Games & Puzzles

I GRUPO DE ORAÇÃO LUGAR DE EXPERIÊNCIA DO AMOR DE DEUS

Description
ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO DE ORAÇÃO POR CURA E LIBERTAÇÃO D Por Marizete Martins Nunes do Nascimento Coordenadora Nacional do MOCL/RCCBRASIL Revisão Teológica: Pe. Jefferson Silva
Published
of 34
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Related Documents
Share
Transcript
ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO DE ORAÇÃO POR CURA E LIBERTAÇÃO D Por Marizete Martins Nunes do Nascimento Coordenadora Nacional do MOCL/RCCBRASIL Revisão Teológica: Pe. Jefferson Silva Dioc. de Bom Jesus do Gurgueia - PI I GRUPO DE ORAÇÃO LUGAR DE EXPERIÊNCIA DO AMOR DE DEUS O Grupo de Oração GO da Renovação Carismática Católica é o lugar onde o povo experimenta o amor de Deus e inicia-se o processo de cura e libertação em suas vidas. Todos os Servos de Oração por Cura e Libertação precisam ser assíduos a seus Grupos de Oração. Nenhuma outra reunião substitui a reunião de oração semanal. 1 / 37 Nossos Grupos de Oração precisam voltar a ser carismáticos, daí a necessidade de se exercitar na reunião de oração os dons de Línguas e Interpretação das Línguas, que desencadeiam no dom da Profecia, cuja escuta ocorre por meio do CICLO CARISMÁTICO, o qual leva ao exercício dos outros dons: o dom da Fé expectante, que suscita Curas e Milagres, e estimula a oração dois a dois com o exercício da Palavra de Ciência e de Sabedoria, permeados pelo Dom do Discernimento dos Espíritos. Ali inicia-se o processo de Cura e Libertação que posteriormente, se necessário, será acompanhado pelas Equipes de Atendimento do MOCL. Portanto, todas as pessoas chamadas a orar por Cura e Libertação precisam estar a postos no Grupo de Oração e incentivar o testemunho das curas e milagres ocorridos na reunião de oração. É preciso colher todos os dados dos testemunhos mais fortes para lançarmos nosso primeiro livro de TESTEMUNHOS NO GRUPO DE ORAÇÃO, que precisam de comprovação médica, se for o caso. O MOCL, além da formação específica, precisa estar presente também nos Encontros de Aprofundamento de Dons (Módulo Querigma) e no Módulo Básico, especialmente encontro sobre os CARISMAS, para levar as pessoas ao exercício carismático e convidá-las para o serviço de Oração por Cura e Libertação. Não podemos deixar perder-se a mão de obra suscitada pelo Espírito Santo em nossos encontros querigmáticos e formativos. O MOCL não pode esquecer sua pertença à Renovação Carismática Católica e esta, à Igreja Católica Apostólica Romana. Somos partes de um todo, pois as partes sozinhas não se completam, dependem do corpo de onde provêm. II. A VIGÍLIA DE ORAÇÃO A Vigília de Oração deve ser incentivada para participação de todos os servos, precisamos resgatar as noites de vigílias de oração, bem como aderir à Mobilização Nacional de Oração, cada um participando do dia específico do seu Estado. 2 / 37 É aconselhável que a Vigília seja feita perante o Santíssimo Sacramento no tabernáculo ou exposto no ostensório, conforme a disponibilidade local, num período de no mínimo 3 (três) horas, se possível à noite. O caráter dessa vigília é de oração a partir de Escuta Profética, onde se ora até o Senhor responder à oração de seu povo. Inicialmente, a Equipe responsável pelo incentivo à vigília do MOCL passará pelo Wattsapp d o Ministério Nacional, as necessidades de oração pela Igreja, pela RCC, pelo País e necessidades regionais urgentes e emergentes. Quanto as necessidades locais específicas sem repercussão nacional, serão acrescidas em cada Estado. Será designada uma equipe do MOCL Nacional que catalogará todas as escutas por Estado, mensalmente, formando o histórico das Vigílias, daí a importância de anotar as escutas, bem como as promessas para que sejam as profecias confirmadas no decorrer do tempo. Como tem sido orientado, ressaltamos a necessidade de estarmos em constante revestimento espiritual, pois o combate espiritual surge inesperadamente (no início e no final da vigília deve-se clamar o Sangue de Jesus para si e às pessoas ligadas a você por afinidade e consanguinidade, bem como aos seus bens espirituais e materiais), pois refere-se a uma verdadeira Batalha Espiritual. III.O HISTÓRICO DO PROCESSO FORMATIVO O Processo Formativo na RCCBRASIL é composto de três etapas, que se inicia com o anúncio, querigma (Evangelização), para depois vir a formação (Catequese) do Módulo Básico e a formação específica dos diversos serviços da RCC. A primeira etapa, a querigmático, também chamada de fase inicial, é composta de: 3 / 37 (l) Experiência de Oração (EO), que é aplicada em final de semana, apresentam-se os pontos do querigma, pregações curtas, impactantes, seguidas de momento forte de Oração e Encontro com o Senhor. Não substitui o Seminário de Vida no Espírito Santo. (ll) Seminário de Vida no Espírito Santo (SVES) deve ser bem preparado, ministrado semanalmente, com o acompanhamento de servos do pastoreio em pequenos grupos de partilha. O querigma é anunciado de forma sequenciada, em nove semanas, com pregações mais aprofundadas e momentos de partilha. Os servos do pastoreio devem cuidar bem das pessoas que lhes foram confiadas. O participante aprofunda o querigma que lhe foi apresentado na Experiência de Oração. (lll) Aprofundamento de Dons (AD) deve ser ministrado em final de semana, seguidos de momentos de Oração e do exercício dos Dons Carismáticos em pequenos grupos. Terminada a primeira etapa, inicia-se a fase Catequética, com a aplicação do Módulo Básico (MB), que atualmente são onze apostilas (as oito da antiga Paulo Apóstolo intercaladas com as três da Formação humana). Aqui devemos ter Formações Carismáticas que, no poder do Espírito Santo, promova um encontro pessoal com Jesus, encontro este que transforma vidas. O Módulo Básico confere ao membro da RCC uma visão ampliada do Reino de Deus, do Movimento Eclesial do qual faz parte, da comunidade carismática Grupo de Oração no qual está enraizado, além de despertar para um crescimento interior a partir do Batismo no Espírito Santo rumo à santidade. Nesta etapa do Processo Formativo, onde algumas dinâmicas são aplicadas ao longo dos ensinos, percebe-se o crescimento das ovelhas que o Senhor nos confiou, inclusive, curas vão acontecendo na vida dos irmãos. Neste período, o Núcleo de Serviço deve contribuir no discernimento do Ministério em que 4 / 37 cada participante do processo formativo deverá servir. Aplicadas as 11 apostilas do Módulo Básico inicia-se a formação específica dos ministérios. Discernido o Serviço de cada participante, este é encaminhado para a Formação específica. Cada Ministério aplica a sua Formação, que irá preparar cada pessoa para o serviço. O MOCL tem formação específica que precisa ser aproveitada tanto para os antigos, quanto para os neófitos do Ministério, pois nenhum membro pode se dar por satisfeito em sua formação ministerial, pois tratam-se de experiências pastorais acumuladas no decorrer de toda a ofensiva nacional a partir da década de noventa. Apostila 1 MOCL EM JESUS, O SENTIDO DA NOSSA MISSÃO. Abordagens: 1. A Misericórdia do Pai; 2. Como os servos vivem o Senhorio de Jesus; 3. Vivendo o Batismo no Espírito Santo; 4. Visão Geral dos Carismas; 5. Os dons carismáticos das Obras; 6. Os dons carismáticos do conhecimento. Apostila 2 MOCL DEIXAR-SE RENOVAR E SER TESTEMUNHA. Abordagens: 1. Eis que estou à porta e bato; 2. Ser um servo; 3. Oração A Chave do Coração de Deus; 4. O dom da Cura; 5. O dom da Palavra de Ciência e da Palavra de Sabedoria; 6. Desmascarando o Acusador. Apostila 3 MOCL A BATALHA É DO SENHOR. Abordagens: 1. Passos para uma Libertação Pessoal e Profunda; 2. Revestir-se da Armadura de Deus; 3. Orar pelo irmão no Espírito; 4. Buscando o Discernimento; 5. Desvendando o 5 / 37 mistério dos anjos; 6. Cura entre Gerações. Na caminhada do MOCL, em 2013, foi editado o Roteiro de Formação do Ministério de Oração por Cura e Libertação, elaborado pelo Núcleo do MOCL à época. Enfocaram sobre o MOCL propriamente dito, e forneceram temas práticos para formação: 1. O que é necessário para ser curado; 2. Como se conduzir orações para alcançar a cura e a libertação; 3. O atendimento de oração; 4. Como realizar o diagnóstico; 5. As cinco dimensões da cura do homem total; 6. Como orar por cura física; 7. Como orar pela cura do coração ferido, o exercício do perdão; 8. Como orar pela cura interior nas diferentes fases da vida; 9. Como orar pela cura do espírito; 6 / 37 10. Como orar por libertação do mal; 11. Como orar por libertação de pragas e maldições; 12. Como orar por quebra de votos secretos; 13. Como orar pela cura das emoções negativas; 14. Como orar por cura e libertação da árvore genealógica; 15. Como orar por Cura e Libertação em assembleia. Formação Atualizada Em 2017, no Encontro Nacional de Formação, no Workshop do Ministério de Oração por Cura e libertação foram abordados os seguintes pontos formativos, que devem subsidiar o repasse do ENF nos Estados: 1. É preciso que Ele cresça e eu diminua; 2. O Combate Espiritual revestimento do Alto; 3. O papel do leigo no Ministério do Oração por libertação; 7 / 37 4. A adoração no processo de cura e libertação, cf. Apocalipse 4; 5. A Cura Interior com enfoque no dom do Discernimento dos Espíritos, nas Palavras de Ciência e de Sabedoria; 6. O Dom de oração por Cura Física. Estamos em fase de elaboração de uma nova apostila com abordagem para o Servo e o Serviço de Oração por Cura e Libertação, com lançamento previsto para RCC Responde questões novas. Com previsão de publicação em Aqueles que têm o carisma de orar por Cura e Libertação precisam buscar cotidianamente a cura e a libertação pessoal e, quando necessário, buscar sempre o irmão para auxiliá-lo em seu processo de cura e libertação. A penitência interior do cristão pode ter expressões bem variadas. A escritura e os padres insistem principalmente em três formas: o jejum, a oração e a esmola, que exprimem a conversão com relação a si mesmo, a Deus e aos outros. Ao lado da purificação radical operada pelo batismo ou pelo martírio, citam, como meio de obter o perdão dos pecados, os esforços empreendidos para reconciliar-se com o próximo, as lágrimas de penitência, a preocupação com a salvação do próximo, a intercessão dos santos e a prática da caridade, que cobre uma multidão de pecados (1Pd 4,8). (Cf. Catec. 1434). 8 / 37 IV O JEJUM É importante saber que o jejum é uma prática muito mais interior que exterior, não é apenas algo que se deixa de comer, mas tem um propósito: abster-se de certos alimentos. O jejum não é uma dieta, mas uma prática espiritual que visa uma intimidade maior com Deus. O jejum é para a própria conversão, e também para que amemos mais Deus e o próximo. O Papa Leão Magno aconselhava: Mortifiquemos um pouco o homem exterior, para que o interior seja restaurado. Perdendo um pouco do excesso corpóreo, o espírito robustece-se. As práticas penitenciais são tão importantes na busca da conversão que a observância de algumas delas foi indicada como um dos mandamentos da Igreja, que, muito mais que preceitos, revelam ser essa busca pela perfeição no amor. O quarto mandamento da Igreja diz que é preciso jejuar e abster-se de carne, conforme manda a Santa Mãe Igreja. Os dias e tempos penitenciais, em toda a Igreja, são todas as sextas-feiras do ano e o tempo da Quaresma. Estão obrigados à lei da abstinência os católicos que tiverem completado catorze anos de idade e obrigados à lei do jejum todos os católicos maiores de idade até os sessenta anos começados. Jejum da Igreja 9 / 37 Assim é chamado o tipo de jejum prescrito para toda a Igreja e que, por isso, é extremament e simples, podendo ser feito por qualquer pessoa. Esse modo de jejuar vem da Tradição da Igreja e pode ser praticado por todos sem exceção, sendo esse o motivo porque é prescrito a toda a Igreja. O básico desse tipo de jejum é que você tome o café da manhã normalmente e depois faça apenas uma refeição almoçar ou jantar -, a depender dos seus hábitos, de sua saúde e de seu trabalho. A outra refeição, a que você não vai fazer, será substituída por um lanche simples, de acordo com as suas necessidades. Dessa maneira, por exemplo, se você escolher o almoço para fazer a refeição completa, no jantar faça um lanche que lhe dê condições de passar o resto da noite sem fome. O conceito de jejum não exige que você passe fome. Em suas aparições em Medjurgorje, a própria Nossa Senhora o repetiu várias vezes. Jejuar é refrear a nossa gula e disciplinar o nosso comer. O importante, e aí está a essência do jejum, é a disciplina, e é você não comer nada além dessas três refeições. O que interessa é cortar de vez o hábito de beliscar, de abrir a geladeira várias vezes ao dia para comer uma coisinha. Evitar completamente, nesse dia, as balas, os doces, os chocolates e os biscoitos. Deixar de lado os refrigerantes, as bebidas e os cafezinhos. Para quem é indisciplinado e muitos de nós o somos -, isso é um jejum, e dos bravos! Nesse tipo de jejum, não se passa fome. Mas como a gente se disciplina; como refreia a gula! E é esta a finalidade do jejum. Qualquer pessoa pode fazer esse tipo de jejum, mesmo os doentes, porque água e remédios não quebram jejum. Se for necessário leite para tomar os remédios, o jejum não é quebrado, pois a disciplina fica mantida. Para o doente e para o idoso, disciplina mesmo talvez seja tomar os remédios e tomar corretamente. Jejum a pão e água 10 / 37 Nesse segundo tipo de jejum, deve-se comer pão quando se tem fome e beber água quando se tem sede. Apenas isso e nada mais. Não se trata de comer pão e beber água ao mesmo tempo. Nosso tipo de pão, quando comido com água, geralmente fermenta no estômago, provocando dor de cabeça. É melhor ir comendo aos poucos durante todo o jejum. Você vai perceber que, nesse dia, o pão adquire um novo sabor. Também se deve beber água várias vezes no decorrer do dia. O organismo precisa de água. Por isso, tome água, mesmo que você não tenha sede. O principal desse tipo de jejum é que você só coma pão e beba apenas água. Jejum à base de líquidos O terceiro tipo de jejum requer que você passe o dia sem comer nada, limitando-se a tomar líquidos. Ou seja, durante todo o seu dia de jejum, você se alimenta somente com líquidos. Essa é uma modalidade muito boa de jejum, que refreia a nossa gula e garante a nossa disciplina. É recomendável passar o dia tomando chá. Existem vários tipos de chá, podendo-se escolher. Desde que seja quente e com um pouco de açúcar ou mel, o chá alimenta e mantém o estômago aquecido, o que é muito bom. Quem não puder usar açúcar nem mel, pode usar adoçante ou tomar chá puro; fazendo assim estará se privando da glicose, que é alimentícia, mas conservará as vantagens do chá e do calor. Mas, se preferir, você poderá tomá-lo frio ou gelado, especialmente no verão. 11 / 37 Laranjada, limonada e sucos de fruta também são indicados para esse dia. O mesmo acontece com os sucos de legumes, como cenoura e beterraba, e de verduras. Veja bem: tome suco, não vitamina. Combinando-se frutas, legumes e verduras, as possibilidades aumentam bastante. Outra boa opção para esse tipo de jejum é a água de coco, que é completa, já tendo tudo para nos manter hidratados e alimentados. Qualquer pessoa, mas em especial os idosos e os doentes, pode fazer um jejum muito saudável à base de caldos. Tal como os sucos, os caldos também apresentam uma grande variedade. Observe, no entanto, que estamos nos referindo a caldos, e não a sopas e canjas, embora se possa fazer caldo de frango e até de carne. O que importa é que o caldo é líquido e tem como vantagens ser nutritivo e quente, além de conter sal. Especialmente em dias frios, os caldos são uma ótima maneira de fazer jejum, pois com eles temos garantida a ingestão das calorias necessárias às nossas atividades, espirituais em particular. Jejum completo Nesse quarto tipo de jejum, não se come coisa alguma e só se bebe água. É recomendável que, antes de experimentar essa forma de jejum, você já tenha feito o jejum a pão e água e o jejum à base de líquidos, que podem servir de treino. No jejum completo é fundamental beber água várias vezes ao dia. Não é bom fazer jejum a seco, isto é, sem tomar água, especialmente quando não se tem a prática. É possível fazer jejum sem ingerir mesmo água. Porém, só as pessoas bem experientes devem tentar fazê-lo. É fundamental ter em mente que não está se submetendo a um teste de resistência. Não precisa provar nada a ninguém: nem a si, nem ao Senhor. O objetivo do jejum é encontrar-nos com Deus, favorecer a oração e disciplinar-nos. Ele serve para nos abrir à Graça da 12 / 37 contemplação, da intercessão e da Unção do Espírito Santo. Como já disse acima, nosso organismo precisa de água. Ele necessita estar bem hidratado para agir e reagir no campo espiritual. E como o nosso jejum destina-se a combatentes que batalham por Deus na dimensão espiritual, tome água várias vezes ao dia quando praticar o jejum completo. Quanto a hora de terminar o jejum, principalmente o jejum completo, Nossa Senhora de Medj ugorje fala em encerrá-lo às quatro da tarde. Você pode terminá-lo às cinco, às seis ou às oito horas da noite. O importante é ser comedido e agir com sabedoria. Nossa intenção não é bancar os heróis. V. ADORAÇÃO DIÁRIA A adoração é o primeiro ato da virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-lo como Deus, como o Criador e o Salvador, o Senhor e o Dono de tudo o que existe, o Amor infinito e misericordioso. Adorarás o Senhor, teu Deus, e só a Ele prestarás culto (Lc 4,8), diz Jesus, citando o Deuteronômio (6,13). (Cf. CIgC. 2096). A adoração é a primeira atitude do homem que se reconhece criatura diante de seu Criador. Exalta a grandeza do Senhor que nos fez e a onipotência do Salvador que nos liberta do mal. É prosternação do Espírito diante do Rei da glória e o silêncio respeitoso diante do Deus sempre maior . A adoração do Deus três vezes santo e sumamente amável nos enche de humildade e dá garantia a nossas súplicas. (CIgC. 2628). A adoração exige amor extremo, sem reservas, fazendo com que a pessoa, seja levada a reverenciar a Deus com orações, devoção e honra. Adorar a Deus é, no respeito e na submissão absoluta, reconhecer 'o nada da criatura', que não existe a não ser por Deus. 13 / 37 Adorar a Deus é, como Maria no Magnificat, louvá-lo, exaltá-lo e humilhar-se a si mesmo, confessando com gratidão que ele fez grandes coisas e que seu nome é santo. Adoração do Deus único liberta o homem de se fechar em si mesmo, da escravidão do pecado e da idolatria do mundo. (CIgC. 2096, 2097). O apóstolo Paulo descreve perfeitamente a verdadeira adoração em Romanos 12,1-2: Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito . Esta passagem contém todos os elementos da verdadeira adoração. Primeiro, há a motivação para adoração: as misericórdias de Deus. A misericórdia de Deus é tudo o que Ele nos tem dado, que nós não merecemos: a salvação eterna, a graça eterna, o Espírito Santo, a paz eterna, a alegria eterna, a fé salvadora, conforto, força, sabedoria, esperança, paciência, bondade, honra, glória, justiça, segurança, vida eterna, perdão, reconciliação, justificação, santificação, liberdade, intercessão e muito mais. O conhecimento e a compreensão desses presentes incríveis nos motivam a demonstrar louvor e ação de graças - em outras palavras, adoração! Também na passagem encontra-se uma descrição da forma da nossa adoração: ofereceis o vosso corpo em sacrifício vivo e santo. Apresentar os nossos corpos significa dar a Deus tudo de nós mesmos. A referência aos nossos corpos, aqui, significa todos os nossos sentidos, as nossas faculdades humanas, tudo da nossa humanidade - nossos corações, mentes, mãos, pensamentos, atitudes - deve ser apresentado a Deus. Em outras palavras, estamos abrindo mão do controle dessas coisas e ofertando a Ele, como um sacrifício vivo, atual e verdadeiro que foi entregue totalmente a Deus no altar. Mas como alcançar isso? Mais uma vez, a passagem é clara: pela renovação do vosso espírito. Renovamos o nosso espírito diariamente ao limpá-
Search
Similar documents
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks