Documents

Avaliação do desempenho de dois tubos condutores na distribuição longitudinal de soja

Description
Este trabalho tem por objetivo avaliar a interferência causada na distribuição de sementes por um dosador de discos horizontais, pela variação da população de plantas e conseqüentemente da velocidade periférica do disco dosador de sementes e pelos diferentes tubos condutores conforme a sua geometria, avaliando a interferência na distribuição longitudinal de sementes de soja. As avaliações foram realizadas através da observação de espaçamentos aceitáveis, múltiplos e falhos observados com ensaios em laboratório.
Categories
Published
of 5
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Avaliação do desempenho de dois tubos condutores de sementes na distribuição longitudinal de soja . AUTORES:   Dauto Pivetta Carpes¹ , Tiago Rodrigo Francetto², Mateus Potrich Bellé³, André Augusto Veit 4 , Lucas Barros de Souza 4 , Rafael Becker Sobroza 4   Orientador:  Airton dos Santos Alonço 5   1 Engenheiro Agrônomo, Mestrando PPGEA/UFSM, Santa Maria - RS 2 Engenheiro Agrícola, Mestrando PPGEA/UFSM, Santa Maria - RS ³ Engenheiro Agrônomo, Doutorando PPGEA/UFSM, Santa Maria - RS 4 Acadêmico de agronomia  –   UFSM, Santa Maria - RS 5 Engenheiro Agrícola, Prof.Adjunto PPGEA/UFSM, Santa Maria - RS INTRODUÇÃO A competitividade existente no setor agrícola, cada vez mais exige a diversificação dos sistemas de produção. Segundo Sattler et al. (1998) isto faz com que o produtor venha a requerer equipamentos com preços acessíveis e com mecanismos cada vez melhores e mais precisos. Diferentemente de outras operações agrícolas, a semeadura de uma cultura é realizada uma única vez durante o seu ciclo, deste modo poderá influenciar no potencial  produtivo da lavoura, o que acentua, sobremaneira, a importância desta operação. Para que a cultura implantada apresente as melhores condições de desenvolvimento e  produção é importante a cuidadosa atenção ao ato de semear e adubar, os quais deverão ser realizados eficientemente seguindo recomendações agronômicas, principalmente no que se refere à quantidade e localização de adubo e sementes. Um fator que pode exercer influência na precisão desta operação é a utilização de tubos condutores muito longos, que poderá possibilitar a ocorrência de alterações na trajetória das sementes, devido ao retardamento das mesmas ocasionado pelo repique com as paredes internas dos condutores. Copetti (2003) constatou que o aumento da velocidade também provoca variação na trajetória das sementes, desde sua liberação do dosador até o solo, causado pelo “repique” dentro do condutor, atrasando ou antecipando a queda da semente. O excesso de velocidade também pode provocar o rolamento das sementes dentro do sulco. Estes fatores podem ser avaliados a campo através da observação da germinação das plantas e dos espaçamentos e/ou também em laboratório através da  utilização de esteiras que simulam o deslocamento do conjunto trator semeadora e a deposição de sementes na linha de semeadura. Endres & Teixeira (1997) comentam que, para melhorar a eficiência da operação de semeadura, a distribuição espacial das plantas é um fator de grande importância. Os autores dizem ainda que, espaços não preenchidos com sementes podem causar menores  perdas de produtividade do que espaços preenchidos com mais de uma semente, devido à competição entre plantas. Deste modo, a realização deste trabalho, justifica-se por avaliar a interferência causada na distribuição de sementes por um dosador de discos horizontais, pela variação da velocidade periférica do disco dosador e pelos tubos condutores conforme o modelo e a sua interferência na distribuição longitudinal de sementes de soja. OBJETIVO Este trabalho tem por objetivo avaliar a interferência causada na distribuição de sementes por um dosador de discos horizontais, pela variação da população de plantas e conseqüentemente da velocidade periférica do disco dosador de sementes e pelos diferentes tubos condutores conforme a sua geometria, avaliando a interferência na distribuição longitudinal de sementes de soja. As avaliações foram realizadas através da observação de espaçamentos aceitáveis, múltiplos e falhos observados com ensaios em laboratório.  METODOLOGIA O trabalho foi conduzido no Laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento de Máquinas Agrícolas (LASERG), situado na Universidade Federal de Santa Maria (RS). Foi utilizada uma bancada de ensaio de mecanismos dosadores de sementes de semeadoras de precisão, o controle e o comando da rotação do disco dosador de sementes é realizado com o uso de um inversor de freqüência CFW   - 08, entrada monofásica 200 a 240 V, e um motor elétrico trifásico de indução assíncrono que possui  potência de 0,74 kW (1 CV). Para contagem de espaçamentos foi utilizada uma esteira de borracha com 17,5 m de comprimento e 0,15 m de largura, que simula a velocidade de deslocamento de semeadora. Esta esteira é revestida com feltro de forração agulhado vertical, com 0,003 m de espessura, de fibra de poliéster onde são depositadas as sementes. Para os testes foram usadas sementes de soja da cultivar 6411 Nidera. Os tratamentos foram formados de um fatorial 2x4, sendo 4 velocidades periféricas do  disco dosador (16,58 m s - ¹; 14,50 m s - ¹; 12,43 m s - ¹ 10,36 m s-¹) e 2 tubos condutores de sementes. As velocidades resultaram em densidades de (250, 300, 350, 400 mil sementes ha -1 ), a velocidade de deslocamento foi mantida em 1,67m s -1  dentro dos limites descritos por DELAFOSSE (1986). O delineamento experimental utilizado foi o Delineamento Inteiramente Casualizado com 4 repetições, para visualização do efeito do aumento da população de  plantas e da velocidade periférica do disco dosador na distribuição de sementes foi aplicado o teste de regressão polinomial nos dados coletados. A regularidade de distribuição de sementes foi determinada conforme Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT, 1994), sendo avaliada por meio dos espaçamentos aceitáveis, duplos e falhos. Assim sendo, serão considerados como espaçamentos aceitáveis aqueles entre 0,5 e 1,5 vezes o espaçamento médio de referência (XREF); duplos, os espaçamentos menores que 0,5 vezes o XREF e falhos  para espaçamentos maiores que 1,5 vezes o XREF. RESULTADOS E DISCUSSÃO Conforme pode ser visualizado na Figura 1, o percentual de espaçamentos aceitáveis sofreu redução ao aumentar-se a população de plantas e consequentemente a velocidade periférica do disco dosador. Após a liberação do mecanismo dosador as sementes entram em contato com as paredes internas do condutor ocasionando o ricocheteamento e desordenando o tempo de queda entre as sementes dosadas, isto faz com que os percentuais de espaçamentos falhos e múltiplos sejam elevados concordando com os resultados encontrados por (BAINER 1963). y = 2,694x 2 -16,05x + 83,00R² = 0,849y = 0,547x 2 + 0,731x + 17,97R² = 0,941y = -2,188x 2 + 10,50x + 2,185R² = 0,5500,0010,0020,0030,0040,0050,0060,0070,0080,00250.000300.000350.000400.000      %    E  s  p  a  ç  a  m  e  n   t  o  s População ( Plantas ha -1 ) AceitáveisMultiplosFalhos  Figura 1 . Percentagem de espaçamentos aceitáveis, múltiplos e falhos obtidos com a utilização do tubo condutor 1.   Para o tubo condutor 2, houve uma redução acentuada dos espaçamentos aceitáveis, ocasionando um elevado percentual de espaçamentos múltiplos, como pode ser visualizado na Figura 2. Este fato pode estar aliado ao formato cilíndrico do condutor T2 juntamente com a esfericidade das sementes de soja ocasionando um movimento desordenado em espiral que pode ser agravado pelo aumento de velocidade  periférica do disco dosador estando de acordo com as conclusões de (FUTRAL & ALLEN 1951). Outro possível fator que contribuiu para o aumento de espaçamentos múltiplos pode ser atribuído ao ângulo de entrada das sementes, no caso do condutor 2 é de 14,15º, maior que o ideal proposto por Beere & Company (1986) que é de 6º. Para o condutor 1, o ângulo de entrada das sementes é de 6,93º próximo ao recomendado pelos autores, este fato pode ter contribuído para que o condutor 1 apresentasse um maior  percentual de espaçamentos aceitáveis comparado ao condutor 2. Figura 2 . Percentagem de espaçamentos aceitáveis, múltiplos e falhos obtidos com a utilização do tubo condutor 2. CONCLUSÃO O aumento da população de plantas e consequentemente da velocidade periférica do disco dosador ocasionou a redução da percentagem de espaçamentos aceitáveis. O tubo condutor 2 ocasionou uma maior ocorrência de espaçamentos múltiplos e falhos, esta y = 0,976x 2 -8,463x + 62,31R² = 0,903y = -1,054x 2 + 7,350x + 21,68R² = 0,773y = 0,078x 2 + 1,110x + 16,01R² = 0,9990,0010,0020,0030,0040,0050,0060,00250.000300.000350.000400.000 População ( Plantas ha -1 ) AceitáveisMultiplosFalhos    %    E  s  p  a  ç  a  m  e  n   t  o  s

Melina Furman Ok

Aug 19, 2017
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks