Documents

O CONFLITO DE 4ª GERAÇÃO E A EVOLUÇÃO DA GUERRA.pdf

Description
O CONFLITO DE 4ª GERAÇÃO E A EVOLUÇÃO DA GUERRA IRREGULAR GenBda R/1 Alvaro de Souza Pinheiro “Como você bombardeia, será bombardeado; como você mata, será morto!” Ayman al-Zawahiri (TV Al Jazeera, Dez 2006) 1. Introdução O termo “Conflito de 4ª Geração” tornou-se conhecido entre estrategistas e planejadores militares int
Categories
Published
of 14
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  O CONFLITO DE 4ª GERAÇÃO E A EVOLUÇÃO DA GUERRA IRREGULAR  GenBda R/1 Alvaro de So!a #n$e#ro “ Como você bombardeia, será bombardeado; como você mata, será morto! ” A%&an al'(a)a$#r# *TV Al +a!eera, De! -..0 1 In2rod3o O termo “Conflito de 4ª Geração” tornou-se conhecido entre estrategistas e planejadores militares internacionais, ao final da década de ! #, com o o$jeti%o de caracteri&ar a din'mica e a orientação geral de como fa&er a guerra no futuro( )ssa comunidade compartimentou a e%olução dos conflitos armados, a partir do *éculo +, em .uatro fases distintas( /a “ª Geração” 0a partir da “1a& de 2estphalia”, acordo firmado em 34 , .ue propiciou o nascimento das relaçes internacionais entre )stados so$eranos5, a guerra caracteri&ou-se pelo emprego preponderante do “1rinc6pio da 7assa” e te%e seu cl6ma8 nas épicas campanhas napole9nicas( O emprego intensi%o do “:ogo” caracteri&ou a “;ª Geração”, .ue culminou na 1rimeira Guerra 7undial( < “=ª Geração” foi dominada pela “7ano$ra”, perfeitamente caracteri&ada pela “ blitzkrieg  ”, t>tica $rilhantemente desen%ol%ida pelos alemães na *egunda Guerra 7undial( ?essalte-se .ue os atores protagonistas nos diferentes cen>rios de ª, ;ª e =ª Geraçes eram, predominantemente, estados nacionais( < “4ª Geração” resulta de uma e%olução .ue %isa tirar %antagem das mudanças pol6tica, social, econ9mica e tecnol@gica %i%enciadas desde a *egunda Guerra 7undial( Aunto aos estados nacionais, aparecem como no%os atores protagonistas, organi&açes não estatais armadas, forças irregulares de diferentes mati&esB separatistas, anar.uistas, e8tremistas pol6ticos, étnicos ou religiosos, crime organi&ado e outras, cuja principal forma de atuação se $aseia nas t>ticas, técnicas e procedimentos da guerra irregular( :undamentalmente, utili&a-se das %antagens .ue essas mudanças possam proporcionar a essas forças, independentemente de suas di%ersificadas moti%açes pol6tico-ideol@gicas, estruturas organi&acionais, n6%el de apoio da população local, n6%el de capacitação militar e e%entual suporte e8terno( 1roliferou, particularmente, por ocasião do auge da Guerra :ria, .uando a ameaça do holocausto nuclear conse.ente da confrontação entre os )stados Dnidos da <mérica 0)D<5 e a Dnião das ?epE$licas *ocialistas *o%iéticas 0D?**5 ameaça%a o mundo( 7ao Fse Fung foi o pioneiro no emprego muito $em sucedido desse modelo de insurreição como instrumento de luta pol6tico-ideol@gica( esde então, outros not@rios re%olucion>rios empenharam-se nessa trajet@ria, com $ase em liçes aprendidas, não raro, no conte8to de dolorosos e dram>ticos processos de ensaio e erro( < opinião pE$lica internacional, de uma maneira geral, est> ciente .ue o Conflito de 4ª Geração é a Enica modalidade em .ue os )D< foram $atidos( ), mesmo considerando as significati%as diferenças e8istentes entre cada crise, h> .ue se ter em mente .ue não foi numa Enica oportunidade, foi em trHsB ietnam, I6$ano e *om>lia( )ssa forma de fa&er a guerra tam$ém derrotou os franceses na ndochina e os russos no <feganistão( /a atualidade, continua “sangrando” a ?Essia, na ChechHnia e os )D< , no <feganistão e no ra.ue( < constatação de .ue estados nacionais poderosos, so$retudo, no .ue se refere J sua capacitação militar, %i%enciaram dram>ticas derrotas em diferentes partes do glo$o, constitui-se, hoje, na maior moti%ação de grupos e facçes radicais de diferentes mati&es .ue adotaram a  su$%ersão, a guerrilha e o terrorismo como pilares $>sicos dessa forma diferenciada de fa&er a guerra( esde o término da *egunda Guerra 7undial, em diferentes partes do mundo, eclodiram alguns poucos conflitos armados con%encionais e uma significati%a .uantidade de guerras irregulares( < Guerra da CoréiaK os conflitos armados >ra$e-israelenses de !L3, !3M e !M=K a Guerra das 7al%inasK a Guerra rã N ra.ue e a 1rimeira Guerra do Golfo foram os con%encionais( )m contraste com estes, eclodiram, nos cinco continentes, um grande nEmero de sangrentos conflitos caracteri&ados pelo emprego intensi%o de forças irregulares( entre outros, destacam-seB a ?e%olução Comunista na ChinaK as 1rimeira e *egunda Guerras na ndochinaK a Guerra de ndependHncia na <rgéliaK e a Guerra <fegã-*o%iética nos anos #( Conflitos armados caracteri&ados pela assimetria entre os oponentes e .ue continuaram a ser desencadeados mesmo ap@s o término da Guerra :ria, como é o caso do conflito étnico-religioso nos >lcãs .ue desmem$rou a antiga ugosl>%iaK a 1rimeira ntifada, na 1alestinaK as 1rimeira Guerra 0;###5 e, mais recentemente 0;##35, *egunda Guerra do I6$ano, sangrento conflito armado entre as :orças de efesa de srael e o Pe&$ollah, no sul da.uele 1a6s( /a pr@pria <mérica Iatina, o Conflito de 4ª Geração se fe& presente num grande nEmero de  pa6ses .ue %i%enciou tr>gicas e8periHncias re%olucion>rias de moti%ação predominantemente mar8ista-leninista( Os “7ontoneros” na <rgentina, os “Fupamaros” no Druguai, o “*endero Iuminoso” no 1eru, e a guerra ci%il na Col9m$ia são alguns marcantes e8emplos( /em mesmo o rasil, 1a6s em .ue a luta armada moti%ada pelo radicalismo ideol@gico jamais rece$eu o apoio da  população, escapou dessa confrontação( O resultado cumulati%o de todas essas e8periHncias, fundamentadas num amplo repert@rio de t>ticas, técnicas e procedimentos de guerra irregular, foi o acentuado aprimoramento de uma no%a forma de fa&er a guerra( Poje, em diferentes Featros de Operaçes, tais como no <feganistão, na ChechHnia, no ra.ue, na 1alestina, no I6$ano, no Qoso%o, nas :ilipinas e na Col9m$ia, forças irregulares de diferentes mati&es, tais como o 7o%imento Fali$ã, a :rente *eparatista Chechena, as :<?C 0:orças <rmadas ?e%olucion>rias da Col9m$ia5, a :rente de Ii$ertação <$u *aRaf, o Pamas, o Pe&$ollah e, so$retudo, a <l Saeda, de Osama $in Iaden, são os atuais agentes dessas t>ticas, técnicas e  procedimentos .ue, na realidade, estão sendo desen%ol%idos h> %>rias décadas, ratificando .ue a guerra irregular se tornou um dos instrumentos mais eficientes e efica&es na consecução de transformaçes radicais, .uer sejam elas de cunho pol6tico-ideol@gico, étnico ou religioso( Fransformaçes essas .ue, na atualidade, são os fatores de moti%ação preponderantes dos conflitos assimétricos caracteri&ados pela confrontação armada entre forças militares regulares esta$elecidas, cuja capacitação militar é incontesta%elmente superior, e forças irregulares de diferentes mati&es e n6%eis de capacitação militar( ne.i%ocamente, o Conflito de 4ª Geração se apresenta como o conflito armado do *éculo ++(  - Con5#dera36e5 ol72#8o'e52ra29:#8a5 A Ver2en2e 5#8ol;:#8a O Conflito de 4ª Geração o$jeti%a influenciar, de forma direta, o comportamento das lideranças do inimigo respons>%eis pelas tomadas de decisão e formulação de suas pol6ticas( )sta influHncia, toda%ia, não se materiali&a por intermédio da destruição de suas forças armadas, conforme preconi&ado na “teoria do atrito” de ClauseTit&, como ocorria nos Conflitos de ª, ;ª, e =ª Geração( <s épicas e decisi%as $atalhas da era napole9nica, assim como as $rilhantes, profundas e %elo&es mano$ras das campanhas do *éculo ++ são totalmente irrele%antes no conte8to dessa concepção( 7uito mais do .ue procedimentos em campos de $atalha, a 4ª Geração enfati&a a forma como as mensagens contendo “idéias-força” são lançadas e captadas pelas diferentes “audiHncias-al%o” em presença( Os aspectos psicol@gicos da confrontação crescem em import'ncia, na medida em .ue o desen%ol%imento cient6fico-tecnol@gico, no conte8to de um mundo cada %e& mais  glo$ali&ado, incrementa, por meio de %>rios métodos, a transmissão das informaçes em tempo real, ao %i%o, e em cores, para .ual.uer parte do mundo( <s confrontaçes atualmente %i%enciadas no <feganistão e no ra.ue caracteri&am em toda a sua plenitude essa %ertente psicol@gica( )m am$os a.ueles Featros, os irregulares insurretos estão en%iando mensagens espec6ficas para trHs diferentes audiHncias-al%oB a porção da população local .ue os ap@iaK a porção .ue est> indecisaK e as lideranças da coali&ão( 1ara a.ueles .ue os ap@iam, caracteri&am suas posiçes de idealistas intransigentes defensores de sua so$erania contra os “infiéis” in%asoresK para os indiferentes, a mensagem é .ue se afastem da confrontação e .ue, so$retudo, a$stenham-se de apoiar os in%asores por.ue, estes, com certe&a, estão com seus dias contados no pa6s( ) para o terceiro pE$lico-al%o, particularmente para os norte-americanos .ue lideram a coali&ão, a mensagem é .ue se retirem imediatamente, so$ pena de terem .ue pagar um  preço cada %e& mais caro em sangue( P> .ue se destacar .ue, na %erdade, muito em$ora o enfo.ue não esteja no sucesso das operaçes militares desen%ol%idas no terreno, o Conflito de 4ª Geração est> longe de ser pac6fico( 7uito pelo contr>rio, a realidade nua e crua, .ual.uer .ue seja o am$iente operacional em presença, tem se mostrado e8tremamente %iolenta, até por.ue o resultado das hostilidades continua a ser uma carnificina caracteri&ada pelo emprego da %iolHncia f6sica de forma cada %e& mais letal( ) o .ue incrementa, so$remaneira, a dramaticidade do cen>rio, é .ue as $ai8as, ine%ita%elmente, en%ol%em, cada %e& mais, a.uela grande maioria menos protegida, a população ci%il não-com$atente(  O a<el da =7d#a e a5 Or:an#!a36e5 In2erna8#ona#5  /esse conte8to de grande rele%'ncia psicol@gica, a m6dia ganha um desta.ue 6mpar na consecução das pol6ticas das facçes em presença( Dm e8emplo marcante desse papel  preponderante na tomada de decises, em todos os n6%eis, estratégico, operacional e t>tico, é o epis@dio %i%enciado pelos norte-americanos, na *om>lia, durante o Go%erno Clinton( nicialmente, depois de acusadas de negligentes e insens6%eis, as autoridades norte-americanas, pressionadas por uma campanha fundamentada nas imagens de crianças famintas repetidamente di%ulgadas, decidiram en%iar forças norte-americanas para incrementar a segurança das açes humanit>rias  planejadas e condu&idas pela Organi&ação das /açes Dnidas 0O/D5 na.uele .ue, J.uela altura, j> era um am$iente operacional tão comple8o .uanto perigoso( 1ouco tempo depois, em outu$ro de !!=, as imagens de soldados norte-americanos sendo arrastados por uma tur$a enfurecida no centro de 7ogadiscio, resultado de uma operação especial mal sucedida, le%aram as mesmas autoridades a determinar a retirada imediata dos efeti%os empregados( P> .ue se destacar .ue esse malfadada e8periHncia de guerra irregular ocorreu apenas dois anos ap@s o retum$ante sucesso con%encional o$tido pelos norte-americanos na 1rimeira Guerra do Golfo( 7ais uma %e&, ratifica%a-se a m>8ima de .ue no Conflito de 4ª Geração, insucessos ao n6%el t>tico pro%ocam resultados desastrosos ao n6%el estratégico( ) uma das maiores e mais urgentes operaçes de pa& da O/D no continente africano se %iu prematura e a$ruptamente finali&ada( <lgo .ue se tem %erificado na atualidade é .ue nas campanhas de propaganda de facçes irregulares de 4ª Geração, a audiHncia, raramente é um al%o unificado( O .ue se o$ser%a é uma crescente fragmentação, em diferentes comunidades, cujos interesses imediatos podem le%>-las a realinhamentos ou mesmo mudança de lados, dependendo de .uanto uma determinada mensagem  poder> afetar a consecução de seus o$jeti%os( /a @snia, no auge do conflito étnico-religioso dos >lcãs, a captura de militares de diferentes naçes a ser%iço da O/D, por unidades do )8ército *ér%io, por ocasião da campanha de ata.ues aéreos da OF</, em !!L, foi o primeiro passo de um ciclo( < m6dia foi utili&ada para mostrar imagens de “$oinas a&uis” mantidos presos junto a diferentes instalaçes, numa tentati%a de chantagear a e8ecução dos $om$ardeios( <to cont6nuo, os sér%ios passaram a analisar, em função do di%ulgado pelos @rgãos de comunicação social, as reaçes dos di%ersos go%ernos nacionais en%ol%idos( Ou seja, reali&aram um ato hostil no Featro, di%ulgaram-no ade.uada e oportunamente para toda a opinião pE$lica internacional, o$ser%aram as  repercusses do ato perpetrado e assim, otimi&aram consistentemente suas condiçes de decidir .ual o pr@8imo passo( Fudo com muita agilidade, o .ue contrastou em muito com a lentidão das  $urocr>ticas respostas da Organi&ação do Fratado do <tl'ntico /orte 0OF</5 no mesmo ciclo( < an>lise da propaganda, com seus fatores $>sicos, srcem, conteEdo, al%o, %e6culo e efeito, passou a ser tema fundamental do processo decis@rio ao n6%el pol6tico-estratégico( esta.ue-se .ue organi&açes internacionais di%ersificadas tais como a O/D, a OF</, a Organi&ação dos )stados <mericanos 0O)<5, o anco 7undial e outras, são atores importantes nos cen>rios em presença nos Conflitos de 4ª Geração( Os irregulares insurretos apro%eitam-se de todas as oportunidades para e8plorar as %ulnera$ilidades .ue essas organi&açes apresentam, a fim de influenciar comportamentos de suas lideranças nacionais, além de tentar retardar, ou mesmo impedir, a participação de contingentes internacionais nos conflitos( /a realidade, os insurretos da 4ª Geração mantém como o$jeti%o permanente de grande  prioridade, paralisar politicamente os di%ersos organismos internacionais, assim como o go%erno nacional, o$jeto de suas hostilidades( /ão raro, essa paralisia pol6tica é o$tida por métodos di%ersificados, como por e8emplo, por açes retaliat@rias na >rea econ9mica( )8emplo caracter6stico dessa estratégia foram os ata.ues da mil6cia 8iita de <l *adr aos campos de produção de petr@leo do sul do ra.ueK $em como de re$eldes nigerianos aos campos petrol6feros da /igéria, o$rigando o Go%erno a negociar, no momento em .ue os preços do petr@leo no mercado internacional atingiam patamares nunca dantes atingidos e os preju6&os na produção se fa&iam imensos(  U&a E><er#?n8#a Bra5#le#ra @&<ar  <o n6%el pol6tico-estratégico, por %e&es, fa&-se necess>rio perder, para poder ganhar decisi%amente, mais J frente( /o rasil, ao final da década de !3# e in6cio da década de !M#, colocando em pr>tica as t>ticas, técnicas e procedimentos preconi&ados por Carlos 7arighella no seu internacionalmente difundido “7inimanual do Guerrilheiro Dr$ano” 0tornado pE$lico em  junho de !3!5, organi&açes terroristas desencadearam uma se.Hncia de tentati%as de se.estro de diplomatas estrangeiros de alto n6%el credenciados no rasil( Consumaram com H8ito .uatro dessas açes( FrHs em$ai8adores 0)D<, <lemanha e *u6ça5 e um consul 0Aapão5 em ser%iço no rasil foram feitos reféns( )m cada um desses cr6ticos e dram>ticos e%entos, foram feitas por parte dessas organi&açes su$%ersi%as uma série de e8igHncias .ue iam desde a di%ulgação de  pronunciamentos em cadeias nacionais de telecomunicaçes até a troca dos reféns por terroristas .ue, na.uele momento, se encontra%am so$ cust@dia das autoridades de segurança( )8igHncias essas .ue, caso não fossem atendidas resultariam na eliminação sum>ria da.uelas autoridades diplom>ticas internacionais( ?essalte-se .ue .uando da e8ecução dessas açes de se.estro, alguns elementos encarregados pela segurança dessas autoridades foram feridos e outros mortos( 7uito em$ora a opção de não negociar e de retaliar com açes contraterroristas de resgate dos reféns fosse sempre real, fact6%el e com alto grau de pro$a$ilidade de sucesso, o Go%erno rasileiro fe& .uestão de demonstrar Js opinies pE$licas nacional e internacional o seu respeito  pela garantia dos direitos humanos da.ueles insignes representantes estrangeiros no 1a6s( /esse conte8to, o .ue se assistiu, na se.Hncia do desenrolar desses .uatro se.estros, foram todas as e8igHncias feitas pelos terroristas serem cumpridas, com a conse.ente li$eração dos importantes reféns( < cada um desses e%entos, conclu6do dessa maneira, não faltou .uem conclu6sse pela caracteri&ação de uma flagrante fra.ue&a, ainda .ue moment'nea, do )stado rasileiro( )ntretanto, o .ue se %erificou, logo em seguida J conclusão de cada um desses se.estros, foi uma resposta  puniti%a de compro%ada eficiHncia e efic>cia( Os @rgãos de segurança, fundamentados em operaçes de inteligHncia competente e oportunamente condu&idas, desencadearam açes ofensi%as e8tremamente $em sucedidas contra tais organi&açes, o .ue, gradati%amente mas, a curto pra&o, tornou-as totalmente inoperantes( Os e8ecutores foram perfeitamente identificados e todos foram responsa$ili&ados em processos legais( Fudo condu&ido com a plena a.uiescHncia da opinião
Search
Similar documents
View more...
Tags
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks