Magazine

Aulas no Laboratório e Aprendizagem das séries iniciais.

Description
Aulas no Laboratório e Aprendizagem das séries iniciais As aulas no Laboratório de Aprendizagem acontecem em pequenos grupos, no turno contrário às aulas,…
Categories
Published
of 12
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Transcript
Aulas no Laboratório e Aprendizagem das séries iniciais As aulas no Laboratório de Aprendizagem acontecem em pequenos grupos, no turno contrário às aulas, conforme a turma e a necessidade dos alunos. Trata-se de um espaço, no qual acontece a interação do aluno com o meio, através de desafios que levam a aprendizagem, e principalmente, o espaço no qual se valoriza o conhecimento de cada um. Fazendo com que cada aluno participe e se torne responsável buscando a sua participação nas atividades realizadas, sejam elas: produções textuais a partir de episódios assistidos, leitura de diversos tipos de textos (jornais, revistas, livros, fábulas), que podem se transformar em peças de teatro (mesmo que sejam simples, mas sempre respeitando as condições do aluno), passeios de estudos realizados pela turma, ou então, uma saída da escola para ler as placas de rua, sem falar nos jogos que fazem parte do revezamento de materiais e da informática que tanto atrai os alunos e são uma ferramenta indispensável para aguçar o interesse dos alunos. Foi nesse sentido que relacionei abaixo algumas produções textuais realizadas ao longo deste ano letivo no Laboratório de Aprendizagem das séries iniciais que abrange as turmas do 2º ANO até o 5º ANO, e que foram muito satisfatórios. Muitos alunos esquecem o quanto são capazes e é necessário ajudar a revelar suas capacidades variando os materiais e ambientes, tornando-os responsáveis e confiantes no seu saber. Professora Maria Luisa Prediger O abraço doido Um dia, o Lucas estava indo ao mercado encontrou uma tia de muito longe que ele nem conhecia. Então, ele deu um abraço nela só que ela apertou demais ai ele começou a chorar, então ele pediu: -Pare de me apertar. Então, ela parou de apertá-lo e o Lucas saiu correndo de medo dela. Ele foi para casa e contou para sua mãe o que aconteceu. Ele disse que não deveria a deixar ir à sua casa visitá-lo porque ela tinha machucado ele disse que não queria mais vela. Então, a tia pediu desculpas para o Lucas e ele a desculpou, então eles foram amigos de novo. Anderson P. Knauth 5ºANO A 15/06/12 O menino que trocou a sombra Era uma vez um menino chamado Zé Luís e ele tinha uma sombra. Mais num certo dia, ele resolveu trocar de sombra. Ai ele foi até um gato e eles conversaram e ai eles trocaram de sombra. No dia seguinte, assim que chegou em sua casa, o seu cachorro viu que Zé Luís estava com sombra de gato ai ficou pensando e foi correndo até a sua casinha. No outro dia, Zé Luís foi à escola e na escola os seus colegas queriam pisar na sombra do gato. Então, Zé Luís correu até a floresta e lá ele ouviu uma conversa de um passarinho e uma passarinha: -Vi uma sombra de um gato! Zé Luís disse: -Eu só sou um menino. Depois de muita conversa, Zé Luís e o passarinho resolveram trocar de sombra. Então, Zé Luís saiu da floresta, mas logo houve um problema; a sombra do passarinho voava em cima de prédios e assim o Zé Luís ficava muito cansado. No outro dia, Zé Luís foi com a turma da escola no aquário da cidade. E lá ele resolveu trocar de sombra com um Peixe-Espada. E assim sempre, onde Zé Luís fosse ele tinha que levar água para molhar o Peixe-espada. E durante a noite o Peixe-Espada fazia cócegas no Zé Luís. Então, começou a pensar na sua velha sombra de menino. Onde andaria? Bom, a sombra de menino depois que trocou de sombra com o gato, trocou com um macaco. E aí havia um problema: o macaco ficava pulando nas árvores. E assim trocou de sombra com um avião, mas logo houve um outro problema: o avião ficava voando muito alto e o macaco não conseguia alcançar e além do mais, morria de medo de altura. Então, trocou de sombra com um sapo. Mas o sapo foi morar num poço muito, muito escuro local onde não precisa de sombra. Então, soltou o cordão que unia seu corpo à sombra e ela ficou livre. Aí a sombra de Zé Luís foi até o Zé Luís e ele tinha que prometer que não iria mais trocar de sombra. Ele prometeu e assim o Peixe-espada foi até o aquário. E, assim, Zé Luís estava de volta com a sua sombra. Ariele 5º ANO A 03/12/12 O menino que trocou a sombra Um dia, um menino chamado de Zé Luiz, resolveu trocar de sombra com um gato. Demorou para fazer a troca, mas o gato aceitou. Quando chegou em casa, seu cachorro latiu desesperado e foi pra sua casinha por causa da sombra de gato. Mas quando chegou em casa, sua mãe gritou com ele. Na escola havia outro problema todos olhavam para ele ou corriam atrás dele para pisar em sua cauda. No final da aula, cansado de ser perseguido pelos colegas, ele resolveu ir na floresta. Lá encontrou um ninho de passarinhos. Zé Luiz ficou olhando para ele. Os pássaros se assustaram, mas Zé Luiz falou que ele não era um gato, eles se aproximaram do menino e falaram em trocar de sombra. O pássaro achou uma boa ideia para espantar os gatos, eles trocaram de sombra. Mas ai começou outro problema, a sombra ia muito rápida e voava muito alto e ele não alcançava. Decidiu trocar de sombra novamente, foi ao aquário da cidade e lá encontrou um peixe espada, os dois conversaram sobre a troca e o peixe aceitou, mas havia outro problema: todo lugar que ele ia tinha que levar bastante água: em festa de aniversário, ou brincadeira, ou passeio. Ele enjoou e resolveu voltar atrás de sua sombra verdadeira. Mas sua sombra de menino depois que trocou com a sombra de gato, trocou de sombra com o macaco que trocou com o avião, que trocou com um sapo que foi morar em um poço bem, bem fundo que soltou a sombra e foi atrás de Zé Luiz. Ela encontrou o menino. O menino pediu se a sombra queria voltar para ele, ela aceitou e a sombra do peixe espada voltou para o aquário da cidade. Leonardo Sttefens 5º ANO B 03/12/12 O menino que trocou a sombra Num belo dia, Zé Luís estava caminhando na rua, e passou um gato com uma sombra longa. Zé pensou que poderia trocar a sua sombra, e conversou com o gato se ele queria trocar de sombra. No outro dia, Zé foi à escola com sua sombra de gato e todo mundo queria pisar no rabo do gato, e Zé saiu correndo em direção a floresta, ele ficou debaixo de uma árvore e escutou passarinhos conversando, e o Zé disse: –Não sou um gato, eu troquei de sombra com um gato. Zé Luís estava pensando em trocar de novo e conversou com o passarinho se ele não queria trocar de sombra. –A fêmea disse: –Seria bom se você trocasse de sombra, para proteger o nosso ninho! E Zé trocou de sombra. Mas aquela sombra de passarinho não deu certo por que o passarinho ficava voando nos prédios e casas, e Zé não conseguia alcançar o passarinho e resolveu trocar de sombra. No outro dia, Zé foi com a escola num aquário da cidade e lá ele conversou e trocou a sombra com um peixe espada. Mas não deu certo, sempre que Zé ia dormir o peixe fazia cócegas e o espetava. Quando o Zé ia a algum lugar tinha que levar água para molhar o peixe e decidiu que queria trocar de sombra de novo. E, depois, o menino estava com saudade de sua sombra e pensava onde ela estaria agora. A sua sombra de menino passou por várias sombras como: gato, macaco, avião e sapo. No fim ele ficou com sua sombra. Bianca Beatriz 5º ANO B O menino que trocou a sombra Zé Luís queria trocar a sua sombra, então Zé Luís trocou com um gato. Os dois desamarraram o fio invisível e amarraram a sombra do gato no menino e a sombra do menino no gato. Zé Luís quando chegou em sua casa, o seu cachorro não sabia se ia abanar o rabo para seu dono e quando via a sombra do gato tinha vontade de rosnar ou mostrar os dentes , então decidiu ir para a casinha e colocou o rabo no meio das patinhas . O menino foi para a escola e os colegas só encheram sua paciência: se ele ficava caminhando eles só tentavam pisar no rabo e se ele ficava parado, eles só gozavam. Zé Luís encontrou um passarinho e resolveu que queria trocar de sombra com ele. O passarinho olhava para a sombra de Zé Luís, mas era um gato que queria pegar os passarinhos, Zé Luís contou o que tinha acontecido e o passarinho aceitou trocar de sombra para proteger o seu ninho. Mas ai surgiu um problema: o Zé Luís não conseguia correr atrás da sombra, então queria trocar com alguém novamente. No outro dia, na escola, Zé Luís foi ao parque aquático da cidade e encontrou um peixe espada e trocaram de sombra. Trocaram só que tinha que jogar água na sombra, não importava qual era o lugar que ele ia. Então, o menino ficou pensando na sua velha e antiga sombra. A sombra do Zé Luís, que virou macaco, avião e um sapo. Zé Luís estava no quintal molhando a sombra do peixe espada quando ele viu sua sombra e a sombra virou a dele de novo. Dáfini 5º ANO A 03/12/12 A sereia do rio Era uma vez, uma menina que se chamava Mônica e um menino que se chamava Cebolinha. Um certo dia, o Cebolinha foi chamar a Mônica na casa dela para ir pescar. Quando o Cebolinha chegou lá na casa da Mônica, ela estava na janela e falou: –Espera um pouco Cebolinha eu vou trocar de roupa! O Cebolinha esperou horas, horas, horas até a Mônica se vestir e o Cebolinha disse: -Mulheres, mulheres. . . Então, o Cebolinha foi na janela ver se a Mônica já estava pronta e dai o Cebolinha perguntou: -Vamos Mônica você já está pronta? E daí a Mônica pediu para o Cebolinha: –Cebolinha, qual vestido fica melhor em mim: este vermelho ou este vermelho também? (Na verdade todos os vestidos da Mônica eram vermelhos). O Cebolinha falou: –Já chega. . . Está na hora. Quando eles chegaram, o Cebolinha falou: -Este é meu lugar que eu pesquei um tubarão de 15 metros de comprimento! A Mônica falou: –Impossível. E daí a Mônica chegou ao rio e jogou o anzol na água sem a minhoca, então o Cebolinha botou a minhoca na mão da Mônica e ela pulou no colo do Cebolinha, e o Cebolinha falou novamente: – Mulheres, mulheres! Quando a Mônica colocou o anzol na água ela pegou uma sereia em vez de um peixe, e daí a sereia puxou a Mônica para água e ficou andando com a Mônica pelo rio. Até que a sereia parou e a Mônica mergulhou para o fundo do rio e viu que era uma sereia e que estava enrolada no anzol. Então, a Mônica foi chamar o Cebolinha para mostrar a sereia. O Cebolinha viu a sereia, e daí a Mônica levou a sereia para a pedra para conversar, mas o Cebolinha já estava pensando numa forma de ganhar muito dinheiro com a sereia, ser famoso, virar astro da televisão. Fazendo mil planos. Aí a sereia ficou muito assustada e chorou a Mônica com pena dela falou para o Cebolinha que o melhor a fazer era deixar a sereia procurar sua família. O Cebolinha muito chateado e lamentando aceitou o pedido da Mônica. Na volta para casa, passaram numa peixaria e compraram os peixes. Camila e Brenda Steffen 4º ANO B maria vai com as outras era uma vez, a maria ia aonde o bando ia. uma vez o bando foi pro polo sul e pegaram uma gripe. depois elas voltaram e foram ao deserto. maria foi também elas se queimaram voltaram e depois elas foram comer salada de jiló. depois elas voltaram e foram pular do moro pão de açúcar, pulou uma quebrou o pé e choravam: mé, mé. chegou a vez da maria, ela deu uma requebrada e foi comer feijoada. marcel 4º ano a Leandro e sua televisão Leandro mora numa bonita casa com jardim, quintal e muitos vizinhos animados. Apesar disso, passa o dia todo em frente ao aparelho de teve. Ele é fanático por televisão. Assiste a todos os desenhos animados, filmes, novelas. . . não perde nada. Almoça e janta vendo televisão e toma banho correndo enquanto passam os anúncios. Mas um dia todas as televisões pararam de funcionar e que acabara a luz no bairro. O tempo passava e nada de a luz voltar. Foi ai que Leandro resolveu sair um pouquinho de casa e foi chamar os amigos e falou -A teve desligou por causa que a luz terminou E os amigos falaram que isso era um problema. Então, o Leandro não descobriu por que desligaram as luzes. Os pais e os amigos estavam com ele e o Leandro falou -Eu queria tanto ver os filmes e os desenhos mas não dá por que não tem luz! O Leandro perguntou para os pais: -Como eu vou olhar teve? E os pais falaram: –Você vai olhar só quando voltar a luz filho! –E o Leandro respondeu: – Está bem. Quando o Leandro olhou para o lado direito ele viu um homem que tinha batido num poste e falou para os pais: –Olha lá mãe e pai, um carro bateu no poste. – E a mãe falou: –Será que é por isso que desligaram as luzes? –E dai o pai falou: – Claro que sim. Então, o Leandro foi lá no consertador de poste e perguntou: – Vocês vão consertar o poste? O consertador falou: – Sim menino! A gente vai consertar o poste por que? E daí o Leandro falou: –Por que eu e meus amigos queremos olhar teve! Então, o consertador falou: –Ah sim, podem ir que já estou terminando. Então, o Leandro ficou muito feliz e foi correndo para casa com os amigos olhar teve e todos ficaram muito felizes. Nome: Camila Friedrich Klock turma:4º ano B Data:21/05/12 a casa assombrada era uma vez uma casa mal assombrada. a noite estava bem chuvosa e tinha uma pessoa dentro da casa que estava gritando:a a a a h h h! ela estava gritando por causa que uma janela estava batendo na parede e ela pensava que era um fantasma. neste momento, um índio passava por lá e ouvia a pessoa gritando. então, o índio entrou lá e viu a mulher amarrada em uma cadeira. ele soltou ela e a mulher se explicou ao índio dizendo que ela foi assaltada e os assaltantes amararam ela na cadeira e o índio levou ela para a aldeia. por que ela estava muito nervosa. e ela passou a noite na tenda do índio e seus familiares e no outro dia agradeceu e retornou a sua casa. kauã eduardo klauck schneider 4ºano b O menino e a tv Leandro mora numa bonita casa com Jardim, quintal e muitos vizinhos animais. Apesar disso, passa o dia todo em frente ao aparelho de teve. Ele é fanático por televisão. Assiste todos os desenhos animados, filmes, novelas. . . não perde nada. Almoça e janta vendo televisão e toma banho correndo enquanto passa os anúncios. Mas um dia todas as televisões pararam de funcionar; é que acabara a luz no bairro. O tempo passava e nada da luz voltar. Foi ai que Leonardo resolveu sair um pouquinho de casa e . . . ele foi jogar bola mas ele chutou muito forte e acertou na janela do vizinho e quebrou o vidro. Ele ficou com muito medo de apanhar dos pais, então, resolveu se esconder. Quando já estava ficando noite os pais do Leandro estevam preocupados com o sumiço do filho. O menino pensou já souberam que eu quebrei a janela do vizinho e quando viu os pais subiu numa árvore rapidinho. A noite chegou, ele ficou com frio e com fome os pais ficaram preocupados com o sumiço do menino e chamaram a polícia. A polícia estava procurando e o menino falou desesperado : - Querem me prender eu vou fugir. Ele saiu desesperado correndo e deu de cara com o policial ele disse: –Não me prenda policial . –Vamos para casa, eu te levo. Quando chegou em casa seu pai pegou o guri e levou para o quarto e disse nunca mais faça isto senão vou te deixar sem televisão, ouviu menino. Giselen 5ANO A O cachorro bravo Certo dia, uma menina chamada Vera queria muito um cachorro. Ele iria se chamar Tampinha. Um dia ela acordou com alguma coisa nos pés. Ela olhou para os pés e viu um cachorrinho. Ela pegou ele e disse: -Pai. Posso ficar com este cachorrinho? Então o pai deixou ela ficar com o cachorrinho. Ele tinha um problema, ele era muito grande. Então, teria de se chamar Grandão. Ele não gostou de morar numa casinha no pátio. Henrique R. Horst 5º ANO A
Search
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x