Slides

Apresentacao de segurança

Description
1. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netOrganizaOrganizaçção daão daSeguranSeguranççaa 2. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netSumárioObjectivo: Tomar…
Categories
Published
of 27
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netOrganizaOrganizaçção daão daSeguranSeguranççaa
  • 2. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netSumárioObjectivo: Tomar conhecimento de uma forma de comoorganizar a Segurança PatrimonialTemas abordarPolítica de SegurançaDefinições e ConceitosModelo de SegurançaAnálise de Riscos/VulnerabilidadesOs RiscosA caracterizaçãoO Manual de SegurançaOrganização da SegurançaGestão da SegurançaGestão da Emergência
  • 3. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netIntroduçãoDe acordo com a pirâmide de Maslow – conceituado Sociólogo –para o Homem as necessidades de Segurança seguem-se, por ordemde importância ás fisiológicasA Segurança constitui uma preocupação Individual e Social.A Segurança, ao longo do tempo, tem sido estudada com osobjectivos, simultâneos, de reduzir os factores de risco emelhorar a reacção dos meios a um eventual sinistro.Estes objectivos são atingidos quando a:- A nível estratégico é definida a Política de Segurança;- A nível Táctico se define e implementa o Modelo de Segurança;- A nível operacional se efectua a Gestão da Segurança
  • 4. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netDefiniçõesSeguranSeguranççaa – Acto ou efeito de segurar; afastamento detodo o perigo; condição do que está seguro; confiança,tranquilidade de espírito por não haver perigo; amparo;indivíduo encarregado da protecção de pessoas, bens,locais públicos ou privados; guarda-costas. Conjunto desistemas de um regime destinado a garantir protecçãocontra diversos riscos.RiscoRisco – Todo o agente que causa um dano ou perda deforma real ou potencialVulnerabilidadeVulnerabilidade – Qualquer debilidade que pode serexplorada por um adversário que possibilitará o acesso aoactivo de uma organização
  • 5. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netOs ConceitosSAFETYSECURITYComunicação e InformaçãoOs actuais conceitos da Segurança obrigam auma visão global de um triângulo: safety,security, Comunicação e Informação;Quanto o nosso objectivo, é um clima desegurança, devemos dar um tratamentoigualitário a todos os vértices deste triângulo
  • 6. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netPolítica de SegurançaA POLÍTICA DE SEGURANÇA é da responsabilidade e definidapelo “Dono da Organização” deve responder às seguintesquestões:- Que riscos assumir?- Que riscos prever e combater?- Que riscos transferir para terceiros?- Que riscos tratar conjugando asanteriores opções?
  • 7. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA Análise Riscos/VulnerabilidadesA análise de Riscos/Vulnerabilidades, efectuada porum Técnico, deve responder às seguintesquestões, relativamente ao espaço em questão:Que Factores de Insegurança?Que Utilizadores?Que Actividade desenvolvida?Que Caracterização da Envolvente?Que Área é mais provável de ocorrer um sinistro?
  • 8. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netOs RiscosOs Riscos dividem-se consoante a sua origem:Naturais, Tecnológicos, Sociais e GeraisNaturais: Ciclones/Tempestades, Cheias, SismosTecnológicos: Incêndio, Acidentes Rodoviários/Ferroviários/Aéreos,Colapso de Estruturas, Derrame de Líquidos/Gases, Explosão,Inundação, Encarceramento de PessoasSociais: Acto de exibicionismo, Ameaça de Bomba, Coacção,Furto, Homicídio/Suicídio, Intrusão, Manifestação/Ocupaçãode espaços, Sequestro, Vandalismo, Segurança VIP’sGerais: Acidentes de Trabalho, Desconforto Ambiental
  • 9. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netOs RiscosA Segurança trata os Riscos da seguinte forma:SafetyNaturaisTecnológicosSecurityAnti-SociaisHigiene Segurança Trabalho (existemtécnicos que enquadram a HST na vertente Safety)Acidentes trabalhoDesconforto ambiental
  • 10. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netOs UtilizadoresOs utilizadores, de acordo com a sua tipificação, condicionam aimplementação do Modelo de Segurança, estes podem ser:ResidentesElementos cuja actividade laboral é efectuada noEdifício, continuamente, sem terminus definido. DevemDevemconhecer e cumprir todas as regeras de seguranconhecer e cumprir todas as regeras de seguranççaaNão ResidentesElementos cuja actividade laboral é efectuada noEdifício, com ou sem regularidade, com terminusdefinido. Devem conhecer e cumprir as regrasDevem conhecer e cumprir as regrasbbáásicas de seguransicas de seguranççaaVisitantesElementos que se deslocam ao Edifício por um espaçotemporal curto. Desconhecem as regras deDesconhecem as regras deSeguranSeguranççaa
  • 11. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA Actividade DesenvolvidaA Tipificação das Áreas é efectuada em função daactividade em cada espaço como:Actividade principal da organizaçãoAdministraçãoCentros de Processamento de dados, gestão edecisãoInfra-estruturas e oficinasArquivos/ArmazénsEscritórios/ServiçosAlheios à actividade principal da organização
  • 12. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netCaracterização da EnvolventeDeve ser analisada a envolvente quanto aos factoresde risco face à actividade desenvolvida e/ouutilização do espaço, p.e.:- Abrir uma ourivesaria de luxo num bairroproblemático para a segurança;- Implementar uma bomba de gasolina no parque deestacionamento interior de um grande centrocomercial.Deve existir um estudo que outras actividades sãodesenvolvidas junto à instalação em causa, quetipo de caminhos e onde eles conduzem, tipologiade habitação e residentes, etc.
  • 13. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netAs Áreas de CirculaçãoAs Áreas de circulação dividem-se consoante a necessidade decirculação dos utilizadores entretanto identificados como:Residentes, Não Residentes, Visitantes.ÁREAS PÚBLICAS DE CIRCULAÇÃO E ACESSO DIRECTO- Permanente (Livre)- Condicionado (de acordo com o horário de funcionamento respectivo)- Vigiado (Mediante a apresentação de um título adequado)ÁREAS DE ACESSO CONTROLADOCentralmente- Perimétrico (geral)- Restrito (alta segurança)Localmente
  • 14. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netModelo de SegurançaUma rigorosa análise de riscos/vulnerabilidadesidentifica do que nos devemos proteger e,consequentemente, ajuda a definir como o vamosfazer, criando um Modelo de Segurança eficaz.É desejável alguma parcimónia na selecção/aplicaçãodos recursos, os quais devem ser dimensionados deacordo com as objectivas análises derisco/vulnerabilidades.É fundamental, o bom senso na análise custo/benefício,devendo evitar-se exageros inconsequentes.
  • 15. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netModelo de SegurançaO MODELO DE SEGURANÇA, é concebido por umTécnico de Segurança e deve definir:Quais os meios Humanos e Técnicos a utilizar naGestão de Segurança e das Emergências.É nesta fase que se define o tipo de postos de vigilância ea forma como todas componentes da Segurança sevão interligar e como vão ser monitorizados/operados.
  • 16. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netModelo de SegurançaComponentes do Modelo de Segurança- Humano- Informático- Electrónico- Opto-electrónico- Electro-mecânico- Mecânico- Passivo- Químico- Cognitivo
  • 17. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netO Manual de SegurançaO Manual de Segurança é um documento,dinâmico, que deve ser elaborado logo após adefinidos a Política e o Modelo de Segurança.O Manual de Segurança descreve em detalhe todoo Modelo de Segurança todos os seus meios,Humanos e Técnicos, como base de uma cabalGestão da Segurança e da Emergência.
  • 18. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netManual de SegurançaO Manual de Segurança é composto por:- Descrição dos potenciaisRiscos/Vulnerabilidades- Definição daPolítica/Modelo deSegurança- Descrição da ComponenteTécnica- Descrição da ComponenteHumana- Descrição da formação,treino e sensibilização- Plano de Emergência- Plano de Evacuação- Constituição e activaçãodo Gabinete de Crise- Procedimentos de Gestãoda Segurança- Procedimentos de Gestãoda Emergência- Plantas Técnicas- Manuais Técnicos e deoperação dos sistemas desegurança instalados
  • 19. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA organizaA organizaçção da Seguranão da SeguranççaaA Segurança é gerida a dois níveis:1. Preventivamente, efectuando a Gestãoda Segurança, garantindo diariamenteum ambiente seguro.2. Reactivamente, gerindo uma eventualEmergência situações para as quais aresposta dos meios humanos etécnicos deve ser a mais eficaz.
  • 20. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA Gestão da SegurançaExemplo de um Organograma Operacional da Gestão da SeguranExemplo de um Organograma Operacional da Gestão da SeguranççaaDirector de SegurançaSupervisãoCentral de SegurançaGrupo de Intervençãopara EmergênciasPostosVigilância deZonaPostos deVigilânciaLocalPostos de VigilânciaMóvelTécnico de Manutençãode Sistema
  • 21. A Gestão da EmergênciaAo elevar-se o nível hierárquico, naturalmente aumenta a esfera de competênciasA subida é ditada pela evolução da situação no Teatro OperaçõesGabinete de CriseGabinete de CriseGabinete de CriseDIRECTOR de SEGURANDIRECTOR de SEGURANÇÇAA Director Seg.SUPERVISORSUPERVISORSupervisorCHMSCHMSCentralDeSeg.Aumento do Nível Hierárquico/Esfera de Competências
  • 22. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netNuma situação de emergência grave devem serconstituídas Três Grupos de “combate” à situação:Operacional – Cujo objectivo é extinguir e/ou minimizar oimpacto na Organização e, no limite, “aguentar” até àchegada de meios externos;Apoio Logístico - Corresponder com a gestão de meioshumanos e técnicos às solicitações da equipaoperacional. Estabelecer a ligação entre o teatro deoperações e o centro de decisão.Decisório – Tomar as decisões em função do evoluir dasituação em consonância com os procedimentos e treinopara o efeito, utilizando sempre o bom sensoA Gestão da Emergência
  • 23. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA Gestão da EmergênciaO Grupo Operacional, composto por elementos da CHMS, noterreno deve reger-se pelos seguintes princípios e ter comoobjectivos o seguinte:- A MISSÃO- Eliminar/circunscrever/minimizar- O TERRENO- Conhecer o as zonas de actuação- O INCIDENTE- Preparado para enfrentar a Situação- Os MEIOS- Conhecer todos os meios de prevenção/acção ao seu dispor
  • 24. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA Gestão da EmergênciaA Grupo de apoio Logístico composta pelos meiossuplementares de apoio e manutenção, geridos pela Centralde Segurança tem como missão:Apoiar em tempo oportuno as solicitações de meios(humanos e técnicos) do Grupo Operacional;Coordenar todos os meios envolvidos, garantindo ocumprimento dos Procedimentos pré-estabelecidos;Manter a ligação com o escalão superior;Accionamento de meios externos quando aplicável;Se aplicável, coordenar a evacuação da instalação.
  • 25. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netA Gestão da EmergênciaEste Grupo é vulgarmente denominado de Gabinete/Comité de Crise éactivado pela Gestão da Segurança quando a situação está naiminência de atingir um alerta grave a sua composição e missão, porestrutura, é a seguinte:Director da Segurança – Garantir que todos os meios colocados ao seudispor cumprem os respectivos objectivos;Administração – cabe-lhe a tomada de decisões em função dasinformações entretanto recebidas;Equipas de Manutenção - Garantir o funcionamento de sistemas eequipamentos necessários ao combate ao IncidenteTransportes, LimpezaNTI - Garantir a continuidade do negócio e as comunicaçõespossíveisMarketing/Publicidade - Manter os media informados par evitarboatos e especulaçõesCompete a este Órgão, em conjunto com os meios externos, decidir sobre a Evacuação da Instalação
  • 26. www.juliosantos.net - js@juliosantos.netIdeias Chave- O processo de Organização da Segurança começa com a definição daPolítica de Segurança seguida da Análise de Riscos/Vulnerabilidades etermina com a definição e implementação do Modelo de Segurança- O Manual de Segurança é o documento de referência da organização deSegurança- O Gabinete de Crise é constituído por entidades decisórias e actuantes, cujamissão é reduzir o impacto na Organização de uma situação de emergênciagrave- Todos os Agentes da Segurança devem conhecer, na integra, os seusProcedimentos e estarem treinados exaustivamente para todas as situaçõesde emergência prováveis de acontecer na Instalação
  • Search
    Related Search
    We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks