Homework

CONCEPÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA SOBRE A UTILIZAÇÃO DO TEATRO NO ENSINO DE INVERTEBRADOS EDÁFICOS EM CAXIAS, MA

Description
CONCEPÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA SOBRE A UTILIZAÇÃO DO TEATRO NO ENSINO DE INVERTEBRADOS EDÁFICOS EM CAXIAS, MA Régia Maria Reis Gualter 1 - IFMA Resumo Eixo Didática Agência Financiadora:
Categories
Published
of 11
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
CONCEPÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA SOBRE A UTILIZAÇÃO DO TEATRO NO ENSINO DE INVERTEBRADOS EDÁFICOS EM CAXIAS, MA Régia Maria Reis Gualter 1 - IFMA Resumo Eixo Didática Agência Financiadora: FAPEMA, SECTI e Governo do Maranhão Diversificar a prática pedagógica utilizando recursos lúdicos, como o teatro, podem maximizar o entendimento de assuntos ditos complexos tais como o ensino de invertebrados edáficos. Esses organismos apresentam alta diversidade biológica e são grande importância ambiental, visto serem responsáveis por diversas funções ecológicas como decomposição da matéria orgânica, reciclagem de nutrientes e agregação. Apesar da relevância desse tema, são escassos os estudos sobre a utilização do teatro no ensino da fauna do solo. Desse modo, esse trabalho objetivou avaliar a percepção de professores de Ciências e Biologia da rede pública sobre a utilização do teatro no ensino de invertebrados do solo em Caxias, MA e investigar os métodos utilizados por esses docentes para ministrar tal temática. Foram elaborados e aplicados questionários individuais a 3 professores de escolas públicas de ensino básico de Caxias-MA. Os resultados observados demonstraram que apenas um dos professores é formado na área específica desse estudo. Ainda, verificou-se que o ensino de solos não é relacionado aos assuntos da disciplina de Ciências e Biologia e que o estudo dos invertebrados edáficos é relevante, pois esses apresentam importância ecológica. Quanto às metodologias utilizadas por eles notou-se que são usados diferentes instrumentos didáticos como aulas dialogadas e expositivas, fichas, resumo e mapa conceitual, vídeos e música para ministrarem suas aulas. Todos os professores enunciaram sobre a importância do teatro no processo de ensino e aprendizagem. Assim conclui-se que a percepção dos professores sobre a utilização do teatro é que esse pode facilitar a aprendizagem, dinamizando e motivando os alunos. E também que as aulas expositivas e dialogadas são os métodos mais ressaltados pelos docentes em suas aulas. Palavras-chave: Lúdico. Ensino de ciências. Pesquisa qualitativa. Introdução O teatro como método lúdico, é uma ferramenta de comunicação instigante, onde muitos docentes utilizam para questionar diferentes temas de modo imaginativo e divertido. 1 Doutoranda em Investigação Agrária e Florestal pela Universidade da Coruña. Mestra em Ciências pela UFRRJ. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), Campus Caxias, MA. ISSN 22622 Esse recurso transforma a sala de aula em palco, procurando motivar e inspirar os alunos às indagações, implicações e considerações sobre o universo científico seja no contexto humano, a partir de aspectos sócio-políticos ou econômicos (SILVA et al., 2013), ou sobre conteúdos curriculares presentes nas disciplinas escolares, como por exemplo o papel de uma espécie e sua relação com o ambiente. Desse modo, o papel do educador é gerar condições para a obtenção do conhecimento e não servir de detentor das ideias (FREIRE, 2002), uma vez que cada indivíduo carrega consigo vivências e entendimentos sobre diversificados assuntos. Sendo assim, a partir de práticas diferenciadas o professor poderá propiciar a formação ou criação do conhecimento. Entre os assuntos estudados nos currículos de Ciências e Biologia, destaca-se os invertebrados que apresentam numerosas espécies, sendo 99% dos animais existentes. Seu ensino em virtude do grande número de informações a serem memorizadas e às vezes pelo demérito de parte dos professores, desenvolve certa rejeição aos alunos (CANDIDO e FERREIRA, 2012). Dentre os invertebrados, cita-se o Filo Arthropoda, que é visto como superior aos demais grupos e correspondendo a aproximadamente 1 milhão de espécies, onde suas particularidades básicas são os apêndices articulados e o exoesqueleto quitinoso (CANDIDO et al., 2012) e ainda o Filo Annelida, que tem como um de seus representantes as minhocas, animais encontrados em solos úmidos que apresentam corpo alongado, cilíndrico, recoberto por anéis e cerdas pelo corpo que auxiliam na locomoção. A fauna edáfica, é um exemplo desses invertebrados que apresenta um papel vital na natureza já que é responsável por tarefas como decomposição, reciclagem de nutrientes e regulação dos processos biológicos do solo. Esses organismos podem viver parcialmente ou totalmente no solo, onde em virtude de sua elevada biodiversidade e rápida aptidão reprodutiva, pode ser utilizado como um indicador de qualidade ambiental (BERUDE, et al., 2015). Assim, percebe-se que o conhecimento sobre esses organismos e atuação desses nos solos são de suma relevância. Oliveira (2014), destaca que a educação sobre os solos, visa orientar o valor desse importante recurso para a existência humana, possibilitando compreendê-lo como elemento primordial do ambiente e da vida. Assim, Cunha et al. (2013) ressalta que para atingir esse patamar de ensino são necessários estudos que englobem as comunidades das universidades, bem como das escolas pública e privada, além de profissionais do campo que trabalham de modo direto ou indireto com a terra. Neste sentido, o presente estudo objetivou avaliar a percepção de professores de Ciências e Biologia da rede pública sobre a utilização do teatro no ensino de invertebrados do 22623 solo em Caxias, MA e investigar os métodos utilizados por esses docentes para ministrar tal temática. Referencial teórico O ensino de Ciências, muitas vezes trabalhado excessivamente por aulas expositivas e de modo fragmentado, precisa de reformulação nos métodos e estratégias de ensino tradicionais, pois: ensinar Ciências não se restringe a transmitir informações ou apresentar apenas um caminho, mas é ajudar o aluno a tomar consciência de si mesmo, dos outros e da sociedade. É oferecer várias ferramentas para que ele possa escolher entre muitos caminhos, aquele que for compatível com seus valores, sua concepção de mundo e com as adversidades que irá encontrar ao longo de sua vida (KNECHTEL e BRANCALHÃO, 2009). O ensino de Biologia caracterizado pelo grande número de conteúdos e muitos deles de difícil compreensão, gera aos alunos desinteresse pela disciplina. Ainda, aliada a essa desmotivação estão associadas muitas vezes métodos de ensino tradicionais aplicados pelos professores, como as aulas expositivas, onde os discentes atuam passivamente e já os docentes participam de modo ativo durante as aulas. Assim despertar o interesse e a curiosidade dos alunos durante as aulas pode representar um constante desafio aos professores (COSTA, et al., 2014) Nesse sentido, devido a mudanças necessárias e visando a contribuição de maneira significativa ao processo de ensino-aprendizagem, uma nova concepção educacional vem sendo adotada nas salas de aula, a agregação do lúdico ao ensino das ciências, onde são observados o uso de jogos pedagógicos, de estórias, de desenhos e filmes e encenações teatrais, além de outros instrumentos e técnicas (LEITE et al., 2014). O teatro é uma arte cênica capaz de integrar o imaginário, a sensibilidade e a linguagem: o teatro é extremamente motivador para crianças e adolescentes; os afeta no aspecto emocional, cognitivo, motor e social. Exige também mobilização da atenção, da percepção e da memória, compreensão textual, capacidade de jogar com as palavras; trabalha a expressividade e a imaginação (OLIVEIRA e STOLTZ, 2010). 22624 Metodologia Foram aplicados questionários individuais a 3 professores de escolas públicas da zona urbana de Caxias-MA, sendo uma de Ensino Fundamental (EF), a Escola Municipal Engenheiro Jadihel Carvalho, localizada na Rodovia MA 349, S/N, Teso Duro. E outra de Ensino Médio (EM), o Centro de Ensino Santos Dumont, localizado na Avenida Santos Dumont, S/N, Seriema. Antes do desenvolvimento das entrevistas foi esclarecido o caráter do trabalho, bem como sua facultativa participação. Também foram entregues termos de consentimentos livres e esclarecidos (TCLE). Os professores entrevistados lecionam no 3 ano do Ensino Fundamental na disciplina de Ciências e no 2 ano do Ensino Médio na disciplina de Biologia. Esses questionários foram elaborados conforme Chaer et al. (2011) e apresentavam 7 perguntas de natureza objetiva e subjetiva, onde tratavam de: formação acadêmica, atuação na área de Ciências, recursos didáticos utilizados, dificuldades na aplicação de técnicas alternativas no ensino de ciências e conteúdos sobre os invertebrados do solo, emprego do teatro como método de aprendizagem, e sugestões sobre outros meios de ensino. Para a análise dos resultados, as respostas dos questionários foram organizadas separadamente em forma de gráficos contendo os percentuais de respostas, sendo utilizado o programa Microsoft Excel (2013). Algumas respostas também foram transcritas. Resultados e Discussões Foram avaliados dois questionários respondidos completamente e um parcialmente, onde um deles foi de um professor que apesar de não atuar na área, se propôs a ser entrevistado. Na 1º questão notou-se que apenas 10% do professorado tem formação na área de Biologia (Figura 1). E assim, percebe-se a carência de profissionais na atuação de disciplinas específicas e o déficit que isso pode desencadear no ensino curricular. Conforme Freitas e Santos (2013), docentes bem qualificados, detentores do conhecimento do assunto e que utilizem métodos pertinentes ao ensinarem esse assunto mediante as particularidades do grau de ensino, são fundamentais para a obtenção do ensino de excelência, visto que a formação inadequada poderá comprometer o processo de ensino e aprendizagem. Figura 1 - Formação acadêmica de docentes de duas escolas públicas participantes da pesquisa. Caxias-MA, 2016. 22625 Sobre a 2º questão, dos entrevistados que ministram disciplina na área de Ciências, apenas um deles é formado no campo enfocado deste estudo (Figura 2). Assim, além da habilitação para ministrar a disciplina, questões sobre a qualidade do ensino desses profissionais são necessárias serem investigadas, já que especialmente nas séries inicias do ensino fundamental, muitas vezes os docentes privilegiam as matérias de português e matemática, conforme relatado por um dos professores: A disciplina de ciências não é aprofundada, sendo priorizadas as disciplinas de português e matemática. Figura 2 - Docentes da rede pública de ensino básico que lecionam a disciplina de Ciências e/ou Biologia. Caxias-MA, Quanto à 3º questão foi observado que 33% não apresenta obstáculos no desenvolvimento dos conteúdos presentes na área de Ciências (Figura 3), sendo apresentada por um dos entrevistados a seguinte resposta como explicação: Não apresento dificuldades, pois mediante os conteúdos do livro didático consigo desenvolvê-los. Entretanto 33% respondeu que mostra ter dificuldade no ensino de Embriologia, sendo respondida da seguinte forma quando questionada sobre o método utilizado para solucionar tal problemática: Uso de 22626 desenho e pintura. A partir desse resultado, percebe-se que o docente ao utilizar a imagem, um exemplo de linguagem não verbal, procurou superar o entrave apresentado pelos alunos e assim criando condições para facilitar a aprendizagem: ao desenhar o indivíduo pode registrar o que é observado ou representar o objeto imprimindo particularidades inerentes ao seu eu com a intenção de modificá-lo. Já quando esse indivíduo se torna observador do desenho, na tentativa de interpretá-lo traça comparações entre as imagens presentes em si e aquelas que observa na busca de sintonizar com a forma, o traçado, a cor, o gesto e a subjetividade da execução visando captar a intenção original do autor do desenho (COSTA, 2004, p.1). Baptista (2009) destaca que os saberes são análises das realidades que são manifestadas por meio da linguagem, sendo que esta pode ser caracterizada de modo verbal, formada por mensagens faladas ou escritas, não-verbal, constituída pelos outros símbolos que não são vocábulos, e a linguagem verbo-visual, que agrega o verbal e o não-verbal). Figura 3 - Dificuldade na abordagem de conteúdos curriculares pelos docentes da rede pública de ensino básico. Caxias-MA, Sobre a 4º questão observa-se na avaliação das respostas que o solo não é tratado como um conteúdo relevante no ensino da disciplina, onde cerca de 67% dos entrevistados respondeu que não aplica essa temática nas aulas (Figura 4). E apesar de constituir-se um tema transversal presente nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), sendo abordado em diferentes aspectos curriculares de disciplinas como Ciências e Geografia, o solo quase sempre apresenta conceitos equivocados e obsoletos, sendo estudado apenas em termos econômicos, não relacionando aspectos como origem, formação, classificação, aptidão, capacidade, questões adversas e conservação (OLIVEIRA, 2014). 22627 Figura 4 - Abordagem sobre o ensino de solos entre os conteúdos programáticos de docentes da rede pública de ensino básico. Caxias-MA, Na 5º questão foi verificado que 67% dos entrevistados (Figura 5) julgam importante estudar os invertebrados terrestres, sendo apresentada as seguintes respostas como justificativa: Despertar o conhecimento do aluno. Todos eles têm uma importância ecológica. Esses resultados corroboram com a afirmação de Candido e Ferreira (2012) ao relatarem que o estudo dos invertebrados é de suma relevância, sendo importante a sua inserção no currículo escolar. De acordo com os autores alguns dos referidos animais podem provocar doenças e dessa forma o entendimento e conhecimento de aspectos morfológicos e fisiológicos desses seres, podem ser aplicados e utilizados em benefício da sociedade. Figura 5 - Importância do estudo de invertebrados terrestres para docentes da rede pública de ensino básico. Caxias-MA, 2016. 22628 Quanto à 6º questão os sujeitos ao serem perguntados sobre o método utilizado para ministrar as aulas, responderam da seguinte maneira: Aulas expositivas e dialogadas. Aulas dialogadas, com utilização de recursos de áudio, vídeos e músicas para maior entendimento. Fichas, resumo, mapa conceitual, pesquisa, desenho e pintura. Verifica-se que os professores, utilizam diferentes modalidades e recursos didáticos, demonstrando a necessidade em diversificar as metodologias ao lecionar e conforme corroborado pela literatura (ZUANON et al., 2010; BASTOS et al., 2014; SILVA e MESQUITA NETO, 2014). Bastos et al. (2014) reporta que é relevante a utilização de meios educativos e também instigantes para o crescimento de capacidades que ajudem os discentes no processo cognitivo. Ainda, observa-se que dois docentes responderam utilizar as aulas expositivas e dialogadas, um dos métodos tradicionais de ensino mais empregado e de acordo com Bastos et al. (2014) sendo o único quase sempre disponibilizado. Já na 7º questão os docentes quando perguntados se consideravam adequada a utilização do teatro no ensino e aprendizagem de Ciências e nos conteúdos de invertebrados do solo, responderam o seguinte: Sim, é de grande relevância porque o trabalho lúdico possibilita um maior interesse e participação nas atividades. A arte cênica é válida para qualquer disciplina, além de motivar os alunos ajuda-os a se expressarem melhor. Sim, dinamiza o processo de aprendizagem. Observa-se que há um consenso por parte dos professores entrevistados sobre a importância do teatro no processo de ensino e aprendizagem, sendo assim torna-se imprescindível a sua inserção no contexto escolar: a importância do papel do teatro na educação pode ser constatada de forma concreta em diversos momentos, diferentes organizações sociais e pode ser estudada e comprovada em análises e reflexões que abordam a questão da sua necessidade histórica (OCHÔA e SCHELBAUER, 2013, p.7). Conclusões A percepção dos professores sobre a utilização do teatro é que esse pode facilitar a aprendizagem, dinamizando e motivando os alunos. 22629 suas aulas. As aulas expositivas e dialogadas são os métodos mais ressaltados pelos docentes em REFERÊNCIAS BAPTISTA, G.C.S. Os desenhos como instrumento para investigação dos conhecimentos prévios no ensino de ciências: um estudo de caso. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 7.; 2009, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFMG, p Disponível em: http://posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/395.pdf . Acesso em: 20 out BASTOS, V.C.; SILVA, J.C.da; MIRANDA, A.V.de.; CHEFER, C.; GAZOLLA, C.B.; MELO, R.G.; PEREITA, T.T.; GIANOTTO, D.E.P.; MACHADO, M.H. Recursos didáticos para o ensino de biologia: o que pensam as/os docentes. Revista de Ensino de Biologia, Niterói, n.7, p , Disponível em: Acesso em: 07 out BERUDE, M. C.; GALOTE, J. K. B.; PINTO, P. H.; AMARAL A. A. A mesofauna do solo e sua importância como bioindicadora. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 11, n. 22, p , Disponível em: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2015e/a%20mesofauna.pdf . Acesso em: 18 abr CANDIDO, C.; PRAMPERO, A.C.; SOARES, C.A.P.; GOMES, T.H.P. Recursos no ensino e aprendizagem: elaboração de um material didático sobre o tema artrópodes destinados a alunos do ensino fundamental e médio. Cadernos da Pedagogia, São Carlos, v.5, n.10, p.83-91, Disponível em: Acesso em: 10 out CANDIDO, C; FERREIRA, J.F. Desenvolvimento de material didático na forma de um jogo para trabalhar com zoologia dos invertebrados em sala de aula. Cadernos da Pedagogia, São Carlos, v. 6 n. 11, p , Disponível em: Acesso em: 10 out CHAER, G.; DINIZ, R.R.P.; RIBEIRO, E.A. A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência, Araxá, v. 7, n. 7, p , Disponível em: http://www.uniaraxa.edu.br/ojs/index.php/evidencia/article/view/201 Acesso em: 10 out COSTA, E. C. P.; BARROS, M. D. M. Luz, câmera, ação: o uso de filmes como estratégia para o ensino de Ciências e Biologia. Revista Práxis, n. 11, p , Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/10623/2/elaine_costaemarcelo_ioc_2014.pdf . Acesso em: 19 ago.2016. 22630 COSTA, I.de.F. O desenho e a ciências naturais. In: ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA, 2.; 2004, Feira de Santana. Anais... Feira de Santana: UESB, p.1-4. Disponível em: http://www.uesb.br/anpuhba/artigos/anpuh_ii/ivoneide_franca_costa.pdf acesso em: 05 out CUNHA, J.E.da.; ROCHA, A.S.da.; TIZ, G.J.; MARTINS, V.M. Práticas pedagógicas para ensino sobre solos: aplicação à preservação ambiental. Terrae Didatica, v. 9, n.2, p.74-81, Disponível em: https://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v9_2/pdf92/td%2072- Cunha.pdf Acesso em: 20 set FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 22ª ed., São Paulo: Paz e Terra, FREITAS, L.M.; SANTOS, A.C.de.A. Perfil, formação e atuação de professores de ciências e biologia em escolas estaduais de Bragança, Pará, Brasil. In: CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS, 9.; 2013, Girona. Anais...Girona: Universidade Autónoma de Barcelona, p Disponível em: www.raco.cat/index.php/ensenanza/article/download/307234/397208 Acesso em: 10 out KNECHTEL, C. M.; BRANCALHÃO, R.C. Estratégias lúdicas no ensino de ciências. In: Secretaria da Educação do Paraná. O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense. 1 ed. Curitiba: SEED, v. 1, p Disponível em http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/ pdf . Acesso em: 08 de out LEITE, G.M.da.; Lima, F.G.C.de; CALDAS, A.de.J. O ensino de ciências por meio de práticas lúdicas no recreio escolar. Revista da Sociedade Brasileira de Ensino de Biologia, n.7, p , OCHOA, P. C. A.; SCHELBAUER, A. R. Teatro na formação de professores das séries iniciais do ensino fundamental. In: Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação, 12.; 2013, Maringá. Anais... Maringá: UEM, 2013.p Disponível em: http://www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2013/trabalhos/co_03/85.pdf acesso: 10 out OLIVEIRA, D.de. O conceito de solo sob o olhar de crianças do ensino fundamental em escolas de São Paulo-SP. Ciência e Natura, Santa Maria, v. 36, p , Disponível em: http://dx.doi.org/ / x13198 . Acesso em
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks