Slides

China

Description
1. China: o impérioadormecido setransforma na potênciaeconômica do século XXI 2. Por que a China semprefoi temida pelo Ocidente?História milenarCultura de iniciativa…
Categories
Published
of 47
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. China: o impérioadormecido setransforma na potênciaeconômica do século XXI
  • 2. Por que a China semprefoi temida pelo Ocidente?História milenarCultura de iniciativa e inovaçãoCivilização e poderGrande populaçãoConquista e posse de rotas de comércioe de recursos naturais
  • 3. A civilização chinesa à frentedo mundo ocidental O que os chineses inventaram antes do Ocidente?
  • 4. Pólvora
  • 5. Tipografia
  • 6. Bússola
  • 7. Papel
  • 8. Seda
  • 9. Século XIII: Marco Polo e Kublai Khan As viagens de Marco Polo A rota da seda
  • 10. A China do Século XIV, sob a Dinastia Ming, tivera suaidade de ouro: a mais poderosa frota de navios domundo, grande prosperidade econômica eextraordinário desenvolvimento da arte e da cultura.Por que a China chegou ao Século XXcomo um país pobre, com grandestaxas de analfabetismo e dominadopor potências estrangeiras?
  • 11. A Dinastia Qing (1644-1912)Séculos de isolamento e de bloqueio àmodernização econômica
  • 12. Século XV: forma e extensão da Grande MuralhaConstruída ao longo de séculos, com extensão de mais de seis mil quilômetros.
  • 13. RESISTÊNCIA E AVERSÃO A OUTRAS FORMASDE CULTURASéculo XVI: o Império Celeste como centro do mundo e ainacessibilidade do Império do CentroO mandarinatoTriunfalismo cultural associado à mesquinhez e tiraniapolíticaA ausência do espírito de intercâmbio, permuta ecomparação internacional, bem como as restrições àpesquisa, ensino, desafio e competição
  • 14. Século XIX: o ocaso do Império A Primeira Guerra do Ópio (1839-1842) Os Tratados Desiguais e Hong Kong A Segunda Guerra do Ópio (1856)
  • 15. Século XIX: o ocaso do ImpérioApós a Guerra Sino-Japonesa de 1895, a China foidivida em áreas de domínio de potências estrangeiras Inglaterra, Alemanha, Rússia, França e Japão
  • 16. Século XIX: o ocaso do ImpérioA Revolução dos Boxers (1899-1900): a explosão de900 anos de isolamento político e autorreferênciaculturalA Revolução Xinhai e a República (1911-1912)
  • 17. O Último ImperadorAisin Gioro Puyi (1908-1967), proclamado Imperador aos 2 anos de idade, quandoainda era um menino, foi deposto e confinado ao Palácio Imperial da Cidade Proibida.
  • 18. O Palácio Imperial e a Cidade Proibida
  • 19. 1912:Fim da Dinastia QingA China chega ao século XX empobrecida eenfraquecida, sob o domínio de potênciasestrangeiras e com quase 300 anos de isolamentocientífico, cultural, econômico e político
  • 20. A China no século XIX
  • 21. A China do Século XX
  • 22. I CICLO REVOLUCIONÁRIO Revolta de 1851 Revolução dos Boxers II CICLO REVOLUCIONÁRIO Revolução de Xinhai Queda do Império Advento da RepúblicaA Era dos Ciclos III CICLO REVOLUCIONÁRIORevolucionários Revolução Nacionalista de Chiang-Khai-shek IV CICLO REVOLUCIONÁRIO A Grande Marcha de Mao Tsé Tung A Revolução Comunista O Grande Salto Adiante A Revolução Cultural V CICLO REVOLUCIONÁRIO Deng Xiao Ping e o fim do socialismo econômico Hintao e a Nova China do Século XXI
  • 23. Sun Yat-sen e a República (1912)Em 1908, o médico Sun Yat-sen funda o Partido Nacionalista (o Kuomintang) emoposição ao Império e à hegemonia estrangeira. Após a Revolução Democrática de1911, é escolhido Presidente provisório a partir de 1º de janeiro de 1912. O Kuomintang, o Partido Nacionalista
  • 24. Fundação do Partido ComunistaChinês em 1921
  • 25. Sun Yat-sen morre em 1925Em 1927 ocorre a Revolução Nacionalista eascensão de Chiang-Kai-shek
  • 26. A OCUPAÇÃO JAPONESA DE 1931Em 18 de setembro de 1931, militares japoneses explodiram parte de umaferrovia japonesa na Manchúria (hoje Shenyang) colocando a culpa noschineses. A sabotagem, conhecida como Incidente da Manchúria, era omotivo que o Japão queria para invadir a China, o que acabouacontecendo em grande escala em 1937.
  • 27. A GUERRA SINO-JAPONESADE 1937 E O MASSACRE DENANQUIM EM 1938 O príncipe Asaka
  • 28. A Grande Marcha de 1935 e a Revolução Comunista de 1949Negociações entre maoístas e nacionalistas(Mao x Zang Zyong) em 1945, na presençado Embaixador dos EUA, Patrick Hurley A Grande Marcha: 6.000 km Mao na Grande Marcha
  • 29. Mao e a Revolução Comunista de 1949: dotriunfo à tragédia e da tragédia à mudançade rumos.
  • 30. Em um período de 30 anos, a Revolução Maoísta (1949-1979):1) Dissolveu e desmontou as elites do país, varrendo todos os vestígios de influênciacultural da velha aristocracia e do Ocidente2) Valorizou a alfabetização e o ensino fundamental, com restrições ao desenvolvimentoda ciência e tecnologia e à especialização no ensino superior3) Encorajou o aumento do número de filhos, no período maoísta a população saltou de550 para 900 milhões3) Houve forte condenação ideológica de todas as formas de ganho individual e deespecialização e do desenvolvimento da tecnologia, que se constituíam em fatoresde desigualdade social4) Concentrou-se fortemente nos setores de indústria pesada e energia5) Colocou em segundo plano a indústria de bens intermediários (fertilizantes químicos,petroquímica e aços finos) e bens de consumo6) Apresentou baixa produtividade no setor de produção de alimentos e na indústria deconsumo em geral, por ausência de intercâmbio, apropriação de tecnologia ecompetitividade7) Fracassou rotundamente ao empreender a industrialização forçada como plano econômico denominado O Grande Salto Adiante (1957-1961)
  • 31. O Grande Salto Adiante (1957-1961), quepretendia uma comunização radical, fracassou rotundamente elevou a China à pior fome de todos os tempos (30 milhões depessoas passaram fome, segundo o Prêmio Nobel de EconomiaMichael Spence): como reação, deu-se o recrudescimento do regimee o advento da Revolução Cultural.
  • 32. A Revolução Cultural: ultrarradicalização sob o comandoda Camarilha dos Quatro. Mesmo pretendendo um efeitopolítico, acabou aprofundando a estagnação econômica.O Livro Vermelho de Mao e a Guarda Vermelha foram osinstrumentos desse período de intensificaçãorevolucionária da luta de classes.
  • 33. A morte deMao Tsé-tung(1976)e a ascensão deDeng Xiao Ping Este homem mudou os rumos da história mundial com uma frase Deng Xiao Ping: “É preciso caçar o rato, não importa a cor do gato”.
  • 34. Prisão e condenação da Camarilha dos Quatro, que era lideradapela mulher de Mao Tsé-tung, pela prática de abusos e atrocidadesdurante a Revolução Cultural Proletária
  • 35. Terceira Plenária do 11º Comitê Centraldo Partido Comunista Chinês (1978)A plenária concluiu que, sendo vitoriosa a luta contra a Camarilha dos Quatro, aênfase do trabalho do partido deveria mudar para a modernização econômica apartir de 1979. As “Quatro Modernizações”: Indústria Agricultura Ciência e Tecnologia Forças Armadas
  • 36. 1978, a grande mudança de rumo: aabertura para a economia de mercadoAs reformasUm país, dois sistemas (as zonas econômicas)Livre iniciativaDa produção coletiva para a produçãoindividualPropriedade privadaDireito ao lucroCompetição e liberdade de preçoLiberdade para o ensino e aprendizagemde línguas estrangeirasFormação de elites intelectuais no exteriorpara puxar o desenvolvimentoLiberdade para o investimento estrangeiro
  • 37. Evolução da renda per capita antes do Programa das QuatroModernizações. Era de 400 dólares antes de 1978 Passou a ser de 5.413 dólares(Dados colhidos junto ao Fundo Monetário Internacional em 12 deabril de 2012.)
  • 38. A idiossincrasia social, política e ideológica da China: Partido Comunista (partido único) e Capitalismo selvagem.Regime político totalitário Sistema de partido único econômico(Partido Comunista Chinês) capitalista desprovido de direitos sociais Quais são as consequências desta mescla: Capitalismo sem Democracia?
  • 39. A manifestação de 1989 naPraça Tiananmen
  • 40. Como é Capitalismo sem Democracia?Vide Direitos humanos e sociais / Meio-ambiente / DemocraciaVide resposta no vídeo “China Blue”, no seguinte endereço: http://www.youtube.com/watch?v=Wu5VG-pA8aE
  • 41. O MASTODONTE ECONÔMICO E A NOVA LÓGICA INTERNACIONALO planeta está sendo virado de cabeça pra baixo. O mundo desenvolvido desaba. Países emdesenvolvimento explodem em crescimento. Mas há algo curioso. Vejam: durante todo o final doséculo passado, ao longo dos duros anos 80 e 90, dissemos e repetimos à exaustão que era preciso queo Brasil revolucionasse sua matriz exportadora. Era preciso apropriar tecnologia e agregar qualidadecompetitiva à indústria brasileira para avançar sobre novos quadrantes do mercado mundial. O Brasilnão pode ser apenas um vendedor de commoditties ou produtos primários para o mundo. Esso foi econtinua sendo inteiramente uma lógica incontestável. No entanto, há algo de novo acontecendo nosoceanos e nós não percebemos claramente ainda. Há um supertransatlântico econômico movendopoderosamente suas engrenagens e, de certo modo, fazendo com que toda essa lógica ganhe um novosentido. A China atingiu um PIB de 7,46 trilhões de dólares em 2011. O Japão e a Alemanha, queforam ultrapassados na última década, jamais voltarão a encostar na China. A China assusta com seucrescimento irresistível: 9,11% no ano passado. A grande Alemanha? Não foi além de um crescimentode 3%. O Brasil? Não mais do que 2,8%. O gigante oriental dá um passo e faz tremer as camadasmesozóicas da Terra. Essa megapotência impõe-se duramente aos parceiros: os produtosindustrializados brasileiros têm enorme dificuldade de acesso ao mercado chinês. A estratégiacomercial da Chna é simples: estreita o gargalo de entrada de nossos produtos industrializados lá e,em contrapartida, compra quantidades colossais de minério de ferro e soja para alimentar suaindústria e sua população de 1 bilhão e 400 milhões de seres - amplia com nossa matéria-prima seusempregos industriais e reduz a fome de sua vastidão demográfica. A garganta voraz da Chinaestabeleceu elevou o patamar de preços dessas commoditties. E - pelo menos temporariamente - oBrasil ganha com isso. O supertransatlântico é, ao mesmo tempo, uma superlocomotiva. Umasuperlocomotiva que exerce sua posição dominante e não dá muitas opções aos vagões que seengajam em seu vasto e poderoso comboio. A Fundação de Economia e Estatística do RGS noticiou quefoi a soja que sustentou o crescimento das nossas exportações em 2011. Um dos maiores compradores:a China. Há um terremoto geoeconômico no mundo - com certeza. A premissa de que precisamosampliar nossa pauta industrial de exportações continua sendo rigorosamente irrefutável. Estamos, noentanto, submetendo-nos aos termos de intercâmbio impostos pelo poderoso dragão chinês. Eaceitando um papel subalterno no tabuleiro mundial, que contraria a lógica que sustentamos portantos anos. Para o novo tabuleiro, somos um país de commoddities. Lamentável... Por outro lado,sou obrigado também a reconhecer: se o Brasil não fosse grande produtor de alimentos eminério...não sei, não...talvez estivéssemos descarrilados.
  • 42. PROPAGANDA OFICIAL DO MAOÍSMO: ACEITAÇÃO DA ÉTICA DO ARMAMENTOINFANTILNa China de 1975, a ética revolucionária fazia aceitável que crianças convivessemcom armas de fogo. Reproduzia-se, então, a lógica secular do isolamento políticoe a manutenção do regime exigia um povo armado.A China de 2012 é a segunda economia do mundo.A China de hoje é o mastodonte econômico que puxa a locomotiva do século XXI.Posters oficiais do maoísmo:na China de 2012, aberta parao mundo, ensinar crianças eadolescentes a usar armasseria moralmente reprovável.
  • 43. Questões geopolíticas atuais:TaiwanTibetHong KongMacau
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks