Documents

Alegra Gray - À Sombra de um Escândalo (CH 441)

Description
À Sombra de um Escândalo Nothing But Scandal Allegra Gray Tudo começou com uma proposta inocente... Após a morte do pai, Liz Medford se viu sem um centavo e com uma terrível perspectiva para o futuro: casar-se com o desprezível Harold Wetherby. Sua família aprovava a união, mas Liz já testemunhara a natureza cruel de Wetherby e sabia que teria uma vida infeliz ao lado daquele homem. Se ao menos ele desistisse do casamento... A única maneira de desencorajá-lo seria arruinar sua reputação, que e
Categories
Published
of 142
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  À Sombra de um Escândalo  Nothing But Scandal Allegra Gray Tudo começou com uma proposta inocente... Após a morte do pai, Liz Medford se viu sem um centavo e com uma terrível perspectiva parao futuro: casar-se com o desprezível Harold Wetherby. Sua família aprovava a união, mas Liz játestemunhara a natureza cruel de Wetherby e sabia que teria uma vida infeliz ao lado daquelehomem. Se ao menos ele desistisse do casamento... A única maneira de desencorajá-lo seria arruinar sua reputação, que era ilibada... Até aquele momento... Liz, então arquitetou um plano brilhante paraescapar de seu indesejável pretendente. O único empecilho era o homem com cuja cooperação elacontava para arruinar sua reputação — o irresistível Alex Bainbridge, duque de Beaufort. Alex,contudo, tinha seus próprios segredos, que o levavam a evitar Liz a todo custo, para o bem de ambos.Ele se mostrou irredutível em sua decisão de não participar daquele plano maluco... Porém, Lizestava determinada a fazê-lo ver que era também um plano muito tentador... Digitalização: Rosana GomesRevisão: Cassia  Clássicos Históricos nº 441 - À sombra de um escândalo - Allegra Gray Querida leitora, Após a morte do pai, Liz fica numa situação difícil, mas ela não quer se casar com o cruelHarold Wetherby. Ela quer encontrar outra solução, nem que para isso tenha de perder suareputação com o notório libertino Alex Bainbridge, o duque de Beaufort. Alex, porém, recusa a proposta de Liz, e então ela não tem outra escolha senão aceitar o cargo de governanta numa casade campo. Liz se sente feliz e segura em seu novo emprego, até que Alex aparece um dia,convidado para uma festa, e a reconhece. Dessa vez, torna-se impossível resistir à atração mútua.Alex, contudo, guarda um segredo que mantém Liz presa a ele e ao mesmo tempo faz comque ela seja a única mulher que jamais poderá se tornar sua esposa ou amante. A vida, no entanto, érepleta de surpresas... Leonice Pompônio Editora Copyright @2009 por Allegra JohnstonOriginalmente PUBLICADO EM2009 por Publishing Corp.PUBLICADO SOB ACORDO COM KENSINGTON PUBLISHING CORP. NY, NY - USATodos os direitos reservados.Todos os personagens desta obra são fictícios.Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas terá sido mera coincidência.TÍTULO ORIGINAL: NOTHING BUT SCANDALEDITORA: Leonice PompônioASSISTENTES EDITORIAIS:Patrícia ChavesSilvia Moreira,Vânia Canto BuchalaEDIÇÃO/TEXTOTradução: Carlos Gustavo Barros JaimovichRevisão: Giacomo LeoneARTE:Mônica MaldonadoMARKETING/COMERCIAL:Andréa RiccelliPRODUÇÃO GRAFICA:Sônia SassiPAGINAÇÀO:Ana Beatriz PáduaCopyright © 2010 Editora Nova Cultural Ltda.Rua Butantã, 500 — 10º andar — CEP 05424-000 São Paulo - SPwww.novacultural.com.br  2  Capítulo I Londres, abril de 1814Expectativas de família, e a culpa por não estar à altura delas, seriam aruína de Liz Medford.Dado que seu pai, o barão James Medford, jamais fora um bastião daresponsabilidade, tendo acumulado uma verdadeira montanha de dívidas de jogo até morrer inesperadamente, parecia injusto que os parentes esperassemque ela, os salvasse ao se casar com Harold Wetherby.O terceiro primo podia ter uma renda considerável, mas a lembrança dasmãos suadas de Harold, tocando-a quando tinha apenas catorze anos, era osuficiente para convencê-la de que não poderia se casar com ele.Além disso, uma vez que havia se revelado um retumbante fracasso naseara do casamento, Liz tinha um novo plano... A ser implementado naquelamanhã.No momento em que se encerrou o desjejum, apressou a irmã mais nova,Charity, e a criada, Emma, para fora da casa dos Medford e direto para o HydePark, ignorando a torrente de perguntas enquanto se aprontavam.Estavam no parque não tinha mais de um minuto, quando Charity encarouLiz e lhe levantou o queixo.— Agora vai dizer o que está acontecendo? — Se continuar a me provocardesta maneira, vou acabar morrendo!Liz olhou para trás. Emma caminhava próxima o suficiente para queatuasse como acompanhante, mas sem ouvir a conversa.— Está certo. — Pelas últimas semanas, pensamos apenas em uma coisa:conseguir um homem, qualquer homem que não seja Harold, para que mepeça em casamento. — Agora que deixamos o luto por papai, titio e mamãeestão ansiosos para que eu aceite a oferta. — Estou ficando sem desculpas,mas talvez haja outro modo de escapar.— Não compreendo.— Pense. — O que Harold ganharia ao se casar comigo?— Seus contatos. — Ele quer respeito, ascensão social.— Exatamente — confirmou Liz, com alegria.— Não vejo onde isso vai dar.— Não quero me casar com Harold, certo? — Bem, nós estávamospensando que eu precisaria de uma oferta melhor para me ver livre. — Masnão preciso. — Preciso apenas que ele retire sua oferta.— Mas o que o levaria a fazer isso? — Ele já sabe sobre a situaçãofinanceira de papai, e nem esse grande fiasco o fez retroceder — assinalouCharity.— Não, porque, pobre ou não, sou uma moça de família .— Céus Liz eu não sei se gosto do que está pensando!— Se eu não fosse mais respeitável, se eu estivesse, digamos, arruinada,Harold voltaria atrás! — Quase tropeçou sobre uma raiz, tamanha a excitaçãodiante da idéia.  Clássicos Históricos nº 441 - À sombra de um escândalo - Allegra Gray — Isso é muito ousado. — Mas como você faria? — E pense no que mamãee titio fariam!— Atirariam você para fora, certamente. — Você seria deserdada,desonrada. — Para onde iria?— Eu poderia trabalhar para viver, por exemplo. — Liz mordeu o lábio,ciente de que seu plano tinha mais coragem do que conteúdo. — Eu teria o quefazer. — Sou boa com agulhas, assim poderia trabalhar para uma costureira. —Ou então tornar-me uma governanta. — Qualquer coisa seria melhor do quecasar-me com Harold. — Eu seria forçada a tolerar seu toque e...Arrepiou-se, mas lutou para recuperar o controle sobre as emoções. Airmã mais nova não precisava saber o quanto o primo distante a assustava. Elehavia tentado chamar sua atenção anos antes, e agora que ela estava mesmoá seu alcance, não pararia por nada até que a houvesse desposadoA não ser, e claro, que se casar com ela ameaçasse suas ambições e lheferisse a preciosa reputação.— É com você que estou preocupada. — Meu casamento deveria garantirseu bem-estar também.— Faça o que precisar. — E não se preocupe demais comigo. — Pelo amorde Deus, não se case com o monstro só porque ele se ofereceu para manter-me alimentada e vestida. — Mas, para que seu plano dê certo, sua reputaçãodeve ser totalmente destruída, e em breve. — Você parece se esquecer deque, apesar dos escândalos e dívidas de papai, você, irmã querida, não temqualquer peso sobre seu nome.— Até agora.Os olhos de Charity se apertaram.— Você já pensou em tudo. — Está tramando algo.— É claro.— Bem, conte-me! — Você sabe que não suporto quando não me inclui emsuas aventuras.Liz sorriu serena, ainda que seu coração se acelerasse.— Você não pensou que viemos ao Hyde Park apenas para um passeio,pensou? — Não, Charity, eu decidi que a melhor maneira de destruir minhareputação, de maneira que seja certo que Harold jamais se aproxime de novo,é ser pega em uma situação comprometedora... Com um homem.Charity parou.— Liz, você não teria cora...— Claro que teria.— Mas... Você precisaria de um homem disposto a participar dessa farsa.— Nenhum cavalheiro jamais aceitaria tal coisa!— Nenhum cavalheiro. — Certamente. — Mas Alex Bainbridge, duque deBeaufort, talvez.Liz o avistou passeando por um caminho lateral. Mesmo àquela hora damanhã, o homem tinha a aparência de um predador. Desde que se interessarapelo belo duque, na infância, seguindo-lhe cada movimento com fascinação,ela soubera de sua reputação, a combinar com a aparência letal. Fora assimque descobrira também que ele tinha o hábito de passear pelo parque semprena mesma hora.— Está decidido.— Vai fazer isso agora? — Tem certeza de que não há outra maneira?— Agora. — Consegue esconder-se?Charity olhou em volta. 4
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks