Genealogy

Gestão de Operações. Introdução à Engenharia de Produção

Description
Gestão de Operações Introdução à Engenharia de Produção 1 Taylor, Ford Longo ciclo de vida do produto Pouca diversidade Foco no preço, pouca atenção para a qualidade Altos volumes e foco na economia de
Categories
Published
of 20
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
Gestão de Operações Introdução à Engenharia de Produção 1 Taylor, Ford Longo ciclo de vida do produto Pouca diversidade Foco no preço, pouca atenção para a qualidade Altos volumes e foco na economia de escala 2 Atualmente Clico de vida curto e alta taxa de renovação Alta variedade de produtos Consumidores mais exigentes (qualidade e atendimento) Aumento da oferta 3 Gestão de Operações Vendas Gestão da Demanda Planejamento do Negócio Des. Produto Planejamento Operacional Compras Planejamento da Utilização de recursos Planejamento das necessidades materiais Gestão de Operações Controle da Produção Produção 4 MRP Material Requirements Planning Introdução à Engenharia de Produção 5 Estrutura do Produto A B(2) C(1) D(2) E(1) F(3) E(2) Sistemática de fácil compreensão, porém trabalhosa 6 Diagrama de Montagem Cadeira Acabada Pé frontal Assento Suporte do Encosto Barra Barra Pé traseiro 7 7 BOM em árvore Cadeira Acabada Montagem Dianteira Assento Montagem Traseira Pé (2) Barra Barra Pé traseiro Suporte do Encosto (3) 8 8 Exemplo Usando a informação dada segue: Determine a quantidade de B, C, D, E e F necessárias para montar um X. 9 9 Solução X X :1 B : B(2) C C : D: E : D(3) E(4) E E : E(2) F(2) E : F : Portanto, um X requer: B: 2 C: 1 D:6 F: 2 E: 28 (Veja que E aparece em três lugares: ) 10 10 Exemplo Usando a informação acima calcule: Quantidade de B, C, D, E, e F necessária para montar 10 Xs se houver em estoque: Componente B C D E Disponível Solução B : 2 10 D : D(3) E(4) E : B(2) E X E : X :10 C : E(2) Portanto, dado as quantidades disponíveis, para fazer 10 X é preciso: B: 16 C: 0 D: 40 F: Item E: 116 (=16+100) C F(2) B C D E E : 0 F : 0 Disp MRP Encomenda de 5000 unidades Resumidamente, necessitaremos de: X unidades da submontagem B, unidades da submontagem C, unidades do componente D, unidades do componente F, e unidades do componente E. B C 2x 1x D E F E 2x 1x 3x 2x 13 Registro Básico Item Período Lote NP Necessidade Produção projetada RP Recebimento previstos TA DM Disponível à mão NL Necessidade Líquida Produção ES PL Produção (lotes) Liberação da ordem 14 Registro Básico do MRP ES ou estoque de segurança: a quantidade mínima do item que se deseja manter em estoque. Lote: A quantidade em que o item é fabricado, quando produzido internamente, ou quando fornecido por terceiros. O modelo prevê a fabricação ou compra em quantidades que sejam múltiplos inteiros do lote. Assim se compra um, dois ou três,...,lotes. TA, tempo de atendimento ou lead time: O tempo previsto para a fabricação dos lotes ou para a entrega dos pedidos efetuados. Em outras palavras, é o prazo de entrega. 15 Registro Básico Disponível em mãos: a quantidade disponível do item em consideração no momento em que se faz o planejamento. S1,S2,...Sn: refere-se aos n períodos consecutivos de planejamento. Normalmente trabalha-se com semanas. NP ou necessidade produção projetada: São as quantidades que devem estar disponíveis em determinada semana. Trata-se da demanda projetada. RP ou recebimentos previstos: as quantidades anteriormente encomendadas, e que a entrega esta prevista para o período de planejamento em consideração. 16 Registro Básico NL ou necessidade liquida de produção: as quantidades que deveriam ser produzidas, ou compradas sem a consideração da restrição do tamanho do lote, ou quando o lote for unitário. PL ou produção em lotes. A quantidade a ser comprada. É multiplo inteiro do tamanho do lote ( ou outra regra definida). Liberação da ordem: a quantidade que deve ser pedida e a semana em que deve ser efetuada. 17 MRP Ponto Cruciais Lógica já testada Aplicativos Robustos (software) Comprometimento da alta direção com os objetivos da implantação; O treinamento intensivo e continuado em todos os níveis; O gerenciamento adequado do processo de implantação. 18 Exemplo Item TA (semanas) ES (Unidades) Lote (Unidades) Estoque em mãos (unidades) Fornecimento A LL 1500 I B 1 0 LL 0 I C 2 0 LL 0 I D M E E M I F M E LL=Lote Multiplo... M=Múltiplo de... I Fornecimento Interno Produção Própria E=Fornecimento de Terceiros Item comprado 19 Exemplo Item A Período Lote NP Necessidade Produção projetada RP Recebimento previstos TA DM Disponível à mão NL Necessidade Líquida Produção ES PL Produção (lotes) Liberação da ordem
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks