Documents

Antero de Quental

Description
Sobre a obra completa de Antero de Quental
Categories
Published
of 6
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Quinta-feira, 30 de Março de 2017  OK Acadêmico   Artigos   Blablablogues   Crítica Literária   Crônica   Ensaio   Entrevistas   Infantojuvenil   Lançamentos   Poesia   Prosa   Resenha   Tradução 08/03/2017A palavra é delas – mulheresna literatura  Sinopse: A literaturaproduzida por mulheres,mesmo quando avessa aorótulo de feminista, trazelementos importantes dequestionamento dos padrõesculturais vigentes. Seja emobras tão diversas como a deClarice Lispector, Ana CristinaCesar, Hilda Hilst, Ana CassiaRebelo, Sylvia Plath ou AliceMunro iremos nos deparar com um tratamento íntimo das[...] 16/01/2017Originais de Machado deAssis  Academia Brasileira deLetras coloca no seu site, paradownload, os srcinais dosromances ‘Esaú e Jacó’ e‘Memorial de Aires’ e dopoema ‘O almada’ Leiamais: http://www.academia.orgdisponibiliza-acesso-aos-manuscritos-srcinais-de-dois-romances-e-um-poema-de-machado 05/12/2016POESIA COMPLETA DE ANTERO DE QUENTAL ………..Edição Crítica de Luiz Fagundes Duarte  POESIA I [ Odes Modernas e Primaveras Românticas ] Lisboa: Abysmo | Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Obras Clássicas daLiteratura Portuguesa – Século XIX, Outubro de 2016, 332 páginas.Este é o primeiro volume da edição crítica da Poesia de Antero de Quental  , onde se reúnem oslivros Odes Modernas (1865; 1875) e Primaveras Românticas (1872). Seguir-se-ão o segundo eterceiro volumes – Sonetos Completos (Maio de 2017) e Poesia Dispersa (Outubro de 2017). Home > Lançamentos  Antero de Quental Por Editoria da Musa Em 30/03/2017 Realidade Expandida Organizada por Luiz Bras ,EditoraPatuá lança reunião de poemassobre o pós-humano em doislivros. Vale conferir. O menino da sua mãe O ensaísta Leo Bryan Lisboa escrevesobre lançamento de DjamiSezostre  pela KatarinaKartonera . Confira. Novas Críticas email Assinar  converted by Web2PDFConvert.com  22/11/2016Aumenta número de falantesde Língua Portuguesa . Se as projeçõesdemográficas das NaçõesUnidas estiverem certas, em2050 haverá cerca de 387milhões de lusofalantes emtodo o mundo. Até final doséculo esse número deveráaumentar até aos 487milhões. A Língua Portuguesaé neste momento utilizada por 261 milhões de pessoas,sendo a quarta língua maisfalada no mundo, [...] 11/11/2016SHAKESPEARE e CERVANTES,os aniversariantes  http://arte.folha.uol.com.br/iluste-cervantes/ 01/11/2016CONEXÕES e ENCONTROS DEINTERROGAÇÃO  O Itaú Cultural realiza doiseventos sobre literatura, de 09quarta a 11 sexta, novembro2016, concomitantes, emhorários diferentes, asaber: CONEXÕES ItaúCultural – Mapeamento daLiteratura Brasileira no Exterior e ENCONTROS DEINTERROGAÇÃO. Os temasgiram em torno das relaçõesentre política e literatura, oimpacto da história brasileirarecente no ensino literário noexterior e [...] 27/10/2016CURSO DE POESIA VIAINTERNET O Laboratório de CriaçãoPoética realizará um novocurso de poesia à distância,Pretende-se com esta edição disponibilizar ao leitor de hoje o conjunto da obra poética do Autor: a que ele publicou em livro e manteve; a que publicou em livro mas destruiu ou de algummodo alterou; e a que publicou dispersamente ou deixou inédita. No volume dos SonetosCompletos  serão ainda republicados, com o necessário tratamento filológico, as traduções dealguns sonetos para alemão, italiano, espanhol e francês que Antero de Quental entendeuincluir na sua edição definitiva de Os Sonetos Completos  (1890) – que, nesta edição, éacrescentada por recuperação dos restantes sonetos do autor que ele publicou dispersamenteou que, por diversas razões, entendeu eliminar, transformar ou mesmo destruir. Com apublicação do terceiro volume teremos finalmente reunida, em edição crítica e sob um critériocomum, toda a poesia de Antero de Quental.Tratando-se de uma edição crítica, dotada de todos os aparatos que permitem ao leitor interessado acompanhar o processo de construção/evolução dos poemas na esfera do autor,ela foi pensada e realizada a pensar igualmente no leitor comum nosso contemporâneo,interessado apenas na fruição do texto poético. Assim, o volume – e a colecção de trêsvolumes em que se integra – considera duas partes estruturais para cada um dos livros quecontém: o texto crítico, com grafia actualizada e sem quaisquer anotações, impresso em papelbranco; e os aparatos, com as notas filológicas necessárias para cada um dos poemas,impresso no final do texto crítico e em papel de outra cor – dando assim ao leitor umainformação clara acerca dos respectivos conteúdos. . ODES MODERNAS  (extracto) À HISTÓRIA VISe um dia chegaremos, nós, sedentos, A essa praia do eterno mar-oceano,Onde lavem seu corpo os pustulentos,E farte a sede, enfim, o peito humano?Oh! diz-me o coração que estes tormentosChegarão a acabar: e o nosso engano,Desfeito como nuvem que desanda,Deixará ver o céu de banda a banda!Felizes os que choram! alguma horaSeus prantos secarão sobre seus rostos!Virá do céu, em meio de uma aurora,Uma águia que lhes leve os seus desgostos!Há-de alegrar-se, então, o olhar que chora…E os pés de ferro dos tiranos, postosNa terra, como torres, e firmados,Se verão, como palhas, levantados!Os tiranos sem conto – velhos cultos,Espectros que nos gelam com o abraço…E mais renascem quanto mais sepultos…E mais ardentes no maior cansaço…Visões de antigos sonhos, cujos vultosNos oprimem ainda o peito lasso…Da terra e céu bandidos orgulhosos,Os Reis sem fé e os Deuses enganosos!O mal só deles vem – não vem do Homem.Vem dos tristes enganos, e não vemDa alma que eles invadem e consomem,Espedaçando-a pelo mundo além!Mas que os desfaça o raio, mas que os tomem As auroras, um dia, e logo o Bem,Que encobria essa sombra movediça,Surgirá, como um astro de Justiça!E, se cuidas que os vultos levantadosPela ilusão antiga, em desabando,Hão-de deixar os céus despovoadosE o mundo entre ruínas vacilando;Esforça! ergue teus olhos magoados!Verás que o horizonte, em se rasgando,É porque um céu maior nos mostre – e é nossoEsse céu e esse espaço! é tudo nosso!É nosso quanto há belo! A Natureza, A crítica literária Leda Tenório daMotta  lançao livro Vista das musas notrópico – De volta à crítica dacrítica  com happening   e leituras. Páginas latino-americanas O poeta e ficcionista WilsonAlves-Bezerra lança um fascinante enecessário diálogo comgrandes autores latino-americanos. Daqui  A poeta paulistana Lilian Aquino lança novo livro na PatuscadaCafé e Livraria . Confira. Literatura contemporânea japonesa O tradutor Diogo Kaupatez  é onovoeditor da praça. Traduziu eeditou The Fourth Treasure , de Todd Shimoda . A noite de um iluminado O escritor e artista plástico PedroMaciel  lança novo romance pelaEditora Iluminuras. Confiraalguns trechos. Os Desafios do Anagrama  A escritora Beatriz H. R. Amaral lançalivro de contos e livro de escritos jurídicos e memórias comdebate. Confira. converted by Web2PDFConvert.com  via internet (Skype), ministradopor Claudio Daniel, abordandoa poesia de Fernando Pessoa,João Cabral de Melo Neto ePaulo Leminski. O cursoacontecerá entre 02 denovembro e 15 de dezembro. As aulas acontecerão emvários horários: SEGUNDAS-FEIRAS, das 14h às [...] 25/10/2016DYLAN, NOBEL E MELO ECASTRO Estimado Poeta Edson CruzRespondendo à sua perguntasobre o que penso do actualNobel da Literatura, digo quese o Bob Dylan pode ganhar esse prémio, eu que não toconenhum instrumento, voucandidatar-me e ganhar oNobel da Música! Abraçoamigo do E.M. de Melo eCastro (Poeta português) Desde aonde atirou seu cacho a palma,Té lá onde escondidos na friezaVegeta o musgo e se concentra a alma:Desde aonde se fecha da beleza A abóbada sem fim – fé onde a calmaEterna gera os mundos e as estrelas,E em nós o Empíreo das ideias belas!Templo de crenças e de amores puros!Comunhão de verdade! onde não háBonzo à porta a estremar fiéis e impuros,Uns para a luz… e outros para cá. A li parecerão os mais escurosBrilhantes como a face de Jeová,Comungando no altar do coraçãoNo mesmo amor de pai e amor de Irmão! Amor de Irmão! oh! este amor é doceComo ambrosia e como um beijo casto!Orvalho santo, que chovido fosse,E o lírio absorve como etéreo pasto!…Dilúvio suave, que nos toma posseDa vida e tudo, e que nos faz tão vastoO coração minguado… que admiraOs sons que solta esta celeste lira!Só ele pude a ara sacrossantaErguer, e um templo eterno para todos…Sim, um eterno templo e ara santa,Mas com mil cultos, mil diversos modos!Mil são os frutos, e é só uma a planta!Um coração, e mil desejos doudos!Mas dá lugar a todos a Cidade, Assente sobre a rocha da Igualdade.É desse amor que eu falo! e dele esperoO doce orvalho com que vá surgindoO triste lírio, que este solo austeroEstá entre urze e abrolhos encobrindo.Dele o resgate só será sincero…Dele! do Amor!… enquanto vais abrindo,Sobre o ninho onde choca a Unidade, As tuas asas de águia, ó Liberdade! . PANTEÍSMO I Aspiração… desejo aberto todoNuma ânsia insofrida e misteriosa… A isto chamo eu vida: e, deste modo,Que mais importa a forma? silenciosaUma mesma alma aspira à luz e ao espaçoCm homem igualmente e astro e rosa! A própria fera, cujo incerto passoLá vaga nos algares da devesa,Por certo entrevê Deus – seu olho baçoFoi feito para ver brilho e beleza…E se ruge, é que a agita surdamenteTua alma turva, ó grande natureza!Sim, no rugido há vida ardente,Uma energia íntima, tão santaComo a que faz trinar a ave inocente…Há um desejo intenso, que alevanta Ao mesmo tempo o coração ferino,E o do ingénuo cantor que nos encanta…Impulso universal! forte e divino, Aonde quer que irrompa! e belo e augusto,Quer se equilibre em paz no mudo hino O som da cor da letra O professor, poeta e compositor  Paulo César de Carvalho  lança livro comletras/poemas de suascanções. De olho no Nobel. Apontamentos sinuosos O poeta português e.m. de meloe castro  lança novo livro depoemas. Editora Lua de Marfim.[Musa #38 - Ano 5] Hora Zero  A poeta e tradutora PriscaAgustoni lança novo livro. Confira prefáciode Iacyr Anderson Freitas .[Musa #24 - Ano 5] Silenciando o zum-zum-zum dacidade O prosador e poeta Luiz RobertoGuedes lança seu trinômio sexo, álcool edrogas recreativas, Miss Tattoo .Vale conferir. converted by Web2PDFConvert.com  Dos astros imortais, quer no robustoSeio do mar tumultuando brade,Com um furor que se domina a custo,Quer durma na fatal obscuridadeDa massa inerte, quer na mente humanaSereno ascenda à luz da liberdade…É sempre a eterna vida, que dimanaDo centro universal, do foco intenso,Que ora brilha sem véus, ora se empana…É sempre o eterno gérmen, que suspensoNo oceano do Ser, em turbilhõesDe ardor e luz, envolve, ínfimo e imenso! Através de mil formas, mil visões,O universal espírito palpitaSubindo na espiral das criações!Ó formas! vidas! misteriosa escritaDo poema indecifrável que na TerraFaz de sombras e luz a Alma infinita!Surgi, por céu, por mar, por vale e serra!Rolai, ondas sem praia, confundindo A paz eterna com a eterna guerra!Rasgando o seio imenso, ide saindoDo fundo tenebroso do Possível,Onde as formas do Ser se estão fundindo Abre teu cálix, rosa imarcescível!Rocha, deixa banhar-te a onda clara!Ergue tu, águia, o voo inacessível!Ide! crescei sem medo! não é avara A alma eterna que em vós anda e palpitaOnda, que vai e vem e nunca pára!Semeador de mundos, vai andandoE a cada passo uma seara bastaDe vidas sob os pés lhe vem brotando!Essência tenebrosa e pura… castaC todavia ardente… eterno alento!Teu sopro é que fecunda a esfera vasta…Choras na voz do mar… cantas ao vento…IIPorque o vento, sabei-o, é pregador Que através dos soidões vai missionando A eterna Lei do universal Amor.Ouve-o rugir por essas praias, quando,Feito tufão, se atira das montanhas,Como um negro Titã, e vem bradando…Que imensa voz! que prédicas estranhas!E como freme com terrível vida A asa que o livra cm extensões tamanhas! Ah! quando em pé no monte, e a face erguidaPara a banda do mar, escuto o ventoQue passa sobre mim a toda a brida,Como o entendo então! e como atentoLhe escuto o largo canto! e, sob o canto,Que profundo e sublime pensamento!Ei-lo, o Ancião-dos-dias! ei-lo, o Santo,Que já na solidão passava orando,Quando inda o mundo era negrume e espanto!Quando as formas o orbe tenteandoMal se sustinha e, incerto, se inclinavaPara o lado do abismo, vacilando;Quando a Força, indecisa, se enroscava converted by Web2PDFConvert.com
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks