Documents

a809bdca4912e49f9e4a050a38a71e09

Description
PRODUÇÃO Prof. Duilio MEDIDAS DE DESEMPENHO Prioridades Competitivas -Custo, -qualidade, -entrega, -flexibilidade e -serviço. Unidades que apóiam à Produção - Manutenção - Planejamento e Controle da Produção - Estudo dos Processos - Qualidade - Logística - Custos Desempenho O desempenho do trabalho pode ser medido, basicamente, através de três parâmetros: produtividade, eficiência e custo Produtividade Produtividade é definida como a relação (razão) entre a quantidade produzida (Q) e o recurso
Categories
Published
of 11
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  PRODUÇÃO Prof. DuilioMEDIDAS DE DESEMPENHO Prioridades Competitivas -Custo,-qualidade,-entrega,-flexibilidade e-serviço.   Unidades que apóiam à Produção - Manutenção - Planejamento e Controle da Produção - Estudo dos Processos - Qualidade -  Logística - Custos Desempenho O desempenho do trabalho pode ser medido, basicamente, através de três parâmetros: produtividade,eficiência e custo Produtividade Produtividade é definida como a relação (razão) entre a quantidade produzida (Q) e o recurso que lhe deusrcem. De uma forma geral a produtividade é expressa como:QPd =RecursosRecursos são os itens que consomem capital, essencialmente materializados pelos meios de produção :matéria-prima, mão-de-obra e equipamentos. Na medição da produtividade das pessoas, os recursos são homens-hora. Com equipamento, as pessoassão substituídas pelos equipamentos e os recursos passam a ser máquinas-hora. As equações ficam então:Q QPd = e Pd =Homens-hora Máquinas-horaQuando vários setores se juntam produzindo o mesmo tipo de item, a produtividade da empresaformada por estes setores é assim calculada: Σ Q Σ QPd = Pd =Σ Homens-hora Σ Máquinas-hora    Eficiência Há dois tipos de velocidade de trabalho ou capacidade produtiva dos postos: Capacidade nominal  ou teórica (Cn) – aquela conseguida por um posto de trabalho quando nadainterrompe suas atividades e dele se pode extrair o máximo do seu potencial (100%). Capacidade efetiva ou real (Cef) – aquela conseguida por um posto de trabalho considerando eventuaisinterrupções inevitáveis ao longo da jornada.O valor percentual da capacidade nominal de um posto de trabalho efetivamente conseguido échamado de eficiência (Ef) deste posto:Cef Capacidade real Produção obtidaEf = = =Cn Capacidade teórica Produção esperada SistemaPodutivo   Cn Cef  Perda de capacidade por paradas inevitáveisQuando a capacidade produtiva aumenta, o tempo gasto para fabricar uma unidade cai, e vice-versa. Assim, se para cada velocidade ou capacidade de trabalho houver um tempo correspondente, otempo nominal (Tn) é menor do que o tempo efetivo (Tef):Tn Tempo teórico Tempo esperadoEf = = =Tef Tempo real Tempo obtido Capacidade Instalada e Utilização A capacidade instalada é o volume máximo de produto possível de ser fabricado e vendido por uma organização, num determinado tempo, considerando todos os seus postos de trabalho. Observe-seque, por ser possível vender, a capacidade considerada é a efetiva ou real. 2 Capacidadenominalou teórica(100%)Capacidadeefetivaou real(<100%)  Quanto à capacidade, outro ponto interessante de ser lembrado é que algumas empresas têmdificuldade de mensurar as unidades físicas possíveis de serem produzidas, especialmente quando váriositens são fabricados e o mix altera entre um período e outro. Neste caso costumam quantificar a produção pelo volume (peso, por exemplo) de matéria-prima processada ou pelo peso total de produtos gerados. CUSTOSPonto de Equilíbrio O planejamento estabelece vários objetivos entre os quais está o de quantificar uma meta queresulte em retorno do capital empregadoA pior situação para uma empresa é quando seu lucro (L) é negativo, ou quando a receita (R) émenor que seus custos totais (C). Quando receita e custo total têm o mesmo valor (R = C), diz-se que aempresa encontrou seu equilíbrio, ou seu  ponto de equilíbrio . É o nível de atividade que gera lucro iguala zero.C = CF + CV.Como C = CF + CV, o lucro ficará então L = R - (CF + CV). Considerando ainda que R = Q. p(quantidade vendida vezes o preço de venda de cada unidade) e que CV = Q. Cvu (quantidade produzida pelo custo variável unitário), tem-se:L = Q.p - (CF + Q.Cvu ) = Q.p - CF - Q.CvuL + CF = Q.p - Q.Cvu = Q.(p - Cvu )CF + LQ = p - CvuCFQuando o lucro é igual a zero. Qe =P - CvuA expressão  p - Cvu é a margem de contribuição unitária do produto (MCu). A diferençaentre a receita total e o custo variável total é a margem de contribuição total da empresa (MC): MC =R – CVCom R = Q.p e Qe = CF/(p – Cvu)CF CF CFRe = Qe. p = . p = = p - Cvu (p – Cvu)/ p 1 – Cvu/pR$ 3  R Rt TLucro para QuantidadeQtCPrejuízoPE CvReCFQe QtQuantidade (Q)   MARGEM DE SEGURANÇA:Em unidades físicas: MS = Qt – QeEm valor monetário: MS = Rt – ReEm percentual:Qt – Qe Rt - ReMS = x 100 ou x 100Qe ReLucro (L) = MS x MCu. EXECÍCIOS: PARTE A: 1. Ao observar os números de uma empresa encontro uma medida de Produção e umamedida de Produtividade? Existe diferença entre as duas medidas? 4
Search
Similar documents
Tags
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks