Reviews

A história se repete: ponte sobre o Rio Santana na BR-354 ameaça cair novamente

Description
05 Prefeitura cria dois cargos para psicólogo e dois para fonoaudiólogo A administração municipal criou dois cargos para psicólogos e dois para fonoaudiólogos para atender à demanda da Secretaria de Educação.
Categories
Published
of 16
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
05 Prefeitura cria dois cargos para psicólogo e dois para fonoaudiólogo A administração municipal criou dois cargos para psicólogos e dois para fonoaudiólogos para atender à demanda da Secretaria de Educação. O projeto de lei foi aprovado na Câmara Municipal na segunda-feira (11). 09 Formiguense morre em acidente na SP-255 Edmar Antônio Faria, de 45 anos, conduzia um caminhão carregado de madeira e morreu após colidir na traseira de uma carreta que transportava cana-de-açúcar. O acidente aconteceu na rodovia Antônio Machado Santana, no km Campanha de vacinação contra a paralisia infantil terá início neste sábado A Campanha Nacional de Vacinação contra a paralisia infantil terá início neste sábado (16). Em Formiga, a população prevista para receber a dose da vacina é de crianças. 14 Mulher de 61 anos perde R$ 2 mil em golpe de estelionato Uma mulher de 61 anos procurou a Polícia Militar e contou que foi vítima de estelionato. Um indivíduo ligou para a sua casa se fazendo passar por seu sobrinho, dizendo que estava com seu veículo danificado e que precisava de R$2.600 para o conserto. Formiga/MG, 15 de Junho de A GAZETA DO OESTE Ano 15 - N 800 R$2,00 DENÚNCIA A história se repete: ponte sobre o Rio Santana na BR-354 ameaça cair novamente Há exatamente 11 anos e 21 dias, o jornal Nova Imprensa denunciou em suas páginas, no dia 25 de maio de 2001, que a ponte sobre o Rio Santana na BR-354, no trecho entre Formiga e Campo Belo, ameaçava cair. As estacas de eucalipto, com aproximadamente 30 cm de diâmetro e que suportam a sua estrutura, estavam descobertas por causa do rebaixamento do leito do rio, o que ocorre quando a areia depositada no fundo é retirada desordenadamente, sem o menor controle, a montante dela. Passados todos esses anos, mais uma vez a história se repete. O jornal Nova Imprensa e o portal Últimas Notícias, como de costume, vêm novamente denunciar a retirada excessiva de areia do Rio Santana. Estacas de eucalipto estão novamente descobertas e as ferragens da estrutura de concreto expostas 13ª Cia. Independente comemora os 237 anos da Polícia Militar Na quinta-feira (14), a 13ª Companhia Independente da Polícia Militar com sede em Formiga comemorou o aniversário de 237 anos da Polícia militar de Minas Gerais. Por uma questão de maior comodidade e espaço, a solenidade foi realizada nas dependências do Ginásio Esportivo do Cat/Unifor e contou com a presença de diversas autoridades civis e militares. Pág. 03 Glaudson Rodrigues Desfile de Seis de Junho será na rua Barão de Piumhi O desfile cívico de Seis de Junho será realizado neste domingo (17) na rua Barão de Piumhi e não mais na rua Tabelião Juca Almeida, no Terminal Rodoviário. O evento terá início às 8h. Gleiton Arantes Pág. 08 Prefeitura pode perder verba de R$ 400 mil para calçamento de ruas O vereador Mauro César disse durante reunião na Câmara, que o município pode perder uma verba relativa a dois contratos no valor de R$ 400 mil para pavimentação e calçamento de vias. Pág. 05 Veículo capota na rua Dr.Teixeira Soares Na quarta-feira (13), um acidente na rua Dr. Teixeira Soares envolveu um Fiat Pálio de Arcos, uma Spacefox de Lagoa da Prata e um Fiat Siena da cidade de Formiga. Ninguém se feriu no acidente. Glaudson Rodrigues Pág. 07 Pág. 11 2 Nova Imprensa Editorial Brasil verde: é para inglês ver? Com a Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, os olhos do mundo inteiro estão apontados para o país que leva o nome de uma árvore já em extinção, o Pau-Brasil. O mega evento teve início na quarta-feira (13) e se estenderá até o dia 22 de junho. Durante nove dias, o Brasil será verde de um tom escandalosamente iluminado, poucas vezes visto pelos cantos do país. Tudo pela comoção da mídia, pelo apelo que traz a expressão economia verde, que em tese geral pode significar a coexistência do progresso financeiro com a proteção do meio ambiente. Com sete bilhões de habitantes na Terra, falar sobre desenvolvimento sustentável é, no mínimo, sensato. Quantas bocas precisam ser alimentadas, corpos vestidos, mentes educadas. O planeta está demonstrando sinais relevantes de que algo vai muito mal. Enquanto alguns cientistas acreditam que o aquecimento global é apenas um estágio na evolução do planeta, outros bastante pessimistas atribuem à ação do homem como responsável pelo desequilíbrio da natureza, que vez ou outra pega de surpresa os terráqueos com a magnitude assustadora de tsunamis e terremotos. Para debater essas questões de cunho capitalista, por meio da exploração maciça do homem sobre os recursos naturais, a Cúpula dos Povos, evento paralelo à Rio+20, propõe uma nova discussão acerca do termo sustentabilidade. A Cúpula, na visão dos seus organizadores, pretende ser mais prática e objetiva ao expor à sociedade civil as razões dos problemas de ordem social e ambiental do planeta. Para eles, a Rio+20 é um evento de falsas soluções. Um país continental como o Brasil, que tem o pulmão do mundo, a Floresta Amazônica, no quintal de casa, faz muito pouco ou quase nada para proteger seu patrimônio verde. Um país tropical, com fauna e flora abundantes, dito popularmente como a terra escolhida por Deus, justamente por não sofrer de desastres naturais, tem se mostrado leigo e imprudente quando se trata de leis ambientais, como é o caso do Código Florestal que data de O novo projeto, que já foi submetido a análise da presidente Dilma Roussef e que sofreu vetos e alterações, terá ainda que ser votado em sessão conjunta da Câmara e do Senado. Desse modo, com leis tão arcaicas diante do novo cenário mundial que reza pela sustentabilidade, o Brasil está seguindo à risca o ditado popular casa de ferreiro, espeto de pau. O desmatamento, o crescimento desenfreado do agronegócio, invadindo e interiorizando a Floresta Amazônica, desabrigando ribeirinhos, expulsando índios, demonstram o despreparo no trato com as questões ambientais. Como crescer e continuar no rumo dos países emergentes sem prejudicar a flora e a fauna tão características do país tropical? São perguntas que ecoam à deriva, sem respostas. Depois de 20 anos da Rio 92, quando foram assinados importantes tratados sobre a questão ambiental do planeta, o conceito de desenvolvimento sustentável foi popularizado, mas não foi seguido por todos os países participantes da convenção, principalmente pelos maiores poluidores, como os Estados Unidos. A Rio+20 tem tudo para ficar no papel do Rascunho Zero, documento que norteará o encontro e vai definir o que é uma economia verde. Outro detalhe é que a conferência não obrigará o cumprimento de metas ambientais, sociais e econômicas. Então, tanta energia (física, elétrica e de outros tipos) empregada na conferência poderá servir apenas para inglês ver? Talvez nem isso, já que o chanceler David Cameron, do Reino Unido, não dará o ar da sua graça e elegância no evento tido como o norteador das decisões cruciais para o futuro da humanidade. Os olhos claros e nórdicos do primeiro-ministro certamente estarão voltados para a crise financeira que assola a Europa, e que, por descuido, pode bater à sua porta, tão pontualmente como o chá das cinco. E Mr.Obama, virá? Provavelmente não, pois precisa fazer dupla com a Sra. Angela Merkel na busca de dim-dim para socorrer os outros primos ricos, garantindo assim o sustento dos insustentáveis. Como anda a corrida eleitoral! Ricardo Gandra Salve, salve, queridos e queridas leitoras! Começou a corrida para as eleições municipais deste ano. Alguns nomes já saíram do papel ou das intenções para se tornarem concretos. Em Belo Horizonte, o PT saiu meio destroçado quando foram colocados os nomes para vice-prefeito, a fim de compor chapa com o atual prefeito Márcio Lacerda. Alguns membros petistas surpreenderam, de última hora, ao tentar inserir o nome do ex-prefeito e ex-ministro Patrus Ananias para o cargo cobiçado. Os outros candidatos abririam mão para Patrus entrar em ação, mas no meio do caminho havia um Miguel Corrêa Júnior, deputado federal que tem seu nome articulado para o cargo desde o início do ano. Miguel saiu como vencedor e será o vice de Lacerda. Enquanto isto o PSDB assiste o resultado meio enciumado. Se vencer as eleições, fatalmente o senador tucano Aécio Neves, que também é padrinho polícito de Lacerda, deverá cobrar secretarias para o partido. E a ideologia deste movimento, como anda? Não anda... E em Juiz de Fora? Na manchester mineira, o prefeito Custódio Mattos (PSDB), candidato natural do grupo político de Aécio, terá que concorrer com um pemedebista em ascenção, o deputado estadual e ex- -vereador da cidade, Bruno Siqueira. A juventude contra a experiência, a inovação contra o tradicional mas a questão é que Bruno não é oposição ferrenha do Governo de Minas, apesar de ser do PMDB. Mas também o PMDB consegue ser mais fragmentado que chão do cerrado no Norte de Minas, inclusive naquela cidade. Em São Paulo haverá uma briga boa: o ex-ministro Fernando Hadadd é apoiado pelo ex-presidente Lula, que já fez campanha para o companheiro até no programa do Ratinho. O amigo de Lula enfrentará o ex-ministro, ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, José Serra. O interessante deste confronto político é observar uma minúcia. Em eleição contra o próprio Lula e contra quem é apoiado pelo ex-presidente, Serra gostou de ser vice. Já tem o bi neste quesito! Agora, o tucano irá confrontar mais um que tem o apoio de Lula. Será que o ex-presidente consegue transferir seus votos para Haddad também. Será que Serra mostrará que em São Paulo seu nome é ainda imbatível? E o Paulo Maluf nesta corrida, como anda? Ao lado dos dinossauros, acho... Em Contagem, dois conhecidos da política devem se esbarrar: o ex-prefeito e ex-deputado estadual Ademir Lucas (PSDB), que está bem cotado nas pesquisas. O deputado estadual Carlin Moura (PC do B) é outro que aparece bem na fita e tudo leva a crer que terá o apoio do ex-governador e também ex-prefeito da cidade, o deputado federal Newton Cardoso (PMDB). A briga promete ser boa, porque Ademir é uma raposa na política, quando se comenta de esperteza e estratégia, mas se Carlin entrar no páreo e tiver realmente o apoio de Newton, notas de oncinha vão se multiplicar. Newtão na cola de Ademir e Maria Lúcia Cardoso na cola do dinheiro do ex-marido! Coisas da política! E no Rio de Janeiro, o diretório do PSDB já apresentou uma representação contra o ex-presidente Lula, que apesar de não estar falando direito, não esquenta a cabeça na hora de propagar em torno de seus preferidos. Na inauguração de um trecho do sistema de ônibus BRT, na semana passada, Lula chegou a pedir votos para a reeleição de Eduardo Paes (PMDB), atual prefeito da cidade. O ato colocou em fúria o deputado federal Otavio Leite, que o criticou, dizendo que fazer propaganda em palanque custeada pela população é ilegal. O homem pode até falar rouco, mas que ele consegue dar o recado, disto ninguém duvida! O Rio que já é calor ficará mais quente nos próximos dias com os capítulos da política! Até semana que vem! Assinaturas Formiga Outras cidades NOVA IMPRENSA Trimestral R$ 25,00 R$ 50,00 a GAZETA DO OESTE Semestral R$ 45,00 R$ 90,00 Os conceitos emitidos em matérias assinadas não são de responsabilidade do Jornal, assim como nenhum de nossos colunistas ou colaboradores é remunerado. Redação: Rua Dr. Newton Pires, sl CEP: Tel.: (37) Fax: (37) Site: Editor, Diretor e Jornalista Responsável: Paulo Roberto Coelho Rocha - RGMT - MG08276-JP; Registro Sindijori - 264/97 - Diretora Comercial: Normélia Gonçalves Vilela Coelho da Rocha - Equipe de Redação: Gleiton Arantes de Faria - Registro Profissional RGMT /MG e Cíntia Amária - Registro Profissional RGMT /MG - Colaboradora: Eliane Estevão - Registro Profissional RGMT11.699/MG - Diretor de Redação: Roberto Calvo - Registro Profissional 0127/MG /Prov. - SJPMG - Conselho Editorial: Claudinê Silvio dos Santos e Glaudson Rodrigues RGMTb Diagramação e arte: Maxuel Cruz. Propriedade: Empresa Jornalística Nova Imprensa Ltda. - CNPJ / Contrato de Constituição e posteriores alterações, reg. no Cart. de Títulos e Doc. de Formiga sob n o 454/ Livro A2 - em 13/02/97 - JUCEMG Representação no Brasil: Republicar Ltda. Rua Mármore, BH - Fone: (31) Fax: (31) Tiragem: exemplares. Impressão: Gráfica São Geraldo - Marilene Silva Vilela & Cia Ltda. - R. Jacinta de Oliveira, 22 (Centro) - Formiga - MG (37) CNPJ: / Somos filiados ao Sindjori /MG e FEBRAJOR. Nova Imprensa 3 rapidinhas do coelho Fonte: claudiohumberto.com.br Faltam provas A assessoria da Rio+20 garante ter sido feita pesquisa de mercado, diz que o aluguel saiu mais barato, mas não mostra comprovantes. Rio+20: aluguel custa o triplo do preço de compra O Governo Federal vai gastar R$ 7 milhões para alugar 22 mil itens de mobiliário para a Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que acontece nesta semana no Rio de Janeiro. Empresas que participaram do pregão garantem: o valor é três vezes mais alto do que se fossem comprados. Na Eco-92, os móveis foram comprados e até hoje são utilizados em órgãos públicos federais. Burocrático demais O governo alega que a Lei de Licitações dificulta a compra de mobília, ao contrário da época da Eco 92. A Lei de Licitações (8.666) é de Tenda dos milagres O Foro de São Paulo, dos cumpanhêro socialistas da América Latina, terá uma tenda na Cúpula dos Povos, paralela à Rio+20, no Aterro. DENÚNCIA A história se repete: ponte sobre o Rio Santana na BR-354 ameaça cair novamente Há exatamente 11 anos e 21 dias, o jornal Nova Imprensa denunciou em suas páginas, no dia 25 de maio de 2001, que a ponte sobre o Rio Santana na BR-354, no trecho entre Formiga e Campo Belo, ameaçava cair. As estacas de eucalipto, com aproximadamente 30 cm de diâmetro e que suportam a sua estrutura, estavam descobertas por causa do rebaixamento do leito do rio, o que ocorre quando a areia depositada no fundo é retirada desordenadamente, sem o menor controle, a montante dela. O então DNER, hoje denominado Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), depois de longo período em que nossas denúncias se repetiram e, após a interdição da rodovia por sentença de um corajoso magistrado que atuava na Comarca de Formiga (atendendo também ao apelo do Ministério Público), acabou por emitir ordem para a restauração da ponte e por ofício recomendou ao município não mais permitir a retirada de areia a montante da tal ponte. Passados todos esses anos, mais uma vez a história se repete. O jornal Nova Imprensa e o portal Últimas Notícias, como de costume, vêm novamente denunciar a retirada excessiva de areia do Rio Santana, causa principal do rebaixamento do rio, o que deixa as estruturas da ponte sem a proteção da água e torna as estacas de eucalipto que as sustentam frágeis e ineficientes. Também as estruturas de concreto, neles engastadas, já apresentam extensas rachaduras, que deixam suas ferragens à mostra e sensíveis a ação nefasta do tempo, por meio da oxidação. A consequência disso é que com a base de sustentação deteriorada, a ponte corre, mais uma vez, o iminente risco de cair e de levar consigo quem tiver a infelicidade de passar pelo local, em tal momento. Aliás, esta constatação, foi feita pelos próprios engenheiros do então DNER há mais de década. Hoje, a olhos vistos, a situação, nos parece mais crítica, pois uma simples comparação entre as fotos atuais e as de então, nos levam a temer pelo pior. Àquela época, medidas para coibir a retirada de areia do Rio Santana foram aplicadas pelo Conselho Municipal de Conservação e Defesa do Meio Ambiente (Codema) e pela Secretaria de Meio Ambiente de Formiga, mas infelizmente, o Departamento Passados 11 anos, a foto atual parece cópia da primeira publicada na capa do jornal de 2001, só que desta vez, o leito do rio está ainda mais rebaixado Fotos registradas em 2001comprovam que, apesar da suposta proibição do tráfego na BR-354, veículos trafegavam tranquilamente Nacional de Produção Mineral (DNPM) e os órgãos estaduais a quem cabe fiscalizar e normatizar a atividade logo, logo permitiram a continuidade da extração mineral, no mesmo local. E, o mais estranho é que o Dnit, segundo documento acostado em processo de licenciamento de empresa ali licenciada, atualmente afirma que a atividade não trás prejuízos ou causa danos à estrutura da ponte, numa opinião totalmente oposta a de seus próprios técnicos de então e que, contraria, ao que parece, no mínimo, a regras simples e normas técnicas que devem servir de parâmetro para quem se arvora em assinar documentos oficiais de tamanha importância. Certamente não houve, a julgar pela data do mesmo, sequer o cuidado de se proceder uma vistoria técnica no local. Há ainda que se lembrar mais uma vez que em 2001, depois de cinco meses passados da denúncia do jornal, o DNER reconheceu que a ponte realmente ameaçava cair e informou que suspenderia o tráfego pesado de veículo na estrada, até que a restauração da ponte ocorresse. Mas, infelizmente, também ali, a incúria prevaleceu e nada ou pouco se fez para se atender o interesse público. As fotos registradas à época pelos repórteres do jornal Nova Imprensa mostraram enormes e pesadas carretas trafegando por ali, normalmente, mesmo após a tal decisão. Agora, decorrida pouco mais de uma década, a situação do Rio Santana naquele local é cada vez pior. Já que o governo federal está há mais de ano, por meio de empreiteira, refazendo o recapeamento asfáltico do trecho que liga Formiga a Fernão Dias, perguntamos: Capas de jornais publicadas em 2001 retratam a situação precária da ponte sobre o Rio Santana Não seria esta, a hora de se providenciar com urgência o reforço da ponte? Afinal, sem ela, de pouco terão valido os bilhões empregados na pista de rolamento desta importante via e, mais ainda: quantas vidas poderão ser ceifadas se de fato o pior vier a ocorrer? 4 rapidinhas do coelho Ladeira Mais um setor em queda: o do tráfego de passageiros. O crescimento de 16%, em 2011, caiu para 5% em Março, e subiu só 0,3% em Abril. Novo Refis beneficia calote das universidades O governo federal articula, na moita, o novo projeto de refinanciamento Refis 6, para beneficiar universidades particulares que devem R$ 15 bilhões em impostos. Isto depois de terem sido beneficiadas pelo INSS com a renúncia a créditos de R$ 8 bilhões. As universidades prometem pagar os R$ 15 bi com bolsas, mas nem o Ministério da Fazenda nem o MEC sabem quantas bolsas foram geradas pelos R$ 8 bilhões. Caixa dois Programas de refinanciamento Refis sempre aparecem às vésperas de eleições, suspeitam auditores da Receita, para alimentar o caixa dois. Favoritismo O ministro João Otávio de Noronha, do Superior Tribunal de Justiça, é apontado como um dos favoritos à próxima vaga do Supremo Tribunal Federal. Nova Imprensa ORIGEM DO LEGISLATIVO Aprovado projeto que visa fiscalizar execução de obras no município O projeto de lei 602/2012 de autoria do vereador Eugênio Vilela/PV foi aprovado durante a reunião na Câmara Municipal de segunda- -feira (11). Caso seja sancionado pelo prefeito Aluísio Veloso/PT, o município de Formiga estabelecerá sistema de acompanhamento da qualidade das obras contratadas, visando garantir o cumprimento dos contratos assinados e o atendimento adequado das necessidades dos munícipes. De acordo com o projeto, o detalhamento do sistema de acompanhamento se dará por decreto do Poder Executivo, estabelecendo mecanismos, prazos e encaminhamentos necessários à consecução dos objetivos. Na justificativa, o vereador Eugênio Vilela destaca que o objetivo é resguardar a administração pública municipal de eventuais prejuízos por parte de empresas que não tenham condições financeiras de cumprir na íntegra, contratos para realização de obras públicas. Está prevista ainda a aplicação de sanções às empresas, em casos que envolvem a inexecução total ou parcial do contrato. Na reunião de segunda- -feira, Eugênio Vilela ressaltou que o projeto reforça a convicção de trabalhar em prol da coletividade. É impo
Search
Similar documents
View more...
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks