos diante de nós é um homem morto espiritualmente, que éincapaz de compreender a Palavra de Deus. E não somente isso, de acordo comEfésios 2:2, ele é um escravo de Satanás. Temos então Romanos 3:11 que dá ogolpe de misericórdia dizendo que esse homem não irá buscar a Deus! Será que énecessário que toda a casa desabe sobre sua cabeça para que veja que esse
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks