Slides

Experimento 2 química prática

Description
1. EXPERIMENTO 2: INFLUÊNCIA DO RAIO IÔNICO O raio atômico está relacionado à metade da distância (d) entre dois núcleos de átomos vizinhos. Sabe – se também…
Categories
Published
of 4
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. EXPERIMENTO 2: INFLUÊNCIA DO RAIO IÔNICO O raio atômico está relacionado à metade da distância (d) entre dois núcleos de átomos vizinhos. Sabe – se também que esse raio é uma propriedade periódica, uma vez que aumenta de cima para baixo e da direita para a esquerda na tabela periódica. Nesse contexto, o raio iônico relaciona-se com a distância entre os núcleos de cátions e ânions e está ligado ao raio atômico: se um átomo perde elétrons (torna-se cátion, carga positiva) ele fica com o raio atômico menor, pois isso faz com que a repulsão entre os elétrons seja menor, logo, uma maior atração com os prótons, conseqüentemente, o raio diminui. Já quando o átomo ganha elétrons (torna-se ânion, carga negativa) ele tem um aumento no raio atômico, uma vez que a repulsão dos elétrons é maior. Além disso, tem-se a relação de íons isoeletrônicos (mesma quantidade de elétrons): quanto maior o número atômico, maior o raio. As tendências gerais do raio iônico são parecidas com as do raio atômico: Li+ < Na+ < K+ < Rb+ < Cs+ < Ca 2+ < Mn 2+ < Zn2+ . Portanto, devido à quantidade de elétrons e ainda a atração nuclear (maior ou menor) pode- se determinar o tamanho (grande/pequeno) do raio iônico/atômico. Logo, os raios dos cátions são menores e os dos ânions maiores que os raios dos átomos de origem. Tal fato pode ser explicado pela perda e recebimento de elétrons nos orbitais mais externos e também pelo aumento (no caso dos cátions) ou pela diminuição (no caso dos ânions) das cargas nucleares efetivas sobre os elétrons de valência dessas espécies. Toxidade dos reagentes/ perigos e riscos Sulfato de magnésio: causa irritação no trato respiratório, em grande quantidade, tosse e náuseas; em contato com os olhos causa irritação; se ingerido causa vômito. Cloreto de sódio: O consumo excessivo de sal causa risco de problemas de saúde como pressão alta. Cloreto de cálcio: tosse e aumento da freqüência respiratória, caso seja ingerido; em contato com a pele causa irritação. Sulfato ferroso: ação corrosiva direta na mucosa aumenta a acidose metabólica e morte celular. Nitrato de prata: veneno corrosivo, queimaduras se entrar em contato com a pele; fatal se for ingerido; em contato com alguns materiais podo causar fogo. Sulfato de sódio: caso entre em contato com alguma área do corpo casa irritação e intoxicação interna (se for engolido). Hidróxido de amônio: corrosivo; se for inalado causa queimaduras, edema pulmonar e até mesmo a morte; se ingerido pode causar tosses, vômito e desmaios.
  • 2. Ácido sulfúrico: corrosivo; caso entre em contato com alguma parte do corpo causa queimadura, vômito, choque circulatório e até mesmo a morte. Fila de reatividade: Li< K< Rb< Cs < Ba < Sr < Ca < Na < Mg < Al < Mn < Zn < Fe < Co < Ni < Pb < H < Cu < Ag < Pd < Pt <Au RESULTADOS DA PRÁTICA Experimento 1: No experimento 1 houve a reação dos sais Na+ , Mg2+ , Ca2+ , Ba2+ e Fe2+ (na forma de cloretos ou nitratos) dissolvidos em água com o hidróxido de amônio (NH4OH). NH3(aq) + H2O(liq)  NH4+ (aq) + OH- (aq) ( hidróxido de amônio). Na+ (aq) + OH- (aq)  NaOH (aq) Mg 2+ (aq) +2OH- (aq) Mg(OH)2 (s) Ca2+ (aq) + 2OH- (aq)  Ca(OH)2 (aq) Ba2+ (aq) + 2OH- (aq)  Ba(OH)2 (aq) Fe2+ (aq) + 2OH- (aq)  Fe(OH)2 (s) Em apenas dois casos houve precipitação (Fe(OH)2 e Mg(OH)2) , logo, sabe-se que essas bases são praticamente insolúveis em água. Experimento 2: No experimento 2 houve a reação dos sais Mg2+ , Ca2+ e Ba2+ (na forma de cloretos ou nitratos) dissolvidos em água, com o ácido sulfúrico. H2SO4 + H2O  H3O+ + HSO4 - HSO4- + H20  H3O+ + SO4 2- Mg2+ + SO4 2-  MgSO4 (aq) Ca2+ + SO4 2-  CaSO4 (s) Ba 2+ + SO4 2-  BaSO4 (s)
  • 3. Das três reações, apenas em duas houve precipitação, CaSO4 e BaSO4, o que mostra que ambos os sulfatos são praticamente insolúveis em água. Experimento 3: No experimento 3 houve a reação dos sais de cloreto de sódio, sulfato de sódio e nitrato de sódio com uma solução diluída de nitrato de prata. NaCl (aq) + AgNO3 (aq)  NaNO3 (aq) + AgCl (s) NaSO4(aq)+ 2AgNO3 (aq)  2NaNO3 (aq) + Ag2SO4 (aq) NaNO3 (aq) + AgNO3 (aq)  não ocorre Em apenas um dos tubos houve precipitação, AgCl(s), pois o cloreto de prata possui solubilidade muito baixa em água e se precipita na forma de um sólido branco. QUESTÕES PÓS-LABORATÓRIO 2- A coloração obtida é sempre relacionada ao cátion, pois se refere à energia emitida pelo elétron na camada de valência. Então, considerando um mesmo ânion pode apresentar cores diferentes para cátions distintos. Ex: BaCl2 = coloração amarelo esverdeado; CaCl2= coloração vermelha. 3- Ânions diferentes do mesmo cátion apresentarão a mesma coloração, porque a coloração é devido ao cátion. Ex: NaCl = coloração amarela; NaI= coloração amarela. 4- Sabe-se que quanto maior a diferença entre os raios dos átomos que compõem um composto, mais facilmente o mesmo será diluído em água. Nos compostos usados no experimento 1 percebemos que o Ca(OH)2 é mais solúvel que o NaOH, pois o tamanho do raio do cálcio, em ralação ao sódio, é maior.
  • 4. UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA DISCIPLINA: QUÍMICA PRÁTICA EXPERIMENTO 2 Aluno: Mônica Suelen, Jainy Cordeiro, Laura Castro, Silvanildo Macário Professor(a): Andréa Ferraz Turma: 1° Período de Engenharia Mecânica Data: 25 de Maio de 2014
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks