Entertainment & Media

ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA: MAPAS TÁTEIS MOBILIDADE

Description
ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA: MAPAS TÁTEIS MOBILIDADE Gabriel Moraes de Bem Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, SC, Brasil Vilson João Batista Universidade
Published
of 12
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA: MAPAS TÁTEIS MOBILIDADE Gabriel Moraes de Bem Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, SC, Brasil Vilson João Batista Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, SC, Brasil Regiane Trevisan Pupo Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis, SC, Brasil RESUMO O presente artigo traz uma análise bibliométrica resultante de uma pesquisa sistemática com as palavras tactile map, tactile model e tactile scale model. A busca foi realizada em bases de dados nacionais e internacionais, em artigos de periódicos, anais de congressos, livros, teses e dissertações que trouxessem alguma abordagem relacionada a esses temas. O objetivo dessa pesquisa é subsidiar estudos mais aprofundados sobre o estado da arte de mapas táteis e mobilidade, uma vez que o resultado dessa pesquisa aponta quais os anos e bases de dados com maior número de publicações, quais os autores mais relevantes nessa área e as palavras de maior recorrência. Como resultado, o ano de 2012 apresentou o maior número de publicações, sendo 18 de um total de 103. Das bases de dados consultadas e de acordo com o critério de exclusão adotado pelo autor, as bases de maior representatividade são Scopus, com 49% dos resultados, seguida da Web of Science, com 28%. De um total de 166 autores relacionados, McCallum, D., salvo demais autores em coautoria, destaca-se com 10,67% das publicações. Dentre as palavras de maior recorrência, destaca-se new, user, e verbal, trazendo o entendimento de que esse tema, além de novo, se caracteriza como um processo colaborativo e que por vezes demanda o suporte verbal na sua fabricação. ABSTRACT This article brings a bibliometric analysis as a result of systematic research with the words tactile map, tactile model and tactile scale model. The research was carried out in national and international databases, in journal articles, conference proceedings, books, theses and dissertations that brought some related approach to these issues. The objective of this research is to support further study on the state of art of mobility and tactile maps once the result of this research shows which are the year and databases with the largest number of publications, also the most relevant authors in this area and higher recurrence words. As a result, the year 2012 had the highest number of publications, 18 of a total of 103. In accordance with the exclusion criteria adopted by the author, the most representative bases are Scopus, with 49% result, followed by the Web of Science, 28%. Among a total of 166 authors related, McCallum, D., unless other authors co-authored, stands out with 10.67% of the publications. Among the most recurrent words, there are new, user, and verbal, bringing the understanding that this issue, aside from new, is characterized as a collaborative process and sometimes tend to demand the verbal support in its manufacture. KEYWORDS: Bibliometric Analysis; Tactile Maps; Urban Mobility. PALAVRAS-CHAVE: Análise bibliométrica; Mapas táteis; Mobilidade urbana. 1 INTRODUÇÃO Esse artigo tem como objetivo a análise bibliométrica das publicações relacionadas a mapas táteis e mobilidade urbana. Os mapas táteis, de acordo com o Catálogo Nacional de Produtos para Tecnologia Assistiva, baseado na lista de definições da ISO 9999:2007, são classificados nos itens 12 e 22, sendo esse relacionado à produtos de apoio para comunicação e informação e aquele para produtos de apoio para a mobilidade pessoal [1]. Optou-se pelo recorte entre os anos de 2004 a 2014 em virtude do ano de publicação da norma brasileira NBR 9050 (2004), que traz aspectos relacionados à acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos [2]. Todavia, dentre as especificações quanto à elaboração de planos e mapas táteis, a NBR não trata de uma série de elementos para sua fabricação, como por exemplo: tipo de informação que deve ser representada, qual a linguagem empregada (braille, auto relevo, libras), quais os tipos de usuários que esse equipamento deve atender, quais os tipos de materiais são mais adequados para a sua fabricação, leitura e quais as suas dimensões. Os resultados dessa pesquisa poderão ser utilizados para um estudo mais aprofundado sobre o tema, como por exemplo, estado da arte sobre essa temática, além de apontar para o pesquisador quais as bases de dados onde há mais publicações relacionadas, quais os autores mais relevantes e a frequência de palavras. mobilidade de pessoas cegas e com deficiência visual: Os modelos táteis servem como suporte de orientação para pessoas cegas e com baixa visão no ambiente, tanto espaço urbano quanto com relação aos elementos arquitetônicos: por intermédio da produção de modelos físicos com qualidades táteis adequadas, tem-se o objetivo de trazer a informação sobre o contexto espacial de forma tangível. Isso se aplica para ambientes externos e internos. Além disso, um modelo pode trazer uma ideia clara de um ambiente assim como as relações entre as suas partes [4]. No estudo desenvolvido por Gual, Puyuelo e Lloveras, foi desenvolvido um mapa tátil fabricado pelo método de prototipagem rápida, por impressão à jato de tinta colorido. O mapa (Figura 1) representa uma área da cidade de Barcelona, Ciutat Vella, e em particular a região do Museu Maritim da Espanha, que por ser uma edificação equipada com dispositivos para pessoas com deficiência visual, atenderia ao interesse de inclusão social e acesso à cultura das pessoas com deficiência de forma mais independente. MAPAS E MAQUETES TÁTEIS O ambiente urbano é um contexto complexo e cheio de dificuldades para as pessoas com deficiência visual. Estas dificuldades limitam suas possibilidades em termos de mobilidade e acesso. Eles dependem de sua capacidade de memorizar rotas e construir mapas metais de ambientes específicos, para que possam se deslocar na cidade com segurança e de forma independente. Para ajudá-los, existem alguns dispositivos de apoio essenciais, tais como bengalas, tecnologia GPS, informações de áudio e dispositivos táteis [3]. De acordo com Voigt e Martens, os mapas e maquetes táteis fornecem suporte para Figura 1: Mapa tátil Fonte: [3]. Como uma das conclusões da pesquisa, os autores destacam que a impressão 3D pode ser uma técnica eficiente na fabricação de mapas táteis, se sendo que, quando incorporadas com auxílio verbal, os usuários terão condições de 2 aprender previamente sobre a rota de deslocamento a ser explorada. [3]. A diferenciação entre maquete tátil e mapa tátil consiste na maneira com que os elementos são representados, onde a maquete tátil traz a real informação volumétrica, em menor escala, já o mapa tátil, a informação é codificada em elementos simbólicos como pontos, linhas e superfícies [3]. ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA De acordo com Bem e Reinisch, a bibliometria é a técnica utilizada para estudos métricos da informação registrada [5]. Dessa forma, propõese uma análise bibliométrica da literatura, com o objetivo de identificar as características das publicações resultantes da junção e/ou associação das temáticas: Mapas Táteis e Mobilidade. METODOLOGIA A presente análise bibliométrica surgiu a partir de uma revisão bibliográfica exploratória, onde, a começar de uma análise de artigos resultantes de uma busca no portal Capes utilizando-se as palavras chaves de interesse, identificou-se quais os periódicos estavam relacionados ao tema da pesquisa. A partir daí, uma nova pesquisa foi feita no portal Capes para identificar quais as bases de dados detinham as publicações de tais periódicos. Com isso, dentre as bases disponíveis para pesquisa no portal, foi possível selecionar somente as bases de interesse, realizando uma busca sistemática da literatura. Em cada uma das bases, foi feita uma nova busca (pesquisa avançada), respeitando-se as orientações disponíveis nas ferramentas de ajuda/help de cada uma delas, a fim de refinar a pesquisa e se obter dados mais objetivos. Gerenciamento das referências Para gerenciar a pesquisa como um todo, fezse uso do protocolo de pesquisa (Anexo A) sugerido pela Biblioteca Universitária da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em que são descritas as estratégias de busca de acordo com as bases de dados, filtro de período de tempo, linguagem do material, campos de busca e estratégia de pesquisa (operadores booleanos, truncagem, termo exato, aproximação, etc.). O resultado das pesquisas obtidas em cada uma das bases foi exportado para a ferramenta de publicação e gerenciamento bibliográfico, citações e referências, EndNote web, o qual permitiu a organização dos resultados por base de dados consultada, com posterior análise das publicações subsidiando a etapa de estudo bibliométrico. Cabe aqui fazer algumas observações sobre as ferramentas de algumas bases que não foram satisfatórias na amostragem dos resultados: Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD): em função de inconsistências no processo de busca da base de dados, alguns termos de pesquisa foram suprimidos, como pode ser observado no Quadro 1; Banco de Teses e Dissertações da Capes: em função de incongruências nas orientações e funcionamento da ferramenta de busca, foi necessário realizar a pesquisa com cada tópico individualmente; Wiley Online Library: a ferramenta de exportação de resultados de busca da base dados para o gerenciador EndNote web não estava funcionando. Sendo assim, foi feita a busca da base Wiley Online Library diretamente pela ferramenta de busca do gerenciador EndNote web conectado à base em questão. Spinger Link: embora a base de dados tivesse apresentado um considerável número de resultados, em virtude da sua incompatibilidade com o software de gerenciador na exportação dos dados, a mesma não foi considerada no recorte de análise. Exclusão de repetição Sabe-se que uma mesma referência pode estar cadastrada em mais de uma base, o que pode gerar falsas impressões em relação à exclusividade do conteúdo e o número de fontes 3 de informação disponibilizadas pelas bases. Além disso, uma mesma base pode trazer como resultado da busca a referência de todos os artigos publicados nos anais do evento e também a referência de cada um dos artigos que faz parte dos anais, o que acaba por configurar também uma duplicidade de referências. Com relação à priorização de uma base de dados em relação à outra, em virtude da base de dados Web of Science ser vinculada ao software de gestão de referências EndNote web, deu-se prioridade para as referências ali cadastradas uma vez que apresenta qualidade superior na manutenção das informações durante a transferência para o software gerenciador. Em segundo lugar, optou-se pela base Scopus, em virtude da grande quantidade de referências ali cadastradas. Quanto às demais bases optou-se por excluir as repetições daquelas que apresentavam menor quantidade de referências, com o objetivo de anulá-las e estreitar o número de fontes de pesquisa no assunto. Dentre todas as bases consultadas, a Engineering Village ficou como última opção, devido à falta de informações da referência registrada, após a transferência para o software gerenciador. O resultado da exclusão das referências repetidas pode ser observado no Quadro 1 Análise dos resultados Após a exclusão das referências que estavam em duplicidade, foi realiza uma série de análises em relação às publicações. Classificam-se os resultados por temas abordados, apresenta-se graficamente a relevância das bases em relação ao total dos resultados classificados no tema Mobilidade Mapas táteis, apresentação dos termos mais recorrentes nos resumos dessa última classificação, os períodos (representado pelo ano) em que tais resultados foram publicados, os autores mais relevantes no assunto. Classificação dos temas abordados Foi possível dividir o resultado das buscas onde os termos utilizados nos tópicos da pesquisa foram encontrados em cinco grandes áreas de aplicação, conforme Gráfico 1 abaixo: Gráfico 1: Classificação geral dos resultados Quadro 1: Resultado da exclusão de referências repetidas. A adoção da classificação em Ensino Aprendizagem é em virtude do assunto trazido nessas publicações estarem relacionados ao emprego no ambiente escolar onde o resultado da aplicação dos mapas/matrizes táteis não estava relacionado diretamente com o conteúdo analisado, mas sim no aprendizado de diversas disciplinas resultante da aplicação dos elementos táteis. 4 Já Cartográfico Geográfico, está restrito ao aprendizado de conteúdo exclusivo das áreas cartográficas e geográficas, independente do fim ser educacional (ambiente escolar) ou não. As publicações classificados como Mapa tátil Mobilidade, dizem respeito não somente à fabricação, uso e avaliação de mapas táteis para mobilidade, mas também a aspectos relacionados com a sua fabricação e estudo, como por exemplo, critérios para elaboração de simbologias, aspectos cognitivos da leitura tátil, desempenho de equipamentos para sua fabricação, dispositivos associados ao uso desses, ou seja, todo e qualquer resultado que possa contribuir para o conhecimento do tema e enriquecimento de informações para a elaboração de um mapa tátil. A classificação Inclusão social está relacionada aos mecanismos para inclusão de pessoas com deficiência ao cotidiano, como por exemplo, na percepção da arte. Já Diversa diz respeito às produções onde os termos de busca foram encontrados, porém não estão relacionados necessariamente a pessoas com deficiência ou mesmo mapas táteis para auxílio à mobilidade. Representatividade no tema Mapas táteis Mobilidade Para o presente estudo, apenas os resultados identificados no item Mapa tátil Mobilidade são relevantes. Sendo assim, após nova exclusão das referências onde não havia interesse no conteúdo, pode-se observar a nova configuração. Além disso, é possível notar a exclusão da base de dados uma vez que essa não apresentou nenhuma publicação relacionada ao assunto de interesse, conforme apresentado no Gráfico 2, que traz a representatividade das bases de dados e fontes de informação em relação ao total de publicações sobre Mapas Táteis Mobilidade: Gráfico 2: Representatividade das bases com o tema Mapa Tátil Mobilidade. Palavras mais recorrentes Para identificar quais os termos mais recorrentes nos artigos foi utilizada a ferramenta Wordle, de acesso gratuito na internet. Por intermédio do agrupamento de todos os resumos (classificados como Mapas táteis Mobilidade), excluindo-se palavras sem significado como made, better, developed, study etc., e mantendose apenas as que tivessem maior relação com os assuntos abordados nos trabalhos restou um total de 72 palavras de maior recorrência, como pode ser observado na Figura 1. Cabe ressaltar que algumas das publicações, embora fossem disponibilizadas mediante acesso restrito via Virtual Private Network (VPN), ainda assim não apresentavam resumo ou artigo completo disponível, dessa forma algumas publicações não tiveram seus resumos analisados. 5 Figura 1: Palavras mais recorrentes O surgimento de algumas palavras em destaque, tais como tactile, maps, impaired, visually e blind, já eram esperadas pois estão diretamente relacionadas ao tema da pesquisa. Já a palavra new, demonstra o ineditismo das pesquisas e tecnologias nessa temática, conforme destacado por Ahmed, McCallum e Sheldon: A tecnologia de impressão à jato de tinta é um novo método de fabricação por deposição com grande precisão. Consequentemente tem sido aplicado para fabricação de elementos em 3D e micro estruturas mecânicas. Ainda, a tecnologia à jato de tinta tem sido utilizada para fabricação de mapas táteis para pessoas com deficiência visual [6]. Outra palavra importante, user, induz à importância o interesse da participação do usuário durante o processo de desenvolvimento das pesquisas, uma vez que está diretamente relacionada à percepção das pessoas com deficiência (usuário fim). Em pesquisa desenvolvida por Gual, Puyuelo e Lloveras, para avaliar de forma qualitativa o uso dos mapas táteis impressos em 3D no auxílio à mobilidade das pessoas com deficiência visual para identificar e memorizar rotas, nota-se que: [...] os participantes estavam interessados e motivados em contribuir com o desenvolvimento dos mapas táteis, uma vez que servirão para melhorar sua mobilidade e autonomia [3]. Ainda, de acordo com Voigt e Martens, estudos mais aprofundados sobre a elaboração de modelos táteis para auxílio à mobilidade demandarão a participação de todos os usuários passiveis de utilização: Outras etapas do trabalho envolverão uma série de testes mais aprofundados com cegos, baixa visão e pessoas idosas para validar as conclusões e as propostas dos modelos (campos de aplicação, espectro de uso) e as características requeridas (escala e nível de detalhamento) [4]. O surgimento da palavra verbal demonstra que há também esse tipo de informação no desenvolvimento dos protótipos para auxílio à mobilidade, podendo até mesmo representar uma tendência de desenvolvimento dos produtos. Conforme Blades, Ungar e Spencer, pesquisas sugerem que a informação verbal terá um melhor aproveitamento se combinada com a informação tátil: [...] as pessoas que adquirem a informação sobre determinado ambiente, de forma verbal ou escrita, reterão mais da informação se a obtiverem em conjunto com um mapa [7]. Ano e tipo de publicação O recorte da pesquisa inclui apenas os anos de 2004 à 2014, pois está relacionado ao período de vigência da última revisão da Norma Brasileira Regulamentadora De acordo com essa Norma surge a necessidade de cumprimento no que diz respeito à instalação de planos e mapas táteis nas edificações de uso público, aqui no Brasil. Sendo assim, publicações mais antigas não fazem parte da análise. Somada a isso, atribui-se aqui o número de publicações de acordo com os tipos. Para se chegar a esse resultado foi necessário acessar uma série de documentos individualmente para conferir o meio de publicação, pois foram identificados alguns casos de classificação inadequada. O resultado dessas análises é apresentado do Gráfico 3. 6 Autores mais relevantes Do total de publicações identificou-se um total de 175 autores. Nessa análise optou-se pela representação gráfica daqueles que possuíam três ou mais publicações em virtude das dimensões e legibilidade do gráfico. O resultado pode ser observado no Gráfico 4; Gráfico 3: Ano e tipo de publicação O período em que houve um maior número de publicações dos temas relacionados à Mapas táteis Mobilidade corresponde ao ano de 2012, com um total de 18 publicações. Percebe-se que não há um crescimento constante no número de publicações científicas nessas áreas, apresentando outro pico de publicações, anteriormente e em menor quantidade, no ano de Ainda, com relação ao tipo de publicação, 60% são produtos de congressos científicos, deduzindo-se então, pela falta de publicações em livros, que é um assunto ainda com pesquisas em andamento e aprimoramento, em que métodos, processos de fabricação e diretrizes ainda não estão consolidados, uma vez que a maior parte das publicações está relacionada a pesquisas publicadas em congressos McCallum, D. Lohmann, K. Pissaloux, E. Dinar, S. Ahmed, K. Gual, J. Lloveras, J. Puyuelo, M. Wang, Z. S. Gráfico 4: autores mais relevantes. Devido às diferentes publicações, as assinaturas dos autores nem sempre são apresentadas da mesma forma, sendo assim foi feita uma análise individual para verificar a existência de variações para um mesmo autor a fim de agrupar os números de publicações. Cabe ressaltar que foi atribuída a publicação a cada autor, sem fracionar no caso de coautoria. Considerando a produtividade de cada um dos autores, definido pelo logaritmo do número de trabalhos publicados (n) na base 10, tem-se o Quadro 2, baseado no exemplo trazido por Bem e Reinisch [5], resultando em: LOG 10 N = X = LOG = X = X= 1,47 7 para outra, além da classificação errônea quanto ao tipo de publicação. Além disso, há deficiência quanto às ferramentas de impo
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks