Slides

Figuras de linguagem

Description
1. FIGURAS DE LINGUAGEM 2. METÁFORA ã É uma figura de linguagem que indica duas características semânticas comuns entre dois conceitos ou ideias. ã É o emprego…
Categories
Published
of 22
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
  • 1. FIGURAS DE LINGUAGEM
  • 2. METÁFORA • É uma figura de linguagem que indica duas características semânticas comuns entre dois conceitos ou ideias. • É o emprego de um termo com significado de outro em vista de uma relação de semelhança entre ambos. É uma comparação subentendida. • •"Não sei que nuvem trago neste peito • que tudo quanto vejo me entristece..." • (Alexandre de Gusmão) • •" Sua boca é um cadeado E meu corpo é uma fogueira" (Chico Buarque de Holanda) • •‘‘Não fique pensando que o povo é nada, carneiro, boiada, débil mental pra lhe entregar tudo de mão beijada.’’ (Chico Buarque de Holanda)
  • 3. COMPARAÇÃO • É a aproximação de dois termos entre os quais existe alguma relação de semelhança, como na metáfora. A comparação, porém, é feita por meio de um conectivo e busca realçar determinada qualidade do primeiro termo. • •A chuva caía como lágrimas de um céu entristecido. • •"E há poeta que são artistas E trabalham nos seus versos como carpinteiro nas tábuas!..." (Alberto Caeiro) • •Como um grande borrão de fogo sujo O sol posto demora-se nas nuvens que ficam." (Alberto Caeiro)
  • 4. METONÍMIA É a substituição de uma palavra por outra, quando entre ambas existe uma relação de proximidade de sentidos que permite essa troca. Ex.: O estádio aplaudiu o jogador. O autor pela obra: ler Machado de Assis. • A causa pelo efeito, ou vice-versa: viver do trabalho. • O inventor pelo invento: comprar um Ford. • O concreto pelo abstrato, ou vice-versa: ter ótima cabeça (inteligência). • Parte pelo todo, ou vice versa: cinco cabeças de gado. • O gênero pela espécie: a estação das rosas. • O singular pelo plural: as chuvas chegaram. • O determinado pelo indeterminado: fazer mil perguntas. • O indivíduo pela classe: ser o cristo da turma.
  • 5. ANTÍTESE • Figura que consiste no emprego de termos com sentidos opostos. •" Tristeza não tem fim. felicidade sim ...." (Vinícius de Moraes) •" Eu preparo uma canção que faça acordar os homens e adormecer as crianças". (Drummond) •"Há de surgir uma estrela no céu cada vez que você sorrir, há de apagar uma estrela no céu cada vez que você chorar" (Gilberto Gil)
  • 6. PARADOXO • É uma proposição aparentemente absurda, resultante da reunião de idéias contraditórias. • •"Pra se viver do amor Há que esquecer o amor." • (Chico Buarque de Holanda) • •No discurso, sindicalista afirmou que o operário quanto mais trabalha mais tem dificuldades econômica
  • 7. PERSONIFICAÇÃO OU PROSOPOPEIA • Significa atribuir a seres inanimados (sem vida) características de seres animados ou atribuir características humanas a seres irracionais. É usada para tornar mais dramática a comunicação. EX: • Árvores pedem socorro. • O jardim olhava as crianças sem dizer nada. • A raposa disse algo que convenceu o corvo.
  • 8. HIPÉRBOLE • É Classificada como figura de pensamento, que consiste em exagerar uma ideia com finalidade expressiva. É um exagero intencional na expressão. Exemplo: Estou morrendo de sede. (em vez de estou com muita sede) Chorou rios de lágrimas. (em vez de chorou muito) Já lhe disse isso um milhão de vezes. (em vez de já lhe disse isso várias vezes)
  • 9. EUFEMISMO • Substitui um termo, ou uma expressão rude, por outro mais suave e agradável, para que a pessoa não se ofenda. O eufemismo tem o objetivo de suavizar uma palavra ou expressão. Exemplos: Ir para a terra dos pés juntos Você é desprovido de beleza Você faltou com a verdade. Ele virou uma estrelinha.
  • 10. IRONIA • É a utilização de palavras que manifestam o sentido oposto do seu significado literal. Desta forma, a ironia afirma o contrário daquilo que se quer dizer ou do que se pensa. • É a arte de gozar de alguém, de denunciar de criticar ou de censurar algo ou alguma coisa. A ironia procura valorizar algo, mas quando na realidade quer desvalorizar,
  • 11. ASSÍNDETO • O assíndeto é usado como recurso estilístico para enfatizar os termos mais importantes de uma sentença, considerando-se a ideia que se deseja transmitir nela. • Ocorre quando há a supressão (retirada) do conectivo (conjunção) • •O cantor interpretava a canção, o público vaiava. Ele insistia, o público continuava. Ele parou, quebrou o violão, saiu do palco. • •O vento zunia, as folhas caíam.
  • 12. POLISSINDETO • Figura de construção que consiste em repetir uma conjunção, ou preposição, mais vezes do que a ordem gramatical exige, entre as orações de um período ou entre os termos de oração e geralmente é a conjunção "e" e/ou "nem". • Ocorre quando há repetição do conectivo (conjunção). • •E falei, e gritei, e tentei, e gesticulei e pedi ajuda, mas ninguém parou para socorrer o gato acidentado. • •E a noite é negra e estrelas não brilham e pessoas mascaram a voz e a dor e expõem o rosto ao risco e à solidão.
  • 13. ANÁFORA • Consiste a repetição de uma ou mais palavras no início de orações, períodos ou versos sucessivos. É um recurso bastante utilizado em poemas e letras de músicas. Essa figura de linguagem também se dá pela utilização de pronomes demonstrativos e pronomes relativos que substituem palavras ditas em orações anteriores. • É a repetição de termos no início de cada verso ou frases. : • • "Era a mais cruel das cenas. Era a mais cruel das situações. Era a mais cruel das missões..."
  • 14. O que será (À flor da pele) O que será que me dá Que me bole por dentro, será que me dá Que brota à flor da pele, será que me dá E que me sobe às faces, e me faz corar E que me salta aos olhos a me atraiçoar E que me aperta o peito e me faz confessar O que não tem mais jeito de dissimular E que nem é direito ninguém recusar E que me faz mendigo, me faz suplicar O que não tem medida, nem nunca terá O que não tem remédio, nem nunca terá O que não tem receita Chico Buarque de Holanda
  • 15. GRADAÇÃO • É uma figura de linguagem, relacionada com a enumeração, onde são expostas determinadas ideias de forma crescente (em direção a um clímax) ou decrescente (anticlímax). Exemplos como figura de linguagem: Dei um passo, apressei-me, corri. Você era um bom professor, logo depois se tornou um gari e hoje não passa de um mendigo nas grandes cidades...
  • We Need Your Support
    Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

    Thanks to everyone for your continued support.

    No, Thanks