Refere-se a soluções dos exercícios!
]]]
Respostas das Questões para Revisão1. Por que os problemas econômicos fundamentais (o quê, quanto, como e para quem produzir ori!inam"se da escassez de recursos de produ#ão$R% Porque em qualquer sociedade, os recursos ou fatores de produ#ão são escassos, enquanto as necessidades &umanas são ilimitadas e sempre se renovam. 'om isso, & a necessidade de escol&er entre alternativas de produ#ão e distribui#ão dos resultados. )al escol&a leva *s questões referidas de + que e quanto produzir (dada a escassez, nem todos os bens poderão ser fabricados e mesmo a quantidade dos bens a serem fabricados ser limitada pela disponibilidade de fatores de produ#ão 'omo produzir ( a sociedade dever escol&er, dados os fatores de produ#ão - insumos produtivos e tecnolo!ia - disponveis, o m/todo que ma0imiza o produto e minimiza o custo de produ#ão e finalmente para quem produzir (qual o mecanismo de reparti#ão do produto.. + que mostra a curva de possibilidade de produ#ão ou curva de transforma#ão$R% 2 'urva de Possibilidade de Produ#ão ('PP mostra como o produto potencial de uma economia (ou produto de pleno empre!o pode ser repartido nos diferentes produtos e, assim, o
trade-of 
 entre produ#ões distintas, ou se3a, dada produ#ão atual, o quanto a sociedade tem que abrir mão de determinado bem para poder produzir, e consequentemente consumir, mais do(s outro(s bem(ns.4. 2nalisando"se uma economia de mercado, observa"se que os flu0os real e monetrio con3untamente formam o flu0o circular da renda. 50plique como esse sistema funciona.R% 2o analisar uma economia de mercado, percebemos que o flu0o de mercadorias e servi#os entre as firmas (unidades produtivas e as famlias (unidades consumidoras e detentoras dos direitos sobre as firmas tem por contrapartida um flu0o monetrio, dos pa!amentos dos servi#os (comissões e salrios e dos bens (pre#o pa!o pelos produtos e a remunera#ão dos fatores de produ#ão (lucros das firmas distribudos *s famlias que det/m sua propriedade acionria. 5ste flu0o de bens e servi#os e de pa!amentos / que determina quais os produtos devem ser produzidos, em que quantidade, de que forma e para quem.6. 'onceitue% bens de capital, bens de consumo, bens intermedirios e fatores de produ#ão.R% a 7ens de capital% são bens utilizados na fabrica#ão de outros bens, mas que não se des!astam totalmente no processo produtivo.b bens de consumo% bens que se destinam diretamente ao atendimento das necessidades &umanas.c bens intermedirios% são aqueles que são transformados ou a!re!ados na produ#ão de outros bens e que são consumidos totalmente no processo produtivo.d fatores de produ#ão% são os recursos de produ#ão da economia, sendo constitudos de recursos &umanos (trabal&o e capacidade empresarial, terra, capitale tecnolo!ia.8. 2 5conomia / uma ciência não"normativa. 50plique.
 
R% 2 5conomia pode ser considerada uma ciência não normativa pois o estudo econômico tem por base uma aborda!em positiva, que busca e0plicar os fatos econômicos, avaliando suas causas e consequências e bem como estudando instrumentos de poltica econômica, sem entrar em considera#ões de 3uzo de valor na anlise.'aptulo Respostas das Questões para Revisão1. 5m que consistia a riqueza para os mercantilistas e para os fisiocratas$R% Para os mercantilistas as 
 consistiam no ac9mulo de metais preciosos, para eles quanto maior fosse o estoque de metais preciosos, mais forte e poderoso seria o !overno de um pas.: para os fisiocratas a riqueza consistia em bens produzidos com a a3uda da natureza, como a lavoura, a pesca e a minera#ão, ou se3a, encora3ava"se a a!ricultura.. Quem foi o mais destacado dos economistas clssicos$ Quais suas principais ideias$R% 2dam ;mit& (1<4 - 1<=> 2s suas principais ideias% )rabal&o &umano como principal causa da riqueza das na#ões, livre iniciativa do mercado (laissez faire, especializa#ão do trabal&o como instrumento de aumento da produtividade, )eoria do bem estar econômico, se!undo a qual o mercado operando livremente sem a interven#ão do estado se a3ustaria automaticamente como que conduzido por uma ?@ão AnvisvelB, na obten#ão do m0imo bem estar econômico.4. + que diz a teoria das vanta!ens comparativas$ Quem foi seu autor$R% Canta!ens 'omparativas% constitui a base essencial da teoria do com/rcio internacional. Demonstrou que duas na#ões podem beneficiar"se do com/rcio livre, mesmo que uma na#ão se3a menos eficiente na produ#ão de todos os tipos de bens do que o seu parceiro comercial. Pois, defendia que nem a quantidade de 
 em um pas nem o valor monetrio desse din&eiro era o maior determinante para a riqueza de uma na#ão. ;e!undo o autor, uma na#ão / rica em razão da abundEncia de mercadorias que contribuam para a comodidade e o bem"estar de seus &abitantes. 2o apresentar esta teoria, usou o com/rcio entre Portu!al e An!laterra como e0emplo demonstrativo. David Ricardo (1<< - 1F4.6. Qual a principal diferen#a entre a lei de ;aG e o princpio HeGnesiano da demanda efetiva$R% + economista Irancês :ean"7aptiste ;aG subordinou o problema das trocas de mercadorias a sua produ#ão e popularizou a c&amada Jei de ;aG, esta que diz% ?a oferta cria sua prKpria procuraB, ou se3a, o aumento da produ#ão transformar"se"ia em renda dos trabal&adores e empresrios, que seria !asta na compra de outras mercadorias e servi#os. ;e!undo o pensamento HeGnesiano, um dos principais fatores responsveis pelo volume de empre!o / e0plicado pelo nvel de produ#ão nacional de uma economia, que, por sua vez, / determinada pela demanda a!re!ada ou efetiva. Para HeGnes, não e0istem for#as de auto a3ustamento na economia, por isso se torna necessria * interven#ão do 5stado por meio de uma poltica de !astos p9blicos. )al posicionamento teKrico si!nifica o fim da cren#a no Jaissez"Iaire como re!ulador dos flu0os real e monetrio da economia e / c&amado principio da demanda efetiva. +u se3a, sua teoria inverte o sentido da lei de ;aG (a oferta cria sua prKpria procura ao destacar o papel da demanda a!re!ada de bens e servi#os sobre o nvel de empre!o.8. 50plique sucintamente as principais diferen#as entre monetaristas, fiscalistas, pKs HeGnesianos, mar0istas e institucionalistas.R% @onetaristas - 5stão associados * Lniversidade de '&ica!o e tem como economista de maior destaque @ilton Iriedman. De maneira !eral, privile!iam o controle da moeda e um bai0o !rau de interven#ão do 5stado.Iiscalistas - )em seus maiores e0poentes em :ames )obin, da Lniversidade de Male, e Paul 2nt&onG ;amuelson, de Narvard e @A). 5m !eral, recomendam o uso de polticas ativas e acentuado !rau de interven#ão do 5stado.PKs - HeGnesianos - Realizaram uma releitura da obra de HeGnes, procurando mostrar que ele não ne!li!enciou o papel da moeda e da poltica monetria.5nfatizam o papel da especula#ão financeira e, como HeGnes defende um papel ativo do 5stado na condu#ão * atividade econômica.@ar0istas - )em como pilar de seu trabal&o a obra + capital, de Harl @ar0. + @ar0ismo desenvolve uma teoria do valor - trabal&o, e conse!ue analisar muitos aspectos da economia com seu referencial teKrico. 2 apropria#ão do e0cedente produtivo (a mais valia pode e0plicar o processo de acumula#ão e a evolu#ão das rela#ões entre classes sociais.Anstitucionalistas - Re3eitam o pressuposto neoclssico de que o comportamento &umano, na esfera econômica, se3a racionalmente diri!ido e resulte do clculo de !an&os e perdas mar!inais. 'onsideram que as decisões econômicas das pessoas refletem muito mais as influências das institui#ões dominantes e do desenvolvimento tecnolK!ico.'aptulo 4Respostas das Questões para Revisão
 
1. + ob3etivo das empresas / ma0imizar os lucros. 2s normas 3urdicas, entretanto, têm por fim prote!er a sociedade de abusos e delimitam o campo de atua#ão das empresas. Cocê ac&a que a Jei nO F.FF6=6 tem essa finalidade$R% 2 Jei nO F.FF6=6 desempen&a um papel de controle das atividades econômicas pelo 5stado, se preocupa com a preserva#ão do princpio da livre concorrência e diferenciou a natureza 3urdica do ato de concentra#ão em rela#ão ao ato infrativo * ordem econômica, su3eitando ambos a aprecia#ão do '2D5.. + que vem a ser a lei antitruste$R% 2 Jei 2ntitruste se destina a punir a prtica do cartel, que vem a ser uma or!aniza#ão de comercializa#ão em con3unto criada por empresas do mesmo ramo,que fi0am o pre#o de venda e as quotas de produ#ão, que assim dei0am de concorrer entre si, que por sinal são comuns em pequenos e !randes mercados dene!Kcios.4. Qual o Kr!ão tem a competência para e0ecutar a poltica monetria, de cr/dito, cambial e de com/rcio e0terior$ Qual o fundamento le!al$R% 2 constitui#ão Iederal. 'abe ao 'on!resso acional, com a san#ão do presidente da republica, dizer sobre todas as mat/rias de competência da união, especialmente sobre mat/ria financeira, cambial e monetria, institui#ões financeiras e suas opera#ões.6. 50pon&a brevemente quais as 3ustificativas econômicas para a interven#ão !overnamental nos mercados$R% 5vitar a concentra#ão de empresas num mesmo setor, e a forma#ão de oli!opKlios e ate mesmo monopKlios, evitar manipula#ão de pre#os, manter a qualidade de determinados bens ou servi#os, evitar riscos sistêmicos, interesse estrat/!ico, impossibilidade de investimento privado, dado os altos custos inerentes e os riscos iminentes, reas que o !overno tem como obri!a#ão constitucional, para fomentar o inicio de uma atividade econômica.8. Descreva o ;istema 7rasileiro de Defesa do 'onsumidos e o papel de cada Kr!ão competente dele.R% ;istema 7rasileiro De Defesa da 'oncorrência (;7D', formado pelos três Kr!ãos encarre!ados da defesa da concorrência no Pas, a ;ecretaria de Direitos 5conômico (;D5, D+ @inist/rio da :usti#a, a ;ecretaria de 2compan&amento econômico (;525, do @inist/rio da Iazenda, e o consel&o  2dministrativo de Defesa 5conômica ('2D5, autarquia vinculada ai @inist/rio da :usti#a, que possuem diferentes fun#ões, o '2D5 tem um poder decisKrio sobre os processos por ele 3ul!ados, enquanto as secretarias apresentam um carter mais instrutor do processo.'aptulo 6Respostas das Questões para Revisão1. Qual o papel dos pre#os relativos na anlise microeconômica$R% +s pre#os relativos têm papel fundamental, pois a escol&a dos a!entes econômicos / baseada nas diferen#as de pre#os dos bens (os pre#os relativos entreos diferentes bens e servi#os e não nos pre#os absolutos.. + estabelecimento comercial pode ser conceituado sob duas Kticas% a econômica e a 3urdica. 50plique cada uma delas.R% Para a 5conomia, empresa ou estabelecimento comercial / a combina#ão dos fatores de produ#ão% capital, trabal&o, terra e tecnolo!ia, de tal modo or!anizados para se obter o maior volume possvel de produ#ão ou de servi#os ao menor custo.Para a doutrina 3urdica, recon&ece"se o estabelecimento como uma universalidade de direito, incluindo"se na atividade econômica um comple0o de rela#ões  3urdicas entre o empresrio e a empresa. + empresrio /, assim, o su3eito da atividade econômica, e o ob3eto / constitudo pelo estabelecimento, que / o comple0o de bens corpKreos e incorpKreos utilizados no processo produtivo. 2 empresa, nesse conte0to, / o comple0o de rela#ões 3urdicas que unem o su3eito ao ob3eto da atividade econômica.4. o raciocnio econômico, qual a importEncia da &ipKtese do coeteris paribus$R% um conte0to de equilbrio parcial, no qual observamos apenas a oferta e a demanda de um determinado mercado, utilizamos esta &ipKtese para que altera#ões em outras partes da economia não interfiram na nossa anlise de forma a alterar o equilbrio. 'om isso, obtemos um estudo mais simples e ob3etivo das variveis que influenciam mais diretamente o comportamento dos a!entes econômicos neste mercado (obtemos um efeito ?puroB ou ?lquidoB de cada uma dessas variveis.6. Qual o principal campo de atua#ão da )eoria @icroeconômica$R% +s campos de atua#ão da )eoria @icroeconômica, preocupada na determina#ão do pre#o de bens e servi#os e dos fatores de produ#ão, estão relacionadosao plane3amento estrat/!ico das empresas, bem como * poltica e pro!rama#ão econômica do setor p9blico.8. 'omo se divide o estudo microeconômico$R% 2 teoria microeconômica se divide em%
 
1 2nlise da Demanda% a qual temos1.1 )eoria do consumidor%1. )eoria da Demanda de @ercado. 2nlise da +ferta% 7aseada na )eoria da Produ#ão.4 2nlise das 5struturas de @ercado.6 5quilbrio eral. 'aptulo 8Respostas das Questões para Revisão1. 'onceitue a fun#ão demanda. Que diferen#as & entre demanda e quantidade demandada$R% Iun#ão demanda de um bem ou servi#o / a rela#ão matemtica entre a quantidade demandada e o pre#o do bem ou servi#o. 2 diferen#a entre demanda e quantidade demandada / que por demanda entende"se toda a curva que relaciona os possveis pre#os a determinadas quantidades, enquanto por quantidade demandada devemos entender um ponto especfico da curva relacionando pre#o a uma quantidade.. 'onceitue a fun#ão oferta. De que variveis depende a oferta de uma mercadoria$R% 2 Iun#ão oferta de um bem ou servi#o / a rela#ão matemtica entre a quantidade ofertada e o pre#o desse bem ou servi#o. 2l/m do pre#o do bem, a oferta de um bem ou servi#o / afetada pelos custos dos fatores de produ#ão (mat/rias"primas, salrios, pre#o da terra, por altera#ões tecnolK!icas e pelo aumento do n9mero de empresas no mercado.4. Por que o !overno costuma estabelecer pre#os mnimos (!arantidos para os produtos a!rcolas$R% Porque visa prote!er os produtores a!rcolas de flutua#ões dos pre#os de mercado, evitando uma redu#ão na renda a!rcola no caso de uma queda acentuada nos pre#os (devido, por e0emplo, uma superprodu#ão dadas condi#ões climticas favorveis.6. ;obre a elasticidade"pre#o da demanda%a Quais os fatores que influenciam a elasticidade"pre#o da demanda$R% +s fatores que influenciam o !rau de elasticidade"pre#o da demanda são% Disponibilidade de bens substitutos, 5ssencialidade do bem, AmportEncia do bem quanto a seu !asto no or#amento do consumidor.b Por que a elasticidade da demanda de sal / zero$R% Porque o sal / um bem essencial, não & bens substitutos disponveis e sua importEncia no !asto do or#amento / desprezvel.c Por que, quando a demanda / inelstica, aumentos do pre#o do produto podem elevar a receita total dos vendedores$R% Porque a demanda se reduz menos que proporcionalmente a eleva#ão dos pre#os, de modo que a receita total (quantidade vendida S pre#o pode aumentar (a eleva#ão do pre#o mais que compensa a queda na quantidade vendida.8. Defina% elasticidade renda, elasticidade"pre#o cruzada da demanda e elasticidade"pre#o da oferta.R% 1 5lasticidade"renda da demanda (5
R
% + coeficiente de elasticidade"renda da demanda mede a varia#ão percentual da quantidade demandada resultante de uma varia#ão percentual na renda do consumidor, coeteris paribus. 5lasticidade"pre#o cruzada da demanda (5
xy
% + coeficiente de elasticidade"pre#o cruzada da demanda mede a mudan#a percentual na quantidade demandada do bem 0 dada uma varia#ão percentual no pre#o do bem G.4 5lasticidade"pre#o da oferta (5
po
% @ede a varia#ão percentual da quantidade ofertada resultante de uma varia#ão percentual do pre#o do bem ofertado.'aptulo T
of 18