Documents

CO-conto-a-noiva-do-corvo-teofilo-braga-2.doc

Description
N o v e m b r o 2 0 1 6 FICHA DE COMPREENSÃO ORAL PORTUGUÊS – 7º ANO _________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Ouve com atenção o conto “A noiva do corvo”, de Teófilo Braga, e assinala para cada item a única opção correta. 1. Havia, numa terra, um corvo que queria casar. À primeira rapariga que recusou o seu pedido, o corvo a.
Categories
Published
of 3
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
    Novembro 2016 FICHA DE COMPREENSÃO ORALPORTUGUÊS – ! ANO Ouve com atenção o conto #A $o%v& 'o (orvo) , de Teóflo Braga,   e   assinala para cada itema única opção correta. 1*  Havia, numa terra, um corvo que queria casar. À primeira rapariga que recusou o seu pedido, o corvoa.  prometeu vingar-se. c.  arrancou-le os olos. !.  arrancou-le um pedaço do !raço. d.  !icou-le as orelas at sangrarem. 2*  #om medo, uma rapariga aceitou casar-se com o corvo. $ vi%ina aconselou-a aa.  camuscar-le as penas. c.  deitar-le veneno na comida.!.  arrancar-le algumas penas quando adormecesse.d.  contratar um !andido para o matar.   +*  $ vi%ina acava que, assim,a.   o corvo não magoaria mais a esposa. c.  dessa maneira fcaria com a magia do corvo.!.  le que!raria o &eitiço. d.  o corvo morreria. ,*  $o &a%er o que a vi%ina le aconselou, a raparigaa.  fcou sem os olos. c.  en&raqueceu o corvo. !.  rece!eu a magia do marido. d.  do!rou o encantamento do corvo. - . O corvo pediu ' muler que camasse os p(ssaros paraa.  le darem as suas penas. c.  adorarem o seu rei. !.  corarem no seu &uneral.d.  o levarem at ao para)so. 6*  *ogo de seguida, o corvoa.  morreu. c.  !ateu as asas e desapareceu. !.  fcou trans&ormado em pó. d.  &oi levado pelo demónio. *  $ntes de desaparecer, o corvo disse ' muler que, para o tornar a ver, teria dea.  dançar durante sete semanas. c.  &a%er um pacto com o dia!o. !.  romper uns sapatos de &erro.d.  mandar re%ar uma missa pela sua alma. .*  $o perguntar a um velo se tina visto um p(ssaro, aquele disse-le quea.  não tina visto nenum. c.  naquela %ona não avia p(ssaros. !.  só tina visto rolas e pom!as. d.  vira muitos na &onte +adrep rola. /* m corvo que encontrou disse-le para entrar numa casa ao p de uma &onte e paraa.  matar o velo que a guardava e que!rar as gaiolas que ele tina. c.  esperar a) o rei  dos p(ssaros. !.  procurar a) o seu marido. d.  !ater ' porta. 10*  $o &a%er o que o corvo mandou, a rapariga desco!riu que o seu marido eraa.  um &eiticeiro. c.  o rei. !.  um !elo rapa%. d.  um duende encantado. Número de respostas corretas: _______  TeoA No%v& 'o Corvo Havia numa terra uma muler, que tina em sua compania um corvo.e&ronte dela moravam trs raparigas muito lindas. #omo o corvo queriacasar, mandou &alar ' mais vela/ respondeu-le que não, e o corvo,raivoso, arrancou-le os olos. 0ucedeu o mesmo com a segunda, at que aterceira sempre se su1eitou a casar com o corvo. Tempos depois de 1( viverem na sua casa, a rapariga &alou a umavi%ina no seu desgosto de estar casada com um corvo/ a vi%inaaconselou-le que le camuscasse as penas, porque podia ser o!ra deencantamento, e assim se que!raria. 2uando ' noite se &oram os doisdeitar, a rapariga cegou a candeia 's penas do corvo/ ele acordou logo,dando um grande !erro3- $i, que me do!raste o encantamento4 0e me queres salvar, vai p5r-te'quela 1anela, e todos os p(ssaros que vires, cama-os e pede-les assim367enam, passarinos, venam despir-se para vestir el-rei que est( nu.8 e&acto os passarinos começaram a vir poisar na 1anela, e cada um dei9avacair uma pena com que o corvo se &oi co!rindo. epois que fcou outra ve%emplumado, o corvo !ateu as asas e desapareceu, di%endo para a muler36$gora se me quiseres tornar a ver sapatos de &erro (s de romper.8$ po!re rapariga fcou so%ina toda aquela noite, e logo queamaneceu &oi comprar uns sapatos de &erro e meteu-se a correr o mundo. Tina os sapatos quase estragados de andar, quando encontrou um velo ele perguntou se não tina visto um p(ssaro. O velo respondeu3- :u veno da &onte da +adrep rola, onde estavam !astantes.:la continuou o seu camino, e antes de cegar ' &onte ali encontrouum corvo que le disse3- Ola, se quiseres salvar o rei, vai ' &onte, onde estar( uma lavadeiraa lavar um vestido de penas, tira-lo e lava-o tu. $o p da &onte est( umacasa, e um velo que a guarda/ entra a), mata o velo para poderesque!rar todas as gaiolas e dar a li!erdade aos p(ssaros que ele tem l(presos.$ rapariga cegou ' &onte, e &e% como o corvo le tina dito3 lavou ovestido de penas, e depois entrou na casa onde estava o velo, fngiu quevia vir pelo mar uma linda em!arcação/ o velo cegou-se ' 1anela e arapariga pegou-le pelas pernas e deitou-o ao mar. epois que!rou todasas gaiolas e os p(ssaros em li!erdade tornaram-se pr)ncipes que estavamencantados, e entre eles estava o seu marido, que era o rei e les p5so!rigação de a servirem toda a vida.  Proo3& 'e (orre45o ;.c/ <.a/ =.!/ >.d/ ?.a/ @.c/ A.!/ .d/ C.a/ ;D.c. in, ttp3EEte9tosintegrais.!logspot.ptE FGro&. *ucinda #una
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks