Documents

A Situação Das Mulheres Em Portugal Nos Últimos 50 Anos

Description
mulheres em portugal
Categories
Published
of 4
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  A situação das mulheres em Portugal nosúltimos 50 anos O QUE   ACONTECEU ? Nos últimos 50 anos a situação das mulheres em Portugal tempassado por um processo de constante mudança e luta para que ogénero não represente qualquer entrave na vida de uma mulher.Essa luta tem sido difícil mas ao longo dos anos tm sido v!riasas conquistas com vista a o ter a equidade de género. #pesar de na constituição portuguesa $! não haverdiferenciação entre a mulher e o homem% a sociedade nãoacompanhou da mesma maneira essa evolução% e&istindo aindaresíduos de uma sociedade patriarcal no nosso país. #tualmente em Portugal% ainda não e&iste paridade salarialentre homens e mulheres e é comum as tarefas di!rias de casaestarem so encargo da mulher. E STE   EN! ENO   #EU $ SE   E   TO#O   O   %A#O ? ' fen(meno da emancipação da mulher deu)se nos v!riossetores da sociedade.Por e&emplo% no sector da saúde% o a orto era proi ido emqualquer circunst*ncia e era punido com pena de prisão. Erampraticados cerca de +00 mil a ortos clandestinos por ano% sendo umadas principais causas de morte materna. Esta medida para além decondicionar a li erdade da mulher afetava em muitas circunst*ncias asua saúde. ,( em -00 a interrupção involunt!ria da gravide/ passou a serpermitida por opção da mulher até s +0 semanas.No sector familiar% o c(digo civil de +122 determinava que odever do governo doméstico durante a vida em comum pertencia mulher. 3e acordo com o mesmo c(digo a mulher podia ser repudiada pelomarido no caso de ela não ser virgem antes do casamento e nãopodia via$ar para fora do país sem a autori/ação do marido. Estasmedidas dei&aram de e&istir aquando da revolução de # ril.  No tra alho% a mulher não podia e&ercer o comércio sem oconsentimento do marido e não tinha acesso s carreiras de4 polícia%magistratura% militar e diplomacia. #penas -5 dos tra alhadores eram mulheres6 s( +1 das mulherestra alhavam fora de casa e% dessas% cerca de 71 eram solteiras.,( em +127 se esta eleceu a igualdade de voto de todos oscidadãos 8que sou essem ler e escrever9. C O O   &   QUE   O   EN! ENO   TE   'A()A#O   AO   %ON*O   #OTE PO ? 's avanços relativamente  situação das mulheres em Portugalnos últimos 50 anos são not(rios% mas as diferenças entre nascerhomem e nascer mulher ainda e&istem.Por e&emplo% se recuarmos ao ano de +172 o sal!rio médiomensal dos tra alhadores por conta de outrem é de%apro&imadamente% --0: para os homens e +20: para as mulheres. Esta disparidade tem)se acentuado ao longo dos anos. Em -0+;% osal!rio médio mensal para os homens era de +.-00: enquanto quepara as mulheres <cava nos 120:.Na vida política a mulher tam ém tem vindo a ocupar o seulugar% em ora a diferença entre o número de homens e mulheres naassem leia da repú lica ainda se$a grande.Na década de +170 apenas + lugares eram ocupados por mulheres%um número que s( começou a crescer consideravelmente a partir de+111. #tualmente em Portugal 7 dos -=0 lugares na assem leia darepú lica são ocupados por mulheres% o que corresponde a um terço.>m dos fatores que mais mudou com o tempo foi o acesso educação.#té  década de +120 o tempo de escolaridade o rigat(ria era de ;anos para os rapa/es e = anos para as raparigas. ,( a partir de +12;a escolaridade mínima o rigat(ria se <&ou nos 2 anos para am os osse&os.#inda no setor da educação% o número de alunos do se&omasculino matriculados no ensino superior s( foi maior até ao ano de+175. # partir daí veri<ca)se um aumento gradual de mulheresmatriculadas no ensino superior relativamente aos homens.Na saúde% a ta&a de mortalidade materna diminuiua ruptamente desde a década de 20 até  atualidade.  Em +125 por cada +00 mil mulheres morriam cerca de 75% atualmenteeste valor não e&cede os 2. >m dos principais fatores quecontri uíram para este decréscimo na mortalidade materna foi alegali/ação do a orto no ano de -00. # interrupção volunt!ria dagravide/ permite que as mulheres reali/em o a orto em hospitais deforma segura. #o longo do tempo a mulher tem vindo a ser reconhecida comoum cidadão com a total capacidade de participar na vida política% nasquest?es familiares% sociais e de e&ercer qualquer tipo de cargopro<ssional.# partir da revolução do -5 de # ril a mulher conquistou a suadignidade social e a sua igualdade perante a lei e% com ela% o direitode gerir e dirigir a sua pr(pria vida sem o domínio de um homem%uma autonomia que antes não possuía.#pesar disso as diferenças ainda e&istem. #inda é comum ser amulher a tratar da lida casa e é possível ouvir numa entrevista deemprego que não estão  procura de mulheres para e&ercerdeterminado cargo.3esde as situaç?es mais e&plícitas até s mais disfarçadas% $!todos presenciaram momentos de opressão  mulher% nem que se$a%simplesmente criticando a sua forma de vestir. E isto leva)nos a concluir que% em ora a situação das mulheresem Portugal tenha melhorado nos últimos 50 anos é necess!riocontinuar com o empoderamento das mulheres. Q UE   EN! ENOS   EST+O   (E%AC)ONA#OS ? >m dos principais fen(menos relacionados  evolução dasituação das mulheres em Portugal foi a @evolução do -5 de # ril.Auitos dos direitos aos quais a mulher não tinha acesso passaram aser uniformes a toda a gente. 3epois desta revolução% a constituiçãoportuguesa dei&ou de favorercer se&os tornando os cidadãos todosiguais perante a lei.'utro fen(meno importante foram os movimentos feministasque lutaram sempre pela emancipação da mulher. >m dos principaispontos de luta destes movimentos foi para que a mulher tivesseigualdade so re o homem no par*metro da educação.Estes movimentos lutaram tam ém pela igualdade deoportunidades% algo que não acontecia% uma ve/ que as mulheres  <cavam sempre com os lugares de menor destaque e eram muitasve/es impossi ilitadas de concorrer a diversos cargos.'s movimentos feministas continuam% ainda ho$e% a reinvidicardireitos e a lutar contra situaç?es onde o homem e&erce poder so rea mulher% como por e&emplo% a violncia contra a mulher dentro doseio familiar e pro<ssional e a paridade de sal!rios. E %A,O(A#O   PO( -  Boão AendesAariana Aarques  Curma ,#+
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks