Slides

Broadman vol 01 gênesis a êxodo

Description
1. Broadman 2. Volume 1 ComentárioBíblicoBroadman 3. Comentário Bíblico Broadman Volume 1 Artigos Gerais Gênesis-Êxodo TRADUÇÃO DE ADIEL ALMEIDA DE OLIVEIRA 4.…
Categories
Published
of 557
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. Broadman
  • 2. Volume 1 ComentárioBíblicoBroadman
  • 3. Comentário Bíblico Broadman Volume 1 Artigos Gerais Gênesis-Êxodo TRADUÇÃO DE ADIEL ALMEIDA DE OLIVEIRA
  • 4. Todos os direitos reservados. Copyright (c) 1969 da Broadman Press. Copyright (c)1987 da JUERP,para a língua portuguesa, com permissão da Broadman Press. O texto bíblico, nesta publicação, é da Versão da Imprensa Bíblica Brasileira, baseada na tradução em português de João Ferreira de Almeida, de acordo com os melhores textos em hebraico e grego. 220.7 All-Com Allen, Clifton J., ed. ger. Comentário Bíblico Broadman: Velho Testamento. Editor geral: Clifton J. Alien. Tradução de Adiei Almeida de Oliveira. Rio de Janeiro, Junta de Educação Religiosa e Publicações, 1987. Vol. 1 Título original: The Broadman Bible Commentary 1. Bíblia — Velho Testamento — Comentários. 2. Velho Testamento — Comentários. I. Título. 3.000/1987 Código para Pedido: 21.636 Junta de Educação Religiosa e Publicações da Convenção Batista Brasileira Caixa Postal 320 — CEP: 20001 Rua Silva Vale, 781 — CEP: 21370 Rio de Janeiro, RJ, Brasil Impresso em gráficas próprias
  • 5. Junta de Consultores Clifton I. Allen, ex-Secretário Editorial, Junta Batista de Escolas Dominicais da SBC J. P. Alien, Pastor, Igreja Batista de Broadway, Forth Worth John E. Barnes, Jr., Pastor, Igreja Batis­ ta de Main Street, Hattiesburg Olin T. Binkley, Presidente, Seminário Teológico Batista do Sudeste, Wake Forest, North Carolina WilliamJ. Brown, Gerente, Departamen­ to Oriental, Livrarias Batistas, Junta Batista de Escolas Dominicais John R. Claypool, Pastor, Igreja Batista de Crescent Hill, Louisville, Kentucky Howard P. Colson, Secretário Editorial, Junta Batista de Escolas Dominicais Chauncey R. Daley, Jr., Editor, Western Recorder, Middletown, Kentucky Joseph R. Estes, Secretário, Departa­ mento de Obra Relacionada aos Não- evangélicos, Junta Batista de Missões Nacionais da Southern Baptist Con­ vention William J. Fallis, Editor-Chefe, Livros Religiosos em Geral, Broadman Press Allen W. Graves, Deão, Escola de Edu­ cação Religiosa, Seminário Teológico Batista do Sul, Louisville, Kentucky Joseph F. Green, Editor, Livros de Estu­ do Bíblico, Broadman Press Ralph A. Herring, ex-Diretor, Departa­ mento de Extensão Seminarial, Con­ venção Batista do Sul Herschel H. Hobbs, Pastor, Primeira Igreja Batista, Oklahoma City Warren C. Hultgren, Pastor, Primeira Igreja Batista, Tulsa Lamar Jackson, Pastor, Igreja Batista Meridional, Birmingham L. D. Johnson, Capelão, Universidade Furman J. Hardee Kennedy, Professor de Velho Testamento e Hebraico, Seminário Teológico Batista de New Orleans Herman L. King, Diretor, Divisão de Pu­ blicação, Junta Batista de Escolas Dominicais da SBC William W. Lancaster, Pastor, Primeira Igreja Batista, Decatur, Georgia Randall Lolley, Pastor, Primeira Igreja Batista, Winston-Salem C. DeWitt Mathews, Professor de Prega­ ção, Seminário Teológico Batista do Centro-Oeste John P. Newport, Professor de Filosofia da Religião, Seminário Teológico Ba­ tista do Sudoeste Lucius M. Polhill, ex-Secretário Exe­ cutivo, Associação Geral Batista de Virgínia Porter Routh, Secretário Executivo Te­ soureiro, Comissão Executiva, Con­ venção Batista do Sul John L. Slaughter, ex-Pastor, Primeira Igreja Batista, Spartanburg R. Houston Smith, Pastor, Primeira Igre­ ja Batista, Pineville, Louisiana James L. Sullivan, Secretário Executivo, Junta Batista de Escolas Dominicais Ray Summers, Presidente, Departamen­ to de Religião, Universidade de Bay­ lor Charles A. Trentham, Pastor, Primeira Igreja Batista, Knoxville Keith von Hagen, Diretor, Divisão de Livraria, Junta Batista de Escolas Dominicais J. R. White, Pastor, Primeira Igreja Ba­ tista, Montgomery Conrad Willard, Pastor, Igreja Batista Central, Miami Kyle M. Yates, Jr., Professor de Reli­ gião, Universidade Estadual de Okla­ homa
  • 6. Colaboradores Clifton J. Alien, Junta Batista de Escolas Dominicais (aposentado): Artigo Ge­ ral Morris Ashcraft, Seminário Teológico Batista do Centro-Oeste: Apocalipse G. R. Beasley-Murray, Faculdade Spur­ geon, Londres: II Coríntios T. Milles Bennett, Seminário Teológico Batista do Sudoeste: Malaquias Reidar B. Bjornard, Seminário Teológico Batista do Norte: Ester James A. Brooks, Seminário Teológico Batista de New Orleans: Artigo Geral Raymond Bryan Brown, Seminário Teo­ lógico Batista do Sudeste: I Coríntios John T. Bunn, Universidade Campbell: Cântico dos Cânticos; Ezequiel Joseph A. Callaway, Seminário Teológico Batista do Sul: Artigo Geral E. Luther Copeland, Seminário Teoló­ gico Batista do Sudeste: Artigo Geral Bruce C. Cresson, Universidade Baylor: Obadias Edward R. Dalglish, Universidade Bay­ lor: Juizes; Naum John I. Durham, Seminário Teológico Batista do Sudeste: Salmos; Artigo Geral Frank E. Eakin, Jr., Universidade de Richmond: Sofonias Clyde T. Francisco, Seminário Teológico Batista do Sul: Gênesis; I e II Crôni­ cas; Artigo Geral D. David Garland, Seminário Teológico Batista do Sudoeste: Habacuque A. J. Glaze, Jr., Seminário Internacional Teológico Batista, Buenos Aires: Jo­ nas James Leo Green, Seminário Teológico Batista do Sudeste: Jeremias Emmett Willard Hamrick, Universidade de Wake Forest: Esdras; Neemias William L. Hendricks, Seminário Teoló­ gico Batista do Sudoeste: Artigo Ge­ ral E. Glenn Hinson, Seminário Teológico Batista do Sul: I e II Timóteo; Tito; Artigo Geral Herschel H. Hobbs, Primeira Igreja Ba­ tista, Oklahoma City: I e II Tessalo- nicenses Roy L. Honeycutt, Jr., Seminário Teoló­ gico Batista do Centro-Oeste: Êxodo; II Reis; Oséias William E. Hull, Seminário Teológico Batista do Sul: João Page H. Kelley, Seminário Teológico Ba­ tista do Sul: Isaías J. Hardee Kennedy, Seminário Teológi­ co Batista de New Orleans: Rute; Joel Robert B. Laurin, Seminário Americano Batista do Oeste: Lamentações John William Macgorman, Seminário Teológico Batista do Sudoeste: Gá- latas Edward A. McDowell, Seminário Teoló­ gico Batista do Sudeste (aposentado): I, II e IIIJoão Ralph P. Martin, Seminário Teológico Fuller: I Reis Dale Moody, Seminário Teológico Batis­ ta do Sul: Romanos William H. Morton, Seminário Teológi­ co Batista do Centro-Oeste: Josué Barclay M. Newman, Jr., Sociedade Bí­ blica Americana: Artigo Geral
  • 7. John P. Newport, Seminário Teológico Batista do Sudoeste: Artigo Geral John Joseph Owens, Seminário Teológico Batista do Sul: Números; Jó (com Tate e Watts); Daniel Wayne H. Peterson, Seminário Teológico Batista Golden Gate: Eclesiastes Ben F. Philbeck, Jr., Faculdade Carson- Newman: I e II Samuel William M. Pinson, Jr., Seminário Teo­ lógico Batista do Sudoeste: Artigo Geral Ray F. Robbins, Seminário Teológico Batista de New Orleans: Filemom Eric C. Rust, Seminário Teológico Batis- tista do Sul: Artigo Geral B. Elmo Scoggin, Seminário Teológico Batista do Sudeste: Miquéias; Artigo Geral Burlan A. Sizemore Jr., Seminário Teo­ lógico Batista do Centro-Oeste: Ar­ tigo geral David A. Smith, Universidade Furman: Ageu Ralph L. Smith, Seminário Teológico Batista do Sudoeste: Amós T. C. Smith, Universidade Furman: Atos; Artigo Geral Harold S. Songer, Seminário Teológico Batista do Sul: Tiago Frank Stagg, Seminário Teológico Ba­ tista do Sul: Mateus; Filipenses Ray Summers, Universidade Baylor: I e I I Pedro; Judas; Artigo Geral Marvin E. Tate, Jr., Seminário Teológico Batista do Sul: Jó (com Owens e Watts); Provérbios Malcolm O. Tolbert, Seminário Teológi­ co Batista de New Orleans: Lucas Charles A. Trentham, Primeira Igreja Batista, Knoxville: Hebreus; Artigo Geral Henry E. Turlington, Igreja Batista Uni­ versitária, Chapel Hill, Carolina do Norte: Marcos John S. W. Watts, Faculdade Serampo- re, Serampore. índia: Deuteronômio Jó (com Owens e Tate); Zacarias R. E. O. White, Faculdade Teológica Batista, Glasgow: Colossenses
  • 8. Prefácio O COMENTÁRIO BÍBLICO BROADMAN apresenta um estudo bíblico atualizado, dentro do contexto de uma fé robusta na autoridade, adequação e confiabilidade da Bíblia como a Palavra de Deus. Ele procura oferecer ajuda e orientação para o crente que está disposto a empreender o estudo da Bíblia como um alvo sério e compensador. Desta forma, os seus editores definiram o escopo e propósito do COMENTÁRIO, para produzir uma obra adequada às necessidades do estudo bíblico tanto de ministros como de leigos. As descobertas da erudição bíblica são apresentadas de forma que os leitores sem instrução teológica formal possam usá-las em seu estudo da Bíblia. As notas de rodapé e palavras são limitadas às informações essenciais. Os escritores foram cuidadosamente selecionados, tomando-se em consideração sua reverente fé cristã e seu conhecimento da verdade bíblica. Tendo em mente as necessidades de leitores em geral, os escritores apresentam informações especiais acerca da linguagem e da história onde elas possam ajudar a esclarecer o significado do texto. Eles enfrentam os problemas bíblicos — não apenas quanto à linguagem, mas quanto à doutrina e à ética — porém evitam sutilezas que tenham pouco a ver com o que devemos entender e aplicar da Bíblia. Eles expressam os seus pontos de vista e convicções pessoais. Ao mesmo tempo, apresentam opiniões alternativas, quando estas são esposadas por outros sérios e bem-informados estudantes da Bíblia. Os pontos de vista apresentados, contudo, não podem ser considerados como a posição oficial do editor. O COMENTÁRIO é resultado de muitos anos de planejamento e preparação. A Broadman Press começou em 1958 a explorar as necessidades e possibilidades deste trabalho. Naquele ano, e de novo em 1959, líderes cristãos — especialmente pastores e professores de seminários — se reuniram, para considerar se um novo comentário era necessário e que forma deveria ter. Como resultado dessas deliberações, em 1961, a junta de consultores que dirige a Editora autorizou a publicação de um comentário em vários volumes. Maiores planejamentos levaram, em 1966, à escolha de um editor geral e de uma Junta Consultiva. Esta junta de pastores, professores e líderes denominacionais reuniu-se em setembro de 1966, revendo os planos preliminares e fazendo definidas recomendações, que foram cumpridas à medida que o COMENTÁRIO se foi desenvolvendo. No começo de 1967, quatro editores consultores foram escolhidos, dois para o Velho Testamento e dois para o Novo Testamento. Sob a direção do editor geral, esses homens trabalharam com a Broadman Press e seu pessoal, a fim de planejar o COMENTÁRIO detalhadamente. Participaram plenamente na escolha dos
  • 9. escritores e na avaliação dos manuscritos. Deram generosamente do seu tempo e esforços, fazendo por merecer a mais alta estima e gratidão da parte dos funcionários da Editora que trabalharam com eles. A escolha da Versão da Imprensa Bíblica Brasileira “de acordo com os melhores textos em hebraico e grego” como a Bíblia-texto para o COMENTÁRIO foi feita obviamente. Surgiu da consideração cuidadosa de possíveis alternativas, que foram plenamente discutidas pelos responsáveis pelo Departamento de Publica­ ções Gerais da Junta de Educação Religiosa e Publicações. Dada a fidelidade do texto aos originais bem assim à tradução de Almeida, amplamente difundida e amada entre os evangélicos, a escolha justifica-se plenamente. Quando a clareza assim o exigiu, foram mantidas as traduções alternativas sugeridas pelos próprios autores dos comentários. Através de todo o COMENTÁRIO, o tratamento do texto bíblico procura estabelecer uma combinação equilibrada de exegese e exposição, reconhecendo abertamente que a natureza dos vários livros e o espaço destinado a cada um deles modificará adequadamente a aplicação desta abordagem. Os artigos gerais que aparecem no Volume 8 têm o objetivo de prover material subsidiário, para enriquecer o entendimento do leitor acerca da natureza da Bíblia. Focalizam-se nas implicações do ensino bíblico com as áreas de adoração, dever ético e missões mundiais da igreja. O COMENTÁRIO evita padrões teológicos contemporâneos e teorias mutáveis. Preocupa-se com as profundas realidades dos atos de Deus na vida dos ho­ mens, a sua revelação em Cristo, o seu evangelho eterno e o seu propósito para a redenção do mundo. Procura relacionar a palavra de Deus na Escritura e na Palavra viva com as profundas necessidades de pessoas e da humanidade, no mundo de Deus. Mediante fiel interpretação da mensagem de Deus nas Escrituras, portanto, o COMENTÁRIO procura refletir a inseparável relação da verdade com a vida, do significado com a experiência. O seu objetivo é respirar a atmosfera de relação com a vida. Procura expressar a relação dinâmica entre a verdade redentora e pessoas vivas. Possa ele servir como forma pela qual os filhos de Deus ouvirão com maior clareza o que Deus Pai está-lhes dizendo.
  • 10. Nota do Editor Para o Volume 1 Revisado A Editora Broadman é o departamento geral de publicação de livros da Junta de Escolas Dominicais da Convenção Ba­ tista do Sul dos Estados Unidos e, por­ tanto, está sujeita ao controle da Con­ venção. O seu programa de publicações é executado por oficiais administrativos que agem segundo a orientação e a polí­ tica de membros eleitos pela Convenção. Em 1969, a Editora Broadman publicou o primeiro volume do THE BROAD­ MAN BIBLE COMMENTARY, uma obra em doze volumes, destinada ao sério estudo da Bíblia, como parte dos com­ promissos programáticos correntes da Junta de Escolas Dominicais. Esta revisão do Volume 1 é publicada em resposta às decisões dos mensageiros de 1970 e 1971 da Convenção Batista do Sul, tendo sido estas decisões interpreta­ das pelos membros eleitos da Junta de Escolas Dominicais e implementadas pe­ los oficiais administrativos da Junta. Clyde T. Francisco foi encarregado de escrever um novo comentário sobre o li­ vro de Gênesis, para este volume. Bar- clay H. Newman, Jr., foi convidado a escrever um novo artigo a respeito de “As Escrituras Traduzidas”, visto que o escritor deste artigo anteriormente pu­ blicado pediu que a sua obra não fosse usada neste Volume 1revisado. A lista de colaboradores para todo o Comentário foi atualizada. Todo o outro material é idêntico ao do volume publicado em 1969. Abreviaturas ASV — American Standard Version Heb. — Hebraico IBB — Imprensa Bíblica Brasileira (Versão Revisada) IDB — Interpreter’s Dictionary of the Bible Int. — Introdução JBL — Journal ofBiblicalLiterature KJV — King James Version lit. — literalmente LXX — Septuaginta marg. — margem RSV — Revised Standard Version
  • 11. Sumário Artigos Gerais O Livro da Fé Cristã Clifton J. A llen .................... 17 As Escrituras Traduzidas Barclay M. Newmàn, Jr. .. 35 A Interpretação da Bíblia John P. Newport.................. 51 A Geografia da Bíblia B. Elmo Scoggin.................. 63 A Arqueologia e a Bíblia Joseph A. Callaway ............ 73 O Cânon e o Texto do Velho Testamento Burlan A. Sizemore, Jr . . . . 83 A História de Israel Clyde T. Francisco ............ 93 A Teologia do Velho Testamento E .C .R u st............................ 111 Abordagens Contemporâneas John I. Durhan.................... 131 no Estudo do Velho Testamento Gênesis Clyde T. Francisco Introdução.............................................................................................................. 145 Comentário Sobre o Texto.................................................................................... 171 Êxodo Roy L. Honeycutt, Jr. Introdução.................................................... ......................................................... 367 Comentário Sobre o Texto.................................................................................... 385
  • 12. Artigos Gerais
  • 13. O Livro da Fé Cristã Clifton J. Allen Começamos com a afirmação de que a Bíblia é a Palavra de Deus. Mas não po­ demos parar neste ponto. Os crentes pre­ cisam fazer algo mais do que simples­ mente louvar a Bíblia. Precisam estar preparados para se haverem com sérias interrogações a respeito da Bíblia. Estas interrogações são feitas não apenas por céticos e cínicos; são feitas também por estudantes devotos e aplicados da Bíblia. Empenhar-se em um estudo assim apli­ cado acarreta a necessidade de enfrentar todas as interrogações válidas a respeito da natureza e da autoridade da Bíblia, e uma mente aberta para avaliar a vali­ dade de suas declarações e a integridade de seu testemunho. Não temos razão para evitar essas interrogações. A Bíblia não está correndo o perigo de embaraço ou de extinção! Os crentes também precisam tornar-se mais conscientes dos questionamentos realistas, mas freqüentemente hostis e céticos do mundo incrédulo e secular a respeito da Bíblia. Esses questionamen­ tos exigem respostas, que são dadas por um conhecimento exato e profundo da Bí­ blia e por uma fé reverente, nutrida por uma compreensão inteligente desse Li­ vro. Uma opinião acerca da Bíblia que não sofreu ataques da ignorância do pre­ conceito, da incredulidade ou do orgulho humanista, pode não ser de confiança, porque não foi testada. Uma fé que não faz perguntas dificilmente é fé, porque não procura significado nenhum. Apropriadamente, perguntamos a res­ peito da Bíblia: Qual é a sua natureza? Como chegou até nós? Qual é a base de sua autoridade? Qual é a sua importân­ cia e qual o seu significado? Ao conside­ rarmos estas perguntas, é essencial ter­ mos em mente o que é a Bíblia. Mais do que qualquer outra coisa, ela é um re­ gistro e uma interpretação da auto-reve- lação de Deus ao homem: é a narrativa autêntica da revelação de Deus em Jesus Cristo, para a redenção do homem. É a história da salvação:1 o propósito salva­ dor, os atos salvadores, a graça salvadora e o poder salvador do Senhor; a missão salvadora do povo de Deus; e a consuma­ ção da obra salvadora de Deus através do senhorio de Cristo. Este conceito sobre que é a Bíblia é a perspectiva básica, da qual este artigo procurará explorar inter­ rogações importantes a respeito da Bí­ blia. I. A Natureza da Bíblia Está na hora de perguntar agora: Qual é a natureza da Bíblia? Em que sentido a Bíblia é a Palavra de Deus? Por que ela é tão difícil de se entender? Como é que um livro tão antigo tem importância atemporal? As respostas a estas pergun­ tas — e a outras de igual importância — exigem uma compreensão amadurecida do que é a Bíblia e uma percepção pene­ trante quanto aos seus antecedentes, suas características e seu propósito central. 1. Origem, Ambiente Formativo e Cultura Antes de tudo, que seja observado que a Bíblia é de origem antiqüíssima. Os primeiros capítulos falam a respeito da criação do Universo e do homem, a res­ 1 Cf. A. M. Hunter, The Message of the New, Testa­ ment, particularmente as p. 11 e 12. 17
  • 14. peito de Deus e de sua maneira de agir para com o homem, desde o começo do mundo, e a respeito de acontecimentos que precedem uma identificação históri­ ca exata. E, em seguida, a narrativa co­ meça a contar a história de Abraão e seus descendentes, estando estes fatos locali­ zados em cerca de 2000 a.C. O relato es­ crito da história contínua de Deus e seu povo se estende até cobrir o primeiro século da era cristã. Desta forma, a Bí­ blia precisa ser entendida como um livro muito antigo. Além disso, a Bíblia chegou a nós a partir de um cenário semita, isto é, o cenário do Oriente Próximo antigo. A Bí­ blia tem a ver especialmente com os descendentes de Abraão, o povo escolhi­ do de Deus, que habitou a terra de Canaã, uma faixa estreita ao longo do litoral oriental do Mediterrâneo. Essa pequena área era uma espécie de ponte ou via de contato entre o povo da região do vale do Tigre-Eufrates, a leste, e o povo do vale do Nilo, a sudoeste. O próprio Abraão representava o povo se­ mita que vivia no sudoeste da Ãsia: babi­ lônios, assírios, arameus, cananeus e fe­ nícios. Reconhecemos também que o povo da Bíblia expressa a cultura que era a sua herança e o seu ambiente formativo. O Velho Testamento reflete o ambiente agrícola e a
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks