Documents

Mulher e a Privação Do Direito de Ser o Que Quer Ser

Description
Mulher e a Privação Do Direito de Ser o Que Quer Ser
Categories
Published
of 2
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  Mulher e a privação do direito de ser o que quer ser Harley Pacheco de SousaBrasil2012  As mulheres são vitimas de uma permanente e constante opressão ideológicadesde o dia do nascimento. Crescem inseridas num contexto social que assubjuga e que tem seus moldes anteriores formados, mas que parecedisseminador de liberdade com os movimentos feministas.Exemplo claro desta ambivalência são os contos em que o papel da mulher geralmente aparece expresso como sexo frgil, don!ela puritana e comnotórias habilidades culinrias em prol da servi al atividade que precisarãoexercer ou as historias mais modernas com estilos pitorescos que coloca amulher em exacerbada posi ão de destaque diante dos homens.# obvio que as mulheres são os organismos melhores adaptados, pois são os$nicos capa!es de existir numa sociedade que as estigmati!a, rotula etiranicamente oprime, podemos ver isso na história da humanidade e dasexualidade cuja descri ão se encontra nos anais da civili!a ão paracorroborar tal afirma ão.Exemplo claro e obvio são as maneiras como os escritores modernosdesenham o estereotipo feminino sempre delineando diversas frustra %es ouimplicando a mulher uma visão cujos contornos despertam nos homens certasvontades, mas isso apenas passa a mulher & impressão estigmati!ada dedesacredibilidade de 'offman.( estigma imposto explicita claramente uma perspectiva em que ascaracter)sticas das experiências femininas são previamente conhecidas eevidentes rejeitando claramente a possibilidade de unicidade do organismo nosentido de cada vida ser uma vida e que não necessariamente as experiênciassão iguais, embora possam ser parecidas.*ecentemente avaliei uma obra de uma renomada autora moderna +ati-ernad que escreve sobre a +feminilidade podemos perceber que a literatura/ de fcil compreensão e de fluide!, mas tamb/m / um modelo abrupto deliteratura que coloca a mulher numa posi ão claramente solitria, frustrada,desapegada e inserida num contexto mercadológico ideológico ou certas ve!esdesenha a mulher como sexo notadamente mais forte e superior ao homem.0uito me incomoda perceber que a mulher / colocada numa situa ão em quedeve ser uma ou outra coisa em rela ão ao que /, sendo que &s ve!es aparecea contraditória disson1ncia que permite que seja ambas, mas geralmente lhe /  abdicado o direito de ser livre, ou seja, ser realmente o que quer ser seminfluencias significativas que lhes imponha o jeito de ser e como viver. Essacategori!a ão empobrece a mulher no quesito experiência porque al/m deestigmati!2las tamb/m estereotipa as experiências mostrando apenas aquelasmenos agradveis e pior, coloca a mulher em estado perpetuo de vig)lia contraa vida, pois as mesmas sempre esperam que o pior aconte a.3esse tipo de literatura as mulheres são expostas e tal exposi ão se resumeao acumulo de espetculos que serve como objeto de mera contempla ão deexperiências negativas .  A ideologia feminina coloca a mulher como um objeto cujo deliciar se tornaposs)vel por meio de espetculos de sucesso. Atualmente est sendoimplantada uma adapta ão em que a mulher seria capa! de ser o que quiser ser, mas dentro de padr%es pr/2estabelecidos, portanto, só pode ser o que estcategori!ado.4sso não / o cerne da questão, o que de fato importa / que as mulheresnascem, vivem e morrem numa sociedade extremamente preconceituosa queas priva de viver a liberdade, ou seja, viver a possibilidade de um dia ser o quequiser ser sem imposi %es ou influencias. 5er mulher / viver em um contextoque não permite ser o que quer ser no momento em que quiser ser. 6m dado interessante / que h momentos posteriores em que aparece commuita evidencia a reflexão, quando ocorre & reflexão e a mesma se mostracapa! de operar contra todo o despotismo a qual as mulheres são submetidas& própria sociedade atua fortemente como um ca ador atro! capa! at/ deelimin2las impondo2lhes caracter)sticas que as inferiori!am.7ara viver em sociedade / necessrio se submeter a diversos sacrif)cios emprol do próximo, mas apenas as mulheres são capa!es de ceder de tal modoque abnegam em certos casos da sua própria liberdade individual e a maior parte dos homens por não ter autoconhecimento suficiente, não tem+consciência disso.5er mulher / mais importante do que ser mulher, se mulher / ser 0ulher.

9

Aug 1, 2017
Search
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks