Slides

Exercicios resolvidos contabilidade aula 13

Description
1. CONTABILIDADE EM EXERCÍCIOS - AULA 13 CONTABILIDADE GERAL EM EXERCÍCIOS CATHEDRA COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS PROF. MORAES JR. 2. CONTABILIDADE EM EXERCÍCIOS…
Categories
Published
of 31
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. CONTABILIDADE EM EXERCÍCIOS - AULA 13 CONTABILIDADE GERAL EM EXERCÍCIOS CATHEDRA COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS PROF. MORAES JR.
  • 2. CONTABILIDADE EM EXERCÍCIOS Diversas Bancas Prezados Alunos, Ao final de cada aula, disponibilizo as questões que serão comentadas durante a aula. Caso você julgue conveniente, poderá testar seu conhecimento previa- mente antes de ver os gabaritos e as resoluções comentadas. Você pode simu- lar uma situação real de prova: para calcular o tempo de duração das provas, considere um tempo de 3 minutos por questão. Desta forma, utilizando esta metodologia, seu aprendizado será muito mais eficaz. Prova 14. Analista de Finanças e Controle – Área: Contábil-Financeira – 2008 – ESAF Questões Comentadas e Resolvidas 182. Em 31 de dezembro de 2007, a companhia Armazéns Gerais S/A organi- zou, em ordem alfabética, a seguinte relação de contas, com os respectivos saldos, para fins de elaboração de um balancete geral de verificação: Contas Saldos Ações de Coligadas 1.400,00 Ações de Controladas 800,00 Ações em Tesouraria 340,00 Amortização Acumulada 400,00 Bancos c/ Movimento 3.000,00 Caixa 1.000,00 Capital Social 9.000,00 Capital Social a Realizar 1.600,00 Clientes 1.950,00 Comissões Ativas 240,00 Comissões Ativas a Receber 100,00 Comissões Ativas a Vencer 120,00 Comissões Passivas 300,00 Comissões Passivas a Vencer 80,00 Contribuições Previdenciárias 600,00 Contribuições a Recolher 350,00 Custo das Vendas 4.800,00 Depreciação Encargos 680,00 Depreciação Acumulada 1.200,00 Duplicatas a Pagar 4.200,00 Duplicatas a Receber 2.100,00 Duplicatas Descontadas 1.300,00 Empréstimos Bancários 3.500,00 Fornecedores 2.200,00 Imóveis 3.800,00 Impostos 300,00 Impostos a Recolher 180,00 Impostos a Recuperar 220,00 Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 2
  • 3. Marcas e Patentes 1.180,00 Mercadorias 2.150,00 Moveis e Utensílios 2.000,00 Prejuízos Acumulados 440,00 Provisão para Devedores Duvidosos 210,00 Provisão para Férias 960,00 Provisão para FGTS 600,00 Provisão para Imposto de Renda 320,00 Receita de Vendas 7.800,00 Reservas de Capital 680,00 Reservas Estatutárias 440,00 Reserva Legal 500,00 Salários e Ordenados 1.800,00 Valores Mobiliários 700,00 Veículos 4.000,00 Considerando que o Contador, propositalmente, para testar o raciocínio, deixou de incluir uma conta na referida relação, pede-se: indique a opção que contém o valor da soma dos saldos devedores indicados. (a) R$ 35.240,00. (b) R$ 33.240,00. (c) R$ 32.150,00. (d) R$ 32.130,00. (e) R$ 30.130,00. Resolução Atenção os conceitos estudados na aula passada sobre “Contas a Vencer”: “Receitas” a Vencer = Receitas Antecipadas = Passivo Circulante “Despesas” a Vencer = Despesas Antecipadas = Ativo Circulante Utilizando a nova classificação da MP n o 449/08: Contas Saldo De- Saldo Cre- Característica vedor dor Ações de Coligadas 1.400,00 Ativo Não Circulante - Investimentos Ações de Controladas 800,00 Ativo Não Circulante - Investimentos Ações em Tesouraria 340,00 Patrimônio Líquido - Retifi- cadora Amortização Acumulada 400,00 Ativo Não Circulante – Intangível ou Imobiliza- do - Retificadora Bancos c/ Movimento 3.000,00 Ativo Circulante Caixa 1.000,00 Ativo Circulante Capital Social 9.000,00 Patrimônio Líquido Capital Social a Realizar 1.600,00 Patrimônio Líquido - Retifi- cadora Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 3
  • 4. Clientes 1.850,00 Ativo Circulante Comissões Ativas 240,00 Receita Comissões Ativas a Receber 100,00 Ativo Circulante Comissões Ativas a Vencer 120,00 Passivo Circulante Comissões Passivas 300,00 Despesa Comissões Passivas a Ven- 80,00 Ativo Circulante cer Contribuições Previdenciá- 600,00 Despesa rias Contribuições a Recolher 350,00 Passivo Circulante Custo das Vendas 4.800,00 Despesa Depreciação Encargos 680,00 Despesa Depreciação Acumulada 1.200,00 Ativo Não Circulante – Imobilizado - Retifica- dora Duplicatas a Pagar 4.200,00 Passivo Circulante Duplicatas a Receber 2.100,00 Ativo Circulante Duplicatas Descontadas 1.300,00 Ativo Circulante – Retifica- dora Empréstimos Bancários 3.500,00 Passivo Circulante Fornecedores 2.200,00 Passivo Circulante Imóveis 3.800,00 Ativo Não Circulante - Investimentos Impostos 300,00 Despesa Impostos a Recolher 180,00 Passivo Circulante Impostos a Recuperar 220,00 Ativo Circulante Marcas e Patentes 1.180,00 Ativo Não Circulante - Intangível Mercadorias 2.150,00 Ativo Circulante Moveis e Utensílios 2.000,00 Ativo Não Circulante - Imobilizado Prejuízos Acumulados 440,00 Patrimônio Líquido – Retifi- cadora Provisão para Devedores 210,00 Ativo Circulante - Retifica- Duvidosos dora Provisão para Férias 960,00 Passivo Circulante Provisão para FGTS 600,00 Passivo Circulante Provisão para Imposto de 320,00 Passivo Circulante Renda Receita de Vendas 7.800,00 Receita Reservas de Capital 680,00 Patrimônio Líquido Reservas Estatutárias 440,00 Patrimônio Líquido Reserva Legal 500,00 Patrimônio Líquido Salários e Ordenados 1.800,00 Despesa Valores Mobiliários 700,00 Ativo Circulante Veículos 4.000,00 Ativo Não Circulante - Imobilizado Total 35.240,00 34.200,00 GABARITO: A Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 4
  • 5. 183. A empresa Balanceamentos Exatos Ltda., em 31 de dezembro de 2007, mandou elaborar o balanço patrimonial com base nas seguintes contas e res- pectivos saldos: Contas Saldos Capital Social 18.000,00 Receita de Vendas 17.200,00 Ações de Coligadas 4.400,00 Duplicatas a Pagar 10.800,00 Caixa 5.700,00 Comissões Ativas 480,00 Capital Social a Realizar 3.200,00 Móveis e Utensílios 11.600,00 Empréstimos Bancários 9.000,00 Comissões Ativas a Receber 2.200,00 Custo das Vendas 9.600,00 Reserva Legal 1.480,00 Veículos 8.000,00 Contribuições a Recolher 700,00 Duplicatas a Receber 8.200,00 Comissões Passivas 600,00 Reservas Estatutárias 2.240,00 Depreciação Acumulada 2.400,00 Impostos a Recolher 1.000,00 Duplicatas Descontadas 2.600,00 Contribuições Previdenciárias 1.200,00 Prejuízos Acumulados 880,00 Marcas e Patentes 4.360,00 Provisão para Férias e FGTS 3.120,00 Provisão para Devedores Duvidosos 420,00 Depreciação Encargos 1.360,00 Ações em Tesouraria 680,00 Amortização Acumulada 800,00 Comissões Ativas a Vencer 240,00 Mercadorias 5.700,00 Impostos 600,00 Salários e Ordenados 1.600,00 Comissões Passivas a Vencer 160,00 Impostos a Recuperar 440,00 A elaboração do balanço geral, nos termos da Lei n. 6.404/76, com as altera- ções cabíveis, certamente, vai apurar o valor de (a) R$ 25.840,00 no ativo permanente. (b) R$ 24.860,00 no passivo circulante. (c) R$ 19.380,00 no ativo circulante. (d) R$ 17.680,00 no patrimônio líquido. (e) R$ 1.840,00 no resultado do exercício. Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 5
  • 6. Resolução Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Receita de Vendas 17.200,00 (-) Custo das Vendas (9.600,00) (+) Comissões Ativas 480,00 (-) Comissões Passivas (600,00) (-) Contribuições Previdenciárias (1.200,00) (-) Depreciação Encargos (1.360,00) (-) Impostos (600,00) (-) Salários e Ordenados (1.600,00) Resultado do Exercício 2.720,00 O resultado do exercício será transferido para o Patrimônio Líquido, onde have- rá a compensação dos prejuízos acumulados: Saldo Transitório da conta “Prejuízos Acumulados” = (880,00) + 2.720,00 = 1.840,00 (serão distribuídos como Dividendos – Dividendos a Distribuir) Prejuízos Acumulados (que viraram Lucros) a Dividendos a Distribuir 1.840 Balanço Patrimonial Ativo Ativo Circulante Caixa 5.700,00 Comissões Ativas a Receber 2.200,00 Duplicatas a Receber 8.200,00 (-) Duplicatas Descontadas (2.600,00) (-) Provisão para Devedores Duvidosos (420,00) Mercadorias 5.700,00 Comissões Passivas a Vencer 160,00 Impostos a Recuperar 440,00 Total do Ativo Circulante 19.380,00 Ativo Não Circulante Investimentos Ações de Coligadas 4.400,00 Imobilizado Móveis e Utensílios 11.600,00 Veículos 8.000,00 (-) Depreciação Acumulada (2.400,00) Intangível Marcas e Patentes 4.360,00 (-) Amortização Acumulada (800,00) Total do Ativo Não Circulante 20.760,00 Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 6
  • 7. Total do Ativo 44.540,00 Passivo Passivo Circulante Duplicatas a Pagar 10.800,00 Empréstimos Bancários 9.000,00 Contribuições a Recolher 700,00 Impostos a Recolher 1.000,00 Provisão para Férias e FGTS 3.120,00 Comissões Ativas a Vencer 240,00 Dividendos a Distribuir 1.840,00 Total do Passivo Circulante 26.700,00 (*)Total do Passivo Circulante 24.860,00 (sem dividendos a dis- tribuir) – repare que aqui há uma “pegadinha” da banca, pois caso vo- cê não considerasse os dividendos a distribuir, havia uma alternativa com este valor. Patrimônio Líquido Capital Social 18.000,00 (-) Capital Social a Realizar (3.200,00) Reserva Legal 1.480,00 Reservas Estatutárias 2.240,00 (-) Ações em Tesouraria (680,00) Total do Patrimônio Líquido 17.840,00 Total do Passivo 44.540,00 GABARITO: C 184. A empresa Mercearia Comercial Ltda. iniciou o exercício no mês de janei- ro com o saldo de R$ 2.000,00 na conta Caixa e de outros R$ 2.000,00 na conta Estoque de Mercadorias. Durante o mês, a empresa realizou as seguintes transações: 1. recebimento do aluguel do mês, no valor de R$ 40.000,00; 2. compra de mercadorias a prazo, no valor de R$ 100.000,00, sendo 10% de entrada; 3. venda a vista de mercadorias por R$ 40.000,00, alcançando um lucro bruto de 30%; 4. venda a prazo de mercadorias por R$ 30.000,00, com entrada de 20% do preço, sofrendo um prejuízo da ordem de 10% do preço; e 5. pagamento de R$ 40.000,00 de duplicatas e de 10% de juros da dívida com fornecedores. Considerando exclusivamente estas seis operações e que as compras e vendas são isentas de impostos, podemos dizer que, ao final do mês, vamos encontrar (a) R$ 12.000,00 em lucro de vendas. (b) R$ 32.000,00 de saldo na conta Caixa. Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 7
  • 8. (c) R$ 34.000,00 de saldo na conta Caixa. (d) R$ 41.000,00 em Estoque de Mercadorias. (e) R$ 44.000,00 em Estoque de Mercadorias. Resolução O objetivo desta questão é verificar quais dos fatos contábeis abaixo causam variação na conta “Caixa” e/ou na conta “Mercadorias”. Caixa – Saldo Inicial = 2.000 Mercadorias – Saldo Inicial = 2.000 1. recebimento do aluguel do mês, no valor de R$ 40.000,00; Caixa a Aluguéis a Receber 40.000 Caixa – Saldo = 2.000 + 40.000 = 42.000 Mercadorias – Saldo = 2.000 2. compra de mercadorias a prazo, no valor de R$ 100.000,00, sendo 10% de entrada; Mercadorias a Diversos a Caixa 10.000 a Fornecedores 90.000 100.000 Caixa – Saldo = 42.000 – 10.000 = 32.000 Mercadorias – Saldo = 2.000 + 100.000 = 102.000 3. venda a vista de mercadorias por R$ 40.000,00, alcançando um lucro bruto de 30%; Lucro Bruto = 30% x 40.000 = 12.000 CMV = 70% x 40.000 = 28.000 Caixa a Receita Bruta de Vendas 40.000 CMV a Mercadorias 28.000 Caixa – Saldo = 32.000 + 40.000 = 72.000 Mercadorias – Saldo = 102.000 – 28.000 = 74.000 Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 8
  • 9. 4. venda a prazo de mercadorias por R$ 30.000,00, com entrada de 20% do preço, sofrendo um prejuízo da ordem de 10% do preço; e Prejuízo = 10% x 30.000 = 3.000 CMV = 30.000 + 3.000 = 33.000 Diversos a Receita Bruta de Vendas Caixa 6.000 Duplicatas a Receber 24.000 30.000 CMV a Mercadorias 33.000 Caixa – Saldo = 72.000 + 6.000 = 78.000 Mercadorias – Saldo = 74.000 – 33.000 = 41.000 5. pagamento de R$ 40.000,00 de duplicatas e de 10% de juros da dívida com fornecedores. Juros Passivos = 10% x Fornecedores = 10% x 90.000 = 9.000 Diversos a Caixa Duplicatas a Pagar 40.000 Juros Passivos 9.000 49.000 Caixa – Saldo Final = 78.000 – 49.000 = 29.000 Mercadorias – Saldo Final = 41.000 Lucro nas Vendas = 12.000 – 3.000 = 9.000 GABARITO: D 185. A empresa Negócios de Comércio S.A., em 31 de dezembro de 2007, en- tre outras contas, apresentou para balanço os seguintes dados: Vendas deste exercício R$120.000,00 Compras deste exercício R$100.000,00 Compras do ano passado R$ 30.000,00 Frete pago sobre as compras R$ 8.000,00 Frete pago sobre as vendas R$ 6.000,00 Impostos apurados no exercício: IPVA R$ 1.200,00 Imposto de Renda R$ 1.500,00 IPTU R$ 2.000,00 IPI sobre as compras R$ 5.000,00 ICMS sobre as compras R$ 12.000,00 ICMS sobre as vendas R$ 14.000,00 Estoque final de mercadorias R$ 40.000,00 Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 9
  • 10. Com base nas informações fornecidas acima, podemos calcular um lucro ope- racional bruto no valor de (a) R$ 25.000,00. (b) R$ 23.000,00. (c) R$ 21.000,00. (d) R$ 20.000,00. (e) R$ 15.000,00. Resolução Ajustes das Compras - Devoluções de compras; - Fretes; - Seguros; - Abatimentos; - Carga e Descarga; - Armazenagem; - Descontos Incondicionais Obtidos - Tributos (recuperáveis e não-recuperáveis). (+) Compras (+) Tributos Não Recuperáveis (-) Tributos a Recuperar Compras Brutas (-) Devoluções (+) Fretes + Seguros (+) Carga + Descarga + Armazenagem (-) Abatimentos (-) Descontos Incondicionais Obtidos Compras Líquidas I – Cálculo do CMV: Compras do Ano Passado = Estoque Inicial = 30.000 Compras deste exercício 100.000,00 (+) Frete pago sobre as compras 8.000,00 (+) IPI sobre as compras 5.000,00 (-) ICMS sobre as compras (12.000,00) Compras Líquidas 101.000,00 Estoque Final = 40.000 CMV = EI + C – EF => CMV = 30.000 + 101.000 – 40.000 = 91.000 Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 10
  • 11. II – Cálculo do Lucro Bruto: Vendas do Período 120.000 (-)ICMS sobre as vendas (14.000) Receita Líquida de Vendas 106.000 (-) CMV (91.000) Lucro Bruto 15.000 GABARITO: E 186. A empresa Dúbias Cobranças S/A tinha créditos no valor de R$ 160.000,00 em 31.12.06 e de R$ 110.000,00 em 31.12.07. Durante o exercí- cio de 2007, houve a baixa de perdas no valor de R$ 3.200,00, referente a créditos já existentes em 2006 e de R$ 1.100,00, referente a créditos de 2007. A conta provisão para créditos de liquidação duvidosa foi a balanço em 2006 com saldo de R$ 4.800,00 e deverá ir a balanço em 2007 com saldo equivalen- te a 3% dos créditos cabíveis. Após a contabilização dos ajustes para o balanço de 2007, pode-se dizer que essa empresa contabilizou, no exercício de 2007, perdas com créditos de liquidação duvidosa no valor de (a) R$ 2.800,00. (b) R$ 3.300,00. (c) R$ 3.900,00. (d) R$ 7.100,00. (e) R$ 7.600,00. Resolução Provisão p/ Créditos de Liquidação Duvidosa ou Provisão p/ Devedores Duvidosos ou Provisão p/ Perdas com Créditos Incobráveis Corresponde ao valor provisionado ao final de cada exercício social pa- ra cobrir, no exercício seguinte, perdas decorrentes de não recebimen- to de direitos da empresa (Ex: Duplicatas a Receber, Clientes). O valor da provisão é obtido a partir da aplicação de um percentual (baseado em estu- dos realizados tendo por base as perdas ocorridas nos últimos exercícios) so- bre os valores dos direitos existentes na época do Balanço Patrimonial. Este provisão é uma conta retificadora das contas “Clientes” ou “Duplicatas a Receber”. Lançamentos: Constituição da Provisão: Despesa com Provisão (Despesa) a Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (Ativo Circulante – Retif.) Perda Consumada: Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (Ativo Circulante – Retif.) a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 11
  • 12. Reversão da Provisão: Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (Ativo Circulante – Retif.) a Reversão de Provisão (Receita) Vamos à resolução da questão: Duplicatas a Receber = 160.000 (31/12/2006) PDD (31/12/2006) = 4.800 (3% dos créditos) Baixa por perdas de créditos de 2006 em 2007 = 3.200 PDD a Duplicatas a Receber 3.200 Saldo de PDD (31/12/2007) = 4.800 – 3.200 = 1.600 Baixa por perdas de créditos de 2007 em 2007 = 1.100 => repare que, se as perdas são do próprio exercício, ou seja, são referentes a créditos que não fa- zia parte do saldo final de Duplicatas a Receber em 2006, devem ser conside- radas diretamente como despesa, pois não houve provisão para estas perdas. Perdas com Clientes a Duplicatas a Receber 1.100 Duplicatas a Receber = 110.000 (31/12/2007) PDD (31/12/2007) = 3% x 110.000 = 3.300 Constituição de PDD = 3.300 – 1.600 1.700 (+) Perdas com Clientes (2007) 1.100 Perdas com Créditos de Liq. Duvidosa 2.800 GABARITO: A 187. Assinale abaixo a opção que contém uma afirmativa falsa. (a) A quota de depreciação registrável na escrituração, como custo ou despesa operacional, será determinada mediante a aplicação da taxa anual de depreci- ação sobre o custo de aquisição dos bens depreciáveis. (b) A quota anual de depreciação será ajustada proporcionalmente no caso de período-base com duração inferior a doze meses, e de bem acrescido ao ativo, ou dele baixado, no curso do período-base. (c) A taxa anual de depreciação será fixada em função do prazo durante o qual se possa esperar utilização econômica do bem pelo contribuinte, na produção de seus rendimentos. (d) Será admitida quota de depreciação referente a prédios ou construções não alugados nem utilizados pelo proprietário na produção dos seus rendimentos ou destinados a revenda. Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 12
  • 13. (e) Podem ser objeto de depreciação todos os bens sujeitos a desgaste pelo uso ou por causas naturais ou obsolescência normal, inclusive edifícios e cons- truções e projetos florestais destinados à exploração dos respectivos frutos. Resolução Depreciação: Consiste em considerar, como despesa ou custo do período, uma parte do valor gasto na compra de bens de consumo durável utili- zados nas atividades da empresa. Estes bens serão depreciados ao longo de sua vida útil, de modo que o valor gasto na sua aquisição seja consi- derado despesa ao longo dos anos de sua utilização. Lançamento: Despesas de Depreciação ou Encargos de Depreciação (Despesa) a Depreciação Acumulada (Ativo Permanente – Retificadora) - Causas: desgaste pelo uso, ação da natureza ou obsolescência; - Alcança bens materiais (tangíveis) classificados no Ativo Imobiliza- do e bens de renda classificados no grupo de Investimentos do Ativo Permanente (Ex: Imóvel alugado); - O bem poderá ser depreciado a partir da data em que for instalado, co- locado em serviço ou esteja em condições de produzir, independente- mente do dia do mês, ou seja, conta-se o primeiro mês integralmente, qualquer que seja o dia; - Taxa de Depreciação = 1/Vida Útil do Bem. Aproveito para chamar sua atenção a respeito dos recursos florestais (memori- ze para a prova): De acordo com o Regulamento do Imposto de Renda, só haverá exaus- tão de recursos florestais quando o esgotamento dos recursos estiver previsto para terminar antes do término do prazo contratual ou quan- do o prazo de exploração de recursos for indeterminado. - Exploração de Recursos Florestais (hipóteses): I – Quando o prazo contratual for inferior ao período previsto para es- gotamento dos recursos florestais, a perda de valor será contabilizada como amortização, e não como exaustão, pois antes do esgotamento dos recursos, o direito de exploração terá terminado; II – Quando o esgotamento dos recursos estiver previsto para ocorrer antes do fim do prazo contratual, a perda de valor será contabilizada como exaustão; III – Quando o prazo de exploração dos recursos florestais for inde- terminado, a perda de valor será contabilizada como exaustão; Prof. José Jayme Moraes Junior – Contabilidade em Exercícios – Diversas Bancas 13
  • 14. IV – Os projetos florestais destinados à exploração dos respectivos frutos sujeitam-se à depreciação, calculada com base na vida útil esti- mada dos recursos florestais objeto da exploração. Vamos analisar as alternativas: (a) A quota de depreciação registrável na escrituração, como cus
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks