Documents

Aspectos práticos de um programa de luz para frangos de corte

Description
Aspectos práticos de um programa de luz para frangos de corte DATA DE PUBLICAÇÃO: 01/07/2009 AUTOR: Jerônimo Ávito Gonçalves de Brito, Zoot. M.Sc. Doutorando Zootecnia/UFLA-MG, Universidade Uniquímica de Negócios Com o objetivo inicial de proporcionar acesso aos comedouros, bebedouros e conseqüentemente aumentar o tempo de alimentação dos frangos de corte, principalmente em horários com temperaturas mais amenas (noite e/ou madrugada), programas de iluminação contínuos (23-24 horas de luz), foram
Categories
Published
of 3
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Aspectos práticos de um programa de luz para frangos de corte DATA DE PUBLICAÇÃO: 01/07/2009AUTOR: Jerônimo Ávito Gonçalves de Brito, Zoot. M.Sc. Doutorando Zootecnia/UFLA-MG, UniversidadeUniquímica de NegóciosCom o objetivo inicial de proporcionar acesso aos comedouros, bebedouros e conseqüentementeaumentar o tempo de alimentação dos frangos de corte, principalmente em horários com temperaturasmais amenas (noite e/ou madrugada), programas de iluminação contínuos (23-24 horas de luz), forampropostos há algumas décadas. Hoje diferentes benefícios são observados com a aplicação de umadequado programa de luz.Assim como outras práticas de manejo dentro da produção avícola de corte, pesquisas associandoprogramas de iluminação a problemas de pernas, mortalidade devido a desordens metabólicas e bem-estar (sistema imune, estresse calórico, condição corporal) deram novos rumos aos programas de luzartificiais, os quais atualmente são mais moderados, tanto em termos de fotoperíodo, quanto àintensidade luminosa.O fotoperíodo está relacionado ao número de horas de iluminação (seja natural e/ou artificial), enquanto aintensidade luminosa está relacionada à sensibilidade de percepção da luz pelas aves (medidanormalmente em lux ).Os programas de luz são classificados em: constante ou contínuo, crescente e intermitente. Modernamente os programas intermitente e crescente são mais pesquisados, no entanto, em termos deaplicabilidade a campo, o programa de luz crescente é mais aceito.O fotoperíodo crescente, quando utilizado em galpões abertos, que são mais comuns no Brasil,inicialmente (1-7 dias de idade) ocorre com o fornecimento de luz contínuo ou quase contínuo (23 horasde luz - L:1 hora de escuro - E), posteriormente (8-21 dias) há uma redução abrupta no fornecimento deluz (luz natural ou natural + 2-4 horas de luz artificial) e finalmente (após 21 dias) ocorre um aumentogradual ou repentino na iluminação artificial, de forma que fotoperíodo se torne novamente contínuo . Hánecessidade de se ressaltar, que este é apenas um exemplo generalizado de um programa crescente deiluminação, a campo existem uma série de ajustes e adaptações (diferentes latitudes, tipos de galpões,linha comercial utilizada, estação do ano, desempenho esperado...) ao longo do ciclo de criação, que odiferencia em dezenas de outros planos de iluminação, mas sempre dentro da mesma classificação.De forma generalizada (manuais de criação ou livros, pesquisas, técnicos, indústria) há recomendação deintensidade luminosa (IL) de 20 lux (lúmens/m 2 ) na primeira semana e posteriormente 5 lux até o final decriação do lote (sendo recomendado aumento da intensidade para 10 lux, cerca de 3 dias antes daapanha/abate). Vários aspectos práticos estão relacionados ao fornecimento dessa IL, dentre os quaispode-se destacar:1- Tamanho do galpão;2- Tipo de lâmpada (e sua potência) a ser utilizada no galpão (incandescente, fluorescente, gás hélio...);3- Quantidade de lâmpadas no galpão;4- Distribuição (posicionamento) de lâmpadas no galpão;Apesar de representar um investimento inicial maior, lâmpadas fluorescentes apresentam maior poder deiluminação em detrimento a lâmpadas incandescentes, devido a seu comprimento de onda e conseqüentemaior sensibilidade pelas aves. Portanto, uma mesma IL poderia ser obtida com um menor número delâmpadas fluorescentes de menor potência (redução no gasto energético).A distribuição de lâmpadas deve ser uniforme, sendo recomendado uma distância aproximadamente igualao pé direito (altura) da primeira ou última linha (fileira) para tela ou lateral do galpão. A distância entrefileiras deve ser menor ou igual ao dobro do pé direito, enquanto que a distância entre lâmpadasdependerá do tipo e da potência das lâmpadas a serem instaladas.EXEMPLO: Galpão 1.200 m 2 (12 x 100 metros), com pé direito apresentando 3 metros, deseja-se instalar lâmpadas para que o galpão fique com iluminação adequada para criação de frangos de corte.  Necessidade de lumens para o galpão: 1.200 x 20 = 24.000 lúmensSITUAÇÃO 1 : Opção por lâmpadas incandescentes de 60 watts (810 lúmens).1 lâmpada - 810 lúmens24.000 ÷ 810 = 29,63 = 30 lâmpadasDistribuição: Duas (2) fileiras de lâmpadas, distantes 3 metros da tela e seis (6) metros entre si. Como sãoduas fileiras, instalar-se-á 15 lâmpadas por fileira. A distância entre as lâmpadas na fileira será 6,67metros (100 ÷ 15). SITUAÇÃO 2 : Opção por lâmpadas fluorescentes de 40 watts (2000-2500 lúmens).1 lâmpada - 2000 lúmens24.000 ÷ 2000 = 12 lâmpadasDistribuição: Duas (2) fileiras de lâmpadas, distantes 3 metros da tela e seis (6) metros entre si. Como sãoduas fileiras, instalar-se-á 6 lâmpadas por fileira. A distância entre as lâmpadas na fileira será 16,67metros (100 ÷ 6).O conhecimento técnico de diferentes linhas de frangos comerciais, pelos gestores da granja avícola é desuma importância, pois o fundamento básico na eficiência do programa de luz está relacionadodiretamente à redução na taxa de crescimento das aves, em fase que o mesmo ocorre de forma maisacelerada. Neste sentido há que se acompanhar o peso corporal do lote (de acordo com padrões da linhacomercial associados aos resultados gerados ao longo do tempo na granja), ao se aplicar o programa deluz, para que não ocorra restrição prolongada no fotoperíodo ao longo do ciclo de criação das aves.Marcelo de Souza Lima  Médico VeterinárioBrasil - Goias07/07/2009Prezado Jerônimo,artigo muito esclarecedor, inclusive, estive pesquizando no site do Cobb, que prega uma adoção de programade luminosidade.Estou acompanhando alguns lotes na minha região, onde o programa de luz está sendo adotado, mas, algunsgranjeiros não aderiram ao programa, dizendo que eles estão perdendo peso, em relação a tabela da linhagem.O programa utilizado foi o descrito por você, com 1 hora de escuro após 7 dias de luz no período inicial, sendoque após 21 dias, o programa poderá ser acrescido de até 4 horas, conforme o ganho de peso do lote.Tenho algumas dúvidas à respeito desse tipo de programa, gostaria de expor para se puderes me esclarecer.1- Tenho observado que após os 28 dias as aves não têm conseguido ganhar o peso que garanta os 100% databela. O que poderia estar atrapalhando o desempenho a partir dessa data no seu entendimento?2- Como estamos aqui em Goiàs no período de frio, as baixas temperaturas impedem que os lotes a partir de 14dias de aquecimento sofrem um pouco não atingindo os pesos da tabela da linhagem, chegam a baixar a 90%da tabela padrão.3- Qual a sua sugestão de baixa de peso, ou seja, qual a quantidade de luz e qual o percentual de baixa depeso que não afetaria o resultado final(90, 95% da tabela padrão).Espero que possa sanar as minhas curiosidades.Abraços. Jerônimo Brito  ZootecnistaBrasil - Sao Paulo08/07/2009Olá Caro Marcelo, agradeço seus comentários e indagações que são, sem dúvida, muito pertinentes.Em relação ao peso, penso que uma observação importante seria avaliar comparativamente além do Manual dalinhagem, o histórico na empresa avícola. Em função de condições sanitárias, de manejo, qualidade depintainhos e nutricionais (entre outras) o desempenho histórico poderia ser inferior, semelhante ou até mesmosuperior aos padrões rotulados para a linhagem.Acredito que 95% do peso padrão, por segurança seja a margem mais adequada. A diferença em 10% ébastante significativa e o ganho compensatório neste sentido pode ser comprometido, inclusive em função deoutros fatores (sanitários, climatológicos, nutricionais e de manejo), que por ventura poderiam limitar a  produtividade.Em relação à limitação do desempenho aos 28 dias, creio que podem haver além da questão da iluminaçãoartificial, outras fontes de variação. Uma maneira de ter ciência sobre o programa de luz, seria obviamenteaumentar gradativamente o número de horas e verificar a resposta em termos de desempenho. Porém sugiroter total segurança em relação principalmente às informações nutricionais, manejo e qualidade das aves(srcem). Creio ser esta uma informação difícil de se concluir algo, por que necessita realmente de umdiagnóstico analítico.Espero ter contribuído de alguma forma.AtenciosamenteReportar má conduta
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks