Poems

A UTILIZAÇÃO EFICIENTE DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE APLICADAS AO PROCESSAMENTO DE PEÇAS AUTOMOTIVAS. Francisco Franco de Moraes Neto

Description
A UTILIZAÇÃO EFICIENTE DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE APLICADAS AO PROCESSAMENTO DE PEÇAS AUTOMOTIVAS Francisco Franco de Moraes Neto Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação em Engenharia
Categories
Published
of 82
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
A UTILIZAÇÃO EFICIENTE DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE APLICADAS AO PROCESSAMENTO DE PEÇAS AUTOMOTIVAS Francisco Franco de Moraes Neto Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação em Engenharia de Processos - Mestrado Profissional, PPGEP/ITEC, da Universidade Federal do Pará, como parte dos requisitos necessários à obtenção do título de Mestre em Engenharia de Processos. Orientador: Edilson Marques Magalhães Belém Maio de 2017 A UTILIZAÇÃO EFICIENTE DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE APLICADAS AO PROCESSAMENTO DE PEÇAS AUTOMOTIVAS Francisco Franco de Moraes Neto DISSERTAÇÃO SUBMETIDA AO CORPO DOCENTE DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA PROCESSOS MESTRADO PROFISSIONAL (PPGEP/ITEC) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ COMO PARTE DOS REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE MESTRE EM ENGENHARIA DE PROCESSOS. Examinada por: Prof. Edilson Marques Magalhães, D. Eng. (PPGEP/ITEC/UFPA-Orientador) Prof. Jandecy Cabral Leite, Dr. (PPGEP/ITEC/UFPA - Membro) Prof. Kleber Bittencourt Oliveira, D. Eng. (PPGEP/ITEC/UFPA - Membro) Prof. Olavo Tapajós, Dr. (UNINORTE - Membro) BELÉM, PA - BRASIL MAIO DE 2017 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Sistemas de Biblioteca da UFPA Moraes Neto, Francisco Franco de, A utilização eficiente das ferramentas da qualidade aplicadas ao processamento de peças automotivas / Francisco Franco de Moraes Neto Orientador: Edilson Marques Magalhães Dissertação (Mestrado) Universidade Federal do Pará, Instituto de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos, Belém, Gestão da qualidade total. 2. Controle de qualidade. 3. Processos de fabricação - Técnicas. I. Título CDD 22. ed A Deus, porque d Ele e por Ele e para Ele são todas as coisas. A meus pais, Ivan e Maria Conceição, por terem me propiciado a vida. A meus filhos, Guilherme e Raoni, por me permitirem ser a continuidade de meus pais. A minha esposa querida, Elizabeth, pela força, compreensão e companheirismo com que trilhou comigo mais este trecho das nossas vidas. iv AGRADECIMENTOS Reconheço a importância para concretização deste trabalho e a sou muito grato a: Universidade Federal do Pará - UFPA. Instituto de Tecnologia e Educação Galileo da Amazônia ITEGAM na pessoa do Dr. Jandecy Cabral Leite e toda sua valorosa equipe. Professores do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos - Mestrado Profissional, PPGEP/ITEC, pela excelência das aulas presenciais durante o curso. Dr. Edilson Marques Magalhães pela orientação primorosa recebida na concretização deste trabalho. AM - Motores da Amazônia S.A., pela oportunidade da convivência enriquecedora. Meus amigos desta campanha de estudos, João Dantas Santos, Paulo Candido Barbosa Jr., Marcelo Fernandes Pinto, Maria José Rodrigues de Araújo, Paulo Cesar Barros de Oliveira e Francisco Lúcio Pinto de Lima, pela partilha das dores e sabores, inesquecíveis, e de valor incalculável em cada passo desta jornada. Todos que, presentes e ausentes, contribuíram para realização deste trabalho. v Resumo da Dissertação apresentada ao PPGEP/UFPA como parte dos requisitos necessários para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia de Processos (M. Eng.) A UTILIZAÇÃO EFICIENTE DAS FERRAMENTAS DA QUALIDADE APLICADAS AO PROCESSAMENTO DE PEÇAS AUTOMOTIVAS Francisco Franco de Moraes Neto Maio/2017 Orientador: Edilson Marques Magalhães Área de Concentração: Engenharia de Processos O presente trabalho buscou resposta para o questionamento sobre a efetividade do uso de ferramentas da qualidade em empresa industrial automotiva. Para tanto, utilizando-se de metodologia qualitativa e descritiva, foi realizado, durante seis meses, um acompanhamento das atividades de produção de uma empresa montadora de motocicletas do Polo Industrial de Manaus, no intuito de identificar, analisar e comprovar o conhecimento e o uso efetivo de ferramentas da qualidade nas atividades de produção industrial. Numa abordagem mais ampla, procurou-se também avaliar a correlação homem-processo-qualidade-melhoria a partir do campo estudado. Em níveis experimentais, constatou-se que a aplicação sistematizada das ferramentas da qualidade levou a resultados altamente satisfatórios, com melhorias qualitativas da ordem de 18% e com retorno sobre investimento de poucas semanas, justificando e potencializando a utilização de trabalhos com a utilização daquelas ferramentas. Em aditamento, verificou-se que pela efetividade alcançada e pela simplicidade da utilização das ferramentas, os aspectos motivacionais e integradores do elemento humano ao seu trabalho dentro das rotinas operacionais, podem ser direcionados para a qualidade e para a melhoria contínua tão necessária a excelência e a sobrevivência de uma organização. vi Abstract of Dissertation presented to PPGEP/UFPA as a partial fulfillment of the requirements for the degree of Master in Process Engineering (M. Eng.) THE EFFICIENT USE OF QUALITY TOOLS APPLIED ON AUTOMOTIVE PARTS PROCESSING Francisco Franco de Moraes Neto May/2017 Advisor: Edilson Marques Magalhães Research Area: Process Engineering The present work sought to answer the questioning about the effectiveness of the use of quality tools in an automotive industrial company. For that, using a qualitative and descriptive methodology, a follow-up of the production activities of a motorcycle assembly company of Polo Industrial de Manaus was carried out for six months, in order to identify, analyze and prove the knowledge and the use quality tools in industrial production activities. In a broader approach, it was also sought to evaluate the man-process-qualityimprovement correlation from the field studied. At experimental levels, it was verified that the systematized application of the quality tools led to highly satisfactory results, with qualitative improvements of around 18% and a return over investment of a few weeks, justifying and enhancing the use of works with the use of those tools. In addition, it was verified that due to the effectiveness achieved and the simplicity of the use of the tools, the motivational and integrative aspects of the human element to its work within the operational routines can be directed towards the quality and for the continuous improvement so necessary for excellence and the survival of an organization. vii SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO IDENTIFICAÇÃO E JUSTIFICATIVA DA PROPOSTA OBJETIVOS Objetivo geral Objetivos específicos CONTRIBUIÇÃO E RELEVÂNCIA DA DISSERTAÇÃO ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO... 6 CAPÍTULO 2 - REVISÃO BIBLIOGRÁFICA FERRAMENTAS DA QUALIDADE Folha de verificação Histograma (distribuição de frequências) Fluxograma Diagrama de Pareto Diagrama de Ishikawa Diagrama de correlação (dispersão) Cartas de controle (CEP) FERRAMENTAS COMPLEMENTARES DA QUALIDADE Estratificação Brainstorming (tempestade de ideias) Porquês Matriz GUT (Gravidade / Urgência / Tendência) Plano 5W2H Benchmarking (referência) FERRAMENTAS PARA SISTEMATIZAÇÃO DA QUALIDADE Círculos de controle - formação de pequenos grupos PDCA Kaizen Melhoria contínua S Sigma viii STP Sistema Toyota de Produção ( Lean Manufacturing ) ISO - série CAPÍTULO 3 - PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS CARACTERIZAÇÃO E DESIGN DA PESQUISA Caracterização da pesquisa Design da pesquisa REVISÃO BIBLIOGRÁFICA PARTICIPANTES COLETA DE DADOS ANÁLISES E CONCLUSÕES SOBRE OS DADOS CAPÍTULO 4 - ESTUDO DE CASO PERFIL DA EMPRESA FORMAÇÃO DO GRUPO E ABRANGÊNCIA DE AÇÃO ANÁLISE DO PROCESSO E PLANO DE MELHORIAS Setor de injeção Injeção de carenagens plásticas Rebarbação de peças injetadas Embalagem de peças Acondicionamento de peças embaladas em contêineres aramados Estocagem de peças Setor de acabamento Alimentação (movimentação e transporte) de peças para acabamento Retirada de peças das embalagens Revisão de peças Polimento de peças Marcação das peças para aplicação de adesivos decorativos Aplicação de adesivo Aplicação de adesivo Embalagem de peças em plástico bolha Armazenagem de peças em carros aramados Revisão de peças Polimento de peças IDENTIFICAÇÃO E SELEÇÃO DE NÃO CONFORMIDADE 55 ix SIGNIFICATIVA NÃO CONFORMIDADES - DADOS GERAIS DE REJEIÇÃO POR SETOR CAUSAS PRINCIPAIS DAS NÃO CONFORMIDADES - DADOS NUMÉRICOS IDENTIFICAÇÃO DE CAUSAS DAS NÃO CONFORMIDADES PLANO DE ATAQUE ÀS NÃO CONFORMIDADES Análise de alternativas para eliminação das causas das Nc O plano e sua execução ANÁLISE DO RESULTADO Objetivos e expectativas (antes - depois) Equipamentos de transporte e armazenagem (antes - depois) Avaliação comparativa da qualidade da produção Custos da construção de carros Retorno sobre o investimento AÇÕES DE CONSOLIDAÇÃO DE RESULTADOS E NOVOS TRABALHOS CAPÍTULO 5 - CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES CONCLUSÕES RECOMENDAÇÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS x LISTA DE FIGURAS Figura 1.1 Relação entre conceitos fundamentais da gestão da qualidade... 2 Figura 1.2 Ferramentas da qualidade - abrangência do trabalho... 3 Figura 3.1 Design da pesquisa Figura 4.1 Abrangência de atividades do grupo Figura 4.2 Incidência de riscos e batidas na injeção e acabamento - 2º trimestre Figura 4.3 Fluxograma de operações Figura 4.4 Diagrama de Ishikawa - análise das principais causas geradoras da Nc Figura 4.5 Injeção - dados de produção e rejeição - 3º trimestre Figura 4.6 Acabamento. dados de produção e rejeição - 3º trimestre Figura 4.7 Injeção. gráfico de Pareto - análise e priorização de causas de NCs Figura 4.8 Acabamento - gráfico de Pareto análise e priorização de causas de NCs Figura 4.9 Gráfico de Pareto - análise das principais causas geradoras de NCs Figura 4.10 Localização dos pontos geradores de NCs dentro do fluxo produtivo Figura 4.11 Objetivo de não conformidade (riscos e batidas) Figura 4.12 Contêiner da injeção Figura 4.13 Carro tipo I (a) e carro tipo II (b) Figura 4.14 Novo carro Figura 4.15 Novo carro - detalhe I Figura 4.16 Novo carro - detalhe II Figura 4.17 Evolução da qualidade da produção Figura 4.18 Evolução da qualidade da produção - base de dados e memória de cálculo Figura 4.19 Redução percentual nas não conformidades xi LISTA DE TABELAS Tabela 4.1 Plano de trabalho Tabela 4.2 Análise de propostas para ataque a não conformidade Tabela 4.3 Plano de ataque a não conformidade Tabela 4.4 Dados de custos na construção de carros Tabela 4.5 Retorno sobre investimento - roteiro e memória de cálculo xii NOMENCLATURA ABNT ABS ASQ CCQ CEDAC CEP CIPA DMAIC DMADV DMADOV DRIVER EFQM EPI EU FCQP FMEA GUT INDE ISO JIT NC NIST PDCA PIM PNQ RH SESMT SMED TPM TQM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS ACRILONITRILA BUTADIENO ESTIRENO (UM TIPO DE POLÍMERO) AMERICAN SOCIETY FOR QUALITY CÍRCULOS DE CONTROLE DE QUALIDADE CAUSE AND EFFECT DIAGRAM ADDING CARDS CONTROLE ESTATÍSTICO DO PROCESSO COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DEFINIR/MEDIR/ANALISAR/INCREMENTAR- MELHORAR/CONTROLAR DEFINIR/MEDIR/ANALISAR/DESIGN-PROJETAR/VERIFICAR DEFINIR/MEDIR/ANALISAR/DESIGN- PROJETAR/OTIMIZAR/VERIFICAR DEFINIR/REVISAR/INVESTIGAR/VERIFICAR/ EXECUTAR/REFORÇAR EUROPEAN FOUNDATION FOR QUALITY MANAGEMENT EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (NO PLURAL: EPIS) UNIÃO EUROPEIA FOLHA DE CONTROLE DE QUALIDADE DE PROCESSO FAILURE MODE AND EFFECT ANALYSIS GRAVIDADE / URGÊNCIA / TENDÊNCIA INSTITUTO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO E EXCELÊNCIA INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION JUST-IN-TIME NÃO CONFORME OU NÃO CONFORMIDADE NATIONAL INSTITUTE OF STANDARDS AND TECHNOLOGY PLANEJAR/EXECUTAR/CONTROLAR/AGIR POLO INDUSTRIAL DE MANAUS PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE RECURSOS HUMANOS SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO SINGLE MINUTE OF EXCHANGE OF DIE TOTAL PRODUCTIVE MAINTENANCE TOTAL QUALITY MANAGEMENT xiii CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO O cotidiano do ser humano está impregnado de conceitos de qualidade desde os primórdios da sua existência. A percepção do que é bom e faz bem ao homem, daquilo que é útil e funciona de forma adequada, ou ainda a beleza observada e apreciada, são algumas manifestações do que percebemos e entendemos por qualidade. Diante do processo de globalização que ganhou força à partir da década de 1980, houve uma necessidade crescente de adequação dos mercados mundiais, levando os autores FEINGEMBAM (1983), PUJO e PILLET (2002) e MITRA (2016) a afirmar que dentre todas as funções de uma organização industrial, a qualidade foi a que mais evoluiu ao longo das últimas décadas. Percebe-se claramente que neste processo evolutivo, a palavra final sobre qualidade, aqui ou acolá, está visceralmente associada ao consumidor e suas expectativas, onde os principais problemas ocorrem quando as especificações técnicas do produto não estão de acordo com os requisitos do cliente ou, quando os custos para se obter um alto nível de qualidade estão acima das expectativas do cliente. Essa ideia focada no consumidor não é nova, e já foi percebida pelos autores clássicos do pós-guerra como Juran, Deming, Feingenbaum, Crosby, Ishikawa e outros. Ao final, BESTERFIELD (2011) e PALADINI (2012) concordam que o conceito de qualidade e sua definição mais aceita nos nossos dias, e que tem sido continuamente ratificada, ainda é a de JURAN (1983) - adequação ao uso . Os autores reforçam ainda que a definição de Juran caminha no sentido de que a qualidade é sempre definida com base no cliente, que, em última análise, faz uso do produto ou serviço. Hoje, a Gestão da Qualidade faz parte da estratégia competitiva das organizações, onde além de conquistar mercados, a preocupação é de também mantêlos, em função da volatilidade das preferências dos consumidores cada vez mais globalizados. Para tanto, as organizações precisam ter uma percepção mais abrangente e uma formatação adequada para gerir a qualidade. 1 A Figura 1.1 ilustra conceitualmente esta proposição. Figura Relação entre conceitos fundamentais da gestão da qualidade. Vemos que a partir da percepção de que os processos não mais se limitam a transformar entradas em saídas, e precisam ser encarados dentro de uma visão sistêmica onde são na verdade processos de negócios que permeiam a estrutura funcional da organização, envolvendo aspectos físicos, de informação, e atividades que agregam valor aos produtos oferecidos ao mercado. O cliente não é apenas o usuário ou comprador, e sim todos os aqueles envolvidos e com interesse direto ou indireto na organização (conceito de stakeholders ), ou seja, os clientes, colaboradores, acionistas, a cadeia de suprimentos e as agências reguladoras. O foco nos clientes e a melhoria contínua baseada em ciclos de PDCA apoiados em técnicas, ferramentas e sistemas de qualidade, devem, de fato, ter o comprometimento e o envolvimento de toda a organização, e isto está muito ligado às características e atuação de lideranças inspiradoras e motivadoras para a qualidade, em todos os níveis da organização. Em aditamento, os processos de decisão, sustentados por tecnologias computacionais, devem ser, cada vez mais, abordados cientificamente, baseados em evidências, dados e fatos. Evoluindo dentro deste contexto, surgiram ferramentas interessantes e importantes que foram desenvolvidas para a operacionalização tanto da lógica quanto das práticas associadas à Qualidade Industrial e sua gestão. As Ferramentas da Qualidade de que trata este trabalho, denominadas de As Sete Ferramentas da Qualidade, poderiam ser denominadas as primeiras sete 2 ferramentas, ou ainda ferramentas clássicas da qualidade, por terem sido as primeiras a serem formalmente elencadas por Kaoru Ishikawa, pai do conceito do Controle Qualidade Totais nos anos ISHIKAWA (1976) classificou as técnicas de qualidade em três grupos de ferramentas de complexidade crescente, sendo que o primeiro deveria ser do conhecimento de todos dentro da empresa e podiam ser utilizadas para a análise e resolução de 90% dos problemas de qualidade, e eram: os Diagrama de Causa e Efeito, a Análise de Pareto, os Histogramas, as Cartas de Controle, as Folha de Verificação, os Gráficos de Dispersão e os Fluxogramas. Os dois outros grupos de ferramentas, baseados na Estatística e mais complexos, deveriam ser utilizados por gerentes e especialistas. Existem outras tantas, de igual ou maior grau de complexidade, das quais também se fara menção e serão classificadas, neste trabalho, como ferramentas complementares e ferramentas para sistematização da qualidade. A visualização da abrangência a que este trabalho se propõe é apresentada na Figura 1.2, que mostra no seu núcleo as sete ferramentas da qualidade, apoiadas por um grupo de ferramentas ditas de apoio ou complementares na coroa intermediaria e sustentadas ainda por ferramentas de sistematização da qualidade na coroa externa. Figura Ferramentas da qualidade - abrangência do trabalho. 3 1.2 - IDENTIFICAÇÃO E JUSTIFICATIVA DA PROPOSTA A nossa pesquisa é no campo da Qualidade, principalmente industrial, que além de extenso e diverso, sofreu um avanço enorme e rápido nas últimas três décadas. O domínio das tecnologias de ponta e da informação se apresenta como fundamental neste contexto, porém, não é único. Referimo-nos aos instrumentos de trabalho, as ferramentas, que em princípio são utensílios simples, utilizados geralmente de forma corriqueira, para se atingir também resultados interessantes. Em aditamento, referimo-nos aos elementos essenciais dentro deste processo, que são os usuários das ferramentas, pessoas que se utilizam de ferramentas no seu trabalho contínuo de sobrevivência, bem estar e evolução. Neste contexto, existe uma forma inteligente de se trabalhar percebida pelos japoneses, notadamente na reconstrução do pós-guerra a partir da década de 1940, de utilizar a força do homem, bem conduzido, produzindo maravilhas organizacionais que fazem crescer o resultado do seu trabalho, tanto no nível de pessoa quanto no nível de organização ou sociedade, que mesmo trabalhando com as mãos ou ferramentas simples pode realizar muito, para si e para a sua organização. O presente trabalho trata do resultado das atividades de pessoas em grupo, utilizando-se de ferramentas simples, dentro de uma empresa, para interferir no seu processo e produzir melhorias que garantam a competitividade, a sobrevivência e a evolução da organização. A intenção deste trabalho é responder a uma questão essencial, o objeto da pesquisa, qual seja: As indústrias conhecem e utilizam de forma adequada e proveitosa as ferramentas da qualidade? O interesse deste trabalho está relacionado com as ferramentas básicas da qualidade pelas seguintes razões: 1. Foram as que encontramos em utilização no nosso campo de pesquisa; 2. Apesar de simples, possuem características fortes e determinantes como orientadoras na estruturação e racionalização de atividades visando resolver problemas ou propor soluções de melhorias qualitativas dentro dos processos industriais; 3. São de fácil compreensão e aplicação por colaboradores de nível operacional, o que facilita o processo de motivação, engajamento e comprometimento dos mesmos em relação aos objetivos maiores da organização. 4 1.3 - OBJETIVOS Objetivo geral Este trabalho, idealizado depois de longa busca de um campo fértil e de análise bibliográfica preliminar, trata do resultado das atividades de pessoas em grupo, utilizando-se de ferramentas específicas, definidas como as sete ferramentas da qualidade, dentro de uma empresa industrial automotiva, para interferir no seu processo e produzir melhorias que são importantes para a competitividade e sobrevivência da organização. Apesar de bastante conhecido e contextualizado por muitos pesquisadores, o tema proposto envolve não apenas pontos de vista tecnicistas e operacionais, mas procura uma abordagem sob um ponto de vista mais amplo, buscando associar a utilização das ferramentas aos aspectos humanos, gerenciais e sistêmicos da organização. A formulação do problema fundamental desta pesquisa surgiu como coroamento resultante daquela longa busca em responder a uma questão essencial: As indústrias conhecem e utilizam de forma adequada e proveitosa as ferramentas da qualidade? Para tanto, foi realizado um
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks